Busca

Categoria: Ativismo Ambiental


16:42 · 19.07.2015 / atualizado às 07:46 · 20.07.2015 por
Ativistas protestaram, neste sábado, contra o corte de árvores em campus da Universidade da Califórnia, em Berkeley Foto: Agência Reuters
Ativistas protestaram, neste sábado, contra o corte de árvores em campus da Universidade da Califórnia, em Berkeley Foto: Agência Reuters

Um grupo de ambientalistas nus protestou, neste sábado (18), no campus da Universidade da Califórnia, em Berkeley, contra um plano do governo daquele Estado, que pretende cortar árvores nas montanhas de Oakland e Berkeley.

A manifestação foi organizada pelo Projeto TreeSpirit, famoso pelas fotos de pessoas “sem roupas, vulneráveis, celebrando as árvores e o mundo natural”. Segundo o grupo, até 450 mil árvores na região estão em risco em razão do projeto governamental.

Neste ano, a Agência Federal de Gerenciamento de Emergências (Fema) empregou US$ 6 milhões no escritório de Serviços de Gerenciamento de Emergências de Vegetação da Califórnia para a remoção de árvores, especialmente de eucaliptos, que aumentariam os riscos de incêndios florestais.

O plano de remoção de árvores na Califórnia está em andamento desde que um incêndio, em 1991, nas montanhas de Oakland e Berkeley matou 25 pessoas e destruiu mais de 3,5 mil casas depois de se alastrar por cerca de por mais de 6 mil metros quadrados.

Em uma nota enviada à imprensa, o Projeto TreeSpirit informou que cerca de cem defensores das florestas participariam da manifestação de sábado, na Universidade de Berkeley.

08:42 · 04.04.2015 / atualizado às 08:42 · 04.04.2015 por

 

IMG_7984
A ação de limpeza de praia é educativa Foto: Projeto Limpando o Mundo

Os Guardiões dos Oceanos do Projeto Limpando o Mundo estarão hoje, a partir das 9 horas, na Praia da Sabiaguaba, numa nova ação educativa de limpeza de praia e manguezal. A ação de hoje terá como base o Museu do Mangue e está voltada à proteção do ecossistema do estuário do Rio Cocó.

Ela integra, ainda, a programação do Grito Rock Fortaleza, numa versão “Grito Verde”. Na programação, ciranda com os Batuqueiros do Mar. Mas a missão, conforme o coordenador do Projeto, Juaci Araújo, é “proteger os oceanos e a biodiversidade marinha”.

O Limpando o Mundo é um projeto que tem como missão mobilizar as comunidades de Fortaleza e Caucaia (CE) para a preservação e conservação de ecossistemas aquáticos por meio da sensibilização e conscientização dos problemas que a poluição marinha traz ao nosso Planeta.

A ação de hoje conta com o apoio da Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aquasis), Instituto Povos do Mar (Ipom), Grupo de Trabalho de Proteção às Tartarugas (GTAR) Verde Luz, Associação Brasileira do Lixo Marinho (ABLM), Casa Fora do Eixo, Museu do Mangue , Serviço Social do Comércio (Sesc) Iparana e Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma).

 

11:41 · 28.03.2015 / atualizado às 11:43 · 28.03.2015 por

 

Sensibilizada pela causa, a atriz Paolla Oliveira aceitou o convite do WWF-Brasil e se juntou ao maior movimento mundial contra o aquecimento global com a tarefa de disseminar a mensagem da campanha e engajar um número ainda maior de brasileiros. Neste ano, a Hora do Planeta acontece hoje, 28 de março, quando cidades, empresas e pessoas apagam as suas luzes entre 20h30 e 21h30.

“A Hora do Planeta é um gesto simples, mas de grande importância”, afirma Paolla no vídeo gravado para a campanha (veja abaixo). É preciso dar um basta nas mudanças climáticas e usar nossos recursos naturais de maneira mais inteligente. Já não há mais tempo. A crise ambiental não é tema para o futuro. Está acontecendo agora.”

YouTube Preview Image

Como embaixadora da Hora do Planeta, a atriz convida fãs, admiradores e seguidores de suas redes sociais a aderirem ao movimento do WWF-Brasil, que estimula as pessoas a repensarem como suas atitudes cotidianas podem causar menos impacto no meio ambiente. Hoje, ela estará em Mato Grosso do Sul, rodando o filme “Em Nome da Lei”, do diretor Sérgio Rezende, e afirma que irá apagar as luzes com a equipe do longa.

Festival Hora do Planeta

Na sétima edição da Hora do Planeta no Brasil, hoje, milhares de cidades, empresas e pessoas apagam as suas luzes, entre 20h30 e 21h30, em um grande alerta global contra as mudanças climáticas.

Para celebrar a data, o WWF-Brasil promove um grande show gratuito no Rio de Janeiro, na Praia de Ipanema (Posto 10). O evento será a partir das 16h, e terá como principal atração o coletivo internacional de artistas Playing For Change e o músico Hamilton de Holanda. Também se apresentam Rodrigo Sha, Eduardo Neves e o DJ Nado Leal.

Todo o espetáculo será realizado com gerador de biocombustível e com o patrocínio da Ambev, Banco do Brasil e Grupo Malwee. Além da TAM Linhas Aéreas, transportadora oficial da ação no Brasil, e da TV Globo, que apoia o evento.

Recordes no Brasil

A Hora do Planeta 2015 no Brasil deve entrar para a história. Até ontem, 173 cidades tinham aderido ao maior movimento global contra as mudanças climáticas. Entre elas, todas as 27 capitais também enviaram seus Termos de Adesão garantindo a participação. O número de municípios bate os 144 cadastrados em 2014 e o envolvimento das capitais só tinha sido integral em 2012.

