Busca

Tag: Fiec


10:04 · 17.06.2018 / atualizado às 10:04 · 17.06.2018 por

Recebido por uma banda de música que tocou, à sua chegada, o Tema da Vitória – que remete aos feitos de Ayrton Senna, retornou sábado, 16, a Fortaleza o presidente da Federação das Indústrias do Ceará(Fiec), Beto Sudart.

Ele veio de São Paulo, onde se submeteu, no Hospital Sírio Libanês, a uma intervenção cirúrgica que extirpou um câncer no seu pulmão direito. A cirurgia foi um sucesso, segundo assegura o cirurgião, Dr. Fábio Hadad.

Studart desembarcou do seu avião no Aeroporto Dias Branco, no Eusébio, onde se encontra um grupo de amigos que o homenagearam com a recepção.

Neste domingo, 17, o presidente da Fiec distribuiu uma mensagem pelo WatsApp, na qual  diz: “Obrigado a todos pelas orações. Retorno na certeza e que Deus escutou a oração de cada um”.

Dentro de uma semana, ele retomará suas atividades na Fiec e na sua empresa, a BSpar.

03:56 · 15.06.2018 / atualizado às 03:59 · 15.06.2018 por

O presidente da Federação das Indústrias do Ceará, Beto Studart (na foto com sua mulher Ana Maria), retornará amanhã, sábado, 16, à tarde, a Fortaleza.

Ele passou os últimos 15 dias em São Paulo, onde, no hospital Sírio Libanês, submeteu-se a uma cirurgia que extirpou um câncer no pulmão.

Beto está curado, segundo assegurou o médico que fez a cirurgia, o Dr. Fábio Hadad.

Beto Studart passará ainda uma semana de repouso em sua residência, em Fortaleza.

Depois disso, ele retomará suas atividades na Fiec e na sua empresa, a BSpar.

13:32 · 06.06.2018 / atualizado às 13:34 · 06.06.2018 por

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC)  manifestou-se nesta quarta-feira, 6, contra a Medida Provisória nº 832/2018, que instituiu a Política de Preços Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas e resultou na edição da Resolução ANTT nº 5820/2018, que estabeleceu uma tabela de fretes no modal rodoviário. Em um momento tão delicado como o enfrentado pela economia do Brasil, o tabelamento de preços de frete é uma atitude lamentável e só gera insegurança jurídica para o setor produtivo nacional.

A política proposta pela MP 832 é uma clara afronta ao art. 170 da Constituição Federal, que trata da livre-iniciativa, e ao artigo 36 da Lei nº 12.529/11 – Lei da Concorrência, impedindo a livre negociação entre as partes. A Resolução da ANTT apresenta uma série de distorções na metodologia de cálculo do frete, que são extremamente danosas para a região nordeste. Cita-se como exemplo a exigência da cobrança em dobro nos casos em que não existe carga de retorno. Os fluxos logísticos da região nordeste diferem das outras regiões e impedem que o contratante fique responsável pela garantia da carga de retorno. Ademais, não há clareza sobre como isso será fiscalizado, dando margem à abusos por parte dos caminhoneiros.

Por fim, cumpre destacar que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica – CADE e o próprio Ministério da Fazenda já possuem posicionamentos contrários ao tabelamento de fretes, que geram aumento de preços ao consumidor e elevam os custos em praticamente toda a economia. A consequência imediata da manutenção dessa política é a perda da já prejudicada competitividade do setor produtivo, que utiliza deste modal. Portanto, é de suma importância para a retomada das atividades econômicas que essa Política de Preços Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas seja imediatamente revista pelo Governo Federal.

15:02 · 30.05.2018 / atualizado às 17:10 · 30.05.2018 por

De São Paulo, onde se encontra recuperando-se de uma cirurgia a que se submeteu sexta-feira da semana passada no Hospital Sírio Libanês, o presidente da Federação das Indústrias do Ceará(Fiec), Beto Sudart, distribuiu um comunicado em que diz ser a greve dos caminhoneiros é “um movimento vitorioso por alertar a sociedade, o governo e os políticos que chegamos à exaustão”. Mas ele adverte que a continuação do movimento, que já dura 10 dias, criou “uma situação de calamidade vivenciada nas cidades brasileiras, causando desabastecimento”. E tudo isso pode estar levando o País a um caminho de difícil retorno.

