Busca

Tag: Carlos Prado


04:02 · 18.04.2018 / atualizado às 04:04 · 18.04.2018 por

O empresário Carlos Prado (foto), fundador e presidente do conselho da cearense Itaueira Agropecuária, uma das grandes empresas brasileiras produtoras de melão e melancia, voltou a dizer ao blog que, quando o açude Castanhão estiver acumulando metade de sua capacidade de 6,5 bilhões de metros cúbicos de água, voltará a produzir no Ceará.

Há dois anos, por falta de água, a Itaueira suspendeu sua produção no Ceará, focando atenção nas suas fazendas de produção nos estados do Piaí e da Bahia.

Aqui no Ceará, a Itaueira – liderada pelo seu CEO e sócio Tom Prado, filho de Carlos – produz somente pimentões coloridos na Serra da Ibiapaba, cuja produção, aliás, será dobrada ao longo deste semestre para atender à crescente demanda.

Hoje,o Castanhão está armazenando – graças às enchentes do rio Salgado – perto de 450 milhões de metros cúbicos.

09:31 · 08.02.2018 / atualizado às 09:36 · 08.02.2018 por

A empresa cearense Itaueira Agropecuária, grande produtora brasileira de melão e melancia, anunciou que, dentro de mais 60 dias, iniciará a comercialização do camarão que está sendo  produzido em sua fazenda localizada no município de Ipanguaçu, no Oeste do Rio Grande do Norte.

A Itaueira diversificou suas atividades, e agora já produz pimentões coloridos na Serra da Ibiapaba, onde adquiriu 75% do capital da Cearosa, fundada pelo gaúcho Paulo Selbach, que continua como sócio e diretor de produção.

A Itaueira entra agora, também, na carcinicultura.

O projeto de criação de camarão na potiguar Ipanguaçu já se revelou muito promissor: em apenas 77 dias, a empresa está conseguindo despescar camarão com 18 gramas, que é o peso ideal para as grandes de restaurantes, como o Coco Babu e o Vivenda do Camarão.

Ontem, o blog conversou, aqui em Berlim, com o CEO da Itaueira, Tom Prado, e ele me disse que o camarão produzido em Ipanguaçu terá a marca Camarão Rei.

05:06 · 18.10.2017 / atualizado às 05:07 · 18.10.2017 por

O blog conversou com o empresário Carlos Prado, que é um dos mais respeitados industriais e agricultores do Ceará.

Ele fabrica máquinas e implementos agrícolas, vendidos para todo o País, e produz melão e melancia no Piauí e na Bahia.

Prado está pessimista em relação ao futuro próximo do agronegócio no Ceará. Por uma razão fundamental: falta água para a agricultura irrigada empresarial.

Principal insumo da atividade agrícola, a água que existe hoje nos açudes cearenses é quase nada, diante das necessidades da população humana e animal, da indústria e da agricultura.

Será necessário que a natureza devolva as chuvas que tem negado nos últimos seis anos.

Serão essas chuvas que recarregarão os grandes açudes e que farão a retomada da produção de alimentos no Ceará.

Carlos Prado diz que será necessário fazer grandes investimentos para garantir a segurança hídrica, com a qual, e somente com ela, retornarão os investimentos da iniciativa privada.

Ele tem razão. Temos de rezar a Deus pedindo a volta das chuvas.

04:28 · 19.07.2017 / atualizado às 04:28 · 19.07.2017 por

No próximo mês de agosto, o superintendente da Sudene, baiano Marcelo Neves, virá a Fortaleza.

Ele mesmo informou o presidente da Federação das Indústrias do Ceará, Beto Studart, de que deseja reunir-se com o empresariado cearense para transmitir as novidades que sua gestão empreende à frente da Sudene.

Essas novidades, aliás, são elogiadas pelo empresário Carlos Prado, que atua na agricultura e na indústria do Ceará.

De acordo com Carlos Prado, a Sudene conseguiu desburocratizar o setor de incentivos fiscais, que agora libera em muito pouco tempo os pleitos de reinvestimento de 75% do Imposto de Renda devido pelas empresas instaladas na área de atuação daquela autarquia.

04:20 · 29.05.2017 / atualizado às 04:20 · 29.05.2017 por

Para o empresário Carlos Prado, que recebeu a Medalha do Mérito Industrial outorgada pela Federação das Indústrias (Fiec), o Governo do Ceará tem dois lados, o bom e o ruim.

O lado bom – segundo ele – é a boa performance do Estado na área da educação: das 100 melhores escolas do ensino fundamental do Brasil, 77 estão aqui no Ceará.

É o Estado do Ceará o que tem, hoje, o melhor equilíbrio fiscal, ou seja, está com suas contas organizadas, gastando menos do que arrecada.

Mas, na opinião de Carlos Prado, há o lado ruim, que é representado pela crise de oferta de água, causada pela natureza, que negou chuvas para a recarga dos açudes.

Como consequência dessa crise, a produção estadual da agricultura irrigada praticamente foi paralisada, só existindo nas fazendas de produção que usam água de poços profundos.

Carlos Prado, porém, aposta suas fichas na capacidade criativa dos secretários de Recursos Hídricos, Francisco Teixeira; do Desenvolvimento Econômico, César Ribeiro; e do Planejamento e Gestão, Maia Júnior, os quais “saberão encontrar as saídas para essa crise hídrica, que só se agrava”, conclui Carlos Prado.

