Categoria: Geral


06:56 · 14.10.2018 / atualizado às 09:57 · 14.10.2018 por

Naquele tempo, quando Jesus saiu a caminhar, veio alguém correndo, ajoelhou-se diante dele e perguntou: “Bom Mestre, que devo fazer para ganhar a vida eterna?” Jesus disse: “Por que me chamas de bom? Só Deus é bom, e mais ninguém. Tu conheces os mandamentos: não matarás; não cometerás adultério; não roubarás; não levantarás falso testemunho; não prejudicarás ninguém; honra teu pai e tua mãe”. Ele respondeu: “Mestre, tudo isso tenho observado desde a minha juventude”. Jesus olhou para ele com amor, e disse: “Só uma coisa te falta: vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois vem e segue-me!”

Mas quando ele ouviu isso, ficou abatido e foi embora cheio de tristeza, porque era muito rico. Jesus então olhou ao redor e disse aos discípulos: “Como é difícil para os ricos entrar no Reino de Deus!” Os discípulos se admiravam com estas palavras, mas ele disse de novo: “Meus filhos, como é difícil entrar no Reino de Deus! É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus!” Eles ficaram muito espantados ao ouvirem isso, e perguntavam uns aos outros: “Então, quem pode ser salvo?” Jesus olhou para eles e disse: “Para os homens isso é impossível, mas não para Deus. Para Deus tudo é possível”.

Pedro então começou a dizer-lhe: “Eis que nós deixamos tudo e te seguimos”. Respondeu Jesus: “Em verdade vos digo, quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, campos, por causa de mim e do Evangelho, receberá cem vezes mais agora, durante esta vida — casa, irmãos, irmãs, mães, filhos e campos, com perseguições — e, no mundo futuro, a vida eterna”.

Reflexão – “Dar aos pobres é não viver só para si”

vai, vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu!” Com estas palavras Jesus nos ensina como poderemos perseguir a perfeição e, assim, acumular um tesouro no céu. Por mais pecadores que sejamos, todos nós temos desejo de santidade e ansiamos progredir no caminho da perfeição. O exemplo do jovem rico é uma confirmação disso. Viver apenas os mandamentos não nos basta. Cumprir a lei é pouco diante do anseio que temos de perfeição, de liberdade, de sair de nós mesmos (as) e alçar o livre arrebatamento dos filhos de Deus, criados à Sua imagem e semelhança.  Jesus falou para o jovem rico que ele precisaria vender tudo o que tinha. E nós? O que será preciso vender? Podemos começar admitindo que, primeiramente, precisamos sair de nós mesmos e nos descartar de tudo o que nos aprisiona, escraviza e nos impede de voar para fora da mesmice da nossa vidinha medíocre de “cumprir a obrigação” e amealhar, depositando sobre nós uma carga pesada e levando uma bagagem difícil de carregar que dificulta a viagem que empreendemos. Jesus veio nos salvar do pecado e da morte eterna, por isso, Ele tem em Si todos os atributos de que precisamos para o nosso fortalecimento. Quando Ele nos recomenda, vender tudo para dar aos pobres, é porque sabe que quanto mais nos apegarmos a nós mesmos e à nossa mentalidade egoísta, mais ranzinzas e infelizes seremos. O rico é aquele que é apegado às suas conveniências e não consegue perceber a necessidade dos outros. Dar aos pobres é não viver só para si, é deixar de olhar apenas os próprios interesses para alcançar os interesses de Deus e fazer a Sua vontade. – É difícil para você também vender tudo o que possui e dar aos pobres? – O que é que você possui de tão importante a ponto de tornar impossível a sua entrada no reino do céu? – O que você está amealhando? – O que você já conseguiu deixar para seguir Jesus?

 

Helena Colares Serpa – Comunidade Católica Missionária UM NOVO CAMINHO

06:59 · 04.10.2018 / atualizado às 07:00 · 04.10.2018 por

Uma pesquisa feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) acaba de apurar que 75% dos brasileiros têm receio de que seu voto seja influenciado por fake news (notícias falsas) nas eleições deste ano.

Esse medo eleva-se para para 82% se forem considerados os que têm até 34 anos de idade.

