Busca

Tag: Metrofor


04:22 · 23.06.2017 / atualizado às 04:22 · 23.06.2017 por

Para fazer um raio-x do cenário político e econômico do Ceará, economistas e executivos de grandes empresas cearenses reuniram-se em um almoço, em Fortaleza.

No meio deles, estava um diretor do Banco do Nordeste, que surpreendeu os presentes com a revelação de que o BNB enfrenta problemas para conceder financiamento ao setor privado.

A causa é a falta de projetos de qualidade, explicou ele.

No decorrer da conversa, os economistas e executivos convergiram para uma constatação: a estabilidade fiscal do Governo do Ceará, que hoje se registra, é fruto de um grande trabalho desenvolvido ao longo dos últimos 30 anos e iniciado na primeira das três gestões do governador Tasso Jereissati.

Mas eles também constataram que os investimentos do Governo cearense precisam de ser mais e melhor avaliados para que se evitem os problemas que hoje existem, como o da construção do Acquário da Praia de Iracema e a compra das tuneladoras da Linha Leste do Metrofor, que há mais de dois anos se deterioram.

E, para concluir, eles mandaram um recado ao Palácio da Abolição: a governança e a boa gestão precisam avançar mais do que já avançou.

04:47 · 11.04.2017 / atualizado às 04:47 · 11.04.2017 por

O governo do Ceará investiu, há seis anos, R$ 120 milhões na compra de duas máquinas tuneladoras, que serão usadas na perfuração dos túneis da Linha Leste do Metrofor – o Metrô de Fortaleza.

Pois bem: essas máquinas, ainda sem qualquer utilização, estão se deteriorando porque o início das obras da Linha Leste aguardam a liberação, pelo BNDES, de um financiamento de R$ 1 bilhão.

O BNDES já disse que a liberação será imediata, tão logo o Estado do Ceará atenda algumas providências determinadas pela direção do banco.

A Linha Leste do Metrofor é essencial para a melhoria do sistema de transporte público de Fortaleza, pois ligará diferentes e populosos bairros da cidade.

A Secretaria de Infraestrutura, sob cujo abrigo está agora o Metrofor, antes vinculado à Secretaria das Cidades, trabalha para acelerar as providências solicitadas pelo BNDES.

Espera-se que ainda neste semestre tudo esteja resolvido e que as obras da Linha Leste comecem no segundo semestre.

04:28 · 04.04.2017 / atualizado às 04:31 · 04.04.2017 por

O Metrofor – empresa que constrói e administra o metrô de Fortaleza- era uma empresa vinculada à Secretaria das Cidades do Governo do Estado. Agora, já está de novo vinculado à Secretaria de Infraestrutura, de onde, aliás, nunca deveria ter saído.

A decisão de fazer essa mudança foi do governador Camilo Santana, com aprovação da Assembleia Legislativa.

Já que estamos com a mão na massa, devemos dizer que o secretário de Infraestrutura, engenheiro Lúcio Gomes, disse que as obras do VLT – também a cargo do Metrofor – no trecho entre Parangaba e a Avenida Aguanambi, ganharam ritmo mais acelerado, uma vez que a Enel, antiga Coelce, retirou a linha de alta tensão que existia no entorno da Avenida Borges de Melo, nas proximidades da sede da Policia Federal.

O governador Camilo Santana quer que até o fim deste ano os trens do VLT cheguem à estação do Papicu, no Leste da Cidade, que está já praticamente pronta.

Mas atender à vontade do governador não será fácil; há muitos problemas de indenização no meio do caminho e ainda não resolvidos.

05:45 · 31.03.2016 / atualizado às 05:46 · 31.03.2016 por

metroEmpresários cearenses da indústria, da agropecuária, do comércio e do setor de serviços, com os quais este blog conversou, estão temerosos de que a solução da crise política, qualquer que seja ela, provoque danos à economia do Estado.