De Norte a Sul do Brasil, de Boa Vista (RR) à Porto Alegre (RS). Alguns dos ícones mais importantes do País terão suas luzes apagadas durante sessenta minutos, entre 20h30 e 21h30, no dia 28 de março.

Entre eles, merecem destaque o Elevador Lacerda (Salvador), Arcos da Lapa (RJ), Igreja da Pampulha (Belo Horizonte), Theatro Municipal de São Paulo, Mercado Municipal de São Brás (Belém), Catedral de Brasília, Túnel e Paredão do Parque Tanguá (Curitiba), Monumento dos Três Marcos (Viaduto Lattif Sebba, Goiânia), Memorial da República (Maceió), Sítio do Laçador (RS), Praça do Marco Zero (Recife), Pedra da Memória (São Luís) e Palácio Jerônimo Monteiro (Vitória). O Brasil todo estará unido por um futuro mais sustentável para o planeta hoje.

Fortaleza também participa

Na Capital do Ceara a Coluna da Hora, Mercado Central, Palácio do Bispo, Seminário da Prainha, Estátua de Iracema (Praia de Iracema e Lagoa de Messejana) e Catedral Metropolitana terão suas luzes apagadas entre 20h30 e 21h30.

“Fortaleza foi a primeira Capital do Nordeste a aderir à Hora do Planeta. O movimento é importante para a sensibilização de todos nós, especialmente, quanto ao consumo de consciente”, explica Wigor Florêncio, gerente de Sustentabilidade da Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma). O órgão também participará e apagará suas luzes.

A Hora do Planeta 2015 faz parte da programação da Festa Anual das Árvores, cujo tema deste ano é “A Fortaleza das Praças e Parques”. O evento, realizado até o dia 30 de março, celebra, neste ano, o plantio de mais de 8 mil novas árvores, e a doação de 4 mil mudas, totalizando 12 mil árvores na Cidade.

Saiba mais:

1. O que é a Hora do Planeta?

A Hora do Planeta é um movimento global que une as pessoas para proteger o planeta. No final de março de cada ano, a Hora do Planeta reúne comunidades de todo o mundo que celebram um compromisso com o planeta, apagando luzes por uma hora designada.

2. Quando acontece a Hora do Planeta?

A Hora do Planeta 2015 será realizada no sábado, 28 de março, das 20h30 as 21h30, no seu fuso horário local.

3. O que a Hora do Planeta pretende alcançar?

A Hora do Planeta tem como objetivo incentivar uma comunidade global interconectada para compartilhar as oportunidades e os desafios da criação de um mundo sustentável.

4. O que a Hora do Planeta pede para as pessoas fazerem?

A Hora do Planeta incentiva pessoas, empresas e governos para mostrar liderança em soluções ambientais através de suas ações, usando a Hora do Planeta como uma plataforma para mostrar ao mundo o que eles estão tomando medidas para reduzir seu impacto ambiental. A Hora do Planeta pede a todos para terem responsabilidade pessoal por seu impacto sobre o planeta e fazer mudanças comportamentais para facilitar um estilo de vida sustentável. Dar o primeiro passo é tão fácil como desligar as luzes. Desligando suas luzes na Hora do Planeta você está reconhecendo e celebrando o seu compromisso de fazer algo mais para o planeta que vai além da hora.

5. A campanha é mais do que apenas apagar as luzes?

A Hora do Planeta acredita que o simbolismo do momento é extremamente importante em trazer pessoas e comunidades em conjunto em todo o mundo. Mas a nossa aspiração desde o início era ir muito além da hora mesmo. Em 2012, a Hora do Planeta lançou I Will If You Will (Eu vou se você for), uma plataforma para incentivar e inspirar as pessoas a compartilhar o seu compromisso com o planeta com os seus amigos, colegas, líderes e redes. A Hora do Planeta também incentiva e promove muitas outras iniciativas ao redor do mundo, incluindo o Earth Hour, Desafio das Cidades, Projetos do Povo da Terra e muitas ações nacionais e locais que levam a campanha para além da hora.

6. Há quantos anos que acontece a Hora do Planeta?

A Hora do Planeta 2014 vai marcar o oitavo ano da campanha. Em 31 de março de 2007, o WWF- Austrália inspirou os moradores de Sydney para mostrar seu apoio ao combate às mudanças climáticas. Mais de 2,2 milhões de pessoas e 2.000 empresas apagaram suas luzes por uma hora no primeiro evento Hora do Planeta.

7. Não é perigoso apagar as luzes? E a segurança pública?

A Hora do Planeta só pede às pessoas para apagar as luzes não essenciais por uma hora – não luzes que afetem a segurança pública. A Hora do Planeta é também uma celebração do planeta, por isso é importante aproveitar o momento em um ambiente seguro.

8. Quais luzes podem desligadas com segurança?

Essa é uma decisão que tem que ser feita individualmente, mas geralmente as luzes do teto em quartos (se é a sua casa ou uma empresa), iluminação ao ar livre que não afeta a segurança, computadores, luzes decorativas, sinais de néon para a publicidade, televisores, luminárias de mesa, etc. Existem algumas luzes que podemos dizer com certeza que não deve ser desligadas, incluindo luzes de segurança em espaços públicos, luzes de orientação da aviação, semáforos, luzes de segurança apenas para citar alguns. Nós pedimos que as pessoas usem o bom senso. Antes de desligar todas as luzes para espaços públicos A Hora do Planeta recomenda que você verifique com as autoridades locais ou centros comunitários. Em sua própria casa use o bom senso no que diz respeito à segurança. Mantenha pequenas luzes da noite por segurança básica, especialmente em corredores e nas escadas. Verifique se você tem fontes de luz alternativas úteis antes da Hora do Planeta começar, como velas ou lanternas. Dessa forma, se você precisa enxergar, tenha uma fonte próxima de luz na mão, e você ainda pode respeitar o espírito de A Hora do Planeta e manter a si e sua família segura.

