Busca

Categoria: Esporte


08:01 · 24.12.2017 / atualizado às 08:13 · 24.12.2017 por

Faltam seis meses para a Copa do Mundo da Rússia.

Este blog adverte: a seleção brasileira, primeira a classificar-se para o certame, corre risco. Sério risco.

Depois de liderar com folga a fase de classificação, o time comandado pelo técnico Tite – que passou por cima da Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile – confrontou-se no dia 14 de novembro passado com a seleção da Inglaterra.

O time inglês, desfalcado de sete titulares, entre os quais o artilheiro Kane, não só deu um nó tático na seleção de Tite como quase ganha o jogo – o 0x0 foi celebrado como uma vitória.

No dia 5 deste dezembro, o PSG – onde jogam Daniel Alves, Marquinhos e Tiago Silva, que formam a zaga brasileira, e Neymar – levou um baile do Bayern de Munique, que lhe aplicou 3×0 sem dificuldade.

Nesse jogo, realizado naquela encantadora cidade da Bavária, o francês Rivery driblou quantas vezes quis o brasileiro Daniel Alves; e o centro-avante Lewandowski ganhou todas as disputas de cabeça com Marquinhos e Tiago Silva. Foi um passeio do Bayer.

E no ataque, Neymar foi apagado pelo forte sistema de marcação alemão, semelhante ao que a seleção da Inglaterra utilizara para impor-se ao ataque brasileiro no amistoso no estádio de Wembley, em Londres.

Gabriel Jesus, o centro-avante elogiadíssimo pela mídia do Sul maravilha, tem ficado na reserva do Manchester City, de onde vê o argentino Kum Aguero fazer gols em todas as partidas.

A chamada imprensa esportiva nacional exagera quando diz que o Brasil é o favorito para ganhar a Copa da Rússia.

Sim, é uma das favoritas, mas atrás da França (de Mbapé, Griezmann, Pogba, Dembelé, Bakayoko, Bendy e Lemar), Espanha (de Piqué, Sérgio Ramos, Iniesta, Busquets e David Silva), Alemanha (de Neuer, Ozil, Boateng, Hummels, Draxler, Ginter, Badstuber e Thomas Miller) e Inglaterra (de Joe Hart, Maguire, Harry Kane, Defoe, Rashford e Sterling).

Tite terá de melhorar a altura de sua defesa, para o que deve convocar o gaúcho Geromel; o seu meio de campo, com a convocação de outro gaúcho, Artur.

E deve treinar muito, principalmente variações táticas que permitam furar as duras defesas europeias.

13:31 · 06.12.2017 / atualizado às 13:33 · 06.12.2017 por

Quem viu pela tevê na terça-feira, 5, o jogo do PSG com o Bayer de Munique – válido pela Liga dos Campeões da Europa – perceu o sinal de vermelho que acendeu na Seleção brasileira.

O jogo terminou com a vitória dos alemães por 3 x 1. E com uma lamentável exibição dos jogadores brasileiros, principalmente dos três da defesa – Daniel Alves, Marquinhos e Tiago Silva, que levaram um passeio dos atacantes do Bayer.

Pra começar, perderam todas as disputas pelo alto – são baixinhos.

Na lateral direita, Daniel Alves, com 33 anos nas costas, foi facilmente envolvido por dribles e piques de velocidade do atacante francês Ribéry (foto).

E para terminar, Neymar – que é o segundo mais indisciplinado jogador do campeonato francês e a estrela de primeira grandeza da seleção de TIte – jogou nada: fui severa e legalmente marcado pelo jovem Kimmich, titular da seleção alemã, com a qual o time brasileiro pode defrontar-se nas oitavas de final da Copa do Mundo de 2018 na Rússia.

Mas há outro culpado pelo péssimo desempenho do PSG contra o Bayer de Munique: o técnico espanhol Unai Emmery, que não soube sair do nó tático que lhe aplicou seu colega germânico Jupp Heinckes.

No recente amistoso contra a Inglaterra, no estádio de Wembley, em Londres, o time de Tite já demonstrara incompetência para penetrar no ferrolho inglês. Nesse jogo, o “Englis Team” jogou sem 8 titulares.

Ainda há tempo de convocar novos zagueiros, altos, fortes e competentes.

04:33 · 17.10.2017 / atualizado às 04:36 · 17.10.2017 por

Este blog perguntou ao secretário de Planejamento do Ceará, Maia Júnior, onde e como está a proposta feita pela Federação das Associações Centros e Clubes Unesco no Brasil para assumir a gestão do Centro de Formação Olímpica (foto), construído pelo Governo cearense bem em frente à arena Castelão, em Fortaleza.

