Busca

17:47 · 22.11.2007 / atualizado às 17:47 · 22.11.2007 por

Sai o PTB de Minas Gerais, entra o PTB de Pernambuco. O mineiro Walfrido dos Mares Guia exonerou-se do cargo de Ministro das Relações Institucionais porque foi acusado pelo Procurador Geral da República, Antonio Fernando de Souza, de participar de um esquema de desvio de dinheiro privado e público para a campanha de Eduardo Azeredo (PSDB) ao Governo de Minas Gerais, na eleição de 1998. Para o lugar de Mares Guia, ex-vice-governador de Minas, empresário milionário, dono de uma rede de escolas superiores, o presidente Lula escalou o pernambucano José Múcio Monteiro, um elegante e educado deputado federal petebista, com tradicional ligação familiar com os donos de engenho do seu Estado. No mesmo instante em que Lula fazia essa substituição, os sete senadores do PTB decidiam rebelar-se, e proclamando-se independentes, pelo menos em relação à próxima votação da CPMF. José Múcio terá de vestir a farda de bombeiro para apagar esse fogo na bancada do seu partido no Senado.

Complicada também será a situação do PSDB, que neste fim de semana promove sua Convenção Nacional em Brasília. O que seria uma festa tucana para mostrar-se diferente dos outros, a convenção deverá ser um esforço concentrado para explicar ao distinto público que o PSDB não é igual ao PT do mensalão. Parece que teremos os sujos falando dos mal lavados. E vice-versa.

16:20 · 22.11.2007 / atualizado às 16:20 · 22.11.2007 por

Uma das mais altas fontes do Governo do Ceará, com gabinete no Palácio Iracema, disse hoje a este blogueiro o seguinte: a senadora Patrícia Sabóia – que recentemente trocou o PSB pelo PDT e se declarou dispostar a candidatar-se à Prefeitura de Fortaleza – “marcou o seu campo de luta, que não é e nem será o nosso”. A mesma fonte, falando firmemente, acrescentou: “Nós vamos apoiar, mas apoiar com toda a nossa força e disposição, a reeleição da prefeita Luizianne Lins. E a senadora Patrícia já sabe disso”. E o passado recente, e as boas relações da senadora com o governador Cid e com o deputado federal e seu ex-marido Ciro Gomes, como ficarão? A fonte palaciana emendou: “Uma coisa é a amizade, que é para sempre. Outra coisa, bem diferente, é a política, que é feita com os olhos voltados para o interesse da população. E é pelos interesses da cidade de Fortaleza e de sua população que vamos apoiar de novo Luizianne Lins”. Assim, Patrícia Sabóia terá de ir buscar apoio em outra freguesia, talvez a do PSDB, do senador Tasso Jereissati, que neste fim de semana faz congresso e conveñção nacionais em Brasília.

15:39 · 22.11.2007 / atualizado às 15:39 · 22.11.2007 por

O deputado Artur Bruno, estrela de primeira grandeza do PT cearenses, reencontrou-se, nesta quinta-feira, com a melhor tradição do seu próprio mandato parlamentar. Ele presidiu uma audiência pública, no plenário da Assembléia Legislativa, que reuniu lideranças de servidores do Estado e de dezenas de municípios do Ceará, as quais pronunciaram um discurso de uma nota só: contra o governador e os prefeitos. Os servidores estão em campanha por melhores vencimentos e todos os oradores que fizeram uso da palavra criticaram o Governador e os prefeitos que, até agora, não atenderam seus pedidos de melhoria salarial. Artur Bruno, que presidiu a audiência, portou-se e falou como se estivesse em casa, ladeado de “companheiros trabalhadores”, e não um pássaro fora do ninho, como se sentiu durante os poucos meses que passou como Secretário de Desenvolvimento Social do Governo do Estado. Medsmo integrando a bancada de apoio ao governador Cid Gomes, Bruno revela-se muito melhor na chamada linha independente, essa que o permite elogiar e criticar o Governo.

15:27 · 22.11.2007 / atualizado às 15:27 · 22.11.2007 por

O Ceará conta atualmente com três parques de geração de energia eólica. Eles estão localizados na Prainha, no município de Aquiraz; na Taíba, em São Gonçalo do Amarante, e na área da Praia Mansa, na enseada do Mucuripe, em Fortaleza. No próximo dia 07 de dezembro, em solenidade no Palácio Iracema, e com a presença do governaor Cid Gomes, serão assinados três contratos de fornecimento de geradores e de demais equipamentos do mais novo empreendimento do setor, que é o conjunto de parques eólicos Bons Ventos, com 50 Megawatts; Canoa Quebrada, com 57 Megawatts, e Enacel, com 31,5 m egawatts, todos localizados no município de Aracati, e Taíba-Albatroz, com 16,5 Megawatts, no município de São Gonçalo do Amarante. Juntos, esses quatro parques vão gerar 155 MW, ou seja, mais de 10 por cento de toda a energia consumida hoje pelo Ceará. Os investimentos alcançaram 800 milhões de reais e serão feitos pela empresa cearense Bons Ventos Geradora de Energia S/A, do grupo Servtec, cujo principal sócio é o empresário Lauro Fiúza Júnior.