9. Que tipo de velas devo usar para o meu evento da Hora do Planeta?

Se você está pensando em usar velas durante a Hora do Planeta, certifique-se de usar 100% velas de cera ou de soja, que são ecológicas, não-tóxicas e não-alérgicas. Elas também são feitos de produtos naturais e não materiais à base de petróleo, de modo que são efetivamente neutras. Se você usar velas, porém, tome cuidado. Sugerimos que você siga atentamente estas dicas: velas só devem ser utilizadas sob a supervisão de adultos; elas nunca devem ser deixadas sozinhas; devem ser mantidas longe do alcance de crianças e animais de estimação; apague as velas antes de ir dormir; mantenha-as s longe de líquidos e gases inflamáveis e materiais combustíveis; elas devem estar livres de quaisquer materiais combustíveis tais como papel, cortinas e roupas; não devem ser colocadas em janelas e persianas e cortinas também não devem ficar perto; velas devem ser colocados sobre uma superfície estável , seca, resistente ao calor e longe de correntes de ar.

10. Como é a segurança durante A Hora do Planeta?

A Hora do Planeta quer que todos sejam absolutamente seguros e nunca desligar luzes que possa comprometer a segurança de qualquer indivíduo ou espaço público ou privado. Então, coloque sua segurança em primeiro lugar quando decidir o que vai deixar aceso e desligado durante a sua participação. Para a campanha Eu vou se você for a Hora do Planeta não vai apoiar desafios que não são seguros, irresponsável ou não respeitosa. Então, se é perigoso, danoso ou difamatório pensem, por favor, em outra coisa para o seu desafio. Nós não incentivamos ou endossamos um comportamento irresponsável. Lembre-se! Atitude positiva para o planeta, não é negativo para a vida ou causa ferimentos graves.

11. Será que a minha cidade irá ficar totalmente apagada?

A Hora do Planeta não é um blecaute. É uma ação voluntária dos seus participantes para mostrar o seu compromisso com um ato de mudança que beneficia o planeta. Para muitas empresas em edifício da cidade ou para muitos prédios governamentais, as luzes são desligadas no final do dia útil na sexta-feira antes da Hora do Planeta. Geralmente não há nenhuma diferença dramática, mas sim um escurecimento gradual das luzes a partir do dia anterior. Muitos dos principais ícones e sinais de néon são desligados para a hora e eles são extremamente perceptíveis. Você pode ser capaz de ver mudanças dramáticas em grandes áreas de negócios ou de marcos emblemáticos e edifícios em todo o mundo e em sua cidade.

12. Se todo mundo ligar as luzes ao mesmo tempo haverá um pico de energia?

As pessoas celebram a Hora do Planeta de maneiras diferentes e em vários períodos de tempo. Muitos continuam a manter as suas luzes apagadas muito além da hora designada. Portanto, é altamente improvável que todos irão acender suas luzes simultaneamente. No entanto, nós trabalhamos com empresas de energia e autoridades do mundo todo, que nos garantem ser improvável que todas as luzes que são acendidas ao mesmo tempo irá causar quaisquer problemas. A redução de carga não deve ser significativa o suficiente para causar algum dano na Hora do Planeta.

13. A Hora do Planeta é um evento anual?

A Hora do Planeta é mais do que um evento anual, no entanto, culmina em uma hora de inspiração realizada em todo o mundo no final de março de cada ano.

14. Por que a Hora do Planeta realizada no final de março?

O segundo e último fim de semana de março é época dos equinócios da primavera e outono no hemisfério norte e sul, respectivamente, o que permite pôr do sol coincidente em ambos os hemisférios, garantindo assim o maior impacto visual para luzes apagadas globalmente durante o evento. A Hora do Planeta 2015 será realizada no sábado, 28 de março 20h30 – 21h30 no seu fuso horário local.

15. Qual é o critério para registrar cidade ou município na participação na Hora do Planeta 2015?

Para uma cidade ser oficialmente reconhecida como um participante da Hora do Planeta 2014, deve atender a pelo menos um dos três critérios: 1. Ter o apoio oficial da sua autoridade de governo (por exemplo, Governador ou Prefeito ); 2. Confirmar a participação de um marco ou ícone; 3. Ter o apoio de um embaixador oficial da Hora do Planeta. Para registrar sua cidade ou município, você deverá estar em uma posição de autoridade governamental para fazê-lo. Se não está nesta posição, sugerimos que entre em contato com a autoridade do governo local e peça para que se inscreva e seja reconhecido oficialmente como participante da Hora do Planeta 2015. Por causa do papel das mídias sociais como uma ferramenta para organizar e conectar as pessoas para a campanha, agora estamos considerando a participação oficial nas redes sociais avaliando cada caso.

16. O que significa um compromisso com a Hora do Planeta?

Ao registrar-se na Hora do Planeta 2015, os indivíduos, comunidades e empresas estão se comprometendo para deixar suas luzes apagadas por uma hora às 20h30, no sábado, 28 de março, em reconhecimento de um ato que vai realizar em benefício do planeta. Nossa expectativa é que esses indivíduos, comunidades e s empresas tomem medidas para além da hora. Em 2012, lançamos a campanha I will if you will (eu vou se você for) para fornecer uma plataforma para inspirar as pessoas a compartilhar o seu compromisso com o planeta com os seus amigos, colegas , líderes e redes.

17. Quem pode participar?

A Hora do Planeta é uma campanha para toda e qualquer pessoa que queira compartilhar o compromisso de fazer deste planeta melhor.

18. Qual a redução de energia e carbono resultou da Hora do Planeta em anos anteriores?

A Hora do Planeta não pretende ser um exercício de redução de energia e carbono, é uma ação simbólica, portanto, não se engaja na medição dos níveis de redução de energia e carbono. A Hora do Planeta é uma iniciativa para incentivar indivíduos, empresas e governos de todo o mundo para assumir responsabilidade por sua pegada ecológica e se envolver em diálogo e troca de recursos que oferece soluções reais para os desafios ambientais. A participação na Hora do Planeta simboliza um compromisso com a mudança para além da hora.

