Categoria: Meio Ambiente


19:44 · 22.10.2018 / atualizado às 19:56 · 22.10.2018 por

Começam a entender-se as autoridades ligadas ao meio ambiente e os empreendedores do setor imobiliário ligados ao turismo no Ceará.

No fim da tarde desta segunda-feira, após 90 minutos de reunião no Hotel Gran Marquise, os secretários do Meio Ambiente (Sema), Artur Bruno, e do Turismo (Setur), Arialdo Pinho, e mais os representantes do Ibama, da Semace e do Serviço do Patrimônio da União (SPU) acertaram com quase 20 empresários donos de empreendimentos imobiliários localizados, principalmente, no litoral do Estado, a criação de um Grupo de Trabalho para, em reuniões periódicas, analisarem e encaminharem solução para as questões que dificultam as relações entre os dois lados.

A primeira reunião foi marcada para as 14h30 do próximo dia 30 na sede da Secretaria do Meio Ambiente.

A principal reclamação dos empreendedores é em relação à demora do licenciamento ambiental. Um dos casos citados – o de um empreendimento no litoral Norte do Estado – aguarda o licenciamento há mais de 10 anos.

Mas, ao contrário do que se imaginou no início da reunião, os representantes do Ibama, da Semace e da SPU e, principalmente, o secretário do Meio Ambiente aliviaram as tensões e se declararam dispostos a examinar cada problema, pontual ou não, e a buscarem uma solução.

O secretário do Turismo, que se declarou localizado no meio da discussão por ter de encaminhar as reivindicações dos investidores de empreendimentos turísticos, concordou com a criação do Grupo de Trabalho e se declarou “satisfeito” com o resultado do encontro.

Da primeira reunião do Grupo de Trabalho participarão a Sema, a Setur, a Semace, o Ibama, o SPU, o Instituto Brasileiro de Direito Imobiliário (Ibradim) e a Associação dos Gestores Ambientais do Ceará (Agace). Cada entidade indicará um representante titular e um suplente.

O titular da Sema, Artur Bruno, disse que a orientação do governador Camilo Santana é no sentido de priorizar o turismo e uma das maneiras de fazê-lo é atraindo para o Estado investimentos nacionais e estrangeiros para a construção hotéis e resorts e também cidades planejadas como várias em construção e já projetadas para diferentes regiões do Estado.

 

07:06 · 04.10.2018 / atualizado às 07:08 · 04.10.2018 por
Para os cearenses, ficou mais fácil, descomplicado e inteligente pagar a conta de água.
A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) disponibilizou em seu portal a opção da fatura digital.
 
O serviço é válido para todo o Estado e consiste no envio da fatura da água por e-mail do consumidor. O objetivo é oferecer maior comodidade aos clientes e reduzir o uso de papel, de forma a beneficiar o meio ambiente.
 
Para escolher o serviço basta seguir as instruções da Gesse, a assistente virtual da Cagece, que atende pelo site www.cagece.com.br, e informar CPF ou CNPJ (no caso de pessoa jurídica) e o número de inscrição da conta. Logo em seguida, ela pedirá confirmação de endereço e solicitará o e-mail para onde a fatura passará a ser enviada todo mês.
 
Nos municípios em que a companhia realiza faturamento imediato, ou seja, a emissão da fatura no ato da leitura, o aparelho usado pelos leituristas reconhecerão os clientes que optarem pela fatura digital e assim não será emitida o documento em papel, para evitar desperdício e prejuízos ao meio ambiente.
11:12 · 06.09.2018 / atualizado às 11:12 · 06.09.2018 por

A partir da próxima segunda-feira, 10, técnicos da Coordenadoria de Saneamento da Agência Reguladora do Estado do Ceará (Arce) fiscalizarão os sistemas de abastecimento de água de seis cidades cearenses. A ação, que se estenderá até o dia 28 deste mês, tem o propósito de analisar os serviços ofertados pela Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), visando a qualidade do fornecimento de água e verificando pontos referentes ao esgotamento sanitário, incluindo a adequação às leis ambientais.

Neste setembro, passarão pelo crivo dos analistas da Arce os serviços das sedes municipais de Quiterianópolis, Senador Sá, Novo Oriente e Uruoca (e localidades de Mel Barra do Mel e Torrões). Em Novo Oriente e Uruoca, também serão vistoriados os sistemas de esgotamento sanitário dos seus distritos.

O calendário de visitas obedecerá à seguinte ordem: de 10 a 14 de setembro, as vistorias acontecerão em Quiterianópolis e Novo Oriente. Já na semana que vai do dia 24 ao dia 28, os técnicos da Arce fiscalizarão as sedes municipais de Senador Sá e Uruoca e dois dos seus distritos. Depois de finalizada a fiscalização, a Agência Reguladora expedirá relatório sobre a qualidade dos serviços prestados à população, inclusive nos âmbitos comercial e de atendimento, tudo em conformidade com as prescrições constantes nas leis, normas e regulamentos específicos do setor.

Ainda sobre as cidades de Quiterianópolis e Novo Oriente, além de fiscalizar a qualidade da água, a coordenadoria de saneamento da Arce também verificará o cumprimento dos Planos Municipais de Saneamento Básico (PMSB). Para tanto, os técnicos, que se reunirão com representantes das respectivas prefeituras e integrantes da Cagece, analisarão ações de curto, médio e longo prazo, que dependerão do estágio em que cada plano se encontra.

09:53 · 02.08.2018 / atualizado às 09:55 · 02.08.2018 por

Boa novidade na Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará (Semace).

Agora, sem sair de casa, usando o computador, já é possível solicitar o licenciamento ambiental. E recebê-lo pela mesma via – a internet.

