Busca

Tag: Governo do Ceará


06:47 · 12.09.2017 / atualizado às 06:47 · 12.09.2017 por

Amanhã, quarta-feira, 13/9, o Chief Executive Officer (CEO) do Porto de Roterdã, Allard Castelein, estará em Fortaleza para cumprir uma programação que inclui uma reunião com o governador do Ceará, Camilo Santana, no Palácio da Abolição, em Fortaleza.

Do almoço participarão os secretários de Desenvolvimento Econômico, César Ribeiro; do Planejamento, Maia Júnior; e da Infraestrutura, Lúcio Gomes, além do presidente da Cearaportos, Danilo Serpa.

Castelein visitará o Porto do Pecém, a ZPE e a usina siderúrgica da CSP, onde será recebido pelo seu presidente executivo, Eduardo Parente.

Será mais uma das várias reuniões, que desde março passado o Governo do Estado e o Porto de Roterdã vêm realizando no sentdo de viabilizar o projeto que prevê a transferência da gestão do Porto do Pecém para o de Roterdã. A perspectiva do governo do Estado é de que, no próximo mês de dezembro, seja assinado o contratado de transferência.

As duas partes estão acertando a parceria, que poderá dar aos holandeses de Roterdã uma participação de 49% no capital da Cearaportos.

05:18 · 11.09.2017 / atualizado às 05:18 · 11.09.2017 por

Uma informação que chega de uma fonte primária:

O Governo do Estado do Ceará e o consórcio Marquise-Ivaí, que executa as obras de mais uma ampliação do Porto do Pecém, estão conversando no sentido de que sejam superados os problemas relacionados à suspensão dos serviços.

O consórcio suspendeu os trabalhos, alegando falta de pagamento.

Mas uma fonte primária mandou para este blog a informação de que, em fevereiro, o Governo do Estado devia ao consórcio R$ 50 milhões, que estão hoje reduzidos a R$ 39 milhões com a promessa de que, neste mês de setembro, essa dívida ficará em R$ 20 milhões.

A obra tem um custo de R$ 1 bilhão; então, uma dívida de 39 milhões é pequena diante do tamanho do investimento.

A mesma fonte disse que “esse esticar da corda não deve durar mais do que 15 dias para ser resolvido”.

A conferir.

05:06 · 11.09.2017 / atualizado às 05:06 · 11.09.2017 por

Este blog tem ouvido opiniões desencontradas acerca do aquário da Praia de Iracema, em Fortaleza, um projeto do Governo do Ceará, considerado o mais importante para consolidar o setor do turismo cearense.

Sobre o aquário, o blog deve dizer o seguinte: todas as cidades que contam com esse equipamento, como Sidney, na Austrália, e Lisboa, na Europa, registram avanços no setor turístico.

O de Lisboa é um dos locais mais visitados da capital portuguesa.

Lá, cada visitante paga 16 euros, ou seja, quase R$ 60, para entrar no aquário lisboeta.

Tem mais: além de ser um centro de atração turística, o aquário é também uma sala de aula sobre a vida marinha, o que quer dizer que os alunos das escolas públicas aprendem nele como é a vida dentro dos oceanos.

O Governo do Estado vai tentar passar para a iniciativa privada a conclusão do aquário da praia de Iracema. Essa tentativa, porém, está demorando mais do que o esperado.

04:10 · 30.08.2017 / atualizado às 04:10 · 30.08.2017 por

O Governo do Ceará está participando, desde ontem, no Rio de Janeiro, do Brazil Winpower, maior conferência latino-americana de energia eólica.

O estande do governo cearense tem 36 m² e nele estão expostos, com ilustrações fotográficas e vídeos, todos os parques eólicos que já foram instalados ou se encontram em instalação no Estado.

Hoje, o Ceará tem 61 parques eólicos, com uma potência instalada de 1.600 MW, sendo um dos cinco maiores geradores eólicos do País.

Aqui no Ceará estão os melhores bancos de vento do Brasil, cuja fator de capacidade é de 47%, ou seja, bem maior do que a média brasileira, que é de 40%.

O esforço do governo do Ceará no Brazil Windpower é para atrair para o Estado novos investidores, nacionais ou estrangeiros.

04:08 · 21.08.2017 / atualizado às 04:08 · 21.08.2017 por

O governo do Ceará tornou oficial o que este blog já especulou: o déficit anual da previdência social do Governo estadual cearense chegou à casa de R$ 1,4 bilhão.

Esse déficit, conforme revela o secretário de Planejamento e Gestão, Francisco Maia Júnior, crescerá mais ainda neste ano de 2017.

Ele só não é maior, porque, no fim do ano passado, o governador Camilo Santana propôs e o Poder Legislativo aprovou o aumento da contribuição previdenciária dos funcionários ativos e aposentados, que passou de 11% para 14%.

Maia Júnior diz que a questão da Previdência, que é nacional, só será resolvida quando o Congresso aprovar a proposta de sua reforma.