Em uma escala que varia de zero a dez, 67% dos entrevistados que se informam sobre as propostas dos candidatos nas redes sociais atribuem nota igual ou superior a seis para o grau de influência que elas exercem sobre a sua decisão de voto e opinião nas eleições. Considerando todos os entrevistados, a nota média é 6,6 pontos. “A proximidade das eleições coloca a propagação de notícias inverídicas ainda mais em evidência, uma vez que este é um período em que as pessoas recorrem a todo tipo de fonte e são bombardeadas por diversas informações a respeito dos candidatos, propostas e planos de governo”, alerta o presidente da CNDL, José Cesar da Costa.

De acordo com o levantamento, 60% dos entrevistados assumem o hábito de checar com frequência se as notícias de políticos que recebem pelas redes sociais e Whatsapp são de fato verdadeiras, enquanto 22% fazem isso apenas algumas vezes. Os que raramente ou nunca procuram se certificar da veracidade das informações recebidas no período eleitoral somam 18% dos entrevistados.

Dentre os que tomam algum tipo de cuidado com relação à veracidade das notícias durante as eleições, 52% conferem a fonte para saber se tem credibilidade, 45% pesquisam a veracidade da notícia no Google ou outro buscador e 33% leem as matérias que compartilham na íntegra e não somente o título.

A pesquisa revela que mais de um terço (34%) dos brasileiros costuma compartilhar informações sobre políticos nas redes sociais, hábito que sobe para 42% entre os homens. As redes mais usadas para essa finalidade são Facebook (83%), WhatsApp (67%), Instagram (25%) e Twitter (23%). No geral, 62% não têm o hábito de compartilhar notícias políticas com sua rede de contatos.

Segundo a pesquisa, os debates na TV são o principal meio de informação sobre as propostas dos candidatos à presidência (67%), seguida da internet (40%), das matérias jornalísticas (34%) e das conversas com parentes e amigos (30%). Apenas 29% acompanham o horário eleitoral gratuito na TV e rádio para se informar sobre os candidatos.

09:13 · 03.10.2018 / atualizado às 09:13 · 03.10.2018 por

O preço das frutas produzidas na região Nordeste poderão sofrer um aumento de até 20%.

Foi o que disse a este blog o presidente da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas (Abrafrutas), empresário Luiz Roberto Barcelos, que é também sócio e diretor de produção da Agrícola Famosa, maior produtora e exportadora brasileira de melão.

Ele explicou que o preço do frete rodoviário, agora tabelado pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT), foi reajustado para além do previsto pelos produtores e pelas próprias empresas transportadoras.

Luiz Roberto Barcelos deu um exemplo: quando o preço era livremente negociado entre as partes, sem qualquer intermediação do Governo, o frete das carretas que transportam cargas frias do Sul para o Nordeste, como as da Sadia e da Perdigão, cobravam R$ 17 mil. Na viagem de retorno, do Nordeste para o Sul, esse frete era em média de R$ 7 mil. “Agora, com o tabelamento, nós teremos de pagar R$ 11,5 mil pela viagem de retorno, o que, no caso das frutas, representará um aumento de 20%, algo que será muito difícil repassar para o cliente e para o consumidor final”, afirmou Barcelos.

Falando ao blog nesta manhã de quarta-feira, 3, diretamente de Genebra, na Suíça, onde se encontra para uma reunião da OMC, o presidente da Abrafruta anunciou que sua entidade entrará na Justiça com uma ação contra o tabelamento. “Vivemos em um País de livre iniciativa, de livre mercado, razão pela qual consideramos ilegal esse tabelamento que prejudica toda a cadeia produtiva”, finalizou.

08:47 · 03.10.2018 / atualizado às 09:07 · 03.10.2018 por

Resultado de imagem para As raposas têm tocas e os pássaros têm ninhos;Naquele tempo, enquanto Jesus e seus discípulos caminhavam, alguém na estrada disse a Jesus: “Eu te seguirei para onde quer que fores”. Jesus lhe respondeu: “As raposas têm tocas e os pássaros têm ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça”. Jesus disse a outro: “Segue-me”. Este respondeu: “Deixa-me primeiro ir enterrar meu pai”. Jesus respondeu: “Deixa que os mortos enterrem os seus mortos; mas tu, vai anunciar o Reino de Deus”. Um outro ainda lhe disse: “Eu te seguirei, Senhor, mas deixa-me primeiro despedir-me dos meus familiares”. Jesus, porém, respondeu-lhe: “Quem põe a mão no arado olha para trás não está apto para o Reino de Deus”.