19. Como posso fazer mais para a Hora do Planeta do que apenas desligar minhas luzes?

Envolva-se com a campanha, pois ações grandes e pequenas fazem a diferença para o nosso planeta, e aqui está a oportunidade de fazer um compromisso para além da hora e compartilhar na sua comunidade. Se você está desafiando a sua rede de contatos para comprometer-se a reciclar, trocar as lâmpadas por outras mais econômicas ou algo mais eficiente, a campanha irá ajudá-lo a incentivar a ação para além da hora.

20. Os organizadores não estão usando muita energia e recursos para promover este evento?

A Hora do Planeta leva todos os esforços para minimizar a nossa pegada, não apenas para a hora, mas durante todo o ano. A campanha baseia-se fortemente em plataformas digitais para minimizar o uso de recursos naturais, Nós nos esforçamos para manter a nossa pegada ao mínimo, sempre que possível. No entanto, não reivindicamos nem pensamos que é viável neste momento criar a conscientização e o engajamento de tantas pessoas sobre questões ambientais com pegada zero.

21. De quem foi a ideia da Hora do Planeta?

A Hora do Planeta veio de um grupo de reflexão iniciado diretor executivo e cofundador da Hora do Planeta, Andy Ridley, resultando na formação de uma parceria entre o WWF-Austrália, Leo Burnett e Fairfax Mídia para abordar a questão das mudanças climáticas. Isso foi em 2007, ainda havia certo grau de ceticismo e negação sobre a questão da mudança climática. A Hora do Planeta surgiu como inspiração para reunir as pessoas para a realidade da mudança climática e iniciar um diálogo sobre o que nós, como indivíduos podemos fazer para ajudar a resolver o maior problema que enfrenta nosso planeta hoje. Leo Burnett, em parceria com a WWF, promoveu a ideia de ajudar a tornar a campanha uma realidade em Sydney, uma campanha que agora tem ido além da mudança climática para simbolizar a crescente procura global de um mundo melhor, mais saudável.

22. Qual é a relação da Hora do Planeta com o WWF? O WWF é “dono” da Hora do Planeta?

O WWF foi cofundador da Hora do Planeta, em Sydney, em 2007, facilitando o rápido crescimento mundial da Hora do Planeta por meio de sua conexão com a rede global da WWF. Com presença em mais de 70 países, o WWF continua a desempenhar um papel valioso garantindo uma rede de base e apoio sólida para entregar uma mensagem ambiental verdadeiramente global ao longo do ano.

23. Quem são os parceiros da Hora do Planeta?

A Hora do Planeta começou como uma iniciativa liderada pelo WWF na Austrália, em 2007, em parceria com os coproprietários da marca, Fairfax Mídia e Leo Burnett. Todos os três sócios decidiram, desde o início, que a expansão do alcance global da Hora do Planeta exigiria trabalhando em parceria com qualquer organização. A mensagem da Hora do Planeta mediu o mundo com a ajuda de muitas organizações globais. Em 2012, a colaboração da Hora do Planeta com o YouTube foi significativa no desenvolvimento da campanha I Will if you will (Eu vou se você for).

24. Você tem requisitos ou regulamentos sobre o que pode ou não pode para fazer parceria com a Hora do Planeta?

Qualquer parceiro deve defender e apoiar os objetivos e princípios da Hora do Planeta. Estes incluem indivíduos, incentivando o envolvimento da comunidade nas questões ambientais. Incentivar decisões conscientes para mudar a maneira como vivemos, a fim de afetar reforma ambiental, sem o uso de táticas de intimidação ou humilhação. As decisões específicas sobre se deve ou não fazer parceria com um grupo ou corporação são feitas a nível local por país pelas equipes da cidade com base no que se adapte às suas necessidades e da comunidade na consecução dos objetivos da Hora do Planeta.

25. A Hora do Planeta pode contar com o apoio de outras ONGs ( Organizações Não- Governamentais ) e outras organizações não lucrativas?

Absolutamente. Na verdade, o sucesso da Hora do Planeta não seria possível sem o apoio de outras ONGs e instituições. As organizações globais, como a Organização Mundial do Movimento Escoteiro e Associação Mundial de Guias e Escoteiras ter sido fundamental na difusão da mensagem da Hora do Planeta, enquanto em alguns países onde não há presença do WWF, as campanhas da Hora do Planeta são realizadas inteiramente por outras Ongs e organizações sem fins lucrativos que compartilham a mesma abordagem não- agressiva para abordar questões ambientais tomadas pela Hora do Planeta.

26. Onde podemos encontrar a Hora do Planeta nas mídias sociais?

A Hora do Planeta usa as mídias sociais para impulsionar sua campanha. Siga as nossas histórias no Facebook, Twitter, Flickr, e YouTube.

27. O que significa o logotipo da Hora do Planeta?

O logotipo padrão 60’ Hora do Planeta ‘ representa os 60 minutos onde se concentra o impacto que estamos tendo em nosso planeta tomando medidas positivas para resolver os problemas ambientais que enfrentamos. Para a Hora do Planeta 2011, o logotipo 60’ + ‘ foi introduzido representando um compromisso de agregar a Hora do Planeta um ato positivo para o planeta que vai além da hora.

28. Qual é o Desafio das Cidades da Hora do Planeta?

Com mais de 70% das emissões de CO2 do mundo, geradas pelas cidades, o Desafio das Cidades foi criado para premiar cidades pioneiras que estão liderando o caminho para um futuro totalmente sustentável. Veja mais em EarthHour.org / CityChallenge. Em 2012, cidades do Canadá, Índia, Itália, Suécia e os Estados Unidos participaram do desafio.