11:06 · 22.11.2007 / atualizado às 11:06 · 22.11.2007 por

Armando Bispo
Pastor da Igreja Batista Central de Fortaleza

O número crescente de grupos de recuperação no Brasil e no mundo demonstra a necessidade de se conseguir apoio para superar vícios, traumas e problemas emocionais. Os mais conhecidos são os Alcoólicos Anônimos (AA), Narcóticos Anônimos (NA), Comedores Compulsivos Anônimos, Dependentes de Amor e Sexo Anônimos (DASA) e, agora, o MADA, Mulheres Que Amam Demais Anônimas.

(mais…)

15:18 · 21.11.2007 / atualizado às 15:18 · 21.11.2007 por

Morreu na semana passada o paulista Alfredo Rafael Campi, que foi o braço direito do cientista cearense Expedito Parente, inventor do biodiesel, com quem desenvolveu, nos anos 70, no Ceará, grandes pesquisas sobre os combustuveis de origem vegetal. Foi ele – que era o Lelo para os amigos – quem montou a primeira usina de biodisel do Brasil, instalada na BR-116, em frente ao DNER, inaugurada pelo governador Virgílio Távora, que lhe deu muito apoio, e pelo Aureliano Chaves, que na época era o vice presidência da Republica. Testemunha desse evento é o jornalista Rangel Cavalcante, um dos amigos de Lelo, que vivia em Brasilia, onde mantinha um laboratório de fitopatologia – fazendo remedios de origem vegetal e curando muiita gente de graça. 

15:02 · 21.11.2007 / atualizado às 15:02 · 21.11.2007 por

Só há pedras no caminho da intenção do governador Cid Gomes de construir, na avenida Washibgton Soares, o Centro de Feiras e Convenções de Fortaleza. A primeira pedra é financeira: só na desapropriação dos 12,1 hectares que serão ocupados pelo empreendimento o Governo gastará mais do que o que investirá para edica-lo. A segunda pedra é a negociação com os proprietários dos terremos, que recorrerão à Justiça para garantir o justo preço pelo que lhes pertence. A terceira pedra é a opinião unânime de especialistas e leigos em urbanismo0, que condenam a localização do Centro de Exposições na área da avenida Washington Soares, cujas congestionadas pistas transformaram-se, na semana passada, em um inferno por causa do Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia, que trouxe para Fortaleza sete mil médicos do Brasil todo. A situação da avenida Washington Soares ficou tão complicada, que não há mais espaço disponível – sem caras desapropriações – para a construção de viadutos, que exigem alças de entrada e sdaída. Todas essas dificuldades referem-se, apenas, ao lado Oeste do futuro Centro de Exposições. Do lado Leste, o problema piora porque, além da proximidade da área de mangue do rio Cocó, não existe acesso rodoviário. 

O bom senso sugere que o governador Cid Gomes reveja sua decisão pessoal de construir na Washington Soares um equipamento de intensa geração de tráfego de veículos e de pessoas. O Centro de Eventos e Exposições deveria ser construído na mesma área da Praia Mansa onde será edificado o novo Centro de Convenções. Alguém precisa convencer o governador que esta é a solução técnica, financeira, política e ambientalmente correta. 

14:21 · 21.11.2007 / atualizado às 14:21 · 21.11.2007 por

Contratado pela Associação das Empresas de Angola, espécie de Fiesp de lá, o deputado federal Ciro Gomes falou nesta quarta-feira para empresários e políticos angolanos sobre a globalização e também sobre as relações políticas, econômicas e sociais do Brasil com os países africanos, principalmente com os de língua portuguesa. Ciro retornará amanhã ao Brasil.

10:27 · 21.11.2007 / atualizado às 10:27 · 21.11.2007 por

Amanhã, 22, Dia da Música, a Secretaria de Cultura do Governo do Ceará (Secult), em parceria com a Universidade Estadual do Ceará (Uece), anunciará a criação do primeiro Curso Seqüencial de Formação Específica em Regência de Banda. Será o primeiro curso superior no Brasil focado na regência de maestros de bandas de música. O anúncio será feito no Theatro José de Alencar, a partir das 9h.

