Busca

Tag: Ministério da Agricultura


12:47 · 26.01.2018 / atualizado às 12:49 · 26.01.2018 por

A Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Agricultura elaboraram uma proposta de Instrução Normativa Conjunta, que está em vias de ser publicada, definindo os procedimentos para a rastreabilidade, por toda a cadeia produtiva, dos produtos vegetais frescos destinados ao consumo humano.

Essa Instrução Normativa estabelece normas para o monitoramento e controle dos resíduos de agrotóxicos em produtos vegetais, cujas embalagens passarão a ter, obrigatoriamente, códigos de barra que identificarão os produtos de uma forma única.

Esse monitoramento já é feito no Brasil por várias empresas de fruticultura, incluindo a cearense Itaueira Agropecuária.

O monitoramento por código de barras permite rastrear o produto desde a área em que foi plantado e colhido.

É a tecnologia a serviço do bem-estar da população.

04:08 · 15.01.2018 / atualizado às 04:10 · 15.01.2018 por

Como este blog já anunciou, o Ministério da Agricultura lançará no próximo dia 27 de fevereiro o Plano Nacional para o Desenvolvimento da Fruticultura.

Este blog antecipa os 10 principais pontos desse plano, para cuja colaboração colaborou toda a cadeia produtiva da fruticultura, coordenada pela Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas (Abrafruta), presidida pelo empresário Luiz Roberto Barcelos, sócio e diretor da Agrícola Famosa, que tem sede em Fortaleza e fazendas deprodução no Ceará, Rio Grande do Norte, Piauó e Pernambuco.

Os 10 objetivos do plano são os seguintes: 1) aumentar em 50% nos próximos dois anos as exportações de frutas do Brasil; 2) criar governança corporativa para a cadeia produtiva da fruticultura; 3) P&D e Inovação; 4)marketing e comercialização; 5) defesa vegetal; 6)sistemas de produção; 7) crédito e sistemas de mitigação de riscos; 8) legislação; 9) infraestrutura e logística; 10) processamento e industrialização.

Até cinco anos atrás, o Governo desconhecia o setor da fruticultura. Agora, porém, graças aos esforços da iniciativa privada, que sozinha foi à luta para produzir mais e exportar mais, usando para isso a melhor tecnologia, o Ministério da Agricultura decidiu olhar para o setor. E o Plano Nacional para o Desenvolvimento para a Fruticltura é a primeira boa consequência desse olhar.

04:18 · 12.01.2018 / atualizado às 04:20 · 12.01.2018 por

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi (foto), apresentará, no próximo dia 27 de fevereiro, ou seja, depois do carnaval, em Brasília, o primeiro Plano Nacional de Desenvolvimento para a Fruticultura.

O blog deve dizer que esta notícia é de suma importância, porque, até cinco anos atrás, o Ministério da Agricultura não dava a mínima atenção para a produção de frutas, legumes e verduras.

Hoje, o Brasil é um dos maiores produtores mundiais de laranja, maçã, manga, mamão, banana, melão, melancia e uva.

Por esta razão, moveu-se o Governo do presidente Michel Temer no sentido de criar um plano estratégico para a fruticultura.

Para o lançamento desse plano, fruticultores cearenses irão a Brasília no dia 27 de fevereiro.

07:39 · 26.12.2017 / atualizado às 07:42 · 26.12.2017 por

Como este blog antecipara, o Ministério da Agricultura autorizou a importação de banana e camarão do Equador, que é um dos maiores produtores mundiais.

A autorização está dada e a importação deverá começar no início de 2018.

Mas os produtores brasileiros de banana e de camarão continuam advertindo o Governo brasileiro para os riscos que essa decisão embute.

O primeiro desses riscos é a existência, tanto na banana quanto no camarão equatorianos, de doenças que o Brasil não tem.

Isto quer dizer que, ao importar banana e camarão do Equador, o Governo brasileiro estará também importando o risco dessas doenças, que poderão dizimar a bananicultura e a carcinicultura brasileiras.

O blog pode informar que os criadores de camarão e os produtores de banana do Brasil estão prontos para entrar na Justiça contra essas duas importações.

Aqui no Ceará, que é um grande produtor de banana e o maior produtor de camarão do País, a situação é de guerra.

04:47 · 14.12.2017 / atualizado às 04:47 · 14.12.2017 por

O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de frutas, mas só exporta 3% de toda a sua produção.

Por que?

A primeira razão é a seguinte: o mercado interno brasileiro é mesmo muito forte e consome praticamente tudo o que sua fruticultura produz.

A segunda razão é esta: o governo brasileiro nunca deu importância à fruticultura.

Só agora é que começa a olhar para ela, incentivando a participação das empresas nas grandes feiras e exposições internacionais, como a Fruit Logística, que anualmente se realiza em fevereiro Berlim, na Alemanha.

O Ministério da Agricultura já está dizendo que, no próximo ano, o Brasil  – que exporta hoje o equivalente a US$ 800 milhões – exportará US$ 1 bilhão em frutas.

É muito pouco.

O Chile, uma nesga de terra no Oeste latino-americano, exporta o equivalente a US$ 4 bilhões em frutas.

