Busca

Tag: Joesley Batista


09:27 · 17.06.2017 / atualizado às 09:27 · 17.06.2017 por

Joesley Batista, um dos dois donos da JBS (o outro é seu irmão Wesley), está de volta.

Ele concedeu uma entrevista à revista Época, em que afirma que o presidente Michel Temer é o chefe da maior e mais perigosa organização criminosa em ação no País.

Joesley agrava a situação de Temer, causado mais um “fato novo” que pode levar Temer à renúncia, algo que ele já reiterou que não fará, ou ao impeachment.

Dessa organização criminosa fazem parte os assessores mais diretos de Temer, como Gedel Vieira Lima, Moreira Franco, Eduardo Cunha e Henrique Alves, estes dois últimos presos pela Operação Lava Jato.

Mas Batista envolve também o PT na sua nova delação – desta vez sem prêmio, o que ajuda a barafundar o cenário político, agravando a crise da economia, que segue paralisada.

Aguardam-se “fatos novos” na próxima semana.

 

 

 

07:14 · 20.05.2017 / atualizado às 07:17 · 20.05.2017 por

O Ceará tem uma política própria de incentivos fiscais que transforma em crédito tributário o ICMS gerado pelas empresas exportadoras.

Uma das beneficiárias desses incentivos é a JBS, empresa dos irmãos goianos Wesley e Joesley Batista, que estão hoje na crista da onda da Operação Lava Jato por causa das delações que fizeram ao Ministério Público Federal, a cujos procuradores detalharam – com nomes e endereços – como pagavam propina a governadores, senadores e deputados em troca de leis, portarias e outros benefícios às sua organização empresarial.

A JBS tem, na cidade de Cascavel, 50 Km a Leste de Fortaleza, um moderno curtume, que exporta para vários países, principalmente da Europa.

No dia 4 de maio deste ano, ou seja, ontem, Wesley Batista disse aos procuradores federais, em depoimento na PGR em Brasília, que, em troca da liberação de R$ 110 milhões de créditos tributários acumulados, foi obrigado a doar R$ 20 milhões em propina para a campanha de eleição do governador Camilo Santana.

Ele também disse que, em 2010, já fizera uma doação  para a campanha de reeleição do governador Cid Gomes.

Há muita especulação nos meios empresariais e políticos do Ceará sobre se é verdadeira a delação de Wesley Batista. Cid Gomes nega e Camilo Santana, também.

Só há uma maneira de esclarecer o caso – segundo opinião de um advogado tributarista. Ele sugere que a Secretaria da Fazenda publique, o mais rapidamente possível, o calendário das liberações dos créditos devidos à JBS. “É uma providência que dará transparência a toda a questão e encerrará o caso”.

Para o advogado, “basta publicar as datas e os valores das liberações de 2014, e tudo estará esclarecido”.

A mesma fonte admite que, se isso não for feito, persistirá a informação de que as liberações dos créditos tributários só se realizam em anos eleitorais.