Eis, na íntegra, a nota distribuída pelo presidente da Fiec:

“Tenho acompanhado com enorme preocupação o andamento da greve dos caminhoneiros e os seus reflexos para a economia do Brasil e em especial do Ceará. É preciso destacar que o setor rodoviário, principal modal responsável pelo transporte de cargas no país, vive uma crise que não é de agora, com muitas de suas empresas enfrentando sérias dificuldades para se manterem em operação. A grade de transporte rodoviário vivia este problema e não estava sendo vista ou ouvida por quem deveria. O que muitos segmentos da nossa indústria estão sentindo hoje, eles vinham sentindo há muito tempo.

“Nesse sentido, considero que o movimento é vitorioso por alertar à sociedade, ao governo e aos políticos, que chegamos à exaustão. É preciso entender o que está levando o Brasil a esta situação de dificuldade, quadro escancarado pelos caminhoneiros. Não podemos culpar a greve por este cenário que é conjuntural. A culpa é de todo esse quadro que privilegia a alta carga tributária, a corrupção nas esferas públicas de poder, a barganha na elaboração dos orçamentos. É isso que está gerando todo esse desequilíbrio.

“O movimento teve o mérito de trazer de volta a discussão sobre o nosso modelo de Estado, sobre o qual se faz urgente uma reforma tributária e, fundamentalmente, a reforma fiscal, reduzindo as despesas, eliminando mordomias e excessos que devastam as finanças públicas e a moralidade brasileira, enfim, diminuindo o tamanho do Estado. Assim, poderão ser criadas condições para que o Brasil possa ser competitivo, com o fortalecimento da educação, melhoria das universidades, habilitando os jovens para a economia de amanhã. Essa, sem dúvida, deve ser a pauta prioritária do próximo governo, pois o atual não terá mais força nem tempo para fazê-la. A greve, portanto, foi apenas o estopim de um quadro que estava em vias de explodir.

“Infelizmente, o reflexo da greve, com mais de uma semana de paralisação dos caminhoneiros, é uma situação de calamidade vivenciada nas cidades brasileiras, causando desabastecimento e perdas que dificilmente serão recuperadas pelo setor produtivo a curto prazo. No Ceará, muitas fábricas estão sem condições de trabalhar e outras tiveram que criar alternativas para não parar por completo. O mais grave nisso tudo é que mesmo com o fim da paralisação, a volta à normalidade ainda leva tempo, aumentando os prejuízos e as dificuldades que já são enormes por conta da lenta recuperação da economia.

“É imprescindível que haja, nesse momento, sensibilidade por parte do movimento dos caminhoneiros e de outras categorias que queiram levar adiante ações do tipo, para entender que podemos estar levando o país a um caminho que será muito difícil a curto e médio prazo retomarmos a direção da recuperação econômica.

BETO STUDART, Presidente da FIEC
São Paulo, 30 de maio de 2018”

04:20 · 29.05.2018 / atualizado às 04:20 · 29.05.2018 por

O presidente da Federação das Indústrias do Ceará, Beto Studart, deixará amanhã, quarta-feira, 30, o Hospital Sírio Libanês, onde, na última sexta-feira, 25, submeteu-se a uma cirurgia no pulmão.

Em mensagem transmitida de viva voz aos seus amigos através do WatsApp, Beto Studar revelou que ontem, segunda-feira, 28, deixou a UTI e está no seu quarto no hospital, de onde sairá amanhã para um apartamento no centro de São Paulo, onde terá sessões diárias de fisioterapia.

Beto informou que dentro de 15 dias estará de volta a Fortaleza.

10:51 · 24.05.2018 / atualizado às 16:33 · 24.05.2018 por

Demonstrando transparência e quebrando paradigmas, o presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Beto Studart (foto), gravou e transmitiu, no fim da noite de ontem, quarta-feira, 23, aos seus amigos – vários dos quais a retransmitiram pelas redes sociais, tornando-a pública – uma mensagem de áudio, na qual dá detalhes da cirurgia a que se submeterá amanhã, sexta-feira, 25, no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo, onde se encontra desde segunda-feira.

A mensagem já viralizou nas redes sociais, uma vez que vários dos seus destinatários a retransmitiram para outros amigos, que a repetiram para outros.

A intervenção cirúrgica – a ser feita pelo Dr. Fábio Haddad, que usará a técnica de vídeo-laparoscopia – terá o objetivo de extirpar um câncer no seu pulmão direito. Os oncologistas – depois de analisarem todos os exames clínicos e de imagem que foram feitos ao longo dos últimos dias – asseguram que o caso de Beto Studart é simples e detectado no seu início, razão por que consideram que também será simples a cirurgia, com chances totais de êxito.

