Busca

Tag: Frutas


04:22 · 15.02.2018 / atualizado às 04:24 · 15.02.2018 por

Uma história interessante:

Um empresário da Lituânia, chamado Aruna Pipiras, que este blogueiro conheceu pessoalmente em Berlim, na semana passada, construiu há 10 anos na praia de Taíba, no litoral norte do Ceará, o Hotel Marola (foto), que é frequentado quase que exclusivamente por jovens do mundo inteiro, praticantes do kitesurf.

Pois bem: o lituano Aruna Pipiras é o maior distribuidor de frutas da região do Mar Báltico.

Entre as frutas que ele distribui, estão os melões e as melancias produzidos aqui no Ceará pela Agrícola Famosa, em sua fazenda de Icapuí.

Aruna Pipiras, de 49 anos, disse ao blog que seu hotel fica lotado de julho a janeiro, que é alta estação do kitesurf.

O Marola tem 28 apartamentos e é administrado por uma cearense moradora da Taíba, para onde o lituano viaja uma vez por ano, em outubro.

Nessa época, ele aproveita para fiscalizar a contabilidade do hotel e para se dedicar à sua paixão -o kitesurf.

Aruna Pipiras confessou que está preocupado com a violência que começa a invadir as praias do Ceará.

08:24 · 22.12.2017 / atualizado às 08:26 · 22.12.2017 por

O secretário de Meio Ambiente do Governo do Ceará, Artur Bruno (foto), também considera que a melhor maneira de melhorar a saúde e de combater a obesidade é a ingestão de comidas saudáveis.

E citou as frutas, as verduras e os legumes como alimentos que substituem, com todas as vantagens, as chamadas   dietas da moda.

Artur Bruno vai na mesma linha dos médicos nutricionistas, que também prescrevem para os seus clientes obesos uma única receita: a comida de frutas, verduras e legumes, que estão na Ceasa, nas feiras e nos supermercados.

10:51 · 15.12.2017 / atualizado às 10:56 · 15.12.2017 por

O blog conversou há poucos instantes com o empresário Luiz Roberto Barcelos.

Ele é o presidente da Comissão de Fruticultura do Ministério da Agricultura e da Abrafrutas.

Luiz Roberto disse que se reuniu em Brasília com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, com quem tratou do projeto de abertura do mercado da Ásia para as frutas brasileiras.

Rodrigo Maia gostou do que ouviu de Luiz Roberto e prometeu-lhe dar seu apoio ao projeto.

Há um problema: a China.

É que os chineses, que são o maior produtor mundial de maçã, querem vender sua maçã para o Brasil.

Só que os produtores brasileiros de maçã estão contra a qualquer acordo que inclua, como contrapartida, a importação de maçã chinesa.

O esforço de Luiz Roberto é no sentido de que o Brasil e a China celebrem um acordo comercial que inclua as frutas tropicais, como o melão.

Então, é aguardar.

10:15 · 05.12.2017 / atualizado às 10:17 · 05.12.2017 por

Perguntaram a este blogueiro qual a diferença entre um mamão ou uma banana produzida pela agricultura orgânica e um mamão ou uma banana cultivada pela agricultura tradicional, que usa agroquímicos para eliminar as pragas e doenças que atacam a lavoura.

A resposta é: não há nenhuma diferença.

Se alguém duvidar disso, ponha um mamão ou uma banana orgânica ao lado de um mamão ou de uma banana da agricultura tradicional, e chame um médico nutricionista, de olhos vendados, para provar as frutas.

Do ponto de vista do sabor, não haverá qualquer diferença.

O sabor será igual.

Mas há uma gigantesca diferença: o preço.

Um mamão ou uma banana orgânica custa até 50% mais do que um mamão ou uma banana da agricultura tradicional.

04:18 · 31.10.2017 / atualizado às 04:20 · 31.10.2017 por

Informação importante para os exportadores cearenses de plantas ornamentais e de frutas:

A diretora de Carga da Air France-KLM no Brasil, Renata de Souza Branco, telefonou na semana passada para o secretário de Desenvolvimento Econômico do Ceará, economista César Ribeiro, que lhe pediu uma reunião em São Paulo.

Renata disse a César que ele não precisa ir a São Paulo, pois ela virá a Fortaleza para reunir-se com ele.

O tema desse encontro será a exportação de frutas e plantas ornamentais produzidas no Ceará por meio dos aviões da Air France-KLM, que começarão a pousar e a decolar de Fortaleza para Paris e Amsterdam – e vice-versa – a partir de maio do próximo ano.

Hoje, esses produtos são exportados de navio, que levam até 10 dias para chegar a Amsterdam.

De avião, levarão apenas 9 horas.

04:34 · 30.10.2017 / atualizado às 04:36 · 30.10.2017 por

O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de frutas, perdendo apenas para a China, que é o maior, e para a Índia, que vem em segundo lugar.