Na sexta, 23, e no sábado, 24, a Secult promoverá o I Seminário de Formação em Rede, em Beberibe (Ce). O encontro vai definir o novo modelo de capacitação da cultura no Ceará. É a retomada da proposta do antigo Instituto Dragão do Mar, com a diferença de que, agora, as ações serão descentralizadas entre as 10 macrorregiões do Estado.

10:10 · 21.11.2007 / atualizado às 10:10 · 21.11.2007 por

Nilo Sérgio Holanda
Diretor da Net Fortaleza e Consultor em Tecnologia

Estamos muito honrados em termos sido convidado pelo Jornalista Egídio Serpa para escrever sobre tecnologia no seu blog. A idéia seria escrever todas as semanas sobre o que está acontecendo no mundo de hoje em relação à tecnologia. Percebo uma ansiedade muito grande nas pessoas. É importante explicar o que era o mundo de antes e o mundo de hoje e qual a implicação na vida das pessoas.

A nossa proposta é abordar a evolução da tecnologia no mundo e essas implicações, bem como abordar temas atuais de interesse geral. Estaremos escrevendo nas terças e quintas, sempre alternando a evolução histórica e abordagem de um tema atual. Estamos iniciando hoje este contato com os leitores do Blog do Egidio Serpa.

Vamos iniciar com os primeiros comentários sobre a evolução da tecnologia no mundo. Temos assistido nos últimos anos uma mudança enorme no mundo. O mundo mudou a partir do surgimento da Internet, a qual revolucionou as comunicações e quebrou o ciclo inflacionário que vivíamos. Eram sócios da inflação as grandes corporações e seus executivos, bem como os governos.

Nossa vida anteriormente era regulada pelos monopólios. Existiam monopólios protegidos por domínio de tecnologia, por domínio de fontes de matérias primas, por níveis de investimentos requeridos, por concessões dos governos e incentivos fiscais concedidos pelos governo

Nesse ambiente o ciclo definido pelas grandes corporações era produzir volumes cada vez maiores, contratar pessoas e repassar os custos para assegurar o lucro. O papel do marketing era atuar quando os preços subiam e os estoques cresciam, objetivando assim vender mais e a preços maiores. As empresas eram avaliadas pelo número de empregados.
Os governos se beneficiavam grande do ciclo inflacionário arrecadando cada vez mais.

Um dos exemplos nesse cenário eram os serviços públicos, os quais com a ineficiência dos governos, não disponibilizavam bons serviços quando eram disponíveis e eram muito caros. Uma linha telefônica até três ou quatro anos atrás eram declaradas no imposto de renda como um bem.
Os moinhos de trigo eram controlados pelo governo, os quais diziam quanto produzir, o preço de custo, o preço de venda e controlava os estoques.

As empresas de refrigerante, até 1990, eram poucas e trabalhavam com embalagens retornáveis. As vendas eram definidas pela capacidade de colocação de vasilhames no mercado. Somente quem podia ter embalagens proprietárias eram os grandes fabricantes, pois os fornos de vidro somente rodam grandes volumes. A própria embalagem já definia a qualidade dos produtos, pois os pequenos utilizavam garrafas de cerveja com rótulo de papel. Existiam apenas quatro grandes empresas no Brasil e muito poucas pequenas empresas.

Quem definia o sucesso das grandes empresas era o conceito de marcas no mercado. Quanto mais fortes eram as marcas mais elevados eram os preços praticados no mercado. Os executivos ganhavam salários milionários e se aposentavam com uma participação acionário que numa Coca-Cola Internacional chegava a bilhões de dólares. Nesse cenário, os empregos existiam, pois a ineficiência nas empresas era coberta pelos repasses de custo ao mercado. O governo era grande gastador e empregador, com a economia vivendo a reboque dessa capacidade de gasto.

Nesse mundo vimos casos de pessoas que mesmo pobres e sendo trabalhadoras e empreendedoras ficaram ricas. Temos no nosso Estado os exemplos de Carlos Jereissati, José Dias de Macedo, Ivens Dias Branco, Edson Queiroz, Deusimar Queiroz.

Os funcionários das estatais eram classe média forte, temos exemplos de pessoas que trabalham no BB, BNB, Receita Federal que tinham grandes salários e muitos benefícios concedidos. Ainda vimos no BNB o financiamento de veículos e de casa própria a juros subsidiados. Pagamento de colégios dos filhos de funcionários, pagamento de estacionamento para os funcionários.

De repente surge a internet e muda o mundo. A comunicação sofre uma verdadeira revolução. Todas as proteções asseguradas aos monopólios caiem por terra, com exceção das de alta tecnologia e de elevado investimento. O mundo se torna altamente competitivo.

A tecnologia está disponível no mundo.