29. Como é feito o julgamento do Desafio das Cidades?

Um júri internacional irá rever todas as submissões delineando planos holísticos para as cidades, ideias inspiradoras e credíveis que aumentem a quota de energias renováveis em sistemas de energia da cidade. O Desafio das Cidades não é sobre ter planos ou recursos de alta tecnologia, é sobre o compromisso de pensamento inovador e soluções articulado que criam uma cidade mais verde e mais limpa para os residentes.

Fonte: WWF-Brasil

 

15:57 · 13.03.2015 / atualizado às 15:59 · 13.03.2015 por
A ação de limpeza vai partir do Pier da Barra do Ceará em direção ao manguezal do Rio Ceará Foto: Tuno Vieira / Agência Diário
A ação de limpeza vai partir do Pier da Barra do Ceará em direção ao manguezal do Rio Ceará Foto: Tuno Vieira / Agência Diário

Amanhã (14), a partir das 8 horas, o Rio Ceará receberá um grupo de 60 voluntários integrados à uma rede cearense e nacional de parceiros do Projeto Limpando o Mundo, que realizarão a “I Expedição do Rio Ceará Limpando 0 Mundo”, cujo objetivo será realizar uma limpeza no manguezal do Rio Ceará para a remoção de resíduos sólidos, visando auxiliar a recuperação de áreas degradadas.

A expedição faz parte de uma formação de voluntários, com sensibilização e educação ambiental; exposição de riquezas naturais, sobre a importância deste frágil ecossistema para a sociedade e a sua relação com a vida marinha nos oceanos.

O Limpando o Mundo é um projeto que tem como missão mobilizar as comunidades de Fortaleza e Caucaia (CE) para a preservação e conservação de ecossistemas aquáticos por meio da sensibilização e conscientização dos problemas que a poluição marinha traz ao nosso Planeta.

O Projeto tem apoiadores como a Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aquasis), Instituto Povos do Mar (Ipom), Greenish, Albertu’s Restaurante, Cuca Barra, Grupo de Trabalho de Proteção às Tartarugas (GTAR) Verde Luz, Associação Brasileira do Lixo Marinho (ABLM) e Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma).

Este dia faz parte do cronograma de ações educativas e campanhas do ano 2015 e é a terceira edição do Projeto, voltado à sensibilização da sociedade para a conservação e proteção dos ecossistemas costeiros e da vida marinha frente aos impactos e à poluição por resíduos sólidos do Rio Ceará, nos manguezais, nas praias e nos oceanos.

Programação

Dia 13 – sexta-feira – 14h às 17h30 – Cuca Barra

Formação de 60 Guardiões do Rio Ceará: Lixo Marinho, o que eu tenho a ver?

O I Encontro de Formação dos Guardiões do Rio Ceará vai preparar os voluntários do Limpando o Mundo e convidados, para ajudar na proteção dos ecossistemas costeiros. A ação terá como facilitadores biólogos e ambientalistas do projeto e do GTAR Verde Luz. Eles vão falar sobre a importância do Rio Ceará, a fauna marinha, o lado histórico, econômico, ecológico, cultural e social do maior símbolo de ecossistemas naturais do litoral: o Ecossistema Rio Ceará.

Dia 14 Sábado – 8h às 12h

Limpeza no Manguezal do Rio Ceará

Saída de Barco com grupo de voluntários. A ação visa a catalogação dos resíduos sólidos encontrados e descartados de forma errada, sendo o material quantificado e qualificado

8 Horas: Concentração no Restaurante Albertu’s

Saída: 8h30 do Pier do Rio Ceará

Mais informações:

www.facebook.com/pages/Limpando-O-Mundo-CEARÁ

limpandoomundoceara.blogspot.com.br

15:58 · 26.02.2015 / atualizado às 15:58 · 26.02.2015 por
A última ação, realizada no dia 22 de fevereiro, por oito voluntários, na Praia de Iparana, em Caucaia, resultou na coleta de 90 quilos de lixo Foto: Aquasis
A última ação, realizada no dia 22 de fevereiro, por oito voluntários, na Praia de Iparana, em Caucaia, resultou na coleta de 90 quilos de lixo Foto: Aquasis

O descarte inadequado de resíduos gera diversos problemas ambientais. Quando começam as chuvas, alguns deles afloram, como o entupimento de galerias de drenagem e a sua chegada às praias, por diversos meios, que incluem rios e canais.

No mar, resíduos sólidos, principalmente plásticos, causam impactos ambientais, que vão desde a morte de animais marinhos aos riscos com a saúde pública, pois a ingestão pelos organismos aquáticos desse material pode voltar às nossas mesas.

É necessário que o poder público dos municípios costeiros redobrem esforços de limpeza pública, principalmente no período que antecede a quadra chuvosa. São imprescindíveis, ao mesmo tempo, campanhas de Educação Ambiental para informar e sensibilizar a sociedade.

Da mesma forma, comerciantes das praias (ambulantes ou fixos) precisam assumir uma postura de respeito e educativa com seus clientes.

Depois de um monitoramento de praia, realizado no dia 18 de fevereiro, uma equipe de quatro voluntários do programa Limpando o Mundo e mais quatro voluntários locais se uniram para limpar um trecho de 30 metros quadrados na Praia de Iparana (Caucaia). No dia 22 de fevereiro, domingo, um pequena ação foi realizada com o recolhimento aproximadamente 90 kg de resíduos sólidos.

Nesta sexta-feira (27), voluntários trabalharão em sensibilização e educação ambiental na Barra do Ceará, por meio do projeto Limpando o Mundo. Está programada uma atividade de limpeza de praia e atividades lúdicas de sensibilização para frequentadores ambulantes e donos de barraca.

