Busca

Categoria: Política


06:20 · 22.07.2018 / atualizado às 06:20 · 22.07.2018 por

Um pouco da história recente da política cearense:

Em 1988, Ciro Gomes foi eleito Prefeito de Fortaleza com pouco mais de 1,5% de diferença de votos para o segundo colocado, o radialista Edson Silva. Ciro fez uma administração que o levou à condição de prefeito mais popular do País. Dois anos depois, foi eleito Governador do Ceará, com uma votação extraordinária. Aqui em Fortaleza, ele ganhou em todas as urnas, mas com um detalhe histórico: em 11 delas, angariou 100% dos votos válidos.

No Governo, ele teve atitudes inéditas: reduziu impostos e aumentou a receita. E, no auge de uma seca, em 1983, decidiu construir um Canal para transportar água do rio Jaguaribe para Fortaleza, ameaçada de colapso. Pediu ajuda ao então presidente da República Itamar Franco, que liberou o equivalente a US$ 50 milhões para a construção do Canal do Trabalhador, que ficou pronto em 90 dias – algo inacreditável.

Houve uma crise no governo Itamar, que, para supera-la, chamou Ciro Gomes para o Ministério da Fazenda. Ciro domou a inflação, que ameaçava subir. Depois, foi estudar em Havard. Em 2002, candidatou-se a presidente da República e quase ganha, se não fossem seus excessos verbais. Lula, o eleito, convidou-o para ser seu ministro da Integração Nacional. Ciro aceitou. E, na sua gestão, concluiu a barragem do Castanhão e fez ser aprovado o Projeto São Francisco de Integração e Bacias, sonho secular dos nordestinos do CE, RN, PB e PE.

Por que um gestor assim, de tamanha capacidade criativa, não conseguiu agora unir em torno de seu nome os partidos políticos – de esquerda, de centro e de direita – que andavam à procura de um candidato à Presidência nesta eleição de 2018? A resposta é uma só: pela sua incapacidade de controlar o temperamento. A indignação de Ciro com o errado é contundente.

A política requer de seus líderes a arte do diálogo, da compreensão, do entendimento, da convergência, da união.  Enquanto foi prefeito de Fortaleza, governador do Ceará, ministro da Fazenda e ministro da Integração Nacional, ele praticou todas essas virtudes. Por que cargas d’água não o fez nas vezes em que tentou a Presidência da República?

Neste 2018 de eleição presidencial, Ciro teve todas as chances de tornar viável seu sonho, mas, de novo, seu temperamento o traiu.

Neste momento de convenções partidárias, ele está isolado. E só uma condição poderá catapulta-lo à possibilidade de chegar ao Palácio do Planalto: o apoio de Lula e do PT. Só. Não há outra alternativa. Assim, resta esperar mais alguns dias para saber que decisão tomarão Lula e seu partido.

E o futuro de Ciro a Deus pertence.

04:00 · 29.06.2018 / atualizado às 04:03 · 29.06.2018 por

Fortaleza ganha nesta sexta-feira, 29, a sua primeira escola de gastronomia.

Trata-se da Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco (foto), construída pelo grupo M. Dias Branco no bairro Vicente Pinzón e doada ao Governo do Estado do Ceará, que cuidará de sua gestão por meio da Secretaria de Cultura e do Instituto Dragão do Mar.

A escola qualificará jovens de Fortaleza – de 18 a 29 anos – para as diferentes atividades da gastronomia, principalmente a panificação e a confeitaria.

A programação de inauguração será iniciada às 17 horas com a apresentação de artistas do bairro Vicente Pinzón. Às 19 horas, o governador Camilo Santana e a família Dias Branco estarão presentes para a cerimônia de doação da escola.

 

 

04:00 · 26.06.2018 / atualizado às 04:03 · 26.06.2018 por

A pouco mais de três meses da eleição de outubro, aumenta a rejeição aos pré-candidatos à Presidência da República.

Uma pesquisa feita pela XP Investimentos – uma empresa do mercado financeiro com sede em São Paulo – apurou que alguns candidatos chegam a 60% de rejeição. Isto quer dizer que 60% do eleitorado não votariam neles de jeito nenhum.

Jair Bolsonaro, Ciro Gomes, Marina Silva, Geraldo Alckmin, que são os que têm chance efetiva de eleger-se, todos eles tiveram sua rejeição aumentada nessa pesquisa, que, feita por telefone com pessoas das classes A e B, não tem valor científico.

Mesmo assim, o levantamento revela a desconfiança do eleitorado com os políticos brasileiros. O que eles dizem têm pouca credibilidade, e isto é muito ruim. Na democracia, é por meio da política – e somente por meio dela – que se tomam as medidas que consertam ou agravam os problemas do País.