Ou a reforma da Previdência Social é aprovada, ou dentro de menos de 5 anos faltará dinheiro para pagar aos aposentados e pensionistas.

04:20 · 11.08.2017 / atualizado às 04:20 · 11.08.2017 por

O Projeto São Francisco de Integração de Bacias, quando – e se – ficar concluído em 2018, provocará mudanças na atuação do Governo Federal no chamado semiárido nordestino.

A primeira consequência será aqui no Ceará: os açudes Castanhão, Orós, Banabuiú e Lima Campos, que hoje são administrados pelo Dnocs, passarão para a administração do Governo do Estado a partir do início efetivo da operação do Projeto São Francisco.

Esta informação está circulando em Brasília, inclusive nos corredores do Ministério da Integração Nacional.

Aí surge a pergunta: qual será o destino do Dnocs?

Ainda não há resposta.

04:25 · 10.08.2017 / atualizado às 04:25 · 10.08.2017 por

Os governos dos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco, que serão os beneficiados pelo Projeto São Francisco de Integração de Bacias, já começam a pressionar o Ministério da Integração Nacional para que defina, logo, quanto custará a conta anual da operação desse projeto.

Trata-se do empreendimento que, se a natureza devolver as chuvas que negou nos últimos cinco anos e meio, garantirá a oferta de água às populações do semiárido nordestino.

Ainda não se sabe quanto custará o metro cúbico da água do Projeto São Francisco, mas já se dá como certo que a Codevasf – Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba – será a responsável pela sua operação.

Ou seja, a Codevasf é que fixará o valor dessa conta. Deve ser lembrado que a Codevasf, assim como o Dnocs, é um organismo cujos diretores são indicados por influência dos políticos.

O blog pode dizer que o Projeto São Francisco só ficará pronto, principalmente aqui no Ceará, no próximo ano de 2018.

04:28 · 01.08.2017 / atualizado às 04:28 · 01.08.2017 por

O governo do Ceará está bancando, com recursos do seu próprio orçamento, o déficit de RR 1,2 bilhões que lhe dá, anualmente, o seu atual modelo de Previdência Social.

Explicando melhor: o governo cearense gasta, todo ano, cerca de R$ 1 bilhão só com a folha de pagamento dos seus servidores aposentados e pensionistas.

Mas o que o governo arrecada com a contribuição dos servidores da ativa não dá para fechar a folha, que necessita mais R$ 1,2 bilhão para cobrir o rombo.

Pois bem: neste momento, um grupo de trabalho dedica-se, silenciosamente, ao estudo de um novo modelo previdenciário que ficará pronto até o fim deste ano.

No ano passado, para aliviar o déficit, o governador Camilo Santana conseguiu, com o apoio do Poder Legislativo, aumentar de 11% para 14% a contribuição previdenciária dos seus servidores.

Mas isso não resolveu o problema, que só será mesmo solucionado quando o Congresso Nacional aprovar a proposta de reforma da Previdência, o que parece difícil diante da crise política atual.

Mas, novamente, o Ceará está à frente buscando saída para o seu ultrapassado modelo previdenciário.

11:07 · 27.07.2017 / atualizado às 11:07 · 27.07.2017 por

Na última terça-feira, dia 25, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) registrou que 63% da energia despachada foram gerados por usinas eólicas, ou seja, energia gerada capturada da forrça dos ventos.

O secretário de Planejamento e Gestão do Governo do Estado, engenheiro Francisco Maia Júnior, celebrou o evento e lembrou ao blog que foi o Ceará o pioneiro no Brasil na geração de energia eólica, com aqueles grandes cataventos instalados na Praia Mansa, no Mucuripe.

Maia tem razão.

11:00 · 27.07.2017 / atualizado às 11:00 · 27.07.2017 por

Está reunido nesta quinta-feira, 27, em Recife, o Conselho Deliberativo da Sudene.

Da pauta da reunião consta um assunto que interessa diretamente o Ceará: a nova conformação da região do semiárido nordestino.

Trata-se do seguinte: o Governo do Ceará quer incluir na região do semiárido mais 34 municípios, alegando que eles obedecem aos critérios legais, como, por exemplo, o risco de seca superior a 60%.

O presidente da Federação da Agricultura do Ceará, Flávio Sabóya, representante da Confederação Nacional da Agricultura no Conselho da Sudene, é um árduo defensor dessa proposta.

Ele está entregado à superintendência da Sudene e a todos os seus conselheiros um documento, assinado pelos presidentes das entidades empresariais do Ceará, reiterando a necessidade de inclusão, no semiárido, de mais 34 municípios cearenses.

Por que esse interesse?

Resposta: porque os produtores rurais desses municípios poderão ter acesso aos recursos do FNE, um fundo de financiamento para o Nordeste operado pelo BNB.

Sem essa inclusão, o acesso a esse crédito é proibido.