O projeto conta com o apoio da Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aquasis), Instituto Povos do Mar (Ipom), Greenich, Associação Brasileira de Lixo Marinho (ABLM), Cuca da Barra, Grupo Tartarugas (Gtar) / Verde Luz, Albertus Restaurante e Coordenadoria da Juventude de Fortaleza.

O Limpando o Mundo tem como missão mobilizar as comunidades de Fortaleza e Caucaia (CE) para a preservação e conservação de ecossistemas marinhos por meio da sensibilização e conscientização dos problemas que a poluição marinha traz ao nosso Planeta.

Em dois anos foram 50 campanhas de limpeza de praia e mais de 12 toneladas de resíduos sólidos removidos de áreas naturais (praias, manguezais, margens de rios e lagoas), cerca de 30.000 pessoas foram impactadas pelas atividades do projeto. Uma rede de 800 voluntários foi montada.

Mais informações:

Dia 27

Hora de concentração: 14h30

Local de Encontro: Barraca do Dedê

Atividades: Limpeza de praia, atividades lúdicas, sensibilização de frequentadores e donos de barracas

10:01 · 14.02.2014 / atualizado às 10:01 · 14.02.2014 por

logo_60_alta_rgb

Com promoção do WWF-Brasil, a Hora do Planeta 2014 acontece no sábado, 29 de março. Com o slogan “Use seu poder para salvar o Planeta”, o maior movimento mundial contra o aquecimento global irá apresentar embaixadores, reais e fictícios, para mobilizar cidades, empresas e pessoas. Paralelamente, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo são finalistas da iniciativa global Hora do Planeta: Desafio das Cidades, que irá eleger a Capital Global da Hora do Planeta.

Pelo sexto ano consecutivo, a organização ambientalista WWF-Brasil promove a campanha Hora do Planeta no País. Lançada mundialmente ontem (13/02), a Hora do Planeta 2014 acontecerá no sábado, 29 de março, entre 20h30 e 21h30.

Com o slogan “Use seu poder para salvar o planeta”, o movimento aposta no poder de cada um para a mudança, seja o cidadão brasileiro ou o Homem-Aranha, primeiro embaixador global do movimento.

Paralelamente, a Rede WWF promove a Hora do Planeta: Desafio das Cidades, que irá premiar iniciativas rumo ao desenvolvimento de uma economia de baixo carbono. Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Belo Horizonte (MG) são finalistas do desafio.

“Como maior ato simbólico mundial contra o aquecimento global, a Hora do Planeta abre espaço para a reflexão da postura de cidades, empresas e cidadãos. Com o Desafio das Cidades vamos além da hora, com o objetivo de estimular a criação e disseminação de melhores práticas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas por meio de planos ambiciosos, inspiradores e factíveis para o desenvolvimento de uma economia de baixo carbono”, afirma a secretária-geral do WWF-Brasil, Maria Cecília Wey de Brito, lembrando que na edição de 2013 mais de 7.000 em 154 países apagaram as suas luzes por sessenta minutos.

No Brasil, Belo Horizonte foi a primeira cidade a aderir à Hora do Planeta 2014. Também já participam da campanha Macapá (AP), Campinas (SP), Erechim (RS) e Joinville (SC). No total, já são quinze cidades brasileiras confirmadas no movimento global. Em 2013, a Hora do Planeta contabilizou 113 cidades no Brasil, que juntas apagaram mais de 627 ícones (entre monumentos, espaços públicos e prédios históricos).

Para se juntar à Hora do Planeta 2014 basta acessar o site oficial da campanha (www.horadoplaneta.org.br) e apagar as luzes no dia 29 de março, entre 20h30 e 21h30. As cidades brasileiras interessadas em participar devem solicitar o Termo de Adesão Hora do Planeta 2014 que oficializa a participação.

Já empresas, organizações e pessoas podem se cadastrar on-line e acessar peças como banners, imagens de capa para mídias sociais, entre outros. As redes sociais – Facebook, Twitter e Instagram, também são canais oficiais de comunicação da campanha.

Confira o vídeo da campanha

YouTube Preview Image

Hora do Planeta: Desafio das Cidades

Criada pela Rede WWF há três anos, a iniciativa Hora do Planeta: Desafio das Cidades é uma forma de ir além da mobilização gerada pelo movimento global, com a conquista de compromissos concretos de redução do impacto do ser humano sobre o clima. Cidades de 13 países foram convidadas a reportar dados relevantes, planos e ações com relação às suas emissões de carbono.

Pela primeira vez o Brasil está envolvido, com três finalistas: Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. Outras cinco cidades (Betim, Manaus, Porto Alegre, Fortaleza e Sorocaba), que têm projetos interessantes rumo ao desenvolvimento urbano sustentável, também concorreram, mas não foram selecionadas.

Neste ano, o foco global da competição foram os investimentos em benefício da reestruturação das matrizes energéticas, em um movimento que priorize as fontes limpas de energia em detrimento daquelas originárias de combustíveis fósseis. Além dos municípios brasileiros, concorrem na atual edição do desafio cidades da Bélgica, Canadá, Coreia do Sul, Dinamarca, Estados Unidos, Finlândia, Índia, Indonésia, Itália, México, Noruega e Suécia.

As cidades finalistas serão avaliadas, a partir de critérios técnicos, por um júri internacional de especialistas. O anúncio da Capital Global da Hora do Planeta ocorrerá no final de março na cidade canadense de Vancouver. Além da cidade vencedora pelo júri, será escolhida uma cidade por voto popular. As finalistas podem ser votadas no site global We Love Cities (www.welovecities.org/pt). Além de escolher a sua preferida, o internauta pode também encaminhar sugestões de melhorias que serão entregues a cada uma das participantes do concurso.

Use seu poder para salvar o planeta

Com o Slogan “Use seu poder para salvar o planeta”, a Hora do Planeta 2014 irá apresentar até o dia 29 de março embaixadores que estimulem a participação das pessoas no movimento.