Se o ano de 2018 já é, do ponto de vista da economia, uma etapa perdida, o de 2019 tende a ser ainda pior, uma vez que o presidente eleito, qualquer que seja ele, não terá a maioria no Congresso Nacional para fazer aprovar as reformas de que o Brasil precisa para sair do atoleiro em que está preso. A Reforma da Previdência, por exemplo, tem de ser aprovada ainda neste ano.

18:07 · 24.06.2018 / atualizado às 18:14 · 24.06.2018 por

Nesta Copa do Mundo 2018, o melhor é torcer pela seleção dos outros. Para começar, não há sofrimento nem histeria. O coração bate compassadamente e a pressão arterial não passa dos 12×8. Ontem, tudo foi tranquilo, até quando a Colômbia goleou a Polônia.

Quando, porém, entra em campo a seleção verde amarela do Brasil, tudo muda. Para os que, como este blogueiro, são cardiopatas, alguns cuidados preventivos têm de ser tomados, como a ingestão de uma dose de qualquer coisa, que pode ser uma caipirinha de cachaça com suco de laranja misturados com adoçante. Ou um comprimido de 10 miligramas de miosan. Tudo para tranquilizar os nervos.

Foi assim no jogo de estréia contra a Suíça – um empate com gosto de derrota – e foi também na vitória diante da Costa Rica, com dois gols nos descontos, emoção que pode matar o torcedor. E será assim no jogo da próxima quinta-feira contra a Sérvia, que joga  melhor do que a equipe costarriquenha.

A seleção de Tite encaminha-se, de acordo com os prognósticos, para um reencontro com os mesmos alemães dos 7×1. Se passar em 1º lugar para as oitavas-de-final, Neymar terá pela frente o segundo colocado do grupo onde deverá estar a Alemanha de Neur, Kross, Muller e companhia.

Mas, antes de tudo, será necessário vencer os sérvios, tarefa complicada mas muito possível. O Brasil e os brasileiros têm sofrido muito com a corrupção e com os maus governos que desde 2006 decepcionam e tornam difícil a sua vida.

O futebol costumava ser a válvula de escape desse sofrimento. Costumava.

Na Copa do Mundo de 2014, jogando em casa, a seleção foi humilhantemente derrotada pelos alemães por 7×1 nas semi-finais e pelos holandeses por 3×0 na disputa do terceiro lugar.

O Brasil jogou bem o segundo tempo contra a Costa Rica. Mas precisará jogar mais contra a Sérvia e melhor ainda daí para a frente.

Resumindo: o sonho do hexa é possível. Do mesmo jeito que será possível, na eleição de outubro, cassar a elite política de hoje – corrupta e incompetente – por uma outra, novinha, de ficha limpa.

Será que Deus nos dará essa dupla alegria?

03:05 · 20.06.2018 / atualizado às 03:10 · 20.06.2018 por

Reunidos com o presidente da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece), Eduardo Neves, empresários cearenses da indústria e da agropecuária questionaram a exagerada burocracia do Governo do Estado, que “só atrapalha a vida do cidadão comum e também a  das empresas”.

Eles estão entusiasmados com a decisão do Governo do Paraná, que há poucos dias, por meio de uma nova legislação, reduziu a quase zero a interferência da burocracia estatal no cotidiano das pessoas e das organizações empresariais.

Na reunião com o presidente da Adece, os  empresários perguntaram o que deseja mesmo o Estado do Ceará: atrair investimentos ou afastar de vez o investidor? Na opinião deles, não tem sentido a série de exigências a que estão submetidas as pessoas – obrigadas, por exemplo, a desnecessários reconhecimentos de firma e a autenticações de documentos, ou, ainda, a renovar, anualmente, uma licença ambiental “com o exclusivo objetivo arrecadatório”.

O excesso de burocracia, no Ceará e nos demais estados brasileiros, estorva o desenvolvimento, inibe investimentos, estressa o investidor, frustra o produtor e reduz a oferta de empregos.

Eduardo Neves ouviu a sugestão no sentido de que o Governo cearenses aproveite a elaboração do Plano Ceará 2050 para criar, dentro dele, uma nova, moderna e enxuta burocracia, para o que bastará copiar a experiência paranaense, que está disponível na internet. “É simples resolver o problema da burocracia, pois se trata de uma decisão – do verbo decidir – do Governo”, disse um agropecuarista ao presidente da Adece.

04:03 · 13.06.2018 / atualizado às 04:03 · 13.06.2018 por

Os auditores fiscais do Governo do Estado do Ceará iniciaram uma campanha no sentido de pressionar o governador Camilo Santana a autorizar a realização de um concurso público para a contratação de novos auditores fiscais.

O comando dessa campanha, lançada terça-feira, 12, criou para ela o seguinte slogan: “Estado sem auditor, quem ganha é o sonegador”.

