Busca

Tag: Adece


04:34 · 11.01.2018 / atualizado às 04:35 · 11.01.2018 por

Houve terça-feira, 9, em Fortaleza uma reunião que juntou representantes da Câmara Setorial da Fruticultura do Ceará, da Secretaria da Agricultura, da Diretoria de Agronegócio da Adece e dos exportadores de frutas com a diretora comercial da CIPP S/A, empresa que substituiu a Cearaportos.

A reunião teve como objetivo encontrar soluções para superar as dificuldades de exportação de frutas pelo porto do Pecém, que perdeu a liderança desse mercado para o Porto de Natal.

É preciso deixar claro que a direção do porto do Pecém não tem culpa pelo problema.

Na verdade, a questão reside no pequeníssimo quadro de fiscais federais agropecuários. São apenas quatro.

Ficou decidido na reunião que as partes envolvidas procurarão os senadores e deputados federais cearenses para que, junto ao Ministério da Agricultura, obtenham a ampliação do quadro de fiscais do Ministério da Agricultura no Ceará.

Se isso não acontecer, a situação de dificuldade permanecerá.

04:12 · 09.01.2018 / atualizado às 04:14 · 09.01.2018 por

Na manhã desta terça-feira, 9, na Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece), vai reunir-se a Câmara Setorial da Fruticultura.

Será uma reunião importante, porque dela deverão participar diretores da CIPP S/A, que substituiu a Cearaportos, o secretário da Agricultura, Euvaldo Bringel, e o diretor de agronegócio da Adece, Sílvio Carlos Ribeiro.

O assunto exclusivo do encontro será a questão ligada às exportações cearenses de melão.

O Porto do Pecém, como este blog já informou, perdeu, para o Porto de Natal, a posição de líder nordestino de embarques de frutas para a Europa e Estados Unidos.

Os exportadores cearenses queixam-se de problemas com a empresa de navegação Maersk, que reduziu a oferta de navios em Pecém, ao mesmo tempo em que sua concorrente, a  CNA-CGM, dobrou essa oferta em Natal, cujo porto tem custos de operação bem mais baratos.

Vamos ver no que vai dar essa reunião de hoje.

04:19 · 11.12.2017 / atualizado às 04:21 · 11.12.2017 por

Reuniu-se pela segunda vez a Câmara Temática de Água e Desenvolvimento do Ceará.

Hospedada na Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece), essa Câmara reúne 35 representantes de organismos públicos e privados, que ouviram uma exposição do secretário de Recursos Hídricos, Francisco José Teixeira (foto).

Entre outras coisas, Teixeira disse o seguinte: só em junho de 2018 as águas do rio São Francisco chegarão ao Ceará, e mesmo assim numa previsão otimista.

Para este repórter, porém, isso só acontecerá no fim de 2018 ou no começo de 2019.

Da discussão que se seguiu à exposição do secretário Teixeira, ficou a certeza de que, hoje, em tempos de chuvas abaixo da média, será necessário usar toda a tecnologia disponível de irrigação para produzir mais alimentos com menos água.

Educar o agricultor neste sentido é que será difícil.

04:20 · 04.12.2017 / atualizado às 04:21 · 04.12.2017 por

Este blog conversou com a presidente da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece), Nicole Barbosa.

Ela ainda celebra os 10 primeiros anos de atividades da Adece, que foram comemorados na última quinta-feira, dia 30 de novembro.

Nicole Barbosa disse que, nos últimos 10 anos, a Adece atraiu para o Ceará mais de 30 indústrias de diferentes ramos da atividade industrial.

Essas empresas, que vieram para cá atraídas pelo cardápio de incentivos fiscais que o Estado oferece, investiram mais de R$ 1,5 bilhão e criaram aproximadamente 30 mil novos empregos.

A presidente da Adece adiantou que esse esforço de atração de indústrias para o Ceará vai continuar, e confirmou que, no primeiro trimestre de 2018, uma indústria de calçados de São Paulo deverá instalar-se no interior cearense.

04:42 · 29.11.2017 / atualizado às 11:40 · 29.11.2017 por

Amanhã, quinta-feira, 30, às 15 horas, haverá em Fortaleza reunião das Câmaras Setoriais da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece), que celebrará na data seus primeiros 10 anos de existência.

O governador Camilo Santana estará presente ao evento, que se realizará na sede da entidade, na avenida Dom Luís.

A Adece, hoje presidida por Nicole Barbosa (foto), está tendo papel importante na atração de novas empresas industriais para o Ceará.

Para isso, conta com um cardápio de incentivos fiscais que o Estado concede às empresas que investem aqui, dando-lhes uma isenção de até 75% do ICMS devido.

Na Adece estão operando hoje 15 câmaras setoriais, entre as quais a da fruticultura, a do leite, a da logística e até a de eventos.

Nesta semana, a presidência da Adece anunciou a chegada de mais uma empresa paulista da área de calçados, que se instalará aqui no Ceará, atraída pelos incentivos fiscais.

