Egídio Serpa

Busca


Evangelho de hoje (Mateus 23,1-12)

Publicado em 26/02/2013 - 4:27 por | 1 Comentário

Categorias: Fé em Deus

  • Enviar para o Kindle

Naquele tempo, Jesus falou às multidões e aos seus discípulos e lhes disse: “Os mestres da Lei e os fariseus têm autoridade para interpretar a Lei de Moisés. Por isso, deveis fazer e observar tudo o que eles dizem. Mas não imiteis suas ações! Pois eles falam e não praticam. Amarram pesados fardos e os colocam nos ombros dos outros, mas eles mesmos não estão dispostos a movê-los, nem sequer com um dedo.
Fazem todas as suas ações só para serem vistos pelos outros. Eles usam faixas largas, com trechos da Escritura, na testa e nos braços, e põem na roupa longas franjas.
Gostam de lugar de honra nos banquetes e dos primeiros lugares nas sinagogas. Gostam de ser cumprimentados nas praças públicas e de serem chamados de Mestre. Quanto a vós, nunca vos deixeis chamar de Mestre, pois um só é vosso Mestre e todos vós sois irmãos. Na terra, não chameis a ninguém de pai, pois um só é vosso Pai, aquele que está nos céus. Não deixeis que vos chamem de guias, pois um só é vosso Guia, Cristo. Pelo contrário, o maior dentre vós deve ser aquele que vos serve. Quem se exaltar será humilhado, e quem se humilhar será exaltado”.

Tags:

Comentários

Helena

em 26 de fevereiro de 2013

“A autoridade é validada pelas ações ”

Esta palavra de Jesus é muito pertinente para todos os que se propõem a assumir um lugar de governo em todos os segmentos, mas principalmente na edificação do reino de Deus aqui na terra. Às vezes queremos medir a nossa autoridade pelo conhecimento que temos das leis e dos decretos do Senhor, conforme a Sua Palavra. Sabemos tudo de cor, capítulo, versículo, etc., pregamos para os outros, cobramos e exigimos o cumprimento do que ensinamos, no entanto, falta-nos a legitimidade por causa do nosso contra testemunho. A nossa autoridade é validada pelas nossas ações e não pelas nossas palavras e conselhos. Tem autoridade todos os que ensinam e dão conselhos, mas praticam e vivem segundo o que pregam. Tem autoridade para interpretar a lei de Deus quem a vivencia e tem-na gravada em seu coração e, consequentemente, em suas mãos. Infelizmente os mestres da lei ainda estão muito vivos dentro das nossas comunidades, das famílias, da Igreja, assim como também nos governos. O privilégio, a atenção e as regalias são a carteira de identidade de muitos que receberam de Deus o chamado para servir desinteressadamente, mas o fazem apenas para usufruto próprio. Todos nós temos responsabilidade diante de Deus daquilo que pregamos e falamos, no que ensinamos, principalmente os que se propõem a estar à frente de algum ministério no reino de Deus e são constituídos de autoridade. Precisamos estar muito firmes nas nossas ações quando cobrarmos ou exigirmos das outras pessoas. Como irmãos e irmãs todos nós temos o dever de ensinar, de exortar, de aconselhar, porém, isso só se torna legítimo, quando o fazemos como serviço, com humildade e responsabilidade e não somente para aparecer Reflita – O que você tem aconselhado aos seus amigos e amigas é o mesmo que você tem feito? – Você sente-se responsável pelo crescimento e melhoria de alguém? – O seu testemunho de vida serve de parâmetro para as pessoas que o (a) conhecem? – Faça uma comparação entre as suas ações e as ações dos mestres da lei e dos fariseus e perceba o que pode ser edificante para você nessa mensagem.

Acesse o site http://www.umnovocaminho.com e leia os comentários das demais leituras da liturgia de hoje.


Autores

Páginas

Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999