De acordo com o Sindicato dos Auditores Fiscais do Ceará, nos últimos 11 anos, 300 auditores foram aposentados, sem que tenha sido realizado um só concurso para a admissão de novos.

03:58 · 11.06.2018 / atualizado às 03:58 · 11.06.2018 por

A Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece) convocou para uma reunião os presidentes de todas as suas quase 20 câmaras setoriais, incluindo as do agronegócio, que são 11.

Pois bem: a ação dessas câmaras setoriais vai mudar.

O blog apurou que, a partir de agora, elas terão de adequar-se ao Plano Ceará 2050, que ainda está em elaboração.

Da mesma maneira que as câmaras setoriais, também mudará o foco do programa Rotas Estratégicas, elaborado pela Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), que é parceira importante do Governo do Estado na elaboração do Ceará 2050, que estará concluída no fim deste ano.

04:11 · 08.06.2018 / atualizado às 04:11 · 08.06.2018 por

O dólar rompeu ontem, quinta-feira, 7, a barreira dos R$ 3,90, fechando o dia a R$ 3,92.

E a Bolsa de Valores caiu mais de dois pontos percentuais.

Os analistas de mercado estão dizendo que esse aumento exagerado do dólar e essa queda do índice Bovespa tem um motivo: a certeza de que a eleição presidencial deste ano será polarizada entre os candidatos Jair Bolsonaro e Ciro Gomes.

O primeiro é um radical de direita. O segundo, de acordo com os analistas do mercado, é um homem de esquerda voltado para o desenvolvimentismo, o que fará aumentar ainda mais os gastos públicos.

Que Jair Bolsonaro é um radical de direita, ninguém duvida. Mas dizer que Ciro Gomes vai aumentar os gastos públicos é um equívoco, porque ele na Prefeitura de Fortaleza, no Governo do Ceará e no Ministério da Fazenda fez exatamente o contrário: reduziu as despesas e ampliou os investimentos.

Ciro já disse que, se eleito, a primeira coisa que tentará fazer são as reformas Fiscal, Tributária e Previdenciária. E para isso buscará apoio do Congresso Nacional, algo muito difícil, porque os congressistas sempre trocaram apoio por cargos e obras.

Domingo, 10, o DataFolha deverá divulgar uma nova pesquisa para presidente.

Essa pesquisa está no campo desde ontem.

04:50 · 07.06.2018 / atualizado às 04:50 · 07.06.2018 por

A criação de mais 15 municípios na geografia do Estado do Ceará, como pretendem alguns deputados estaduais, significará dividir pobreza, porque o mesmo e pequeno bolo do ICMS, hoje repartido em 184 pequenos pedaços, terá de ser cortado em 199 pedaços ainda menores.

Foi o que disse o secretário de Planejamento e Gestão do Governo do Ceará, Maia Júnior, em palestra para os participantes do Seminário Prefeitos 2018, promovido pelo Diário do Nordeste.

A ideia de criar mais municípios no Ceará está crescendo na Assembleia Legislativa, onde ninguém parece preocupado com a grave crise fiscal que castiga o governo da União e dos estados.

A criação de mais 15 municípios, o blog já o disse, significará mais 15 prefeitos e seus secretários e assessores, mais 15 vice-prefeitos e seus assessores, mais 15 câmaras de vereadores e seus assessores, todos com bons vencimentos.

Enfim, significará mais gasto público para dar emprego a políticos e aos seus apadrinhados.

04:44 · 07.06.2018 / atualizado às 17:05 · 07.06.2018 por

O Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), entidade de direito privado considerada pelo Governo do Ceará uma Organização Social, poderá deixar de prestar serviços à sua Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social.

Entre esses serviços, está o de cadastrar, recrutar e selecionar trabalhadores que demandam emprego.

O IDT poderá mesmo ser fechado.

É que o Governo Federal deixou de mandar recursos que ajudam a manutenção do IDT, cujas despesas estão sendo bancadas, há um ano, exclusivamente pelo governo cearense.

Uma fonte do Palácio da Abolição informa que o dinheiro para essa despesa acabará no próximo mês de julho.

Nesta quinta-feirq, à tarde, a Secretaria do Trabalho do Governo cearense mandou ao blog a seguinte mensagem:

“A Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) informa que o convênio celebrado com o Ministério do Trabalho (MTB) para operacionalização das ações do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT) mantém-se ativo e fluindo normalmente”.

A informação divulgada pelo blog foi ouvida na terça-feira por cerca de 200 participantes do Seminário Prefeitos 2018, no Centro de Eventos. Vários prefeitos e dezenas de executivos de prefeituras do Ceará estavam no auditório e ouviram palestra do secretário de Planejamento e Gestão, Maia Júnior, que falou sobre as dificuldades financeiras do IDT.