Busca

Categoria: Ciência


15:49 · 20.02.2017 / atualizado às 15:49 · 20.02.2017 por

A próxima reunião do Conselho Estadual de Recursos Hídricos do Ceará (CONERH), agendada para amanhã, terça-feira, 21/02, às 8h30, terá a participação do presidente da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Eduardo Sávio, que na ocasião fará a divulgação do prognóstico de chuvas para o trimestre março-abril-maio no Estado.

A reunião acontecerá no auditório da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), na Rua Adualdo Batista, 1550 – Parque Iracema – Fortaleza

O presidente da Funceme apresentará as probabilidades da estação das chuvas 2017 -abaixo da média, em torno da média e acima da média) – referentes ao acumulado de precipitações no trimestre em questão.

A divulgação contará com a presença de todos os representantes dos órgãos membros do CONERH além de demais autoridades. O novo prognóstico também vai explicar a evolução das condições dos oceanos e da atmosfera em relação ao que foi analisado na previsão climática anterior, divulgada no dia 18 de janeiro.

04:12 · 18.01.2017 / atualizado às 04:15 · 18.01.2017 por

eduardoNesta quarta-feira, 18 de janeiro, às 9 horas, a Funceme anunciará, oficialmente, seu prognóstico a respeito da estação de chuvas deste ano para o Ceará.

O anúncio será feito no Palácio da Abolição.

Eduardo Sávio Martins (foto), presidente da Funcene, concluiu ontem, terça-feira, à noite, com sua equipe, o estudo de todas as informações disponíveis a respeito da temperatura dos oceanos Atlântico e Pacífico.

Neste momento, como este blog já informou, as condições são neutras, ou seja, a estação de chuvas de 2017 tanto pode na média histórica, como acima da média ou, o que ninguém quer, abaixo da média histórica.

O que há no horizonte da ciência do clima são sinais do El Niño para o segundo semestre, o que é uma má notícia.

A propósito: a Secretaria de Recursos Hídricos, pela voz do seu titular, Francisco Teixeira, já informou que, até o próximo mês de abril, as águas do açude Castanhão serão suficientes para abastecer a Região Metropolitana de Fortaleza, incluindo o Distrito Industrial de Maracanaú.

04:12 · 17.01.2017 / atualizado às 04:12 · 17.01.2017 por

Este blog tem conversado nos últimos dias com técnicos da Funceme, que divulgará amanhã, quarta-feira, 18, no Palácio da Abolição, sua previsão oficial sobre a estação das chuvas deste ano para o Ceará.

Dessas conversas, pode-se concluir o seguinte:

É muito forte a tendência de que o Nordeste e o Ceará terão, neste 2017, mais um ano de chuvas abaixo da média histórica.

Os índices que medem a temperatura da água dos oceanos Atlântico e Pacífico estão neutros, ou seja, não há sinal, no curto prazo, de La Ninã.

Quanto ao El Niño, porém, há sinais indicando que ele pode ter atividade no segundo semestre deste ano.

É uma informação ruim para o Ceará, que, depois de cinco anos consecutivos de baixa pluviometria, precisa de chuvas intensas, acima da média, para a recarga dos seus açudes.

Há uma grande expectativa sobre o que indicará amanhã o relatório da Funceme.

A previsão da Funceme abrangerá o período de fevereiro a maio.

04:24 · 09.01.2017 / atualizado às 04:24 · 09.01.2017 por

O presidente da Funceme, Eduardo Sávio Martins, disse ao blog que, neste momento, a temperatura dos oceanos Atlântico e Pacífico é de absoluta neutralidade.

Ou seja, não há nem El Niño nem La Niña.

Assim, as chances de o Ceará ter, neste ano de 2017, uma estação de chuvas na média histórica é muito boa.

Mas Eduardo Sávio pede para que todos, principalmente os empresários da agropecuária, aguardem o próximo dia 18, quando a Funceme anunciará, oficialmente, sua previsão para a estação das chuvas deste ano.

O presidente da Funceme esclarece que a Zona de Convergência Intertropical, a ZCIT- que provoca as chuvas do chamado “inverno” cearense – costuma atuar a partir de fevereiro, razão pela qual, entre fevereiro e maio, ocorrem em média 70% das chuvas anuais aqui no Nordeste Ocidental.

Mas o escoamento das águas das chuvas para os grandes açudes depende muito da intensidade da ZCIT.

Resumo: temos mesmo de rezar a Deus pedindo uma boa estação de chuvas, porque, se elas não vierem, aí será o caos.

04:03 · 06.01.2017 / atualizado às 04:04 · 06.01.2017 por

chuvasAtenção! No próximo dia 18, a Funceme anunciará, oficial e definitivamente, sua previsão sobre a estação de chuvas deste ano de 2017.

Empresários da indústria e da agropecuária já foram comunicados pela Funceme sobre esse anúncio.

O presidente da Funceme, Eduardo Sávio, disse ao blog que, na próxima segunda-feira, dia 9, disporá de todas as informações a respeito da temperatura dos oceanos Pacífico e Atlântico.

No dia 10, essas informações começarão a ser processadas pelos computadores da Funceme.

Depois desse processamento, será elaborado o tão aguardado relatório final que será anunciado no dia 18, quando enfim se saberá se haverá chuvas abaixo, acima ou na média histórica.

Para a Funceme, tudo o que agora foi dito a respeito do assunto não passou de especulação, e nada mais do que isso.

A temperatura do Atlântico será um dos fatores que orientarão a previsão da Funceme.

10:28 · 28.12.2016 / atualizado às 10:28 · 28.12.2016 por

O governador Camilo Santana disse ao blog que, se 2017 for um ano de chuvas acima da média histórica, ou mesmo dentro da média histórica, “metade dos problemas do Ceará estarão resolvidos”.