Reflexão – “Não podemos impor condições ao chamado de Deus”

 

Jesus hoje quer nos conscientizar de que não podemos impor condições ao chamado de Deus e nos adverte que, para segui-Lo, temos de abdicar de privilégios, de comodidade e enfrentar as dificuldades próprias da nossa missão de cristãos comprometidos com o reino dos céus. Ele nos dá consciência de que o Seu seguimento requer desprendimento da nossa parte em relação a todas as coisas e pessoas a que, humanamente falando, somos ligadas e, como consequência, nos afastam da vivência da vontade de Deus.  O que acontecia naquele tempo incide também nos dias de hoje. Levamos tempo para decidir seguir a Jesus, porque temos muitas ocupações e há coisas lícitas que nos impedem de dar os primeiros passos. Esperamos sempre por um dia, que ainda irá chegar. Assim sendo, entendemos que não podemos seguir a Jesus porque há muito o que fazer. Jesus, porém, nos adverte com palavras duras: “deixa que os mortos enterrem os seus mortos, mas tu, vai anunciar o reino de Deus.” Em outras palavras, Jesus nos lembra de que existem outras pessoas que podem fazer as coisas que usamos como desculpa para não segui-Lo. O Senhor nos chama hoje para anunciar uma vida nova para a nossa família e não para nos acomodar esperando a hora de “enterrar” os nossos queridos. Os mortos, são aqueles que ainda não foram chamados, ou não se consideram discípulos e não aceitaram o convite, aqueles que nem entendem nem querem seguir a Jesus, estes, sim, podem enterrar os mortos. Despedir-se dos familiares significa também perder oportunidades, correr riscos de desistir, tirar o foco do que Jesus nos propõe deixando a graça de Deus passar. Todos nós, se desejamos seguir a Cristo, temos que tomar conhecimento das advertências da Sua Palavra. Jesus não nos promete uma vida fácil, mas a vida eterna e o reino do céu, desde já.  Não deixemos para depois. Amanhã, será outro dia… Talvez não haja outro chamado! Segue-me, diz o Senhor! “Quem põe a mão no arado e olha para trás não está apto para o reino de Deus!”  – Você está apto para o reino de Deus? – Quais são as desculpas que tem dado para não seguir a Jesus? – Você tem consciência de que para segui-Lo não deve ter vontade própria nem opiniões formadas? – Você prefere seguir a Jesus ou enterrar os “seus mortos”? – Que tal anunciar a eles que o reino de Deus está próximo? Fazendo isso, você estará seguindo a Jesus.

 

Helena Colares Serpa – Comunidade Católica Missionária UM NOVO CAMINHO

06:50 · 02.10.2018 / atualizado às 06:51 · 02.10.2018 por

A operadora de telefonia Vivo lançou o “Manifesto por um Novo Pacto Digital”, que convoca a sociedade e o governo para discutir os impactos da tecnologia no dia a dia das pessoas. A traz o duplo desafio de aproveitar as novas oportunidades oferecidas pela digitalização em favor da sociedade e, ao mesmo tempo, mitigar os novos riscos associados a ela.

 “Estamos vivendo uma revolução digital que influencia a forma como as pessoas se relacionam e interagem, por isto a importância de discutirmos a conectividade para todos como um impulsionador central dessa transformação, aliada à necessidade de modernização de novas leis e regulamentação”, disse Eduardo Navarro, presidente da Telefônica Brasil/Vivo.

Diante desse cenário, a Vivo entende a importância de definir um pacto que proteja os direitos do cidadão e garanta que os benefícios dessa nova era digital cheguem a todos. “Estamos comprometidos em construir o novo Brasil. Queremos ser protagonistas desse movimento que vai transformar a vida das pessoas, ampliando o acesso dos brasileiros à educação e ao mundo digital, com maior confiança e sustentabilidade”, enfatiza Navarro.

Para nortear esse debate, o “Manifesto por um Novo Pacto Digital” considera cinco princípios: Digitalização, Inclusão Digital, Educação,  Segurança & Privacidade e Modernização de Leis & Políticas Públicas.

Inclusão Digital

Digitalização, no sentido de conectividade, é o pontapé inicial para ampliar a inclusão digital. Mais da metade da população mundial ainda não está conectada e para haver uma mudança significativa nesse cenário, a implantação da banda larga deve ser prioridade para as administrações públicas. A Vivo defende ainda redes de acesso inovadoras e sustentáveis, com modelos de negócios novos e colaborativos e melhores serviços públicos digitais.

Educação

Segundo o manifesto, os governos devem adotar as políticas públicas necessárias para garantir que os cidadãos estejam prontos a viver no novo ambiente digital. Como resultado da força da Internet das Coisas (IoT) e da Inteligência Artificial, que trazem soluções para facilitar a vida das pessoas, muitas funções serão automatizadas em curto espaço de tempo.

