Busca

12:52 · 12.10.2017 / atualizado às 13:12 · 12.10.2017 por

Surgiu uma crise na Federação da Agricultura do Ceará (Faec), onde, até um mês atrás, reinava um clima de aparente tranquilidade.

A Faec foi invadida pela política.

O que se passa lá é o seguinte: parlamentares da bancada federal cearense estão tentando influenciar o encaminhamento e o resultado da próxima eleição da Faec, marcada para o dia 13 do próximo mês de novembro.

O atual presidente da Faec, Flávio Sabóya, que está no cargo há sete anos, tentará mais um mandato de quatro  anos. Tudo se encaminhava para que houvesse uma chapa única.

Mas surgiu a candidatura de Paulo Helder, que foi superintendente no Ceará do Senar, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural.

Paulo Helder está recebendo o apoio de alguns parlamentares federais, que pressionam os prefeitos dos municípios onde estão sediados os 45 sindicatos rurais do Ceará.

A pressão é no sentido de que os prefeitos obtenham dos presidentes dos sindicatos rurais o compromisso de votar em Paulo Hélder.

O presidente da Faec, Flávio Sabóya, disse ao blog que está tranquilo e confiante na vitória.

A mesma coisa está dizendo seu adversário Paulo Hélder.

Vamos ver no que isso vai dar.

12:47 · 12.10.2017 / atualizado às 12:47 · 12.10.2017 por

Naquele tempo, houve um casamento em Caná da Galileia. A mãe de Jesus estava presente. Também Jesus e seus discípulos tinham sido convidados para o casamento. Como o vinho veio a faltar, a mãe de Jesus lhe disse: “Eles não têm mais vinho”. Jesus respondeu-lhe: “Mulher, por que dizes isto a mim? Minha hora ainda não chegou”. Sua mãe disse aos que estavam servindo: “Fazei o que ele vos disser!”. Estavam seis talhas de pedra colocadas aí para a purificação que os judeus costumam fazer. Em cada uma delas cabiam mais ou menos cem litros. Jesus disse aos que estavam servindo: “Enchei as talhas de água!”. Encheram-nas até a boca. Jesus disse: “Agora tirai e levai ao mestre-sala!”. E eles levaram. O mestre-sala experimentou a água que se tinha transformado em vinho. Ele não sabia de onde vinha, mas os que estavam servindo sabiam, pois eram eles que tinham tirado a água. O mestre-sala chamou então o noivo e lhe disse: “Todo mundo serve primeiro o vinho melhor e, quando os convidados já estão embriagados, serve o vinho menos bom. Mas tu guardaste o vinho bom até agora!” Este foi o início dos sinais de Jesus. Ele o realizou em Caná da Galileia e manifestou a sua glória, e seus discípulos creram nele.

08:36 · 11.10.2017 / atualizado às 08:37 · 11.10.2017 por

Resultado de imagem para a oração do pai nossoUm dia, Jesus estava rezando num certo lugar. Quando terminou, um de seus discípulos pediu-lhe: “Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos”. Jesus respondeu: “Quando rezardes, dizei: ‘Pai, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino. Dá-nos a cada dia o pão de que precisamos,e perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos os nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação’”.

 

 

 

 

Reflexão – “não estamos sozinhos no mundo!”

 

A oração do Pai Nosso nos dá o conhecimento de que somos todos participantes de uma família e não estamos sozinhos no mundo. Somos a família de Deus! O Pai não é só meu, mas é de todos nós, portanto, somos irmãos e irmãs, unidos (as) num só ideal, com o mesmo propósito de comunhão. Viver o reino dos céus é o maior anseio da nossa alma, por isso, como irmãos nós pedimos ao Pai para que a Sua vontade aconteça já aqui na terra do mesmo modo que acontece no céu.  A vontade do Pai consiste em que nenhum dos Seus filhos se perca e, que haja unidade na Igreja, Corpo de Cristo. Que sejamos um com Cristo, a cabeça e nós, os membros. Na segunda parte da oração nós pedimos ao Pai o pão de cada dia. O pão  material que  é alimento para o  nosso corpo e o  Pão da Palavra e da Eucaristia que  é o alimento da nossa alma. O perdão aos irmãos é a garantia de que seremos perdoados, e, finalmente,   que mesmo tentados, não caiamos na rede do inimigo que é o mal, que é o pecado, o afastamento de Deus. Você reza o Pai nosso com a sua família?  – Você tem consciência do que fala quando faz esta oração?  – Há alguém no mundo que você não considere como seu irmão, ou sua irmã?- Você já pensou que se  não perdoar a quem o (a) ofendeu, consequentemente não se sentirá perdoado (a) por Deus?  Reflita sobre isso!

