Busca

Categoria: Infraestrutura


04:19 · 20.04.2018 / atualizado às 04:19 · 20.04.2018 por

Encerram-se hoje, sexta-feira, 20/04, na Holanda, as reuniões que desde a última segunda-feira, dia 16, estão juntando representantes do Governo do Ceará e da Autoridade do Porto do Roterdã.

O objetivo dessas reuniões é estabelecer um acordo por meio do qual seja celebrado um contrato que permita a participação do Porto de Roterdã na gestão do Complexo Industrial e Portuário do Pecém.

Pelo lado do Ceará, participam das reuniões o secretário de Desenvolvimento Econômico, César Ribeiro; o procurador-geral do Estado, Juvêncio Viana; e o presidente da CIPP S/A, antiga Cearaortos, Danilo Serpa.

Cada um dos lados contratou uma consultoria, cujos relatórios contêm pequenas divergências até ontem ainda não superadas.

O secretário César Ribeiro mandou ao blog uma mensagem dizendo-se otimista “por um grande projeto para o Ceará” E

Esse projeto prevê a participação dos holandeses de Roterdão na administração do Complexo Industrial e Portuário do Pecém.

César Ribeiro disse que a reunião derradeira de hoje não tem hora para terminar.

04:09 · 20.04.2018 / atualizado às 04:09 · 20.04.2018 por

Aconteceu o que este blog vinha dizendo e repetindo:as obras de construção do Canal Norte do Projeto São Francisco, que trará as águas do Velho Chico para o Ceará e o Rio Grande do Norte, estão paralisadas de novo.

Culpa da empresa que vinha tocando a obra.

Sem capacidade financeira, nem técnica, nem material para executar o serviço, ela está sendo substituída por outra. É decisão do Ministério da Integração Nacional.

O blog insiste: as águas do rio São Francisco só chegarão ao Ceará em 2019, e se o futuro presidente da República, a ser eleito em outubro, for alguém que goste do Nordeste e dos nordestinos.

04:14 · 18.04.2018 / atualizado às 04:15 · 18.04.2018 por

Bateu o pessimismo entre os empresários cearenses da agropecuária, que dependem da água para produzir alimentos.

As obras de construção do Canal Norte do Projeto São Francisco de Integração de Bacias estão devagar, quase parando, como este blog tem dito e repetido.

O Canal Norte é o que trará as águas do São Francisco para o Ceará e o Rio Grande do Norte.

Qual é o problema?

O problema não é falta de dinheiro, pois o Ministério da Integração tem os recursos orçamentários suficientes para a conclusão da obra.

O problema é a empresa que executa os serviços: ela não tem capacidade financeira, nem técnica, nem material para cumprir o cronograma da obra, que segue atrasada e não estará pronta neste ano, só no próximo, e se o futuro presidente tiver consideração com o Nordeste.

Esta é a verdadeira situação do Canal Norte.

08:52 · 17.04.2018 / atualizado às 11:09 · 17.04.2018 por

Começou ontem, segunda-feira, 16, e prosseguirão até sexta-feira a última rodada de reuniões das autoridades do Governo do Ceará com as do Porto de Roterdã. O objetivo é concluir os entendimentos para a assinatura – até o fim do próximo mês de junho – do contrato que permitirá a participação do Porto de Roterdã na gestão do Complexo Industrial e Portuário do Pecém.

Esta informação foi transmitida há poucos instantes ao blog pelo governador Camilo Santana.

Segundo Camilo Santana, nas reuniões desta semana – que se realizam na sede da Autoridade do Porto de Roterdã, na Holanda – serão dissipadas todas as dúvidas e superadas algumas poucas divergências que ainda existem em torno do contrato.

Estão em Roterdã, em nome do governo do Ceará, o secretário de Desenvolvimento Econômico, César Ribeiro, e o presidente da CIOPP S/A (antiga Cearaportos), Danilo Serpa, além do Procurador-Geral do Estado, Juvêncio Viana.

Essa prolongada reunião deveria estar sendo realizada em Lisboa (Portugal) – um ponto equidistante entre Fortaleza e Roterdã, mas um problema de saúde de um dos dirigentes do porto holandês, que ficou impedido de viajar, obrigou a mudança de local do encontro, explicou o governador Camilo Santana.

De acordo com ainda o chefe do Executivo cearense, a perspectiva é de que essas reuniões encerrem o longo período de entendimentos das duas partes, o que permitirá que até junho, quando se espera a celebração do contrato entre Roterdã e Pecém, o documento a ser assinado esteja com sua redação concluída.

O contrato – se tudo chegar a bom entendimento, como espera Camilo Santana – será assinado em Fortaleza em um evento que se realizará no Palácio da Abolição.

08:07 · 15.04.2018 / atualizado às 08:11 · 15.04.2018 por

Nas últimas 24 horas, o açude Castanhão recebeu um aporte de mais 16,5 milhões de m³, o que elevou para 409,18 milhões de m³ o volume que ele acumula neste domingo, 15/04.

