Busca

Tag: Projeto S. Francisco de Integração de Bacias


04:53 · 07.12.2017 / atualizado às 04:53 · 07.12.2017 por

Vejam só o que pode fazer o bairrismo político:

O deputado Nelson Pelegrino, do PT da Bahia, relator do Orçamento Geral da União para 2018, acaba de causar um grande prejuízo ao Ceará e aos cearenses.

Ele cortou R$ 183,7 milhões para as obras de conclusão do Canal Norte do Projeto São Francisco e para o Cinturão das Águas.

Esse canal é o que trará as águas do rio S. Francisco para a geografia cearense.

Mas o deputado baiano, ao mesmo tempo em que cortou as verbas para o Ceará, destinou R$ 238 milhões para obras hídricas na sua Bahia.

E de nada adiantaram os protestos do deputado cearense Raimundo Gomes de Matos, que tentou sem êxito evitar o corte.

Resumindo: o que já parecia muito difícil – a conclusão do Canal Norte do Projeto São Francisco – ficou agora quase impossível.

09:29 · 22.11.2017 / atualizado às 09:30 · 22.11.2017 por

Atrasou – e atrasou muito – o cronograma de obras do trecho final do Canal Norte do Projeto São Francisco de Integração de Bacias.

Esse Canal é o trará as águas do rio São Francisco para o Ceará. As obras em questão realizam-se em território cearense.

Aconteceu o que não estava previsto: a empresa Emsa Empresa Sul Americana de Montagens S/A – escolhida depois que as duas primeiras colocadas (Marquise e Passarelli) da licitação do Ministério da Integração Nacional foram desclassificadas – mostrou-se incompetente financeira e tecnicamente para a execução dos serviços.

Resultado: segundo uma fonte do Ministério da Integração Nacional, a Emsa já foi notificada e poderá ser substituída pela quarta colocada, que foi a Construtora Ferreira Guedes, cuja direção já se declarou apta e pronta para executar as obras.

O Ministério da Integração Nacional confiava em poder entregar o Canal Norte pronto até o primeiro trimestre de 2018. Com o novo atraso, isso não será possível.

Para este blog, a obra só estará pronta no segundo semestre do próximo ano.

 

04:37 · 04.09.2017 / atualizado às 04:37 · 04.09.2017 por

Parece que é mais difícil administrar o Projeto São Francisco de Integração de Bacias do que executar a sua construção, que já consumiu mais de 10 anos e ainda não terminou.

O Ministério da Integração Nacional pediu ao BNDES um estudo que possa precificar o custo da operação do projeto, estimado em R$ 500 milhões por ano.

A ideia do Ministério da Integração Nacional é atrair a iniciativa privada para o Projeto São Francisco.

O ministro Helder Barbalho está dizendo que isso não significa privatizar a gestão do projeto, mas esta é a impressão que passa.

Enquanto essa nova pendenga não se resolve, prosseguem as obras de conclusão do Canal Norte do projeto, que trará água do São Francisco para o Ceará.

Essas obras só estarão prontas em março de 2018.

Ou seja, água do São Francisco aqui em Fortaleza só em junho do próximo ano

04:41 · 22.08.2017 / atualizado às 04:41 · 22.08.2017 por

O Ministério da Integração Nacional e o Governo do Estado de São Paulo acertam nova parceria para beneficiar o Projeto São Francisco de Integração de Bacias.

Por meio dela, a Companhia de Saneamento de São Paulo cederá ao Ministério da Integração Nacional quatro conjuntos de motobombas que serão instalados no Canal Norte do Projeto São Francisco, canal esse que trará as águas do Velho Chico para o Ceará e o Rio Grande do Norte.

De acordo com o Ministério da Integração Nacional, essas motobombas chegarão ao Canal Norte dentro de 90 dias.

As obras de conclusão do Canal Norte prosseguem e deverão estar concluídas até março do próximo ano.

As duas partes já haviam celebrado uma parceria semelhante que permitiu a instalação e a operação em curso de quatro conjuntos de motobombas da Sabesp no Canal Leste do Projeto S. Francisco, que leva suas águas para Pernambuco e Paraíba.

04:38 · 22.08.2017 / atualizado às 04:38 · 22.08.2017 por

Está repercutindo mal, entre os engenheiros da ativa e aposentados do Dnocs, a decisão do Governo Federal de conceder à Companhia do Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) a gestão do Projeto São Francisco de Integração de Bacias..

Pois bem: na Academia Cearense de Engenharia, essa decisão foi rechaçada por vários motivos, o principal dos quais é o seguinte:

O Dnocs, que nasceu como IOCS em 1909, mudou para IFOCS em 1919 e para Dnocs em 1945, construiu, no Nordeste brasileiro, um patrimônio inigualável, do qual fazem parte 326 açudes públicos, que podem acumular um oceano de água doce de 38 bilhões de m³.

Com essa história e com esse patrimônio na área dos recursos hídricos, o Dnocs deveria ser o gestor do Projeto São Francisco.

Mas o Governo Federal, que parece desejar a extinção do Dnocs, optou pela Codevasf.