A produção brasileira de frutas é de 44 milhões de toneladas/ano.

Apesar disso, o Brasil exporta apenas 2,5% do que produz em frutas. Por que?

Resposta: porque o mercado interno brasileiro consome quase tudo e, neste momento, tem um preço melhor do que o preço internacional.

Mas o Ministério da Agricultura pretende incentivar a exportação da fruticultura brasileira, para o que lançará o Plano Nacional da Fruticultura.

O objetivo desse plano é fazer com que, em cinco anos, o Brasil dobre suas exportações de laranja, manga, melão, mamão, banana, maçã, pera, limão e melancia, passando dos atuais US$ 800 milhões para US$ 1,5 bilhão.

A fruticultura dá emprego, no Brasil, a cinco milhões de pessoas.

Aqui no Ceará, antes da seca, a produção de frutas empregava 50 mil pessoas.

Hoje, são menos de 20 mil.

04:51 · 20.10.2017 / atualizado às 04:52 · 20.10.2017 por

No ano passado de 2016, o Brasil exportou o equivalente a US$ 836 milhões em frutas.

Pode-se pensar, à primeira vista, que é um grande valor, mas não é.

O Chile, que tem uma área geográfica do tamanho da Bahia, exportou, no ano passado, US$ 4 bilhões em frutas; o Peru, que é menor do que a Bahia, exportou US$ 2,8 bilhões.

Mas o Ministério da Agricultura brasileiro tem uma meta, anunciada pelo ministro Blairo Maggi: exportar, nos próximos cinco anos, o equivalente a US$ 1,5 bilhão em frutas.

Para isso, o Ministério da Agricultura espera contar com os melões, as melancias, as mangas, os mamões e as bananas produzidos no Nordeste, no Ceará, inclusive.

Será possível alcançar a meta do Ministério, desde que a natureza devolva as chuvas que tem negado nos últimos seis anos, sem as quais não será possível recarregar os grandes açudes nordestinos, inclusive o Castanhão, o Orós e o Banabuiú, aqui no Ceará.

04:40 · 17.10.2017 / atualizado às 04:41 · 17.10.2017 por

A Organização Mundial de Saúde (OMS) está recomendando que as pessoas comam, por dia, 440 gramas de frutas e hortaliças.

Isto significa 146 quilos por ano.

De acordo com a OMS, uma pessoa que come diariamente pelo menos esses 440 gramas de frutas e hortaliças está bem mais preparado para enfrentar gripes, infecções e outras doenças.

Os médicos, por sua vez, dizem que uma banana ou uma laranja é muito mais saudável do que um sanduíche de hamburguer com bacon.

Aliás, as dietas mais modernas incluem as frutas e as hortaliças como alimento obrigatório porque contêm vitaminas e antioxidantes.

04:05 · 07.07.2017 / atualizado às 04:05 · 07.07.2017 por

Acaba de ser publicado o livro Agradeça aos Agrotóxicos pela sua vida, de autoria do jornalista Nicholas Vital, que integrou a equipe de redação das revistas Exame e Istoé Dinheiro.

Nesse livro, Nicholas Vital levanta várias questões, todas elas para mostrar que o uso de agroquímicos nas culturas agrícolas não faz mal à saúde do consumidor, pelo contrário, faz bem, porque eles matam, realmente, as doenças e pragas que atacam as lavouras, principalmente as de frutas, verduras e legumes.

De acordo com o livro, a agricultura orgânica é uma boa iniciativa que, porém, não tem condição de garantir a produção de alimentos para todo o planeta, pois custa caro.

O livro mostra, com base em informações oficiais, que os agroquímicos ou agrotóxicos não fazem mal à saúde, porque, se o fizessem, milhões de pessoas já teriam morrido por causa da ingestão de alimentos produzidos pela agricultura tradicional.

E conta história de morte causada por alimentos orgânicos.

Este blogueiro tem 74 anos, uma ponte de safena e duas de mamárias no coração e desde menino só come frutas, verduras e legumes produzidas pela agricultura tradicional, a que usa agrotóxicos. Pelo que propagam os defensores da agricultura orgânica e condenam a tradicional, o blogueiro já deveria estar morto.

Ontem, quinta-feira, 6, o editor deste blog concluiu mais um check up. Resultado: saúde perfeita.

04:19 · 21.06.2017 / atualizado às 04:19 · 21.06.2017 por

O setor do agronegócio responde por 30% de tudo o que o Estado do Ceará exporta para o exterior.

E o Ceará exporta – entre outros produtos – castanha de caju, lagosta, banana, melão, melancia, mamão e couros e peles.

Há cinco anos, só a fruticultura exportou o equivalente a US$ 135 milhões.

Com a crise da oferta de água, a agricultura irrigada reduziu sua produção, razão pela qual, neste ano de 2017, as exportações de frutas registrarão uma queda acentuada.