Maia Júnior revelou que essa proposta foi encaminhada para análise do Itamaraty e da alta direção da Unesco, com o pedido de que ela fosse validada.

Até ontem, segunda-feira (16), porém, essa validação não havia sido feita.

E sem ela a proposta não poderá ser analisada nem implementada pelo governo do Estado.

A boa novidade dessa proposta são duas: primeira, ela tem a grife da Unesco, organismo das Nações Unidas para a Educação e a Cultura; segunda, ela não terá qualquer custo para o governo cearense, e é isto que o Governo estadual quer.

04:04 · 11.07.2017 / atualizado às 04:04 · 11.07.2017 por

O secretário de Planejamento e Gestão do Governo do Ceará, engenheiro Maia Júnior, disse ao blog que uma equipe de sua secretaria e outra da Secretaria de Esportes já estão analisando os termos da proposta que o Clube Unesco Brasil apresentou para assumir a gestão do Centro de Formação Olímpica que foi construído pelo governo cearense bem em frente ao estádio Castelão, em Fortaleza.

O Clube Unesco Brasil é o braço esportivo brasileiro da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.

A grande vantagem da proposta da Unesco é que ela não gera qualquer custo para o governo do Ceará.

Maia Júnior informou que, quando a análise estiver pronta, a proposta da Unesco será levada à decisão do governador Camilo Santana.

O Centro de Formação Olímpica do Ceará é o maior e mais moderno do País.

A Unesco quer utiliza-lo não só como um Centro de Formação de atletas com vocação para o esporte olímpico, mas também como um polo de educação esportiva para a juventude pobre do Ceará e estados vizinhos.

04:25 · 30.06.2017 / atualizado às 04:25 · 30.06.2017 por

O secretário de Planejamento e Gestão do Governo do Estado, engenheiro Maia Júnior, afirma que que a proposta apresentada pela Unesco – por meio de seu Clube Unesco Brasil – para assumir a gestão do Centro de Formação Olímpica do Ceará (CFO), será examinada com a pressa e o cuidado que a questão requer.

Maia Júnior explica que a proposta da Unesco é muito viável, pois, além de ter custo zero para o Estado, mobilizará empresas nacionais e estrangeiras para investirem no CFO recursos oriundos dos incentivos fiscais da Lei do Esporte.

A Unesco é um selo de qualidade que todas as instituições públicas e privadas gostariam de exibir, acentua Maia Júnior.

A intenção da Unesco é fazer do CFO não só um Centro de Formação Olímpica, mas também um polo de educação esportiva da juventude mais pobre do Ceará e de outros estados do Nordeste.

A proposta da Unesco será examinada pela Secretaria de Esportes, que terá a assessoria da Secretaria de Planejamento e Gestão.

As duas emitirão um parecer que será submetido à decisão do governador Camilo Santana.

06:32 · 29.06.2017 / atualizado às 08:18 · 29.06.2017 por
Proposta será analisada pela Secretaria do Esporte que, assessorada pela Seplag Foto: Cid Barbosa

O secretário de Planejamento e Gestão do Governo do Estado, engenheiro Maia Júnior, revela ao blog que recebeu quarta-feira, 28, do Clube Unesco do Brasil – braço esportivo da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura – uma proposta “de custo zero” para a gestão do Centro de Formação Olímpica do Ceará (CFO), equipamento de Primeiro Mundo construído bem em frente à arena Castelão, em Fortaleza.

A proposta lhe foi entregue, oficialmente, por uma advogada e dois executivos do Clube Unesco Brasil. Agora, ela será analisada pela Secretaria do Esporte que, assessorada pela Seplag, emitirá um parecer a ser encaminhado à apreciação do governador Camilo Santana.

Segundo o secretário Maia Júnior, a Unesco – para assumir a gestão do Centro de Formação Olímpica do Ceará – mobilizará empresas nacionais e estrangeiras que, utilizando-se da Lei do Esporte, se associarão ao projeto por meio do investimento de recursos oriundos de deduções do Imposto de Renda.

O Clube Unesco Brasil quer fazer do CFO não apenas um polo de treinamento de atletas com vocação para o esporte olímpico, mas também um centro de atividades esportivas para crianças e adolescentes de famílias pobres. O Governo do Estado entende que essa proposta atende às finalidades do CFO, razão pela qual há grande possibilidade de as duas partes formalizarem uma parceria.

