Busca

Tag: Governo do Ceará


03:51 · 22.02.2018 / atualizado às 03:51 · 22.02.2018 por

Uma equipe de professores e doutores da Universidade Federal do Ceará está elaborando há quatro meses, por encomenda do Governo do Estado,o Plano Ceará 2050.

É um planejamento estratégico de longo prazo que pretende dar ao Governo as diretrizes para a formulação de políticas públicas econômicas, sociais e culturais até aquele ano.

Mas já se levantam algumas dúvidas: 2050 é um ano muito distante.

Por exemplo: os que elaboram o Plano Ceará 2050 sabem prever, hoje, quais serão as profissões que, dentro de 30 anos, existirão ou não?

De qualquer maneira, a iniciativa do Governo do Ceará deve ser aplaudida, uma vez que revela a preocupação com o planejamento, algo que hoje, aqui no Brasil, está relegado a um plano secundário.

O plano Ceará 2050 estará pronto no fim deste ano para ser executado a partir de 2019.

04:13 · 21.02.2018 / atualizado às 04:16 · 21.02.2018 por

Estavam circulando até agora algumas informações segundo as quais haviam entrado em zona de turbulência as negociações do Governo do Ceará com o Porto de Roterdã.

Este blog pode informar, agora, que essas conversações prosseguem dentro dos prazos estabelecidos pelas duas partes e que o clima entre elas é de absoluta tranquilidade.

Três fontes do Governo do Estado, que seguem os entendimentos, disseram-me que as conversas são demoradas porque as questões em debate são complexas, uma vez que envolvem duas empresas de dois países diferentes e com legislações também diferentes.

O que busca o Governo do Ceará é “um parceiro estratégico” para o Complexo Portuário e Industrial do Pecém.

O que busca o Porto de Roterdã é uma plataforma industrial e portuária que possa alargar seus negócios em uma região localizada na América Latina e que fique no meio do caminho entre a Europa, os Estados Unidos e a Ásia, e essa região é o Pecém, onde há uma zona industrial e um porto off shore que pode ser várias vezes expandido.

As mesmas fontes do governo disseram que os entendimentos, que são aparentemente lentos, caminham para um final feliz.

Até junho, as negociações estarão concluídas.

06:56 · 14.02.2018 / atualizado às 06:57 · 14.02.2018 por

Os empresários cearenses que praticam a agricultura irrigada estão muito preocupados com a situação dos recursos hídricos do Estado.

Essa preocupação tem um motivo, que é a situação dos açudes Castanhão, Orós, Banabuiú e Araras, os quais se encontram praticamente secos e não foram ainda recarregados pelas chuvas que nos últimos dias têm desabado sobre o Ceará.

Os empresários com os quais conversei nos dias de carnaval entendem que o governo do Estado deve, o mais rápido possível, criar um Plano Estratégico para a Agricultura Irrigada.

Eles acham que, por causa do esvaziamento dos açudes, a alternativa correta será a instalação de uma ou duas usinas de dessalinização da água do mar na Região Metropolitana de Fortaleza, para cuja população poderiam ser produzidos e distribuídos até 3 metros cúbicos de água por segundo.

Com isso, seria possível aumentar a oferta de água dos açudes para a produção de alimentos via irrigação. Mas só quando os açudes estiverem recarregados, evidentemente.

A Adece e a Secretaria de Recursos Hídricos estão elaborando um programa que prevê uma nova outorga de água para a irrigação, cujos detalhes ainda não são conhecidos.

Mas é um bom sinal saber que se mexe o Governo.

04:59 · 06.02.2018 / atualizado às 05:01 · 06.02.2018 por

Seguem os entendimentos do Governo do Ceará com a autoridade do Porto de Roterdã (foto). Elas foram iniciadas em abril do ano passado de 2017.

As duas partes já deveriam ter chegado a um acordo. E o acordo prevê que o Porto de Roterdã se tornará sócio minoritário da CIPP S/A, a antiga Cearaportos.

Mas o blog pode informar que o contrato entre as partes – previsto para dezembro do ano passado e prorrogado para março deste ano, ainda demorará até quatro meses, ou mais, até sua celebração.

Pelo prévio entendimento entre as duas partes, os holandeses de Roterdã e assumirão a gestão de sua logística e dos negócios comerciais da CIPP S/A.

Mas, afinal, o que está a retardar o fim desse entendimento?

“São pequenas diferenças”, como explicaram duas fontes – uma do Governo cearense, outra do setor industrial.

Uma delas sugeriu: “Persistindo a divergência entre Roterdã e Pecém, a boa saída será uma licitação para que outros  portos, como o de Antuérpia, na Bélgica, e o de Shangai, na China, apresentem suas propostas, que podem  ser – ou não – melhores do que as de Roterdã”.

Porém, ambas as fontes concordam num ponto: os holandeses não perderão a chance de abrir uma nova frente para os seus negócios no mar das três Américas

04:34 · 23.01.2018 / atualizado às 04:36 · 23.01.2018 por

O Governo do Estado do Ceará tem muito bom conceito junto ao Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID).

Mas esse conceito está agora ameaçado.

E ameaçado por deputados estaduais e prefeitos, que querem – neste ano eleitoral – incluir, no programa rodoviário que o BID financia desde os anos 1980, projetos sem qualquer viabilidade econômica ou social.