04:35 · 03.05.2017 / atualizado às 04:37 · 03.05.2017 por

Empresas e empresários cearenses ligados ao agronegócio estão em Ribeiro Preto, no interior de São Paulo, onde participam da Agrishow, uma das quatro maiores feiras mundiais de tecnologia agrícola.

Uma dessas empresas é a Cemag, que fabrica máquinas e implementos agrícolas vendidos para agricultores do Sudeste, do Sul, do Nordeste e do Centro-Oeste brasileiros.

O blog conversou com Carlos Prado, sócio majoritário da Cemag, cuja fábrica se localiza em Fortaleza, onde opera há 40 anos.

Prado disse que o estande da Cemag na Agrishow tem sido visitado permanentemente por agricultores que querem conhecer seus novos lançamentos, dos quais o que chama mais atenção é a máquina selecionadora de frutas e hortaliças.

Essa seleção é automática e feita pelo peso de cada unidade. Isso é possível graças a uma tecnologia desenvolvida por dois jovens alunos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, o IFCE.

Antes que essa tecnologia genuinamente cearense existisse, a máquina selecionadora era importada.

Na terça-feira, 2/5, o estande da Cemag na Agrishow foi visitado por agricultores do Chile, que demonstraram interesse em adquirir a máquina selecionadora. Os entendimentos prosseguirão nesta quara-feira, 3.

09:38 · 19.04.2017 / atualizado às 09:46 · 19.04.2017 por

A empresa industrial cearense Cemag, que produz há 44 anos, em Fortaleza, máquinas e implementos agrícolas, anuncia que apresentará sete novos produtos na Agrishow, maior feira latino-americana de tecnologia agrícola, que se realizará de 1 a 5 de maio na cidade de Ribeirão Preto, em São Paulo.

Uma dessas máquinas fabricadas pela Cemag é uma selecionadora de melão e mini-melancia.

A máquina, que antes era importada do estrangeiro, está sendo produzida no Ceará graças à tecnologia desenvolvida por dois jovens alunos do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará, o IFCE.

Foi a eles que recorreu o empresário Carlos Prado (foto), sócio-presidente da Cemag.

A tecnologia foi patenteada e hoje é utilizada, com exclusividade, pela Cemag para a fabricação dessa máquina, que já tem muitas encomendas de empresas de fruticultura do Nordeste e do Sudeste do País.

Ela, por meio de sensores, seleciona os produtos pelo seu peso, facilitando a tarefa de embalagem de cada fruta em suas respectivas caixas. Isso reduz o tempo da embalagem e aumenta a produtividade.

 

12:36 · 09.03.2017 / atualizado às 12:38 · 09.03.2017 por

A Federação das Indústrias do Ceará anunciou os nomes dos três homenageados deste ano com a Medalha do Mérito Industrial.

São eles Carlos Prado (foto), sócio e diretor da Cemag, que fabrica máquinas e implementos agrícolas;

Everardo Telles, que atua na agroindústria, produzindo aguardente e embalagens, e também na pecuária;

e Carlos Gama, um dos líderes da indústria da construção civil do Ceará.

A escolha da Fiec foi justa, merecida e oportuna, porque os três homenageados tiveram e ainda têm,  hoje, uma ativa participação em suas empresas e também na vida da indústria estadual cearense, criando e mantendo centenas de empregos.

A entrega da Medalha do Mérito Industrial será feita na Festa da Indústria, no próximo mês de maio.

04:26 · 14.02.2017 / atualizado às 04:26 · 14.02.2017 por

O empresário Carlos Prado, sócio majoritário e presidente da Itaueira Agropecuária, disse ao blog que, se as chuvas voltarem e recarregarem os grandes açudes do Estado, garantindo a regularidade da oferta de água para a agricultura irrigada na região do médio e baixo Jaguaribe, sua empresa – que transferiu seu campo de produção para o Rio Grande do Norte – retornará ao Ceará.

A Itaueira mudou-se no ano passado para Ipanguaçu, no Vale do Açu, no Rio Grande do Norte, onde está colhendo sua primeira safra de melões e melancias.

Dessa safra, 90% se destinam ao mercado interno brasileiro, e só 10% vão para os mercados dos Estados Unidos, Canadá e Europa.

Carlos Prado, porém, advertiu que, mesmo voltando a produzir no Ceará, a Itaueira manterá sua produção no Rio Grande do Norte, onde fez grandes investimentos.

04:20 · 20.07.2016 / atualizado às 04:23 · 20.07.2016 por

FORTALEZA, CE, BRASIL, 05/09/2013, NEGOCIOS: PRODU«√O DO MEL√O REI, DA EMPRESA CEARENSE ITAUEIRA AGROPECU¡RIA S.A. , 23NE4716, 23/10/2015, NEGOCIOS, DIVULGACAO,

Dois grandes empresários cearenses – Carlos Prado, sócio e presidente da Itaueira Agropecuária, e Cristiano Maia, sócio majoritário da Samaria Aquicultura – serão homenageados no próximo dia 15 de agosto, em Natal, pelo governo do Rio Grande do Norte.

Por que?

Porque estão investindo pesadamente no vizinho Estado.

A Itaueira está a produzir melão no Vale do Açu, onde já plantou e vai colher, a partir de agosto, a safra de melão e melancia 2016-2017.

A Samaria investe em um gigantesco projeto de criação de camarão em cativeiro.

As duas empresas – que têm sede em Fortaleza – abriram na geografia potiguar mais de 2 mil empregos, e é por isto mesmo que o govrnador do Rio Grande do Norte e seu secretário de Agricultura estarão presentes ao jantar com que homenagearão Carlos Prado e Cristiano Maia.