Projeto São Francisco: quem pagará a conta?