Busca

Tag: Camarão


05:13 · 01.09.2017 / atualizado às 05:13 · 01.09.2017 por

Pequenos criadores de camarão instalados na região jaguaribana, no Ceará, estão perfurando poço artesiano a uma distância de apenas 10, 20, 30 metros da margem do rio Jaguaribe.

A água desses poços abastece os tanques-viveiros nos quais se criam os camarões.

Isso é crime ambiental, uma vez que a legislação determina que esses poços só podem ser perfurados a, no mínimo, 300 metros da margem dos rios.

Como o blog já informou, cresce o número de pessoas que estão se dedicando à criação de camarão naquela região, aproveitando a água salobra dos poços profundos que existem lá.

Como a atividade é boa e dá bom lucro, os criadores de camarão, que eram antigos agricultores, ainda não entenderam que é preciso obedecer as leis do meio ambiente, e uma delas é a que proíbe furar poço pertinho do leito dos rios.

A Semace já está informada sobre o fato.

04:26 · 09.08.2017 / atualizado às 04:26 · 09.08.2017 por

A agricultura cearense tem produzido bem mais informações o que a indústria. E aqui está mais uma prova:

A Secretaria de Agricultura, Pesca e Aquicultura do Ceará anuncia que instalará dois laboratórios de análise para atender à demanda da carcinicultura.

A criação de camarão em cativeiro está crescendo em alta velocidade na região jaguaribana, mas é preciso tomar uma série de medidas para evitar a mancha branca, doença que ataca o camarão.

Um laboratório será instalado em Jaguaruana; o outro na localidade de Parajuru, na geografia do município de Beberibe.

Nessas áreas é que estão surgindo, quase da noite para o dia, novas fazendas de criação de camarão.

A Secretaria de Agricultura e a Associação Cearense dos Criadores de Camarão deram-se as mãos e juntas estão dividindo os custos de instalação e operação dos laboratórios.

A entidade dos camaroneiros está doando o veículo que fará a coleta das amostras de camarão para análise no laboratório, que terá especialistas em biologia, enquanto as prefeituras de Beberibe e Jaguaruana doam os espaços físicos onde os laboratórios serão instalados.

04:46 · 07.08.2017 / atualizado às 04:46 · 07.08.2017 por

Empresários cearenses de vários ramos da agricultura cearense estão decididos a investir em nova atividade – a da carcinicultura, ou seja, a criação de camarão em cativeiro.

Há dois motivos decisivos para essa mudança: o primeiro é o lucro da carcinicultura, que é várias vezes maior do que o da agricultura.

O segundo motivo é que o cultivo do camarão em cativeiro não consome muita água, uma matéria-prima que está em falta no Ceará e no Nordeste todo.

Pelo contrário: para criar camarão, bastam a água de poço profundo e o seu correto manejo, o que inclui a manutenção de uma determinada temperatura, para que se evitem o surgimento da doença branca.

Na região jaguaribana, até quem plantava arroz deixou de fazê-lo, e agora cria camarão em cativeiro.

04:20 · 02.08.2017 / atualizado às 04:20 · 02.08.2017 por

No município cearense de Morada Nova, na região do Jaguaribe, vários antigos produtores de arroz trocaram a atividade da rizicultura pela da carcinicultura.

Isto é: eles deixaram de produzir arroz e estão, agora, a produzir camarão.

Há alguns motivos para isso, dois dos quais são os seguintes:

Primeiro, a produção de camarão dá um lucro bem maior do que o cultivo do arroz;

Segundo, o cultivo do arroz gasta grande quantidade de água, enquanto a do camarão gasta 90% menos de água.

E há ainda um terceiro motivo: o Ceará está atravessando o sexto ano consecutivo de baixa pluviometria.

Os pequenos, médios e grandes açudes estão totalmente secos ou em vias de secar.

Para a criação de camarão, basta a água de poço, e melhor ainda se ela for salobra.

04:23 · 01.08.2017 / atualizado às 04:23 · 01.08.2017 por

Voltou muito satisfeito com o que viu o grupo de 15 empresários cearenses da indústria e da agropecuária que visitaram, no último fim de semana, a fazenda Potiporã, a maior do Brasil na criação de camarão em cativeiro.

Essa fazenda, localizada aqui ao lado, no Rio Grande do Norte, pertence ao empresário cearense Cristiano Maia, que é o maior criador brasileiro de camarão e também presidente da Associação dos Produtores de Camarão do Ceará.

Paulo Selbach, da Cearosa, e Tom Prado, da Itaueira, dois dos empresários que visitaram a Potiporã, contaram ao blog que a fazenda tem o maior e mais moderno laboratório da carcinicultura nacional.

É nesse laboratório, operado por biólogos brasileiros e estrangeiros, que se desenvolvem – com apoio na tecnologia de ponta – as pesquisas genéticas que já está permitindo o convívio da carcinicultura com as doenças que atacam as fazendas de criação, como a mancha branca, por exemplo.

Isso é possível por causa de providências como o correto manejo da água e de sua temperatura.

A Potiporã é a maior produtora e fornecedora de pós-larva para os carcinicultores do Nordeste. Pós larva é o nome que se dá ao filhote de camarão.

Agora, um detalhe: alguns dos empresários que visitaram a fazenda Potiporã querem trocar a agricultura pela carcinicultura.