Camilo Santana tem os pés no chão, confia nos relatórios científicos que lhe produz semanalmente a Funceme e não faz qualquer aposta sobre se haverá inverno ou não no Ceará no Ano Novo que está chegando.

Com base no que disse o governador, o blog procurou o presidente da Funceme, Eduardo Sávio, que repetiu o mesmo discurso da semana passada:

“Só lá por meados de janeiro é que a Funceme se pronunciará sobre a previsão do clima para o primeiro trimestre de 2017”, ele falou.

Por enquanto, a Funceme, que está ligada aos maiores centros mundiais de monitoramento do clima, acompanha a evolução do La Niña, cujos sinais são muito discretos, não permitindo, hoje, qualquer prognóstico.

Esta é a última notícia sobre se teremos ou não inverno no próximo ano.

04:18 · 19.12.2016 / atualizado às 04:18 · 19.12.2016 por

Este blog teve uma curta conversa com o presidente da Funceme, engenheiro Eduardo Sávio, para quem as últimas informações dando conta de que 2017 será um ano de chuvas dentro da média e até acima da média histórica não devem ser levadas em consideração, pelo menos por enquanto.

De acordo com o presidente da Fuceme, todas essas opiniões, mesmo que venham de técnicos, não passam de um chute, não tendo, pois, valor científico.

Neste momento, segundo Eduardo Sávio, os sinais do fenômeno La Niña são muito fracos, significando que a estação chuvosa no Nordeste Setentrional, onde está o Ceará, dependerá das condições de temperatura do Oceano Atlântico, e isto só poderá ser correta e cientificamente conferido ao longo do mês de janeiro.

A estação das chuvas no Ceará está diretamente vinculada à Zona de Convergência Intertropical, a ZCIT, que desce abaixo do Equador quando a temperatura das águas do Atlântico fica aquecida.

E quando a ZCIT desce abaixo do Equador, aí o inverno sempre é de boas chuvas.

Portanto, aguardemos a palavra final da Funceme, em janeiro.

04:11 · 25.10.2016 / atualizado às 04:13 · 25.10.2016 por

alimentosNo planeta terra, vivem e sobrevivem hoje mais de 8 bilhões de pessoas.

Como fazer para produzir e distribuir alimentos saudáveis para essa gigantesca multidão?

Este é, agora, o maior desafio que mobiliza, no mundo todo, a atividade de empresários da agropecuária, da indústria, do comércio e da logística de transporte, além, naturalmente, dos especialistas em tecnologia e, ainda, os cientistas e pesquisadores das universidades dos países mais desenvolvidos, como o Brasil.

O desafio torna-se mais complicado diante das mudanças climáticas que castigam diferentes regiões do globo.

Aqui no Brasil, a falta de água assola há cinco anos consecutivos a região Nordeste.

Alguns organismo que monitoram o clima indicam que esta crise pode prolongar-se pelo próximo ano de 2017, o que seria um desastre para o Ceará, algumas de cujas cidades enfrentam hoje o caos no abastecimento de água.

Em janeiro, e só em janeiro, a Funceme emitirá um comunicado científico sobre se 2017 será ou não mais um ano de seca.

Vamos esperar, orando a Deus por chuvas.

04:54 · 19.10.2016 / atualizado às 04:54 · 19.10.2016 por

Empresários cearenses da fruticultura afirmam que, para o Ceará tornar-se uma economia mais forte, bastará que a natureza lhe devolva as chuvas que há cinco anos ela vem sonegando.

Paulo Selbach, que produz rosas e hortaliças na Serra da Ibiapaba, considera que, com a volta das chuvas e com os seus grandes açudes recarregados, o Ceará consolidará seu programa de recursos hídricos, que é, reconhecidamente, o melhor de todas as regiões do País.

A infraestrutura portuária e aeroportuária do Ceará é muito boa, o Estado tem também boas estradas, seu povo tem vocação para o trabalho e a iniciativa privada vem fazendo sua parte. Mas a questão da instabilidade do clima, com secas periódicas e prolongadas, torna mais difícil empreender no Estado.

O Ceará é hoje o maior produtor e exportador brasileiro de melões, tem uma moderna indústria de lacticínios, tem uma indústria moderna e diversificada, da siderurgia aos têxteis. Assim, o que falta mesmo, dizem os empresários, é a ajuda da natureza.

Sobre isto, a última palavra da Funceme é a de que só em janeiro poderá fazer uma previsão correta e confiável a respeito da próxima estação de chuvas. “Tudo vai depender de como estará a temperatura das águas do Atlântico”, como explica o seu presidente, Eduardo Sávio.

04:30 · 07.10.2016 / atualizado às 04:30 · 07.10.2016 por

O engenheiro Eduardo Sávio, presidente da Funceme, está transformado no foco das atenções dos grandes e pequenos agricultores cearenses, que desejam dele, permanentemente, informações acerca do que poderá acontecer em 2017.

Eduardo Sávio disse ao blog que, por enquanto, a Funceme não pode fazer nenhuma previsão científica sobre o fenômeno La Niña, que costuma causar boas chuvas no Nordeste e estiagens no Sul e Sudeste do Brasil.

Ele informa que somente no próximo mês de janeiro será possível fazer corretamente, do ponto de vista científico, uma previsão sobre a temporada de chuvas de 2017.

Por enquanto, as informações circulantes dão conta de que são fracos os sinais do La Niña, que é o esfriamento das águas do Pacífico e o aquecimento das águas do Atlântico.

Resumo da notícia: é bom que os cearenses continuemos em oração a Deus, pedindo a volta das chuvas.