04:23 · 14.08.2017 / atualizado às 04:23 · 14.08.2017 por

Já está acontecendo o desvio das águas do Projeto São Francisco de Integração de Bacias, erradamente chamado de Transposição.

Fiscais do Ministério da Integração Nacional descobriram, no rio Paraíba, por cujo leito o projeto S. Francisco corre por cerca de 100 quilômetros, que pequenos e até grandes produtores rurais estão captando e desviando para suas terras as águas do Canal Leste que deveriam  destinar-se às sedentas populações de dezenas de cidades paraibanas.

Este problema vai acontecer também aqui no Ceará e no Rio Grande do Norte, quando – e se – o Canal Norte do Projeto São Francisco ficar concluído até março do próximo ano.

A água está faltando em todo o Nordeste e, por isto mesmo, quem vive e sobrevive da agropecuária está aproveitando para também se apropriar, irregularmente, do Projeto São Francisco.

E reparem que o volume que foi outorgado para o projeto é de apenas 26 m³/s, divididos meio a meio para os canais Norte e Leste.

Essa outorga é comprovadamente insuficiente para atender ao consumo humano e animal e para garantir a atividade econômica.

Como o cenário é de crise de oferta hídrica, teme-se que o Projeto São Francisco só se tornará viável quando uma parte das águas do rio Tocantins forem desviadas para o Nordeste.

Mas isso é só um sonho, por enquanto

04:25 · 10.08.2017 / atualizado às 04:25 · 10.08.2017 por

Os governos dos estados do Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambuco, que serão os beneficiados pelo Projeto São Francisco de Integração de Bacias, já começam a pressionar o Ministério da Integração Nacional para que defina, logo, quanto custará a conta anual da operação desse projeto.

Trata-se do empreendimento que, se a natureza devolver as chuvas que negou nos últimos cinco anos e meio, garantirá a oferta de água às populações do semiárido nordestino.

Ainda não se sabe quanto custará o metro cúbico da água do Projeto São Francisco, mas já se dá como certo que a Codevasf – Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba – será a responsável pela sua operação.

Ou seja, a Codevasf é que fixará o valor dessa conta. Deve ser lembrado que a Codevasf, assim como o Dnocs, é um organismo cujos diretores são indicados por influência dos políticos.

O blog pode dizer que o Projeto São Francisco só ficará pronto, principalmente aqui no Ceará, no próximo ano de 2018.

04:38 · 25.07.2017 / atualizado às 04:38 · 25.07.2017 por

Este blog cumpre o doloroso dever de informar que o rio São Francisco está na UTI e já respirando por aparelhos.

Por causa disso, a Agência Nacional de Águas (ANA) decidiu reduzir ainda mais a vazão da barragem de Sobradinho.

Desde a última sexta-feira, essa vazão, que era de 700 m³/s, foi reduzida para 550 m³/s.

Só para se ter uma ideia do que isso significa, basta dizer que a vazão média de Sobradinho, em tempos normais, chega a 5 mil m³/s.

A decisão da ANA valerá até o dia 30 de novembro, época em que já deverá ter começado a estação das chuvas sobre as cabeceiras do próprio São Francisco e de seus afluentes, na região Sudeste do País.

Agora surge a pergunta: com o agravamento da saúde do rio, como haverá água para encher os canais Norte e Leste do Projeto São Francisco de Integração de Bacias?

Só a natureza poderá responder.

16:42 · 06.07.2017 / atualizado às 16:42 · 06.07.2017 por

 O ministro da Integração Nacional, deputado Helder Barbalho, do PMDB do Pará, inspecionará amanhã, sexta-feira, 7, o andamento das obras do trecho cearense do Canal Norte do Projeto Rio São Francisco e Integraçõ e Bacias.

A agenda de trabalho do ministro será iniciada às 13h30, em Penaforte, onde serão verificados de perto os serviços da primeira etapa (1N) do Canal Norte, que teve ordem de serviço para sua conclusão emitida pelo Ministério em junho. Em seguida, às 15h30, a visita técnica será no reservatório Jati, localizado na cidade de mesmo nome.

O Canal Norte está com 94,9% das obras finalizadas. Com 260 quilômetros de extensão, ele captará a água do rio São Francisco em Cabrobó (PE), e a conduzirá até o Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte, por meio de canais, túneis, aquedutos e estações de bombeamento.

O Canal  Norte beneficiará mais de 7 milhões de habitantes nos três estados.

04:51 · 28.06.2017 / atualizado às 04:51 · 28.06.2017 por

O presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), engenheiro Jerson Kelman, está dizendo que a gestão do Projeto São Francisco de Integração de Bacias não deve ser entregue à Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf).

Jerson Kelman considera que é a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) o único organismo federal capaz de assumir a gestão do Projeto São Francisco, uma vez que tem hoje a administração de todo o regime de águas da região nordestina, incluindo o próprio rio São Francisco.

O blog pode informar que essa opinião é rechaçada pelos engenheiros do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), a mais antiga repartição pública federal do Nordeste. Para eles, é o Dnocs que deveria tomar a gestão do Projeto S. Francisco por causa de sua expertise.

Eis uma boa polêmica.