O motivo são os constantes períodos de seca no Nordeste e o lucro maior que o camarão oferece..

12:10 · 06.07.2017 / atualizado às 12:10 · 06.07.2017 por

Empresários cearenses que atuam no setor da fruticultura visitaram, durante todo o dia de quarta-feira, 5, várias fazendas de criação de camarão no Vale do Jaguaribe.

Eles foram levados  pelo empresário Cristiano Maia, presidente da Associação Cearense dos Criadores de Camarão, que, por sua vez, foi pressionado por eles para organizar essa visita. Cristiano é o maior criador brasileiro de camarão em cativeiro

Uma das fazendas visitadas foi a da Vivendas do Camarão, empresa que é dona de uma rede nacional de restaurantes, cujo cardápio tem no camarão seu prato de resistência.

Por que tanto interesse?

O que se passa é o seguinte:

A crise de oferta de água para a agricultura irrigada só se agrava.

Por causa disso, algumas empresas da fruticultura trocaram o Ceará por outros estados.

Mas esses mesmos empresários estão dispostos a investir na carcinicultura, e por isto foram conhecer algumas fazendas de criação de camarão.

Conclusão: eia s empresa privada procurando de novo uma saída para a crise.

04:40 · 05.07.2017 / atualizado às 04:40 · 05.07.2017 por

Amanhã, quinta-feira, 6, às 9 horas, no Centro de Eventos do Ceará, será aberta pelo governador Camilo Santana a Pecnordeste 2017 –  a grande Feira Nordestina da Pecuária, que reunirá, mais uma vez, toda a cadeia produtiva da pecuária deste e de outros estados do Nordeste.

Além de ser uma exposição de animais leiteiros e de produtos da indústria voltada para a pecuária, a Pecnordeste é também um momento de apresentação das últimas tecnologias.

Haverá uma programação técnica, com palestras sobre diferentes temas. Uma delas será proferida pelo empresário Cristiano Maia, presidente da Associação Cearense dos Criadores de Camarão, que falará sobre como combater a chamada mancha branca, doença que ataca os viveiros de criação de camarão.

O Ceará é o maior produtor brasileiro de camarão criado em viveiros.

04:52 · 29.06.2017 / atualizado às 04:52 · 29.06.2017 por

O empresário Cristiano Maia, presidente da Associação dos Criadores de Camarão do Ceará e ele mesmo o maior produtor brasileiro de camarão, disse ao blog que está faltando camarão no Brasil e no mundo.

De acordo com Cristiano Maia, toda a produção de camarão não consegue atender metade da demanda mundial.

É verdade! Por exemplo: toda a produção de camarão do Brasil só é suficiente para atender ao mercado interno, que está em expansão, exigindo mais oferta do produto.

O Ceará, que é o maior produtor brasileiro de camarão criado em cativeiro, produz hoje cerca de 40 mil toneladas por ano, mas suas fazendas de criação têm capacidade para produzir até duas vezes mais, desde que voltem as chuvas para encher de água os viveiros.

04:15 · 07.06.2017 / atualizado às 04:15 · 07.06.2017 por

É um cearense – o empresário Cristiano Maia- o maior produtor brasileiro de camarão.

Ele tem fazendas de produção no Ceará e no vizinho estado do Rio Grande do Norte, onde sua empresa de carcinicultura, a Potiporã, dispõe do maior e mais moderno laboratório de produção de pós larvas, que são os filhotes de camarão.

Cristiano Maia fornece essas pós larvas para praticamente todas as pequenas e grandes fazendas de produção de camarão em viveiro.

Além disso, a Potiporã também produz e fornece camarão para as grandes redes de supermercados do País, entre as quais o Pão de Açúcar, da rede francesa Casinô, e o Carrefour, que é também uma rede francesa.

Cristino Maia disse ao blog que o mercado brasileiro de camarão está hoje super-aquecido, e que toda a produção de camarão de sua empresa se destina a esse mercado, e nada vai para o exterior.

Ele confirma que, nos próximos meses, empresários de outras áreas da atividade econômica anunciarão investimento na carcinicultura.

Inclusive aqui no Ceará.

04:30 · 02.06.2017 / atualizado às 04:30 · 02.06.2017 por

O Fundo das Nações Unidas para o Combate à Fome (FAO) está anunciando que a melhor solução para a alimentação das populações dos países em desenvolvimento, como o Brasil, é a criação de peixes e camarão em cativeiro.

Esse anúncio da FAO coincide com o exato momento em que, aqui no Ceará, pequenos e até grandes empreendedores se lançam na atividade da aquicultura, da qual faz parte a criação de tilápia e camarão em tanques-viveiro.

Como este blog já informou, cresceu grandemente, nos últimos meses, o número de pessoas que, no Vale do Jaguaribe, estão a dedicar-se à criação de camarão.

Até empresários que produzem frutas estão trocando de atividade para investir na criação de camarão.

Mas como fazer isso se falta água na zona jaguaribana?

Bem, a água que falta é a da superfície, dos açudes e dos rios, os quais, por causa da baixa pluviometria, estão secos.

A solução, então, é usar a água salobra existente em centenas de poços profundos no Vale do Jaguaribe para a criação de camarão. É o que fazem os novos carcinicultores cearenses.