Busca

Tag: Energia solar


04:27 · 06.04.2018 / atualizado às 04:29 · 06.04.2018 por

O sol começa a brilhar com mais intensidade no Ceará.

E vai produzir mais energia elétrica no Estado.

A empresa paulista Steelcons, que foi a grande vencedora do último leilão de energia A-4, implantará na Chapada do Apodi, na geografia do município de Limoeiro do Norte, um projeto de geração de energia solar com potência de 270 MW.

Para isso, investirá R$ 900 milhões e utilizará 1 milhão de placas fotovoltaicas, cujo fornecedor ainda não foi definido.

O projeto será instalado em uma área de 1.100 hectares pertencente ao empresário cearense Fernando Cirino Gurgel, que a arrendou à Steelcons.

O empreendimento será implantado ao longo dos próximos quatro anos e será um dos maiores do País na área da energia solar.

Este blog tem dito, e agora o repete: o Ceará é o domicílio do sol.

04:45 · 02.04.2018 / atualizado às 04:45 · 02.04.2018 por

O Ministério da Integração Nacional informa que o Fundo Constitucional do Nordeste (FNE), operado pelo BNB, já está autorizado a financiar projetos de microgeração de energia solar fotovoltaica.

Com um detalhe: essa linha de financiamento foi criada para atender, exclusivamente, a pessoas físicas.

Isto vai interessar diretamente pequenos produtores rurais do sertão do Ceará, que poderão agora obter, por meio do Banco do Nordeste, empréstimo para a compra e instalação de kits de geração de energia solar para a sua residência ou para a sua atividade agropecuária.

Uma boa providência.

Deve ser lembrado que os juros do FNE são os mais baixos da rede bancária brasileira.

09:43 · 29.03.2018 / atualizado às 09:44 · 29.03.2018 por

A Secretaria da Fazenda do Ceará está cobrando ICMS de kits de energia solar importados do exterior.

Em quase todos os estados, esses kits são isentos de tributação, incluindo o Imposto de Importação e o ICMS.

Um investidor cearense, que atua na área da geração de energias renováveis, disse ao blog que, por causa dessa cobrança, ele passou a importar pelo porto de Suape os kits de energia solar.

Lá em Pernambuco, que tem como prioridade a geração de energias renováveis, não há qualquer cobrança de imposto.

04:57 · 26.03.2018 / atualizado às 04:59 · 26.03.2018 por

No próximo dia 4 de abril, a Agência Nacional de Eneria Elétrica (Aneel) realizará mais um leilão de energia.

Será o chamado leilão A-4, ou seja, para entrega em quatro anos.

Para esse leilão, foram cadastrados 1.672 projetos de geração de energia, com potência instalada de 48,7 GW.

A fonte de geração eólica mais uma vez liderou o cadastramento, com 931 projetos.

A Bahia, novamente, liderou o ranking com 8,2 GW de energia eólica e 5,2 GW de energia solar.

O Rio Grande do Norte ficou em segundo lugar, com 6,1 GW de energia eólica e 3,3 GW de energia solar.

O Estado do Ceará ficou em terceiro, com uma potência instalada de 3,1 GW de eólica e 1,6 GW de solar.

O mercado de energia eólica estima que o leilão do próximo dia 4 terá um preço de R$ 100 por megawatt/hora para a energia eólica.

04:06 · 23.03.2018 / atualizado às 04:08 · 23.03.2018 por

Duas informações sobre inovação tecnológica:

A primeira vem aqui mesmo do Ceará: na região do Jaguaribe, um criador de camarão cobriu com estufas os seus tanques de criação.

A providência reduziu a evaporação e economizou água e, de quebra, ainda acelerou o crescimento dos filhotes de camarão.

A segunda notícia vem da Europa: uma empresa austríaca, a Smart Flower, criou e já comercializa um girassol feito de placas fotovoltaicas (foto) para a geração de energia solar.

Esse girassol tecnológico move-se como um girassol vegetal de verdade, ou seja, acompanhando a direção do sol, produzindo por isto mesmo 40% mais de energia.

Quando o sol se põe, o girassol fotovoltaico fecha-se, exatamente como faz o girassol vegetal.

Essa novidade tecnológica, excelente para a autogeração e a microgeração de energia, ainda não chegou ao Brasil.

07:56 · 19.03.2018 / atualizado às 07:58 · 19.03.2018 por

A Cooperverde, uma cooperativa com sede em Fortaleza da qual são sócios 27 pessoas – entre as quais professores e pesquisadores de universidades e empresários cearenses de diferentes ramos da atividade econômica – acaba de obter apoio financeiro de uma instituição alemã para a implantação de um projeto-piloto que prevê a instalação de placas fotovoltaicas   sobre uma área de 3 mil m² do espelho d’água do açude Castanhão.