No atual contrato do Governo cearense com o BID há um saldo de R$ 600 milhões que estão sendo utilizados na duplicação de algumas estradas, no contorno de algumas cidades e na melhoria do pavimento de várias rodovias.

Pois bem: prefeitos e deputados pressionam o governador Camilo Santana no sentido de que autorize a construção de estradas ligando distritos, algo que tem exclusivamente objetivo eleitoreiro, o que desvirtuará o objetivo do contrato com o BID.

O governador tem resistido à pressão, que, porém, está crescendo.

Mas o BID está de olho e qualquer tentativa de mudar os critérios técnicos e econômicos das obras poderá custar caro ao Governo do Estado.

03:39 · 15.01.2018 / atualizado às 03:41 · 15.01.2018 por

Um bom exemplo vem de São Paulo, onde o Governo estadual isentou do ICMS os equipamentos e componentes utilizados na geração de energia solar fotovoltaica.

O Governo do Ceará, em cuja geografia está domiciliado o sol, poderá também ou isentar ou reduzir a alíquota do ICMS incidente sobre as placas fotovoltaicas.

08:24 · 07.01.2018 / atualizado às 08:28 · 07.01.2018 por

Uma fonte diretamente ligada ao setor de distribuição de combustíveis no Ceará revelou ao blog que “terminará na Justiça” o já demorado processo de licitação para a escolha da empresa ou do consórcio de empresas que executará o projeto de construção do parque de tancagem do Complexo Industrial e Portuário do Pecém.

A mesma fonte explicou que o modelo de gestão escolhido pelo Governo do Ceará está equivocado, pois ele deveria permitir que cada distribuidora projetasse e construísse seus próprios tanques, mantendo suas características e sua própria marca.

As propostas encaminhadas pelas empresas interessadas nessa licitação, cujo edital estabelece a criação de uma Sociedade de Propósito Específico, serão abertas no próximo dia 25.

O blog informa que pelo menos seis empresas, algumas estrangeiras, participarão da licitação.

A fonte dos distribuidores de combustíveis acha que esse modelo escolhido pelo Governo do Ceará foi sugerido pelo pessoal do Porto de Roterdã, que poderá tornar-se sócio do Complexo do Pecém, assumindo a sua logística.

 

04:22 · 02.01.2018 / atualizado às 04:23 · 02.01.2018 por

O Governo do Ceará, por meio de sua Secretaria de Infraestrutura, está fazendo um grande esforço no sentido de que seja concluída, até o fim deste 2018, a duplicação do IV Anel Viário (foto), uma rodovia importante para a economia do Ceará, principalmente da Região Metropolitana de Fortaleza, pois ela liga os portos do Pecém e do Mucuripe.

Essa meta é viável, mas para isso será necessário que se unam o consórcio executor da obra, o Dnit, que é o organismo que libera as verbas, e o Governo do Estado, para o qual a obra foi adjudicada.

As obras de duplicação prosseguem e se concentram na construção das alças dos viadutos na CE-065, que liga Fortaleza a Maranguape, e na CE-060, que liga Fortaleza a Redenção.

Mas não bastará só o entrosamento entre essas partes. É preciso que o Governo Federal, que enfrenta crise financeira, garanta a liberação dos recursos para a obra.

Temos, pois, que torcer para que esse entrosamento aconteça.

08:21 · 22.12.2017 / atualizado às 08:22 · 22.12.2017 por

O Estado do Ceará teve nenhum projeto incluído nos últimos dois leilões de energia, realizados na segunda e na quarta-feiras desta semana.

Por que?

Segundo o consultor em energia Jean Paul Prates, o Ceará “segue patinando em várias questões internas”.

Ele não disse quais, mas o próprio subsecretário de energia da Secretaria de Infraestrutura do Ceará confessou que o grande problema que o Estado enfrenta hoje é a falta de conexão dos seus novos parques eólicos e solares com as linhas de transmissão.

Este é um problema que afeta também a Bahia e o Rio Grande do Sul.

Linha de transmissão exige alto investimento e sua construção é demorada.

O Governo cearense vai fazer pressão junto ao Ministério de Minas e Energia para que se construam novas linhas de transmissão neste Estado.

Enquanto isso, curtamos a derrota.

04:42 · 19.12.2017 / atualizado às 04:44 · 19.12.2017 por

Será no próximo mês de março, ou seja, daqui a três meses, a celebração do contrato que vai tornar o Porto de Roterdã (foto), na Holanda, sócio da gestão do Porto do Pecém e do seu Complexo Industrial.

Quem transmitiu ao blog esta informação foi uma alta fonte do Governo do Ceará, com gabinete de trabalho no Palácio da Abolição.

Mas eu conversei também com outra fonte do governo, que, além de confirmar a notícia, adiantou que, na semana passada, uma equipe técnica de Roterdã esteve em Fortaleza e durante dois dias reuniu-se com os técnicos da CIPP S/A, empresa que substituiu a Cearaportos.

A mesma fonte também adiantou que, em janeiro, em local ainda não determinado, haverá nova reunião das equipes do Governo do Estado e do Porto de Roterdã que cuidam do detalhamento do contrato a ser assinado entre as duas partes.

Esse contrato é complexo, pois tem a ver com a Constituição do Brasil e da Holanda, com a Constituição do Estado do Ceará e com a Constituição dos municípios de Roterdã e de São Gonçalo do Amarante.