04:23 · 13.12.2017 / atualizado às 04:24 · 13.12.2017 por

O Ministério da Agricultura decidiu, por meio de Portaria, importar banana do Equador, que é um dos maiores produtores mundiais dessa fruta rica em potássio.

A decisão surpreendeu principalmente a multidão dos pequenos produtores brasileiros, todos da agricultura familiar.

Eles não terão como enfrentar a concorrência da banana equatoriana, que, beneficiada por alíquotas menores de importação, custará mais barata do que a banana produzida no Brasil.

Só no Vale do Ribeira, em São Paulo, há 24 mil hectares cultivados de banana – e toda essa área são pequenos lotes de agricultores familiares.

Aqui no Ceará, os produtores de banana temem, além da concorrência, a possível chegada de doenças que a banana do Equador poderá trazer.

As associações de produtores de banana estão pressionando o governo federal para que reveja a decisão de importar a fruta euatoriana.

Não será fácil, pois essa importação é a contrapartida do Brasil à decisão do Equador de importar calçados brasileiros.

04:11 · 11.12.2017 / atualizado às 04:13 · 11.12.2017 por

Uma informação importante para os empresários da agropecuária cearense, principalmente para os exportadores de frutas:

O Ministério da Agricultura decidiu não contratar mais nenhum novo fiscal agropecuário. No Ceará, o Ministério tem só 10 fiscais que cumprem sua tarefa nos portos do Pecém e Mucuripe e no Aeroporto Pinto Martins.

Em vez de contratar novos fiscais, o Ministério começou a implantar um novo modelo de fiscalização, que leva em consideração o histórico da empresa exportadora.

Se ela teve poucos problemas com a fiscalização no passado recente e remoto, os fiscais levarão isso em conta.

Se teve muitos problemas, a fiscalização será mais severa.

O novo processo, segundo o ministro Blairo Maggi, acelerará a fiscalização nos portos e aeroportos brasileiros, incluindo os do Ceará, por onde são embarcadas as frutas daqui e dos demais estados nordestinos.

04:30 · 04.12.2017 / atualizado às 04:35 · 04.12.2017 por

O navio Nord Rotterdam, carregado com 27 mil e 500 toneladas de trigo para os moinhos cearenses, deveria ter atracado no Porto do Mucuripe, aqui em Fortaleza, na última quinta-feira, dia 30 de novembro.

Mas ele só atracará nesta segunda-feira, 4/12, quatro dias depois.

Por que?

O blog apurou junto a uma agência cearense de navegação que a causa desse atraso é a falta de fiscalização agropecuária do Ministério da Agricultura, cujos fiscais só trabalham até as 16 horas .

E mais: eles não trabalham nos fins de semana, segundo disse a mesma fonte.

O fretador do navio Nord Rotterdam terá de assumir o prejuízo de US$ 100 mil causado pelo atraso da atracação do barco.

Aí está uma pequena amostra de como é altíssimo o chamado Custo Brasil.

04:34 · 30.10.2017 / atualizado às 04:36 · 30.10.2017 por

O Brasil é o terceiro maior produtor mundial de frutas, perdendo apenas para a China, que é o maior, e para a Índia, que vem em segundo lugar.

A produção brasileira de frutas é de 44 milhões de toneladas/ano.

Apesar disso, o Brasil exporta apenas 2,5% do que produz em frutas. Por que?

Resposta: porque o mercado interno brasileiro consome quase tudo e, neste momento, tem um preço melhor do que o preço internacional.

Mas o Ministério da Agricultura pretende incentivar a exportação da fruticultura brasileira, para o que lançará o Plano Nacional da Fruticultura.

O objetivo desse plano é fazer com que, em cinco anos, o Brasil dobre suas exportações de laranja, manga, melão, mamão, banana, maçã, pera, limão e melancia, passando dos atuais US$ 800 milhões para US$ 1,5 bilhão.

A fruticultura dá emprego, no Brasil, a cinco milhões de pessoas.

Aqui no Ceará, antes da seca, a produção de frutas empregava 50 mil pessoas.

Hoje, são menos de 20 mil.

04:28 · 16.08.2017 / atualizado às 04:28 · 16.08.2017 por

Havia uma ameaça às exportações da safra cearenses de frutas, cujos embarques começam nesta semana de agosto.

Essa ameaça não existe mais.

A superintendência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento  (Mapa) no Ceará e a Associação Brasileira de Produtores Exportadores de Frutas (Abrafrutas), presidida por Luiz Roberto Barcelos, que é também sócio e diretor da Agrícola Famosa, chegaram a um entendimento.

Ficou acertado que os processos de exportação que derem entrada na superintendência do Ministério até o meio-dia das sextas-feiras serão fiscalizados na manhã do sábado para embarque nos navios que zarpam para a Europa no mesmo sábado e nos domingos.

O acordo vale para os portos do Pecém e do Mucuripe e também para o aeroporto Pinto Martins.

O Ministério da Agricultura enfrenta uma crise de falta de fiscais, e por isto tem tomado providências para minimizar os prejuízos que essa crise tem causado.

As exportações de melão e melancia do Ceará para a Europa estão começando agora e se prolongarão até fevereiro do próximo ano