Busca

Categoria: Meio Ambiente


04:00 · 05.01.2018 / atualizado às 04:02 · 05.01.2018 por

Boa informação está chegando diretamente do novo Atlas dos Municípios da Mata Atlântica e diz respeito à preservação do meio ambiente no Ceará.

É a seguinte: em Guaramiranga, um dos municípios do Maciço de Baturité, uma das poucas reservas de Mata Atlântica existentes no Brasil, o nível de desmatamento é zero.

Zero!, vale repetir.

Para o secretário de Meio Ambiente do Governo do Ceará, Artur Bruno, isso mostra a eficiência da fiscalização da Superintendência Estadual do Meio Ambiente do Ceará (Semace).

Para este blog, a informação mostra também que, quando o Governo quer, tudo pode ser feito, inclusive a preservação das florestas.

10:45 · 01.01.2018 / atualizado às 10:45 · 01.01.2018 por

A Nasa – a famosa agência espacial dos Estados Unidos – acaba de confirmar o que este blog já informou.

O Brasil utiliza apenas 7,6% do seu território para a produção de alimentos, ou seja, grãos, proteína animal, incluindo carne e leite, frutas, verduras e legumes.

Trata-se de uma notícia que comprova que a agricultura brasileira preserva as suas florestas.

A rica Dinamarca usa – para produzir alimentos – 76,8% de sua geografia.

A Holanda, 66,2%.

A Alemanha, considerada um País que respeita o meio ambiente, usa 56,9% de seu território para a sua agricultura.

É mais um discurso ideológico que se desmoraliza aqui no Brasil, cuja agricultura alimenta a população do País e de boa parte do mundo.

04:35 · 02.11.2017 / atualizado às 04:38 · 02.11.2017 por

A Secretaria Estadual do Meio Ambiente do Ceará (Semace), cujo titular é o deputado Artur Bruno, adotou uma correta providência.

Ela anunciará, ainda nesta primeira quinzena de novembro, a implantação de um sistema de recolhimento itinerante de embalagens vazias de defensivos químicos uados na agricultura para combater doenças e pragas nas lavouras.

Os defensivos químicos são utilizados por pequenos e grandes produtores rurais.

Para o recolhimento periódico das embalagens vazias, a Semace celebrou parceria com o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias de Defensivos Agrícolas e com as associações cearenses de revendedores desses defensivos.

A Semace informa que um dos pontos de coleta das embalagens vazias atenderá à região do Cariri.

09:55 · 25.10.2017 / atualizado às 09:57 · 25.10.2017 por

De 6 a 12 do próximo mês de novembro, a C. Rolim Engenharia participará, em Bonn, na Alemanha, da 23ª Conferência das Partes (COP23), considerado o principal fórum internacional para discussão de questões relacionadas às mudanças climáticas do mundo.

A construtora cearense, que neste ano comemora 40 anos no mercado imobiliário, será a representante brasileira da construção civil na conferência, aberta apenas a representantes de Governo dos países, ONGs voltadas a sustentabilidade, jornalistas e convidados.

A escolha da C. Rolim Engenharia está ligada ao respeito que a empresa dedica ao meio ambiente. É o caso do Compromisso Verde, por meio do qual a C. Rolim planta uma árvore para cada metro quadrado de terreno adquirido em seus empreendimentos, contribuindo com a arborização dos espaços públicos da cidade.

Hoje, já são mais de 52 mil árvores plantadas em Fortaleza por sua iniciativa, e serão plantadas mais 40 mil no Parque do Cocó ao longo dos próximos quatro anos em comemoração ao quadragésimoaniversário da construtora. Outro fator fundamental para o convite foi que a empresa realiza o processo de compensação das emissões dos gases de efeito estufa em alguns de seus empreendimentos.

Várias decisões importantes para questões ambientais a nível global resultaram de negociações realizadas em edições anteriores da Conferência das Partes, como o Protocolo de Kyoto, definido na edição de 1997, e o memorável Acordo de Paris, negociado na COP21, em 2015.

Com mais de 900 mil m² de área construída, obras em construção e projetos em desenvolvimento, além de 52 mil árvores plantadas e um amplo trabalho social realizado com a comunidade, a C. Rolim Engenharia completa seus primeiros 40 anos em atividade em 2017 certa de estar contribuindo para o crescimento sustentável do Estado do Ceará.

04:21 · 31.07.2017 / atualizado às 04:21 · 31.07.2017 por

O Governo do Ceará foi advertido por especialistas para um fenômeno que está acontecendo no litoral do município de Caucaia, provocado pelo avanço do mar.

Esse fenômeno já causou a destruição de uma parte de imóveis existentes na praia do Icaraí, na Região Metropolitana de Fortaleza.

A destruição ainda continuará, pois o mar, naquela região, continua avançando, o que quer dizer que mais residências e até prédios de apartamentos no Icaraí poderão sofrer a ação marinha.

Mas os especialistas também revelaram que esse avanço do mar logo, logo terá fim, e aí tudo será readequado e conformado aos novos fluxos e refluxos das marés.

De acordo com uma fonte do governo do Estado, isso é provocado pelos espigões que se construíram em Fortaleza e que mudaram o movimento das ondas.

Na praia do Pecém, o fenômeno não acontece porque o porto de mesmo é “off shore”,  ou seja, construído dentro do mar, longe da praia, e ligado a ela por uma ponte que não impede o movimento das ondas, pelo contrário – preserva o que é da natureza.