“Globalmente temos o Homem-Aranha como nosso primeiro embaixador. Com ele, simbolizamos que todos nós temos poder para fazer mudanças. Ao longo da campanha, vamos apresentar outros embaixadores, reais e fictícios, para mostrar que é possível usar o poder que todos temos para salvar o planeta”, explica a superintendente de Comunicação, Marketing e Engajamento do WWF-Brasil, Renata A. Soares.

A participação do Homem-Aranha foi possível graças a uma parceria entre a Rede WWF e a Sony Pictures Entertainement. Os atores Andrew Garfield, Emma Stone e Jamie Foxx, que respectivamente atuam como Peter Parker/Homem-Aranha, Gwen Stacy e Max Dillon/Electro no filme “O Espetacular Homem-Aranha 2 – A Ameaça de Electro”, com lançamento previsto para 1º de Maio no Brasil, juntamente com o diretor Marc Webb, também irão apoiar e participar efetivamente da Hora do Planeta 2014.

Hora do Planeta

A Hora do Planeta, conhecida globalmente como Earth Hour, é uma iniciativa global da Rede WWF para enfrentar as mudanças climáticas. Desde sua primeira edição, em março de 2007, a Hora do Planeta não parou de crescer.

O que começou como um evento isolado em uma única cidade, Sidney, na Austrália, tornou-se uma ação global, envolvendo um bilhão de pessoas em mais de 5 mil cidades de 152 países. Alguns dos mais conhecidos monumentos mundiais, como as pirâmides do Egito, a Torre Eiffel em Paris, a Acrópole de Atenas e até mesmo a cidade de Las Vegas (EUA) já ficaram no escuro durante 60 minutos.

WWF-Brasil

O WWF-Brasil é uma organização não-governamental brasileira dedicada à conservação da natureza com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações.

O WWF-Brasil, criado em 1996 e sediado em Brasília, desenvolve projetos em todo o país e integra a Rede WWF, a maior rede independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.

Rede WWF

A Rede WWF é uma das maiores organizações ambientalistas independentes do mundo. Ela tem o apoio de quase 5 milhões de pessoas e uma rede mundial ativa em mais de 100 países. A missão da Rede WWF é acabar com a degradação do meio ambiente natural do planeta e construir um futuro onde os seres humanos vivam em harmonia com a natureza, assegurando o uso sustentável dos recursos naturais renováveis e promovendo a redução da poluição e do desperdício de consumo.

Fonte: WWF-Brasil

Mais informações

Hora do Planeta 2014

Data: 29 de março (sábado)

Horário: das 20h30 às 21h30

www.horadoplaneta.org.br

20:56 · 21.09.2013 / atualizado às 20:56 · 21.09.2013 por

1292928_506350666117402_1595540331_o

Hoje foi comemorado o Dia Mundial de Limpeza de Praias, dia de não apenas ajudar a limpar a sujeira que nós mesmos permitimos que fosse parar em nossas praias, mas de refletir sobre o nosso comportamento, o nosso consumo, enfim, de pensar que não estamos a sós no mundo e que nossos atos têm consequências.

No Ceará já existe uma turma bem bacana engajada em fazer a diferença pela manutenção da beleza das nossas praias, pela vida marinha, pela nossa saúde, pelo nosso alimento.

O Projeto Limpando o Mundo está visitando as comunidades dos municípios de Fortaleza e Caucaia, realizando cadastro de voluntários e instituições, organizando e formando os grupos de voluntários para as ações de monitoramento e remoção do lixo das praias, rios e mangues.

No fim será apresentado o “Diagnóstico do LIXO Marinho” com um banco de dados de imagens e estatística para ajudar nas estratégias e busca de soluções para um dos maiores problemas ambientais do Planeta que vem afetando e impactando todos os oceanos e as zonas costeiras.

No projeto inclui uma série de ações de Educação Ambiental com encontros, oficinas e rodas de diálogos com informações sobre a biodiversidade marinha, conservação e a importância da coleta seletiva nas grandes cidades, gerando uma rede de multiplicadores e atentos à nova Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).

O projeto também utiliza diversas linguagens das artes. Os primeiros resultados são duas canções compostas por jovens voluntários do projeto. Há também um movimento de cultura popular com percussão, capoeira, raps, artistas plásticos e outros.

O Dia Mundial de Limpeza de Praias é realizado ocorre todos os anos no terceiro sábado do mês de setembro desde 1989. Os primeiros esforços para realização dessa iniciativa aconteceram na Austrália e nos Estados Unidos, por meio da organização Ocean Conservancy. No Ceará, desde 1994, a Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aquasis) vem mantendo também esta bandeira e trabalho.

Organizações governamentais e não-governamentais, juntamente com a sociedade civil organizada, se propõem a ações de limpezas de praias (remoção de resíduos sólidos nas faixas litorâneas) e ações educativas focadas nas consequências da poluição marinha nos ecossistemas e na vida humana e no destino correto dos resíduos sólidos.

O Projeto Limpando o Mundo atua com 27 grupos, em 25 localidades de sete municípios do Ceará (Trairi, Paracuru, Caucaia, Fortaleza, Aracati, Beberibe e Icapuí), com mais de 540 voluntários cadastrados na ação. Hoje, eles participaram de atividades de limpeza de praia pela manhã.

Os resíduos sólidos removidos serão destinados a centro de recicladores como a Sociedade Comunitária de Reciclagem de Lixo do Pirambu (Socrelp) e o Movimento Emaús, parceiros do projeto e com um grande papel na sociedade nos processos de reciclagem e coleta seletiva.

O Projeto Limpando o Mundo é coordenado pela Aquasis e o Instituto Povo do Mar (Ipom), com o apoio do Serviço Social do Comércio do Ceará (Sesc-CE) e Cuca Che Guevara, patrocinado pela Greenish.