O documento lembra que os profissionais devem estar preparados para adquirir novos conhecimentos e exercer novas atividades.

A Vivo defende que, em colaboração com outros agentes sociais, os agentes públicos mobilizem as mudanças necessárias na educação e preparação da sociedade para a transição do trabalho e empregabilidade, garantindo direitos do cidadão em uma era de grandes transformações.

Ética & Privacidade

Confiança e transparência são pontos importantes para impulsionar mudanças sociais positivas em áreas como saúde, educação, transporte e outros, acentua o manifesto da Vivo.

Para isso, é essencial que os usuários tenham conhecimento e controle sobre seus dados e possam decidir como e quando serão utilizados. A empresa defende o uso responsável da inteligência artificial e dos algoritmos, pautados em princípios éticos e que as plataformas globais tenham um comportamento responsável para garantir uma digitalização mais sustentável. Estas mudanças devem estar acompanhadas de políticas públicas eficientes que garantam a privacidade dos dados e restabeleçam a confiança digital, defende a empresa.

Ainda de acordo com o manifesto, a modernização de leis e políticas públicas é fundamental para o completo desenvolvimento da sociedade na era digital. Leis, regulamentos e políticas públicas devem contribuir para impulsionar a inovação, o empreendedorismo e definitivamente, a inclusão digital. Tudo isso para garantir os direitos do cidadão na era digital.

08:19 · 04.09.2018 / atualizado às 08:19 · 04.09.2018 por

 

Resultado de imagem para Na sinagoga, havia um homem possuído pelo espírito de um demônio impuroNaquele tempo: Jesus desceu a Cafarnaum, cidade da Galiléia,  e aí ensinava-os aos sábados. As pessoas ficavam admiradas com o seu ensinamento, porque Jesus falava com autoridade. Na sinagoga, havia um homem possuído pelo espírito de um demônio impuro, que gritou em alta voz: ‘O que queres de nós, Jesus Nazareno? Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: tu és o Santo de Deus!’ Jesus o ameaçou, dizendo: ‘Cala-te, e sai dele!’
Então o demônio lançou o homem no chão, saiu dele, e não lhe fez mal nenhum. O espanto se apossou de todos e eles comentavam entre si: ‘Que palavra é essa? Ele manda nos espíritos impuros, com autoridade e poder, e eles saem.’ E a fama de Jesus se espalhava em todos os lugares da redondeza.

Reflexão – “a vida de Jesus era o próprio Evangelho” 

 

O Evangelho nos relata que as pessoas ficavam admiradas com o ensinamento de Jesus e reconheciam a Sua autoridade.  A autoridade com que Jesus falava vinha da Sua convicção por viver em conformidade com o que proclamava. Por isso Jesus não tinha dúvidas da Sua missão salvífica e da Sua identidade de Filho de Deus. Conduzido pelo Espírito Santo, Ele mantinha uma intimidade perene com o Pai e recebia Dele todas as instruções para que pudesse realizar a Sua obra aqui na terra. Assim sendo, os Seus ensinamentos eram convincentes e as Suas ações concretas. Ele sabia o que estava ensinando e tinha certeza daquilo sobre o qual estava falando porque vivenciava o que pregava.  A Sua vida era o próprio Evangelho!   Ele não agia como nós, que às vezes, fazemos as coisas sem convicção, com medo, inibidos e terminamos por dar contratestemunho dos ensinamentos evangélicos.   Dessa forma, Ele demonstrava ter plena consciência da sua missão e agia com firmeza e poder. A partir Dele as coisas aconteciam conforme Ele pregava. Ele não vacilava e, por conseguinte, até os demônios O reconheciam e O obedeciam. Os espíritos maus eram submissos à Sua autoridade, mais até que os fariseus e doutores da lei. Jesus deixou para nós a incumbência de também mandar calar os espíritos impuros e libertar os cativos. Entretanto, para que isso seja possível, nós também necessitamos entrar em sintonia com o Pai, em oração, e pedir que o Espírito Santo se manifeste por meio de nós e das nossas palavras e ações. Assim também poderemos fazer o que Jesus fez e muito mais ainda, como Ele próprio nos afirma em outra passagem.  Portanto, o poder do Espírito, a Fé em Jesus e a coerência da nossa vida nos farão ter autoridade na pregação e na ação. – Você acredita que o poder de Deus lhe fará remover montanhas e expulsar os males? – Você assume toda a Palavra que pronuncia em nome de Deus?  – Como você tem transmitido o Evangelho às pessoas, falando ou vivendo? – Você tem autoridade sobre os “espíritos maus”? – O que falta para que isto aconteça?