Resumindo: a natureza sempre se revolta quando mexem com ela.

11:05 · 20.07.2017 / atualizado às 11:08 · 20.07.2017 por

O presidente do Sindicato da Indústria de Reciclagem de Resíduos Sólidos do Ceará, o Sindiverde, Marcos Albuquerque, reuniu-se terça-feira com o coordenador técnico do escritório cearense da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Paulo Resende.

Marcos Albuquerque saiu da reunião muito satisfeito, porque Paulo Resende lhe assegurou que a Finep está disposta a financiar parte do projeto de instalação de um Polo Tecnológico que o Sindiverde pretende implantar na geografia do vizinho município de Caucaia.

O investimento previsto é de R$ 32 milhões.

Novas reuniões do Sindiverde com a Finep serão realizadas nos próximos dias. Nesta fase inicial de suas operações, a Finep, que é vinculada ao Ministério de Ciência e Tecnologia, todo apoio físico da Federação das Indústrias, a Fiec.

04:00 · 23.06.2017 / atualizado às 04:00 · 23.06.2017 por

A Associação Nacional de Certificação Digital está revelando que a criação da Nota Fiscal Eletrônica, que começou a ser utilizada em 2009, virou uma aliada dos movimentos de defesa do meio ambiente.

De acordo com aquela associação, desde sua criação até agora, 1,4 milhão de empresas brasileiras já emitiram 16,6 bilhões de Notas Fiscais Eletrônicas, o que significou a poupança de 67 bilhões de folhas de papel do tipo A-4, para cuja fabricação seria necessária a derrubada de milhares de árvores.

É assim também que se preserva a natureza.

18:57 · 06.06.2017 / atualizado às 18:57 · 06.06.2017 por

Informa a Assessoria de Imprensa da Companhia Siderúrgica do Pecém:

A Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) recebeu na última quinta-feira, 01 de junho, a Licença de Operação (LO) nº 102/107. A licença foi emitida pela Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), embasada no parecer técnico nº 1759/2017 e assinada pelo superintendente Ricardo Araújo de Lima.  A licença atesta que, nos últimos oito anos, a empresa cumpriu todos os compromissos assumidos desde a fase de construção e testes até o comissionamento.

Buscando ser referência em desenvolvimento sustentável no setor, a mais nova usina siderúrgica do país e a primeira integrada no Nordeste utiliza as melhores tecnologias ambientais. Foram investidos, aproximadamente, R$ 1 bilhão em equipamentos ambientais, gerenciamento de resíduos e no controle e monitoramento das emissões atmosféricas e do lançamento de efluentes. Como resultado concreto deste investimento, a empresa tem um nível de emissões atmosféricas 50% menor que o estabelecido na legislação ambiental brasileira e uma taxa de aproximadamente 98% de reuso de água. Outro resultado relevante é o nível de reaproveitamento de resíduos sólidos na usina, da ordem de 99%, contribuindo para minimizar o impacto na região onde está inserida. Além disso, são aportados R$ 3 milhões por ano em monitoramento ambiental.

Para o presidente da CSP, Eduardo Parente, essa importante conquista reforça ainda mais as práticas e compromissos da siderúrgica com o meio ambiente. “Todos os empregados da CSP seguem trabalhando constantemente para manter a credibilidade durante todo o ciclo de vida das atividades da CSP, buscando o desenvolvimento sustentável da região onde atuamos”, reforçou Eduardo.

 

04:19 · 22.05.2017 / atualizado às 04:19 · 22.05.2017 por

O BNDES financiará os estudos de viabilidade econômica e financeira de um projeto de transferência para a iniciativa privada, pela via da concessão, dos serviços de abastecimento de água e de esgotamento sanitários, hoje prestados pela Cagece.

O BNDES promoveu uma licitação para a escolha da empresa que fará esses estudos e a ganhadora foi a Aqua, um consórcio de empresas que terá até oito meses para executar os estudos e apresentar suas recomendações.

Sobre este assunto, este blog informa o seguinte:

Privatizar o serviço de saneamento de Fortaleza ou de qualquer outra capital brasileira é tarefa fácil, pois  a iniciativa privada sempre esteve de olho nesse serviço.

Acontece que o capital privado só vai aonde pode ser rapidamente reproduzido por meio do lucro.

Aqui no Cará, só as cidades de Fortaleza e talvez as de Sobral e Juazeiro do Norte têm serviço de saneamento rentáveis.

Investir em saneamento nas demais cidades cearenses será prejuízo na certa.

Assim, para este blog, será difícil viabilizar essa parceria da Cagece com a iniciativa privada para alem da geografia daqueles três cidades cearenses.

Sanear cidades é garantir saúde à população, mas isso custa caro, muito caro.

04:44 · 08.05.2017 / atualizado às 04:44 · 08.05.2017 por

Chamou atenção uma informação transmitida pelo ex-ministro de Indústria e Comércio, Luiz Fernando Furlan, aos empresários cearenses, com os quais se reuniu aqui em Fortaleza.

Segundo Furlan, o País preserva hoje 50% de toda a floresta que existia quando Pedro Alvares Cabral descobriu o Brasil em 1.500.

Isto significa, disse Furlan, que a agropecuária brasileira é sustentável.

E deu um exemplo para alicerçar a sua opinião:

Hoje, a Europa só tem 0,8% das suas antigas florestas.

E os Estados Unidos só têm 20%.

Vale repetir: o Brasil preservou – e  preserva – 50% de suas antigas florestas.