A informação é do presidente da Funeme, Eduardo Sávio.

Hoje, o Castanhão acumula 6,11% de sua capacidade, que é de 6,5 bilhões m³.

Ao mesmo tempo, a barragem de acumulação de Itaiçaba (foto), da qual é bombeada a água que faz operar o Canal do Trabalhador (foto), está vertendo desde as primeiras da madrugada deste domingo. Mas a mellor notícia é esta: estão operando as quatro moto-bombas que elevam a água do rio Jaguaribe até o Canal do Trabalhador. Cada bomba tem capacidade de 1,2 m³. Assim, o Canal do Trabalhador já está transferindo para Fortaleza 4,8 m³/s.

Toda essa água é da enchente do rio Jaguaribe.

 

 

 

10:17 · 14.04.2018 / atualizado às 10:19 · 14.04.2018 por

Informa a Funceme: o nível do açude Castanhão (foto)  – o maior do Ceará, com capacidade para acumular até 6,5 bilhões de m³ – subiu 57 centímetros nas últimas 24 horas.

Isso quer dizer um aporte de 22,5 milhões de m³ de água.

O Castanhão represa hoje 5,8% de sua capacidade, ou 393,08 milhões de m³.

Outra boa notícia: o nível do açude Banabuiú, com capacidade para 1,5 bilhão de m³ e que estava praticamente zerado, subiu 3,49 metros, mas o volume é ainda insignificante.

04:01 · 13.04.2018 / atualizado às 04:03 · 13.04.2018 por

É bem possível que, até domingo, 15/04, sejam ligadas as motobombas da estação elevatória de Itaiçaba que jogará a água do rio Jaguaribe dentro do Canal do Trabalhador.

Acontece o seguinte: as águas do rio Jaguaribe, que estão descendo em enchente em direção à sua foz em Aracati, chegaram a Itaiçaba, onde há uma barragem de acumulação, exatamente para permitir o seu bombeamento para o Canal do Trabalhador.

Uma fonte da Cogerh disse ao blog que, se todas as bombas da Estação Elevatória funcionarem, o Canal do Trabalhador transferirá para o açude Pacajus 5 m³/s.

Essa transferência estava suspensa havia mais de um ano porque a barragem de acumulação de Itaiçaba estava vazia.

03:57 · 12.04.2018 / atualizado às 03:59 · 12.04.2018 por

O porto do Pecém segue batendo recordes de movimentação de cargas.

E aqui está mais uma prova disso: no primeiro trimestre deste ano de 2018, o Porto do Pecém movimentou 57,3 mil contêineres, que são aquelas caixas metálicas dentro das quais as mercadorias são acondicionadas.

Esse número é 32% maior do que o relativo ao primeiro trimestre do ano passado de 2017.

Danilo Serpa, presidente da CIPP S/A, empresa que substituiu a Cearaportos, informa que até o fim deste ano o Porto do Pecém movimentará 300 mil contêineres.

09:16 · 11.04.2018 / atualizado às 09:26 · 11.04.2018 por

Continua chovendo muito no interior do Ceará. Mas, até agora, a recarga dos grandes açudes é muito lenta, o que preocupa as autoridades responsáveis pela gestão dos recursos hídricos e, principalmente, os empresários da agropecuária.

Na manhã desta quarta-feira, 11/04, a Funceme revelou que o açude Orós (foto)  – cuja capacidade é de 2,1 bilhões de m³, acumula neste momento apenas 145 milhões de m³, ou só 7,49% do que pode represar.

E o açude Castanhão, por sua vez, acumula hoje 375,7 milhões de m³, muito pouco se comparado com sua capacidade, que é de 6,5 bilhões de m³.

Também preocupa a situação dos açudes Pacajus, Pacoti, Riachão e Gavião, que compõem o sistema de barragens da Região Metropolitana de Fortaleza: eles acumulam pouco menos de 140 milhões de m³, algo como 10% de sua capacidade.

04:40 · 11.04.2018 / atualizado às 04:47 · 11.04.2018 por

Atenção, Aracati!

Uma fonte do Governo do Estado revelou ao blog que, além de Fortaleza, a cidade de Aracati terá também uma usina de dessalinização da água do mar.

A mesma fonte explicou o seguinte: se funcionar a contento a primeira usina a ser instalada em algum ponto do litoral de Fortaleza, o Governo construirá uma usina semelhante em Aracati, com capacidade para dois metros cúbicos por segundo.

As autoridades estaduais que cuidam dos recursos hídricos no Ceará já entenderam que, por causa das mudanças do clima, a oferta de água ficará cada vez mais difícil, e por isto mesmo será necessário investir logo em fontes alternativas, e o mar é a maior de todas.

Só que é muito alto o custo de tirar o sal da água marinha.

Resumindo: a conta da água nas cidades ficará mais cara.