O coordenador do projeto e diretor da Cooperverde, professor-doutor Osvaldo Carioca, explicou ao blog que, além de gerar energia solar, o projeto impedirá a evaporação na área coberta pelas placas fotovoltaicas. O professor Carioca adiantou que essa será ampliada à medida que os resultados do projeto-piloto se revelarem positivos como esperam todos os envolvidos nele. Outros grandes açudes do Dnocs – como o Orós, o Banabuiú e o Araras  – também serão alvo da mesma iniciativa

Osvaldo Carioca também antecipou que a Cooperverde já tem pronto um projeto para modernizar o processo de beneficiamento de peixes ao redor do Castanhão, em cujas águas, em tempos normais – isto é, com mais de 30% de sua capacidade de 6,5 milhões de m³ – dezenas de pequenos produtores criam tilápia em gaiolas. O que a Cooperverde deseja é construir uma estrutura industrial que permita o beneficiamento correto dos peixes e, ao mesmo tempo, assegure a integridade das águas do açude. Em alguns pontos da beira do Castanhão, o beneficiamento da tilápia é feito sem qualquer higiene, causado inclusive a poluição das águas do açude.

04:03 · 14.03.2018 / atualizado às 04:04 · 14.03.2018 por

O engenheiro Adão Linhares (foto), presidente da Câmara Setorial de Energia da Adece, é o novo secretário-adjunto de Energia da Secretaria de Infraestrutura do Governo do Ceará.

Ele substitui o também engenheiro Renato Rolim que na semana passada pediu exoneração do cargo.

Um cargo que quase nada produziu até agora.

Renato Rolim alegou razões pessoais para sair do Governo.

A nomeação de Adão Linhares foi recebida com alegria pelos empresários que atuam no setor de energias renováveis.

Mas um deles advertiu: se o Governo do Estado não der a Adão Linhares as condições para que ela exerça seu trabalho, de nada adiantará sua presença na Seinfra.

Os empresários reclamam que o governo cearense, desde a gestão do governador Cid Gomes, não dá prioridade ao setor de energia.

Em consequência disso, o Ceará perdeu para o Piauí, para Rio Grande do Norte e  para a Bahia a liderança na geração de energia eólica e o protagonismo na energia solar.

04:30 · 09.03.2018 / atualizado às 04:32 · 09.03.2018 por

O engenheiro Renato Rolim (foto), secretário-adjunto de Energia da Secretaria de Infraestrutura do Governo do Ceará, pediu demissão do cargo.

E já saiu dele.

Rolim alegou motivos pessoais, mas o blog apurou que não foi bem assim.

Na verdade, Renato Rolim estava incomodado com o fato de que o Governo cearense não dava a devida atenção ao setor.

E isto é verdade.

Desde a gestão do ex-governador Cid Gomes a geração de energias renováveis – a eólica e a solar – não teve, e não tem no atual governo de Camilo Santana, qualquer prioridade.

Resultado, o Ceará perdeu para o Rio Grande do Norte e para a Bahia a liderança do setor.

E na geração de energia solar, perdeu protagonismo para o Piauí, onde o empresário cearense Mário Araripe – vejam só que ironia – implantou o maior parque eólico do País.

No Piauí, no Rio Grande do Norte e na Bahia, os investidores falam diretamente com o governador ou com o secretário de Energia.

Uma pasta exclusiva para a energia o Ceará não tem.

04:35 · 23.02.2018 / atualizado às 04:37 · 23.02.2018 por

A Federação da Agricultura do Ceará (Faec), em parceria com o Banco do Nordeste e o Sindicato dos Produtores Rurais de Ibaretama, colocou em operação um projeto piloto que, usando energia solar gerada por placas fotovoltaicas, capta e distribui água de um poço profundo na fazenda Triunfo, no interior daquele  município cearense.

Nessa mesma fazenda, a Confederação Nacional da Agricultura e a Embrapa desenvolvem dois importantes projetos: o Bioma Caatinga e o Forrageiras do Semiárido.

O presidente da Faec, Flávio Sabóya, disse ao blog que a experiência com a energia solar na fazenda Triunfo tem sido um sucesso, razão pela qual há vários produtores rurais da região já em contato com o BNB no sentido de obter financiamento para a instalação de unidades de geração de energia solar em suas propriedades.

O BNB tem uma linha de crédito exclusivamente para a micro-geração de energia solar ou eólica.

03:59 · 22.02.2018 / atualizado às 04:00 · 22.02.2018 por

O BNB tem no caixa uma montanha de dinheiro do tamanho de R$ 14,5 bilhões para financiar, neste ano, projetos da área de infraestrutura.

Esta é uma boa notícia para os empresários que desejam investir em projetos de geração de energia solar e eólica, duas matérias-primas que existem em abundância aqui no Nordeste, principalmente no Ceará, que é o domicílio do sol.

Todos esses recursos são provenientes do FNE – o Fundo Constitucional do Nordeste.

Para as demais áreas da economia nordestina, o BNB dispõe de mais R$ 15,4 bilhões.