Há várias vantagens, entre elas as seguintes:

Melhorar gerenciamento das informações; envio de toda a documentação por meio digital; acompanhamento, também digital, do andamento do processo de licenciamento;.

E mais: A licença pode ser baixada digitalmente; é possível simular o valor do licenciamento e – também pela via digital – listar os documentos necessários para a abertura do processo.

Tem dívida? Acesse o link: http://natuur.semace.ce.gov.br

03:46 · 19.06.2018 / atualizado às 03:49 · 19.06.2018 por

O grupo cearense Marquise – dos sócios Erivaldo Arraes e José Carlos Pontes – que atua em vários segmentos da atividade econômica, incluindo a limpeza urbana, celebra uma boa notícia: suas empresas EcoTaubaté e EcoOsasco, que fazem a coleta e a destinação final dos resíduos sólidos nessas duas cidades do interior de S. Paulo, acabam de ser premiadas.

A EcoTaubaté ganhou nota 10 da Cetesp pela destinação correta dos resíduos.

A EcoOsasco recebeu 86% de ótimo e bom da mesma Cetesp pela execução dos seus serviços.

A Marquise, por meio de sua empresa EcoFor, executa os serviços de coleta e destinação final dos resíduos sólidos de Fortaleza eem mais de 10 grandes cidades brasileiras.

04:03 · 15.06.2018 / atualizado às 07:42 · 15.06.2018 por

A Secretaria de Recursos Hídricos do Ceará está concluindo a elaboração de um projeto que prevê a reutilização da água extraída das Estações de Tratamento de Esgoto da Cagece, aqui em Fortaleza.

Uma fonte daquela secretaria disse ao blog que o objetivo do projeto é transferir toda essa água  para as indústrias do Complexo do Pecém. A transferência será feita através de uma adutora de aço, enterrada, cujo diâmetro ainda não foi determinado. Também não foi ainda estimado o investimento financeiro a ser feito.

O reúso da água oriunda do tratamento de esgotos já é feito – em escala – em cidades de países desenvolvidos.

Na Califórnia (EUA), por exemplo, esse reúso é feito também na irrigação de áreas produtoras de frutas e hortaliças, algo que é proibido aqui no Brasil.

O projeto da Secretaria de Recursos Hídricos deve ser executado a partir do fim deste ano, de acordo com a mesma fonte da SRH.

04:22 · 06.06.2018 / atualizado às 04:22 · 06.06.2018 por

O secretário de Recursos Hídricos do Governo do Ceará, engenheiro Francisco Teixeira, disse ao blog que sua equipe de técnicos avalia a possibilidade de implantar, aqui no Ceará, um projeto de reúso da água oriunda de Estação de Tratamento de Esgoto de pequenas cidades e de pequenas comunidades.

Esse projeto já vem sendo implementado por empresa privada em cidades do Estado da Califórnia, nos Estados Unidos, visitadas, recentemente, por técnicos da Adece e do Nutec.

O secretário Francisco Teixeira explicou que a água que sai dessas estações de tratamento de esgoto serve, perfeitamente, para a irrigação de hortaliças.

Há um problema: a legislação brasileira não permite o reúso de água na irrigação de frutas e verduras.

04:33 · 29.05.2018 / atualizado às 04:33 · 29.05.2018 por

O engenheiro agrônomo cearense Silas Barros Alencar, diretor do Instituto Center, que estava na Califórnia integrando uma missão brasileira de técnicos em agricultura, conheceu na semana passada, naquele estado norte-americana, uma empresa dona de uma Estação de Tratamento de Esgotos que trata e reutiliza 100% da água oriunda do processo de tratamento.

Silas Alencar mandou dizer por mensagem via WatsApp que 100% da água oriunda do tratamento são reutilizados na irrigação de uma área que produz flores e hortaliças.

Na opinião dele, um projeto assim pode ser perfeitamente executado pela Cagece ao lado de suas estações de tratamento de esgoto, na capital e no interior do Ceará.

Bem, falta agora convencer a Cagece.

03:59 · 17.05.2018 / atualizado às 04:01 · 17.05.2018 por

Uma novidade na área industrial e do meio ambiente no Ceará:

A Vicunha, que tem uma fábrica de tecido índigo em plena operação no Distrito Industrial de Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, vai construir uma Estação de Tratamento de Esgoto.

O objetivo dessa iniciativa será permitir que a Vicunha reutilize a água dessa ETE no seu processo industrial.

Com isso, ela reduzirá bastante o volume de água tratada que a Cagece lhe fornece.

O secretário de Recursos Hídricos, Francisco Teixeira, é a fonte desta notícia, que já revela a preocupação da indústria cearense com a crise da oferta de água.

04:02 · 04.05.2018 / atualizado às 04:03 · 04.05.2018 por

O blog conversou com pessoas que atuam na área do meio ambiente no Ceará.

Elas estão desconfiadas de que a Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace) e a Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma) da Prefeitura de Fortaleza não estão fiscalizando, efetivamente, os laudos técnicos emitidos por empresas de consultoria ambiental.

Quando se trata de laudos relativos a emissões atmosféricas, essa desconfiança é maior, porque – segundo as mesmas fontes – a medição dessas emissões não é feita nas chaminés das fábricas.

Suspeita-se de que o laudo técnico é emitido de acordo com o desejo do cliente.

Só há uma maneira de comprovar a veracidade do que os laudos dizem: fiscalizando in loco a veracidade do que está nos documentos.

Isso é um trabalho para os técnicos da Semace e da Seuma.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Egídio Serpa

Blog de jornalismo econômico do colunista Egídio Serpa, do Diário do Nordeste.

VC REPÓRTER

Flagou algo? Envie para nós

(85) 98948-8712

Tags