08:47 · 21.07.2013 / atualizado às 08:47 · 21.07.2013 por

LimpandooMundo

Por Maristela Crispim

Hoje é domingo, dia de praia! O que você acha de ir curtir aquele solzinho, banho de mar e tropeçar em lixo? Caso a resposta seja negativa, que tal colaborar para que nossas praias fiquem cada vez mais limpas, atraentes e para que o lixo que nós produzimos não interfira nos ecossistemas marinhos? É só não jogar nada fora do cesto de lixo e (por que não?) por no lixo aquilo que encontrar na areia da praia. Um pequeno gesto que pode fazer toda a diferença.

Na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) já tem um grupo fazendo um pouco mais que isso. Hoje, 21 de Julho, cerca de 20 voluntários do Projeto Limpando o Mundo, desenvolverão ações educativas entre os visitantes da Colônia Ecológica do Sesc de Iparana, em Caucaia. O projeto é idealizado pela Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos(Aquasis), Instituto Povos do Mar (Ipom) e Greenish, patrocinador oficial, e apoiado pelo Serviço Social do Comércio (Sesc) e Cuca Che Guevara.

O dia faz parte de um cronograma de ações educativas voltadas para sensibilização da sociedade para a conservação e proteção dos ecossistemas costeiros frente aos impactos e à poluição dos resíduos sólidos na Zona Costeira do Ceará.

Juaci Oliveira, coordenador geral do Projeto, destaca que, atualmente, milhares de toneladas de resíduos sólidos (plástico, isopor, metal, vidro e tecidos) são descartadas de forma errada nas cidades, entrando direta ou indiretamente nos ecossistemas aquáticos, como manguezais, praias e oceanos, acarretando impactos econômicos, sociais e ambientais para a vida de vários organismos marinhos, desde o plâncton (animais microscópicos) às grandes baleias.

Para sensibilizar os visitantes do Sesc de Iparana, uma exposição lúdica com material recolhido das ações dos voluntários do litoral dos municípios de Caucaia e Fortaleza foi montada no local. Junto com a exposição, haverá pinturas e atividades culturais com os “Batuqueiros do Mar”, jovens do projeto Brigada da Natureza que, com músicas temáticas e ao som dos tambores, irão puxar cortejos e brincadeiras com o público presente.

Ainda de acordo com Juaci, o “Limpando o Mundo” é um projeto que tem como missão mobilizar as comunidades de Fortaleza e Caucaia para a proteção e conservação de ecossistemas marinhos através da sensibilização e conscientização dos problemas que a poluição marinha traz ao nosso Planeta.

A Coordenação do Projeto Limpando o Mundo, conta também com a participação ativa das seguintes entidades e/ou grupos envolvidos direta ou indiretamente: Revista Ceará Surf, Surfistas Ambientais do Pacheco, Brigada da Natureza, Jovens do Cuca da Barra e moradores.

06:32 · 23.03.2013 / atualizado às 06:34 · 23.03.2013 por

Pelo quinto ano consecutivo, o WWF-Brasil promove hoje a Hora do Planeta, um ato simbólico, promovido no mundo todo pela Rede WWF, no qual governos, empresas e a população demonstram a sua preocupação com o aquecimento global, apagando as suas luzes durante sessenta minutos. Hoje, sábado, dia 23, das 20h30 às 21h30, 92 cidades, sendo 22 capitais, estarão mobilizadas com diversas atividades pela Hora do Planeta.

Na cidade-âncora Brasília serão apagadas as luzes da Esplanada dos Ministérios, do Congresso Nacional, da Catedral e de outros monumentos históricos. O público contará com a participação da banda regional Patubatê e do grupo DJs Criolina, no Museu Nacional da República, local do evento.

São Paulo também apagará as luzes de símbolos como a Ponte Estaiada, o Obelisco, o Mercado Municipal, o estádio do Pacaembu, o Monumento das Bandeiras, o Theatro Municipal, o Arco do Anhangabaú e a Biblioteca Mário de Andrade. Além disso, o grupo Vá de Bike reunirá ciclistas numa pedalada no centro da capital paulista. O circuito passará por três desses locais e monumentos paulistanos que ficarão às escuras durante a Hora do Planeta.

No Rio de Janeiro ficarão às escuras o Cristo Redentor, os Arcos da Lapa, a Orla de Copacabana e de Ipanema, o Arpoador, o Parque Garota de Ipanema, a Igreja da Penha e a Catedral Metropolitana.

Celebridades como o músico Tom Zé, a atriz Paolla Oliveira, o chef Alex Atala, entre muitos outros famosos vestiram a camisa em apoio à ação. A cantora Gaby Amarantos topou o desafio “Eu vou se você for” do WWF e prometeu ficar um dia inteiro longe da internet se 1000 pessoas curtissem a foto dela no Instagram. O cineasta Flávio Tambellini também embarcou no desafio e se propôs a usar bicicleta por um mês e plantar uma árvore por semana no Rio de Janeiro se 1000 pessoas fizessem o mesmo.

Essas iniciativas, que já reuniram mais de quatro milhões de interações no YouTube, consistem na produção de um vídeo em que qualquer pessoa assume um compromisso e desafia outra com o objetivo de mudar o Planeta.

Cerca de 50 empresas, como Banco do Brasil, Lojas Renner, McDonald’s, Meliá Hotels também apoiaram a ação. O HSBC-Brasil realizará uma mobilização pela água do Planeta em nove capitais brasileiras – São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Florianópolis, Recife, Goiânia, Campo Grande e Brasília. Colaboradores do banco realizarão atividades como plantio de mudas, recuperação de nascentes e medição da qualidade das águas dos rios. Além disso, dez prédios administrativos do HSBC ficarão às escuras.

Participe você também e torne esses 60 minutos um momento de reflexão sobre o que você pode fazer para ajudar a manter o equilíbrio da nossa grande casa: o planeta Terra!

Fonte: WWF-Brasil