Egídio Serpa

Busca


Evangelho de hoje (Lucas 23,35-43

Publicado em 21/11/2010 - 21:40 por | 2 Comentários

Categorias: Geral

  • Enviar para o Kindle

Naquele tempo, os chefes zombavam de Jesus dizendo: “A outros ele salvou. Salve-se a si mesmo, se, de fato, é o Cristo de Deus, o Escolhido!”
Os soldados também caçoavam dele; aproximavam-se, ofereciam-lhe vinagre, e diziam: “Se és o rei dos judeus, salva-te a ti mesmo!”
Acima dele havia um letreiro: “Este é o Rei dos Judeus”.
Um dos malfeitores crucificados o insultava, dizendo: “Tu não és o Cristo? Salva-te a ti mesmo e a nós!”
Mas o outro o repreendeu, dizendo: “Nem sequer temes a Deus, tu que sofres a mesma condenação? Para nós, é justo, porque estamos recebendo o que merecemos; mas ele não fez nada de mal”. E acrescentou: “Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reinado”.
Jesus lhe respondeu: “Em verdade eu te digo: ainda hoje estarás comigo no Paraíso”.

Comentários

Helena

em 21 de novembro de 2010

“quem irá para o paraíso”?

Todos caçoavam e zombavam de Jesus cobrando Dele uma atitude de auto salvação e duvidando de que Ele fosse verdadeiramente, o Filho de Deus, portanto, o Ungido, Rei das nações. Jesus, no entanto, não se justificava nem mesmo se manifestava diante dos insultos, porque tinha plena consciência de que tudo o quanto lhe estava acontecendo era parte da história do Seu calvário. Se analisarmos bem o conteúdo deste Evangelho, nós iremos perceber que, somente uma vez, Jesus deu ouvido e respondeu a alguém. Foi justamente na hora em que um dos malfeitores crucificados ao Seu lado lhe dirigiu a palavra: “Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu reinado”. A resposta que Jesus deu a esse homem é um sinal de que depende de cada um de nós a entrada no Seu reinado, isto é, no paraíso, como foi dito por Ele: “Em verdade eu te digo, ainda hoje estarás comigo no paraíso”. A nossa fé e dependência de Jesus, o reconhecimento do nosso ser pecador e a nossa adesão ao projeto salvifico de Deus, nos abrirão as portas do paraíso. Quando nós confessamos os nossos pecados e reconhecemos a maldade que existe em nós por causa do nosso estado original, Deus é fiel e justo para nos perdoar e nos acolher na Sua misericórdia. O paraíso, portanto, é a misericórdia do Senhor que nos abriga e nos dá alento na nossa caminhada terrena. Entrar no paraíso é viver o reino de Deus, desde já, porque Ele está próximo. O reino de Deus é Jesus, o nosso Salvador e Redentor que se fez homem e como tal, se entregou aos homens como uma oferta a Deus pela remissão dos nossos pecados. Ele enfrentou a morte de Cruz com paixão e por amor a nós. Temos em nós as marcas dessa Paixão, por isso o reino de Deus acontece, em nós e a partir de nós, nas nossas ações de amor que são promotoras da paz e da justiça. Se nós queremos realmente, entrar no paraíso e participar do reinado de Jesus, nós precisamos tê-Lo como nosso Rei e Senhor das nossas vidas, dos nossos planos e dos nossos ideais.Reflita – Você já percebeu que Jesus já fez e Sua parte e, agora, o paraíso só depende de você?- Diante de Deus e dos homens você reconhece o seu ser pecador e necessitado de perdão? – Você admite que as outras pessoas também o (a) acusem de ser pecador (a)? – Faça também hoje como o “bom ladrão”: peça a Jesus que o faça entrar no Seu reinado e ouça com atenção a Sua resposta.

Acesse o site http://www.umnovocaminho.com e leia os comentários das demais leituras da liturgia de hoje.

karol

em 22 de novembro de 2010

qual é a condenação daqueles, naquele dia?


Autores

Páginas

Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999