Helena Colares Serpa – Comunidade Católica Missionária UM NOVO CAMINHO

 

14:25 · 09.10.2017 / atualizado às 14:25 · 09.10.2017 por

Resultado de imagem para parabola do bom samaritanoNaquele tempo, um mestre da Lei se levantou e, querendo pôr Jesus em dificuldade, perguntou: “Mestre, que devo fazer para receber em herança a vida eterna?” Jesus lhe disse: “Que está escrito na Lei? Como lês?” Ele então respondeu: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração e com toda a tua alma, com toda a tua força e com toda a tua inteligência; e a teu próximo como a ti mesmo!”

Jesus lhe disse: “Tu respondeste corretamente. Faze isso e viverás”. Ele, porém, querendo justificar-se, disse a Jesus: “E quem é o meu próximo?” Jesus respondeu: “Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e caiu nas mãos de assaltantes. Eles arrancaram-lhe tudo, espancaram-no, e foram-se embora deixando-o quase morto.

Por acaso, um sacerdote estava descendo por aquele caminho. Quando viu o homem, seguiu adiante, pelo outro lado. O mesmo aconteceu com um levita: chegou ao lugar, viu o homem e seguiu adiante, pelo outro lado. Mas um samaritano que estava viajando, chegou perto dele, viu e sentiu compaixão. Aproximou-se dele e fez curativos, derramando óleo e vinho nas feridas. Depois colocou o homem em seu próprio animal e levou-o a uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte, pegou duas moedas de prata e entregou-as ao dono da pensão, recomendando: “Toma conta dele! Quando eu voltar, vou pagar o que tiveres gasto a mais”.

E Jesus perguntou: “Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” Ele respondeu: “Aquele que usou de misericórdia para com ele”. Então Jesus lhe disse: “Vai e faze a mesma coisa”.

 

Reflexão – “a misericórdia é a primeira regra para a vivência do amor ao próximo.”

 

Os mestres da lei sempre procuravam confundir Jesus com questionamentos que punham em jogo o cumprimento da Lei de Deus, no entanto, consciente de que a Lei de Deus é o Amor, Jesus ia muito mais além do que era convencional, para que transparecesse a mensagem evangélica. Ele, então, lhes mostrava que amar o próximo é acolher a todos os que se aproximam de nós para ajudá-los, e ao mesmo tempo, também envolver-se com aqueles estão necessitados. Durante a nossa caminhada terrestre, algumas vezes somos o necessitado, em outras ocasiões, somos nós os bons samaritanos ou os donos da hospedaria. Nunca seremos autossuficientes a ponto de não precisar de ninguém que nos socorra. Por isso, em qualquer situação em que nos encontremos, como necessitados ou como colaboradores, somos convocados pelo Senhor a amar o próximo como a nós mesmos. Às vezes nós ajudamos as pessoas e as socorremos por obrigação ou a contragosto, no entanto a própria Palavra do Evangelho nos mostra que a misericórdia é a primeira regra para a vivência do amor ao próximo. Por isso, o mestre da lei respondendo à pergunta de Jesus sobre quem seria o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes, confirmou:  “é aquele que usou de misericórdia para com ele”. A misericórdia, então, é o sinal para que possamos ser “o próximo” de alguém. Agir com misericórdia é fazê-lo por amor a Deus.  É acolher a miséria do outro com o amor de Deus e não somente com o nosso amor imperfeito e interesseiro. – Como você costuma agir: como o sacerdote, como o levita, como o samaritano, como o hospedeiro? – Ou você sempre é aquele que desce de Jerusalém para Jericó, se mete em enrascadas e está sempre precisando que alguém se aproxime de si? – Você já experimentou ser aquele que está necessitado e espera o socorro de alguém? – Quando ajuda alguma pessoa você o faz por amor a Deus e com o amor de Deus?

 

Helena Colares Serpa – Comunidade Católica Missionária UM NOVO CAMINHO

 

 

 

14:04 · 06.10.2017 / atualizado às 14:55 · 06.10.2017 por

Beto Studart acaba de declarar ao blog que permanecerá na presidência da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) até o final do seu mandato.

Studart transmitiu esta notícia ao final demais uma reunião extraordinária da diretoria plena, realizada nesta sexta-feira, 6/10. A reunião foi tumultuada.

“As coisas tomaram um rumo inesperado, tisnando a imagem da Fiec, razão pela qual decidi permanecer na presidência por mais dois anos, ou seja, até o fim do meu mandato”, em 2019, disse ele.

A crise começou quando o próprio Beto Studart anunciou que proporia à diretoria plena da Fiec a mudança no estatuto da entidade, reduzindo de cinco anos para três anos o mandato da atual e das futuras diretorias da Federação.

