Busca

Categoria: Biocombustível


10:25 · 29.05.2014 / atualizado às 10:25 · 29.05.2014 por

O Instituto Hidroambiental Águas do Brasil (Ihab) realiza, nesta sexta-feira (30), a partir das 8 horas, na sede do Banco do Nordeste (BNB) Passaré, em Fortaleza, a edição especial do Fórum Multissetorial de Responsabilidade Ambiental. O destaque do encontro será o lançamento do Projeto “Bioplanet”, que atuará na reciclagem de Óleos e Gorduras Residuais (OGR) com tecnologia sustentável e trabalho e renda com foco na economia solidária.

De acordo com o presidente do conselho estratégico do Ihab, Clodionor Araújo, a base do projeto “Bioplanet-Fortaleza” é a instalação de uma usina de processamento e produção de biodiesel. “A unidade fica no Polo Industrial de Sustentabilidade, na Cooperativa Central de Produtores de Algodão (Cocentral), no bairro Modubim e terá capacidade de produção de 30 mil litros por mês. Pretendemos mostrar o biodiesel como fonte alternativa de energia e reforçar a visão de seus benefícios nas áreas econômica, social e ambiental” explica.

Ele afirma que o biodiesel será utilizado em veículos de transporte coletivo e de cargas, geradores e máquinas e equipamentos, além da implantação de um arranjo tecnológico para produzir o sabão ecológico, pelo modelo de economia solidária, contribuindo com o trabalho e renda de diversas comunidades.

O Bioplanet faz parte do edital de projetos de promoção do Brasil na Copa do Mundo Fifa 2014 e será lançado em todas as cidades que irão sediar os jogos. O arranjo tecnológico instalado em Fortaleza é o único do modelo no nordeste. Durante a copa já estão agendadas visitas de comitivas de diversos países como Estados Unidos, Bélgica, México e Colômbia.

Na capital cearense, o projeto é uma parceria entre a Biotechnos Projetos Autossustentáveis, uma empresa pesquisadora de alternativas de negócios ecologicamente corretos, o IIhab e a Cocentral.

Projeto “Bioplanet”

Os óleos e gorduras residuais, provenientes de óleos e gorduras vegetais e animais de consumo humano, oferecem maior risco de contaminação das águas subterrâneas. Os dejetos degradam o solo, as águas superficiais e subterrâneas e a atmosfera e causam consequências danosas para a saúde pública.

Além do fomento para a revitalização das águas das bacias hidrográficas, o projeto vai promover a inclusão de catadores em atividades de geração de renda. Haverá também mobilização social e educação ambiental para o recolhimento dos resíduos nas residências e restaurantes.

Fórum Ambiental

O Fórum Ambiental vai receber palestrantes nacionais para apresentar o projeto “Bioplanet”. O objetivo do evento é envolver lideranças públicas, empresariais e da sociedade civil na discussão sobre sustentabilidade ambiental e a implementação de ações baseadas nos conceitos de Desenvolvimento Sustentável e Produção mais Limpa.

O Fórum é aberto para aqueles que têm compromisso com a responsabilidade ambiental e sustentabilidade. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas no site www.ihab.org.br (iniciativa Fórum) até 30 de maio, dia do evento. Outras informações pelo telefone (85) 3262.1559 ou pelo email forum@ihab.org.br. Serão fornecidos certificados aos participantes.

Fonte: Ihab

07:54 · 12.08.2011 / atualizado às 08:03 · 12.08.2011 por

A Petrobras Biocombustível (PBio) divulgou que investirá US$ 600 milhões, do total de US$ 4,1 bilhões previstos para ser investido pela subsidiária até 2015, no segmento de biodiesel e de suprimento agrícola.

Com isto, a empresa espera manter nos próximos anos a participação de cerca de 25% do mercado nacional, disse nesta quinta-feira, 11 de agosto, o presidente da PBio, Miguel Rossetto, ao detalhar o Plano de Negócios 2011/2015 no segmento de biodiesel.

Nos planos da estatal, está a previsão de investir parte dos US$ 300 milhões, destinados à área de pesquisa, a fim de desenvolver tecnologia para a produção de biocombustíveis para a aviação, o bioqueresone, que a subsidiária espera colocar no mercado até o final de 2015.

Rossetto disse ainda que a PBio trabalha com a escolha entre duas rotas tecnológicas: uma via óleo vegetal e a outra a partir da sacarose (açúcar).

Fonte: Nielmar de Oliveira (Agência Brasil)