Ouça a mensagem: 

A tranquilidade e a forma transparente com que o presidente da Fiec detalha os procedimentos da cirurgia – marcada para o meio-dia da sexta-feira – impressionam, mas não surpreendem. Um dos grandes amigos de Beto Studart disse a este blog: “Ninguém é mais transparente do que o Beto. Essa transparência o levou ao sucesso empresarial e à posição de liderança que ocupa hoje na indústria cearense e junto aos seus colegas da Fiec e da CNI”.

 

 

03:55 · 22.05.2018 / atualizado às 03:55 · 22.05.2018 por

Nesta terça-feira, 22, às 19 horas, na Fiec, o executivo Geraldo Luciano Matos Júnior, vice-presidente de Investimentos e Controladoria do Grupo M. Dias Branco, falará sobre a abertura de capital como alternativa para o financiamento das empresas.

Sobre o mesmo tema e no mesmo evento falarão Ari de Sá Neto, do Grupo Educacional Ary de Sá, e Bruno Caldas, CFO do Grupo Hapvida.

As três empresas têm ações na Bolsa de Valores. Cada um contará como foi a decisão de abrir o capital de suas empresas. É um tema atualíssimo para o qual estão voltadas grandes empresas cearenses.

O evento de hoje é promovido pelo Conselho Regional de Economia, Corecon, presidido pelo economista Lauro Chaves Neto, e tem como público-alvo empresários e executivos de finanças.

17:22 · 21.05.2018 / atualizado às 17:32 · 21.05.2018 por

O presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Beto Studart, viajou às 14h30 desta segunda-feira, 21, para São Paulo, onde se submeterá a vários exames radiológicos e de imagem antes de passar por uma cirurgia marcada para sexta-feira, 25, no Hospital Sírio Libanês, na capital paulista. Ele viajou em seu oróprio avião.

A cirurgia, que será feita por vídeolaparoscopia pelo Dr. Fábio Hadad, um dos grandes cirurgiões de São Paulo, será para extirpar um câncer no pulmão.

Este blog apurou que o médico cearense Francisco Martins Net0, que assiste Beto Studart em Fortaleza, lhe assegurou que se trata de um caso simples, razão por que também será simples a cirurgia, com todas as chances de êxito.

Beto distribuiu um vídeo nas redes sociais, tranquilizando os amigos. Ele viajou em companhia de sua mulher, Ana Maria, e do Dr. Martins Neto.

14:29 · 17.05.2018 / atualizado às 16:10 · 17.05.2018 por

A Federação das Indústrias do Ceará (FIec), por meio de sua assessoria de Relações Institucionais, está questionando os dirigentes de seus 40 sindicatos filiados sobre a “ocorrência de possíveis prejuízos” decorrentes do movimento grevista da Receita Federal do Brasil, “anunciado em diversas mídias”, que poderá levar à “paralisação das atividades referentes aos desembaraços aduaneiros das importações e exportações de seus setores”.

A iniciativa da Fiec é preventiva e tem o objetivo de preparar a entidade para o caso de, se for necessário, entrar com recurso judicial contra a Receita “na defesa dos interesses da indústria cearense”. Os sindicatos cujas empresas associadas se considerarem prejudicadas pelo possível movimento grevista da Receita Federal do Brasil devem encaminhar à presidência da Fiec “documentos comprobatórios (movimentações no Siscomex, por exemplo)”.

Um comunicado sobre o assunto, assinado pelo Chefe do Gabinete de Relações Institucionais da Fiec, Sérgio Lopes, foi enviado nesta quinta-feira,17, a todos os seus sindicatos filiados.

 

04:21 · 10.05.2018 / atualizado às 04:23 · 10.05.2018 por

O cenário dos recursos hídricos no Ceará, e no Brasil como um todo, está causando muita preocupação, principalmente no setor produtivo.

Por causa disto, a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) promoverá, durante a reunião de sua diretoria plena, na próxima terça-feira, 15, um debate com o engenheiro Joaquim Gondim Filho, superintendente de Operações e de Eventos Críticos da Agência Nacional de Águas (ANA), e com o também engenheiro Francisco Teixeira, secretário de Recursos Hídricos do Ceará.

Ambos desenharão o panorama hídrico estadual e nacional, visto de hoje e prospectado para o futuro próximo.

A Funceme, que cientificamente acompanha as variações do clima, não foi, estranhamente, convidada para esse debate.

A verdade é que a natureza tem negado as chuvas para a plena recarga dos açudes cearenses, causando preocupação à indústria e à agropecuária.