A proposta, aprovada por 19 dos 25 integrantes da diretoria plena, que se reuniram na semana passada e hoje, não chegou a ser levada à consideração do Conselho de Representantes (integrado pelos delegados dos 40 sindicatos filiados).

Houve hoje uma nova reunião da diretoria plena, durante a qual se registraram pronunciamentos dos representantes de cada um dos dois grupos em que a entidade está hoje dividida.

Com a decisão de Beto Studart de manter-se na presidência da entidade – chega ao fim a crise que durou uma semana.

09:43 · 05.10.2017 / atualizado às 09:43 · 05.10.2017 por

Resultado de imagem para os setenta e dois discípulosNaquele tempo, o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou dois a dois, na sua frente, a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir. E dizia-lhes: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos”. Por isso, pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita.Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. Não leveis bolsa nem sacola nem sandálias, e não cumprimenteis ninguém pelo caminho! Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’ Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; se não, ela voltará para vós. Permanecei naquela mesma casa, comei e bebei do que tiverem, porque o trabalhador merece o seu salário. Não passeis de casa em casa.

Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos servirem, curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: ‘O Reino de Deus está próximo de vós’. Mas, quando entrardes numa cidade e não fordes bem recebidos, saindo pelas ruas, dizei: Até a poeira de vossa cidade que se apegou aos nossos pés, sacudimos contra vós. No entanto, sabei que o Reino de Deus está próximo! Eu vos digo que, naquele dia, Sodoma será tratada com menos rigor do que essa cidade.

Reflexão – “Sejamos também missionários do amor de Deus”

Somos trabalhadores da messe do Senhor e, enquanto aqui estivermos seremos sempre chamados, convocados e enviados a anunciar o reino de Deus entre os homens. Os ensinamentos de Jesus aos Seus discípulos servem também de roteiro para nós hoje, que desejamos ser missionários do Seu amor. A melhor maneira de anunciar o reino de Deus é vivê-lo e tê-lo estampado na expressão do nosso rosto e nas nossas ações, por onde andarmos. O reino de Deus consiste em se viver o amor em família, em comunidade, em levar a paz aos corações atribulados, em colocar a nossa esperança não nas coisas nem nas pessoas, mas Naquele que tudo pode providenciar para nós o alimento, a capa, bolsa, sacola, que significam as coisas das quais necessitamos para viver. Temos a incumbência de levar a paz e o Amor de Jesus a todos que não O conhecem. Nunca poderemos desistir da nossa missão alegando o motivo de que alguns não nos acolhem ou não querem nos escutar. Nada será motivo de desânimo ou de fracasso, porque “O reino de Deus está próximo de nós” e, quando o reino acontece no nosso coração, temos o Espírito Santo como guia, como instrutor e como sustentador e o Seu poder nos dá a garantia de uma missão bem-sucedida. O primeiro lugar onde devemos anunciar o reino dos céus é na nossa casa, no meio da nossa família. – Você tem anunciado o reino de Deus dentro da sua casa? – Suas atitudes demonstram que você vive o reino? – Você tem levado a paz e o amor para os seus? – Jesus conta com você. Você foi chamado (a) para ser trabalhador (a) da Sua vinha. Este é o mês missionário! Seja você também um (a) missionário (a) do Amor de Deus!

 

Helena Colares Serpa – Comunidade Católica Missionária UM NOVO CAMINHO

19:58 · 04.10.2017 / atualizado às 20:03 · 04.10.2017 por

Uma fonte da Federação das Indústrias do Ceará transmitiu a este blog uma informação que corrige notícia anterior a respeito do que decidiu nesta quarta-feira, 4/10, em reunião extraordinária, a diretoria plena da entidade.

De acordo com a informação, os 19 dos 25 diretores presentes à reunião decidiram encaminhar ao Conselho de Representantes da Fiec (integrado pelos delegados dos 40 sindicatos filiados) proposta de redução de cinco para três anos do mandato não só do presidente, mas de toda a sua diretoria plena.

A proposta será detalhada na próxima reunião da diretoria, marcada para sexta-feira, 6/10.

O Conselho dos Representantes, por sua vez, deverá reunir-se na próxima semana.

As eleições da futura diretoria da Fiec – se a proposta for aprovada – acontecerá dentro de 30 dias, segundo estimou hoje o próprio presidente da entidade, Beto Studart.

18:25 · 04.10.2017 / atualizado às 18:38 · 04.10.2017 por

Terminou há poucos instantes a reunião da diretoria plena da Federação das Indústrias do Ceará, convocada pelo presidente da entidade, Beto Studart.