04:04 · 27.06.2017 / atualizado às 04:04 · 27.06.2017 por

Amanhã, quarta-feira, 28, o secretário de Infraestrutura do Governo do Ceará, Maia Júnior, receberá em seu gabinete o representante no Brasil da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura – Unesco.

Os dois tratarão da proposta que a Unesco apresentou ao governo cearense para a gestão – a custo zero, como este blog revelou em primeira mão na segunda-feira, 26, do Centro de Formação Olímpica do Ceará (CFO).

Estava previsto para hoje, em Paris, onde a Unesco tem sede, um encontro do seu presidente com o governador Camilo Santana, os quais tratariam do mesmo assunto. Mas, por problema de agenda, a reunião não poderá ser realizada.

A proposta da Unesco, em poder do governo estadual, ainda não foi detalhada, mas já se sabe que ela permite a participação de grandes empresas privadas mundiais, como a francesa Lagardere, que hoje tem a gestão do estádio Castelão, em Fortaleza, em frente ao qual foi implantado o Centro de Formação Olímpica, equipamento destinado ao treinamento de atletas vocacionados para os esportes olímpicos.

Esse CFO é considerado um dos mais modernos do mundo, mas, por enquanto, por falta de recursos financeiros e de uma gestão adequada, está sem utilização.

 

06:40 · 26.06.2017 / atualizado às 06:43 · 26.06.2017 por

Está de posse do Governo do Estado uma proposta da Unesco – Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura – para a gestão do Centro de Formação Olímpica do Ceará (CFO), equipamento construído ao lado do estádio Castelão, em Fortaleza e destinado ao treinamento de atletas brasileiros com vocação para o esporte olímpico.

Uma fonte ligada ao Palácio da Abolição disse ao blog que a proposta da Unesco contém as palavras mágicas que encantaram o Governo cearense: custo zero para o Estado.

Desconhecem-se, até agora, os detalhes da proposta, que será melhor analisada quando o governador Camilo Santana retornar da Europa na próxima quarta-feira, 28, à noite.

Camilo está nesta segunda-feira na cidade de Frankfurt, em cujo gigantesco aeroporto tem reuniões com a alta cúpula da Fraport, a empresa alemã que ganhou o leilão de concessão do Aeroporto Internacional Pinto Martins.

Amanhã, Camilo Santana estará em Paris, onde tem agendadas reuniões com o Instituto Pasteur e com diretores da Air France-KLM, que é sócia da brasileira Gol Linhas Aéreas. O tema desta reunião será a instalação de um hub no aeroporto de Fortaleza.

10:10 · 14.06.2017 / atualizado às 10:10 · 14.06.2017 por

Uma informação curta que procede do futebol mundial e que aborda a sonegação de impostos pelos profissionais da bola.

Primeiro foi o argentino Lionel Messi, que teve de pagar 4 milhões e meio de euros ao fisco da Espanha por sonegação tributária.

Depois, foi o brasileiro Neymar, também do Barcelona de Messi. Neymar está sendo processado pelas autoridades fazendárias espanholas porque também sonegou imposto, crime que pode dar-lhe condenação à prisão.

Agora, surge a denúncia de que o português Cristiano Ronaldo, do Real Madri, foi acusado pelo fisco da Espanha, que quer receber dele 14,7 milhões de euros de impostos sonegados.

Resumo da ópera: jogador de futebol mundialmente famoso é muito parecido com os políticos brasileiros da Lava Jato.

09:48 · 16.02.2017 / atualizado às 09:50 · 16.02.2017 por

O Senado Federal aprovou a Proposta de Emenda Constitucional que legaliza a prática da vaquejada, um esporte típico da região nordestina.

Mas impôs uma condição: a de que sejam protegidos os animais nele utilizados.

A vaquejada é um esporte que, no Nordeste, mobiliza uma grande cadeira produtiva que gera dezenas de milhares de empregos.

Pois bem: para o Senado, a vaquejada é mesmo uma manifestação cultural que deve ser respeitada.

Agora cabem duas perguntas: qual a parte do boi usado na vaquejada deve ser protegida – será o rabo?

A segunda pergunta é esta: não seria melhor instalar, obrigatoriamente, um piso acolchoado no espaço onde o boi é derrubado?

Para a Sociedade Protetora dos Animais, a vaquejada deve ser proibida porque machuca o boi.

Como se vê, mesmo com a aprovação dessa PEC pelo Senado, a vaquejada continuará sendo objeto de debate.