Neste momento, os grandes projetos de infraestrutura que se executam – ou ainda serão executados no Ceará, como a ampliação do Porto do Pecém e do Aeroporto Pinto Martins, a implantação do VLT Parangaba-Mucuripe, a conclusão da Linha Sul do Metrofor ou a construção da Linha Leste do mesmo metrô de Fortaleza, dependem 100% da liberação de verbas por parte do Governo Federal.

Assim, o empresariado torce para que ou a presidente Dilma ou o vice-presidente Michel Temer, se este vier a assumir o governo em caso de impeachement, libere as verbas necessárias à execução desses empreendimentos.

Neste momento, um dos projetos do governo federal que mais interessam ao Ceará é o Projeto São Francisco de Integração de Bacias, cuja conclusão está prevista para o fim deste ano, se não faltar dinheiro.

04:09 · 06.01.2016 / atualizado às 04:11 · 06.01.2016 por

Caos urbanoEstão circulando hoje nas avenidas e ruas de Fortaleza um milhão de veículos automotores – caminhões, ônibus e carros de passeio.

Pois bem: nem Recife nem Salvador tem uma frota tão grande assim.

Mas esta é uma péssima notícia para o meio ambiente, que fica poluído pela fumaça dos veículos; para a Prefeitura, que tem de investir na abertura de novas avenidas; e para a própria população, que, em permanente processo de crescimento, sofre com o seu orçamento de tempo, ou seja, com a rotina de ir e vir, que está ficando mais difícil e mais demorada.

Só há uma saída para resolver a questão da mobilidade urbana em Fortaleza e em todas as cidades do País: investir no transporte de massa, ou seja, no metrô.

Aqui em Fortaleza, os trens da Linha Sul do Metrofor só funcionam em meio expediente.

A Linha Leste, por sua vez, ainda nem começou, mas já consumiu 120 milhões de reais só na compra das tuneladoras que abrirão seus túneis a 30 metros de profundidade.

Mas entre o sonho e a realidade surge um problema: não há dinheiro hoje para investimento no metrô.

Assim, o caos urbano permanecerá por mais tempo ainda.

10:23 · 29.09.2015 / atualizado às 10:25 · 29.09.2015 por

metroforzinhoEste blog conversou com o secretário de Cidades do Governo do Ceará, engenheiro Lúcio Gomes.

E perguntou a ele quando começarão as obras de construção da Linha Leste do Metrofor, o metrô de Fortaleza.

Lúcio respondeu, dizendo que não há prazo previsto para isso, porque, neste momento, um problema com o consórcio vencedor da licitação impede o início dos serviços.

É uma pena, porque, para a Linha Leste, o governo cearense comprou por R$ 120 milhões duas máquinas tuneladoras, os tatuzões, que há dois anos foram importadas, estão aqui, mas inoperantes, sofrendo a ação da intempérie.

Infelizmente, o consórcio vencedor está mais interessado em aditivar o contrato do que em efetivamente executar a obra.

Como se vê, é muito difícil fazer metrô em Fortaleza.

A Linha Sul do Metrofor, cujas obras foram iniciadas há quase 154 dias, ainda não foi concluía.

Seus trens estão circulando mas só de forma improvisada, pois ainda faltam duas estações de passageiros e todo o sistema central de controle dos trens.

10:21 · 28.09.2015 / atualizado às 10:23 · 28.09.2015 por

tuneladoras dometroforEstão inoperantes e sendo deterioradas pela ação da intempérie as duas máquinas tuneladoras compradas por R$ 120 milhões pelo Governo do Ceará para a perfuração dos túneis pelos quais circularão os trens da Linha Leste do Metrofor.

Isso se dá por causa da infelicidade que teve o governo cearense no resultado da licitação aberta para a contratação do consórcio empresarial que executaria as obras da Linha Leste. O consórcio vencedor mostrou-se mais desejoso de aditivar o contrato do que de realizar os serviços.

O impasse prossegue sem perspectiva de solução no curto prazo.