04:35 · 28.11.2017 / atualizado às 04:37 · 28.11.2017 por

Vão tornar-se parceiras a Embrapa e a Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece).

Vai uni-las um projeto que prevê a produção de hortaliças em escala, e com o uso da mais alta tecnologia.

A tecnologia que utiliza estufas para a produção de verduras e legumes.

Aqui no Ceará, essa tecnologia já é utilizada pela empresa Cearosa Vegetais, que na Chapada da Ibiapaba produz brócolis, pimentões coloridos e tomates.

A ideia de unir Embrapa e Adece nesse projeto já entusiasma agricultores e pecuaristas, como o empresário Luiz Girão, um dos três maiores produtores de leite do Ceará.

Girão já disse que, se a parceria der certo, ele usará uma parte de sua fazenda Flor da Serra, na Chapada do Apodi, para a produção de hortaliças em estufa.

04:30 · 28.11.2017 / atualizado às 04:32 · 28.11.2017 por

A cajucultura no Ceará e no Nordeste está morrendo aos poucos.

Este blog tem falado sobre o assunto , e fala agora de novo para dizer que a Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece) pretende fazer um censo sobre essa atividade.

Hoje, a Adece e a Embrapa desenvolvem um projeto de pesquisa em quatro hectares do Perímetro Irrigado Tabuleiros de Russas, para o que utiliza seis clones do cajueiro anão precoce.

Ao mesmo tempo, e correndo contra o tempo, a Adece deseja saber, também, como está a situação dos pequenos produtores de caju, que respondem por quase 90% da produção cearense, que segue seu viés de baixa.

Todo e qualquer projeto que pretenda revitalizar a cajucultura no Ceará terá de olhar, primeiro, para o quadro social, que se agrava.

04:58 · 24.11.2017 / atualizado às 05:00 · 24.11.2017 por

Uma boa notícia para quem produz caju no Ceará:

A Embrapa Agroindústria Tropical, com sede em Fortaleza, e a Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece) tornaram-se parceiras na implantação do Projeto Cajucultura de Alto Desempenho.

Esse projeto desenvolve-se desde setembro passado em uma área de 4 hectares no Perímetro Irrigado Tabuleiros de Russas.

Alí, os especialistas da Embrapa, com apoio financeiro da Adece, estão desenvolvendo pesquisas com seis diferentes clones de cajueiro anão precoce.

Em uma uma área de 1,3 hectare, o projeto tem objetivo comercial.

As demais áreas estão reservadas às pesquisas, que têm foco no aproveitamento integral do pedúnculo, ou seja, no seu aproveitamento pela indústria de doces, sucos e carnes, e de sua amêndoa, a castanha, para os mercados interno brasileiro e estrangeiro.

O projeto usará a irrigação por gotejamento até que o cajueiro anão alcance a idade adulta e passe a produzir. Então, a irrigação será dispensada e a produção – que é sazonal – se fará apenas com a água da chuva.

A cajucultura cearense atravessa grave crise, mas esse projeto pode ser uma boa saída.

04:32 · 03.11.2017 / atualizado às 04:33 · 03.11.2017 por

A presidente da Agência de Desenvolvimento do Ceará (Adece), Nicole Barbosa, e seu diretor de Agronegócio, Sílvio Carlos Ribeiro, reuniram-se quarta-feira passada com lideranças da cajucultura cearense.

Eles conversaram sobre a revisão que está sendo feita no Plano de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Caju, criado pela Adece em 2014 e em plena execução.

A Adece e os produtores e industriais da castanha do caju desejam atualizar esse plano, readequando-o para novas ações, como a que prevê a substituição da floresta antiga de cajueiros por uma nova, de cajueiro anão precoce.

Isso custa muito dinheiro.

No próximo dia 20, esse plano, com suas modificações, será mostrado aos produtores e industriais.

Por enquanto, o que se tem é a notícia de que a cajucultura cearense atravessa uma grave crise que chega mesmo a ameaçar a sua própria existência.

09:10 · 26.10.2017 / atualizado às 12:05 · 26.10.2017 por

Em primeira mão:

De Florianópolis, onde se encontra hoje para uma série de reuniões com empresários de Santa Catarina, a presidente da Agência de Desenvolvimento do Cerá (Adece), Nicole Barbosa, manda dizer a este blog que a empresa gaúcha Techpur – que produz palmilhas para todo tipo de calçado – instalará uma fábrica em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza.

A Techpur integrará a cadeia produtiva do setor industrial calçadista do Ceará, que é um dos maiores do País.

Nicole Barbosa revelou que a fábrica da Techpur absorverá investimentos de R$ 2,5 milhões e abrirá 100 novos empregos diretos.

A presidente da Adece tem nesta quinta-feira, 26, e na manhã de sexta-feira, 27, uma agenda de reuniões com empresários catarinenses.

Ela retornará a Fortaleza sexta-feira à noite.