 

Helena Colares Serpa – Comunidade Católica Missionária UM NOVO CAMINHO

10:35 · 24.08.2018 / atualizado às 11:41 · 24.08.2018 por

Sobrinho do saudoso jornalista cearense Neno Cavalcante, o advogado brasiliense Alex Cavalcante Alves assumiu na quarta-feira, 22, a Superintendência de Recursos Humanos da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que tem sede na Capital Federal.

Alves ingressou na Aneel pela primeira vez em 2007, por concurso, retornando em 2011 após o exercício de funções no Itamaraty e no Poder Judiciário.

Em sua carreira na Agência, trabalhou na área de comunicação e relações institucionais, na área de mediação administrativa e também como Assessor da Diretoria.

Como sua superintendente-adjunta, assumiu Joseanne Aguiar, que até então coordenava o núcleo de participação social da Aneel.

10:20 · 16.08.2018 / atualizado às 10:22 · 16.08.2018 por

O processo de registro de uma micro ou pequena empresa, no Ceará, que hoje chega a demorar até 30 dias, passará a ser feito em questão de minutos graças à parceria celebrada pelo Sebrae com a Junta Comercial. A parceria – que valerá também para mais sete estados – foi anunciada ontem, em Brasília, pelo presidente nacional do Sebrae, Afif Domingues.

Tão drástica redução de tempo será possível pela automatização dos processos de registro e legalização de empresas.

“Antes, as Juntas Comerciais eram taxadas de burocráticas, mas hoje elas estão se reposicionando, como resultado dessa modernização”, disse Carolina Dutra Monteiro, presidente da Junta do Ceará, que esteve presente à solenidade na capital federal.

A Junta cearense já opera com um sistema de Registro Digital, o que reduziu bastante o número de documentos para a abertura de um pequeno negócio.

 

10:57 · 09.08.2018 / atualizado às 11:00 · 09.08.2018 por

Em sua 16ª edição, a AUTOP 2018 será realizada de 15 a 18 deste mês de agosto no Centro de Eventos do Ceará. O evento é uma realização do Sistema Sincopeças Assopeças Assomotos – SSA, entidade representativa do setor automotivo no Ceará, e reunirá os maiores fabricantes de autopeças, motopeças, equipamentos e serviços do mercado automotivo.

É uma grande exposição da cadeia produtiva da indústria automobilística brasileira.

 A AUTOP tem se consolidado como um importante pilar para a cadeia produtiva do setor automotivo, cenário de realização de negócios, networking e capacitação. Em 2016, foram mais de R$ 80 milhões em negócios gerados e prospectados.

Dentre os expositores já confirmados na da AUTOP 2018, incluem-se indústrias nacionais e multinacionais, entre as quais Bosch, Mahle, SKF, Schaeffler (Luk, Ina e Fag), Eaton, FRAS-LE, Sabó, Dayco, Continental, Urba-Brosol, Durametal, Dana, Mann Filter, Mobensani, Tecfil, Tecnomotor, Schadek, dentre outras.

O evento é gratuito e exclusivo para profissionais e gestores do setor automotivo. 

14:06 · 27.07.2018 / atualizado às 03:57 · 30.07.2018 por

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal do Turismo (Setfor), realizará no próximo sábado (28/07), das 15h às 19h, uma exposição de carros antigos na Praia de Iracema. O evento Iracema Classic Car reunirá cerca de 150 veículos na Avenida Monsenhor Tabosa, entre as ruas Historiador Guarino e João Cordeiro.

Diversos modelos clássicos, datados do século passado como Fusca, Opala, Chevette, Puma, Corcel e Jeep estarão disponíveis para a apreciação dos amantes de carros.

A exposição é composta de acervos dos Clubes do Opala, Fusca, Chevette, Puma, Corcel e Jeep e do Museu do Automóvel do Ceará.

Em sua primeira edição, na Praia de Iracema, a previsão é que o Iracema Classic Car também aconteça em diferentes pontos de Fortaleza.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Egídio Serpa

Blog de jornalismo econômico do colunista Egídio Serpa, do Diário do Nordeste.

VC REPÓRTER

Flagou algo? Envie para nós

(85) 98948-8712

Tags