As secretarias de Infraestrutura e de Cidades, às quais toca a responsabilidade do projeto da Linha Leste, preocupam-se com o problema, que é grave, pois ameaça os equipamentos, que deveriam estar há dois anos em pleno funcionamento.

Essas tuneladoras furarão os túneis da Linha Leste a uma profundidade de 30 metros desde a estação central, no centro de Fortaleza, até a estação final, na Unifor. É uma obra para ser executadas em três anos, se tudo estiver em ordem – desde a disponibilidade de recursos financeiros até a inexistência de óbices jurídicos.

Construir metrô em Fortaleza é difícil. A Linha Sul do Metrofor, que há quase 15 anos está em construção, opera em regime experimental, pois falta muita coisa para ser concluída, incluindo duas estações de passageiros e todo o sistema informatizado de gestão dos trens.

 

 

09:48 · 15.08.2015 / atualizado às 10:12 · 15.08.2015 por

catedralHoje, sábado, 15/08, às 14 horas, uma multidão de fiéis católicos – calculada em 2 milhões de pessoas, segundo seus organizadores – sairá de vários bairros da cidade, incluindo a Barra do Ceará, em direção à Catedral da Sé, no centro de Fortaleza.

Será mais uma Marcha com Maria, um evento – uma gigantesca procissão – que celebra, sempre a 15 de agosto, o Dia da Padroeira da cidade – Nossa Senhora da Assunção.

Pois bem, exatamente neste dia, diante de um evento multitudinário como esse, lastima-se que os trens da Linha Sul e da Linha Oeste do Metrofor não circulem.

O Metrofor é somente uma repartição pública, que fecha nos feriados e dias santificados.

12:06 · 14.08.2015 / atualizado às 12:10 · 14.08.2015 por

marchaNa manhã desta sexta-feira, 14/08, a direção do Metrofor – o metrô de Fortaleza – distribuiu um comunicado inacreditável.

Anunciou o Metrofor que seus trens das Linhas Sul (Fortaleza-Maracanaú) e Oeste (Fortaleza-Caucaia) não circularão amanhã, 15, dia santificado, dedicado à Padroeira da capital do Ceará, Nossa Senhor da Assunção.

Nesse mesmo dia, anual e tradicionalmente é realizada a Marcha com Maria, um evento da Igreja Católica que costuma mobilizar uma multidão estimada em dois milhões de fiéis.

Pois bem, como se fosse – e parece que é – uma repartição pública, que não funciona nos feriados, o Metrofor vai, simplesmente, tirar de circulação os seus trens que ajudariam a transportar uma parte da multidão que vai à Marcha com Maria, cuja procissão parte da Barra do Ceará e chega à Catedral da Sé, no centro da cidade.

O metrô de Fortaleza é um transporte de massa. Na sua construção foram investidos mais de R$ 1,2 bilhão, dinheiro oriundo dos impostos recolhidos pelo contribuinte, que somos todos nós, a massa a ser transportada.

 

13:34 · 12.08.2015 / atualizado às 13:36 · 12.08.2015 por

linha sulO novo secretário de Cidades do governo do Ceará, engenheiro Lúcio Ferreira Gomes, visitou a diretoria de sua empresa vinculada Metrofor, que constrói o metrô de Fortaleza, cuja Linha Sul funciona há mais de um ano, digamos assim, a meia bomba, ou seja, de seis da manhã às seis da tarde.

Lúcio Gomes tomou conhecimento de que esse regime de operação precária da Linha Sul prosseguirá por mais dois anos, quando se prevê a conclusão dos trabalhos de instalação de todo o seu sistema de automação, o que inclui, por exemplo, a sinalização da via permanente e o tempo de circulação entre um trem e outro.

Em julho houve uma licitação e a empresa vencedora está começando a instalar seu canteiro de obras para executar os serviços.

Quando tudo estiver pronto, em 2017, aí os trens da Linha Sul do Metrofor operarão integralmente das cinco da manhã até a meia noite