Compareceram 19 dos 24 diretores. Todos os presentes decidiram encaminhar ao Conselho de Representantes (constituído pelos delegados dos 40 sindicatos filiados à Fiec) a proposta de redução do mandato do presidente da Federação das Indústrias.

Esse mandato é hoje de cinco anos, mas será reduzido para três se a proposta for aprovada.

Não há, até agora, uma data marcada para a reunião do Conselho de Representantes.

A diretoria plena voltará a reunir-se na próxima sexta-feira, 6/10, para detalhar a proposta de reforma dos estatutos da Fiec. Isto quer dizer que o Conselho dos Representantes só se reunirá na próxima semana.

13:12 · 04.10.2017 / atualizado às 13:13 · 04.10.2017 por

O presidente da Federação das Indústrias do Ceará, Beto Studart, disse nesta quarta-feira, 04/10, que reduzirá seu mandato – que é de cinco anos – para três anos.

É o que “está sendo consensuado” com os presidentes dos sindicatos filiados à Fiec, segundo ele afirmou.

Negou, mais uma vez, que será candidato a algum cargo eletivo no pleitode 2018 – especula-se que ele seria candidato a vice-governador ou a senador.

Com a decisão de encurtar o seu mandato – “cinco anos são uma jornada muito longa” – Beto Studart antecipou que dentro de 30 dias começará o processo eleitoral para a escolha de uma nova diretoria da entidade.

E voltou a garantir seu apoio ao atual diretor administrativo, Ricardo Cavalcante, admitindo que o atual primeiro vice-presidente, Alexandre Pereira, será o candidato da oposição.

09:14 · 04.10.2017 / atualizado às 09:14 · 04.10.2017 por

Resultado de imagem para Deixa que os mortos enterrem os seus mortos;Naquele tempo, enquanto Jesus e seus discípulos caminhavam, alguém na estrada disse a Jesus: “Eu te seguirei para onde quer que fores”. Jesus lhe respondeu: “As raposas têm tocas e os pássaros têm ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça”. Jesus disse a outro: “Segue-me”. Este respondeu: “Deixa-me primeiro ir enterrar meu pai”. Jesus respondeu: “Deixa que os mortos enterrem os seus mortos; mas tu, vai anunciar o Reino de Deus”. Um outro ainda lhe disse: “Eu te seguirei, Senhor, mas deixa-me primeiro despedir-me dos meus familiares”. Jesus, porém, respondeu-lhe: “Quem põe a mão no arado e olha para trás não está apto para o Reino de Deus”.

 

 

 

Reflexão – “que os mortos enterrem os seus mortos

Jesus abria os olhos dos Seus discípulos e os conscientizava de que, para segui-Lo, eles teriam que abdicar de privilégios, de comodidade e teriam que enfrentar as dificuldades próprias da missão.  Àqueles outros que davam desculpas para não segui-Lo, Jesus os advertia com palavras duras: “deixa que os mortos enterrem os seus mortos, mas tu, vai anunciar o reino de Deus.” Com efeito, Jesus nos mostra que o Seu seguimento requer desprendimento da nossa parte em relação a todas as coisas e pessoas a quem humanamente falando estamos ligados e, como consequência, nos afastam da vivência da vontade de Deus. O Senhor nos chama para anunciar a vida nova para a nossa família e não para nos acomodarmos esperando a hora de “enterrar” os nossos queridos. Os mortos, isto é, aqueles que não se sentem chamados, aqueles que não são discípulos, aqueles que nem entendem nem querem seguir a Jesus, esses, sim, podem enterrar os mortos. Despedir-se dos familiares significa também perder tempo, correr riscos de desistir, tirar o foco do que Jesus nos propõe deixando a graça de Deus passar. O Senhor nos dá a graça necessária para que sejamos seus discípulos e discípulas, e precisamos nos apossar desta graça do momento, não deixando para depois. Amanhã, será outro dia… e poderá não haver outro chamado. Segue-me, diz o Senhor! Vamos com Ele sem olhar para trás, sem saudades do que passou, sem lamentações nem murmurações. O reino de Deus é presente, agora, nesse momento e felizes seremos todos nós se compreendermos as palavras desse Evangelho. “Quem põe a mão no arado e olha para trás não está apto para o reino de Deus!” – Você está apto para o reino de Deus? – Quais são as desculpas que você tem dado para não seguir a Jesus? – Você tem consciência de que para segui-Lo, não deve ter vontade própria nem opiniões formadas? – Você prefere seguir a Jesus ou enterrar os “seus mortos”? – Que tal anunciar a eles que o reino de Deus está próximo? Fazendo isso, você estará seguindo a Jesus.

 

Helena Colares Serpa – Comunidade Católica Missionária UM NOVO CAMINHO