Gestão Ambiental

Categoria: Consumo Sustentável


07:00 · 15.10.2011 / atualizado às 13:43 · 14.10.2011 por
YouTube Preview Image

O Instituto Akatu, a Braskem e o Instituto Faça Parte se unem para levar a 93 escolas do Ceará o projeto “Um Novo Olhar sobre o Plástico”, iniciativa nacional que tem como objetivo chamar a atenção de educadores e alunos para importância dos temas ligados ao consumo consciente e à sustentabilidade.

A iniciativa pretende incentivá-los a propor soluções para problemas atuais ligados aos temas, tais como a escolha do que consumir, diferenças nas cadeias produtivas a respeito da ecoeficiência, combate ao descarte inadequado de resíduos e ao desperdício de água e energia.

Em todo o país, 1.577 escolas foram contempladas e escolhidas dentro da rede do Instituto Faça Parte, mas a inciativa não se esgota nestas instituições. As inscrições para novas adesões continuam abertas e qualquer estabelecimento de ensino particular ou público pode aderir ao projeto.

As escolas interessadas podem se inscrever pelo hotsite www.facaparte.org.br/consumoconsciente. No mesmo endereço, são disponibilizados os vídeos da série Consciente Coletivo, uma vídeo-aula que trata da cadeia produtiva do plástico e um guia com conteúdo mais aprofundado com sugestões de atividades a serem desenvolvidas com os alunos e orientações sobre como participar.

Haverá, ainda, uma seleção dos melhores projetos em dois níveis: escolas com boas iniciativas já em 2011 e projetos de ação para 2012. As boas iniciativas de 2011 devem ser registradas em texto e documentadas em vídeo, foto ou da maneira que a escola julgar mais adequada.

As que tiverem suas práticas reconhecidas como boas inciativas em educação para a sustentabilidade farão parte de um documentário editado em vídeo.

A escola que apresentar a iniciativa mais inovadora para 2012 escolherá um grupo de representantes do projeto para conhecer a fábrica de plástico feito de etanol de cana-de-açúcar da Braskem, em Triunfo (RS).

Além disso, a experiência será registrada em uma vídeo-reportagem, que será divulgada nacionalmente. As escolas têm até o fim do ano para apresentar seus projetos, que devem ser desenvolvidos ainda no primeiro semestre de 2012.

“Nosso objetivo é orientar os jovens a consumir de uma maneira diferente, buscando aumentar os impactos positivos e reduzir os impactos negativos. O consumidor consciente sabe que cada atitude impacta sua própria vida, seu entorno, a sociedade, a economia e o Planeta”, diz Jorge Soto, diretor de Desenvolvimento Sustentável da Braskem.

“Investir em educação para o consumo consciente é essencial na ampliação do número de cidadãos e consumidores mobilizados para um futuro mais sustentável. Dentre os méritos dessa iniciativa, eu destacaria ainda o universo de escolas atingidas, porque, com tantos professores e alunos participantes, acredito que os projetos vão mobilizar inclusive as comunidades do entorno, extrapolando os muros das escolas”, afirma Helio Mattar, diretor-presidente do Akatu.

O Instituto Akatu é uma organização não-governamental (ONG) sem fins lucrativos que vê o ato de consumo como um instrumento fundamental de transformação do mundo. Completou dez anos em março e trabalha em projetos de educação e comunicação para conscientizar e mobilizar os cidadãos a consumir sustentavelmente.

A Braskem é a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas. Com 35 plantas industriais distribuídas pelo Brasil, Estados Unidos e Alemanha, a empresa produz anualmente mais de 16 milhões de toneladas de resinas termoplásticas e outros produtos petroquímicos.

Dia 15 de outubro é Dia do Consumo Consciente

O Instituto Akatu convida as pessoas a comemorar amanhã – dia 16 de outubro -, fazendo piqueniques em todo o Brasil. Em São Paulo, quem quiser se juntar ao do Akatu, será muito bem vindo na área de piqueniques do Parque Villa Lobos, a partir da 11 horas, basta levar sua cesta e sua toalha.

Você sabia que…

1. Se, em vez de jogar fora os restos de alimentos, cada pessoa guardar o lixo orgânico na geladeira, a cada ano encherá quase 2,5 geladeiras médias de comida estragada? Durante toda a vida, vai precisar de 183 geladeiras? Portanto, planeje suas compras.

2. O pinga-pinga de um furo de 2 mm em um cano desperdiça, por mês, o equivalente a quase dez caminhões-pipa cheios de água? Elimine os vazamentos, acabe com o desperdício de água e ainda economize na conta no fim do mês.

3. Se todos os moradores do Brasil fecharem a torneira ao escovar os dentes, a água economizada em um mês equivalerá a um dia e meio da água que cai pelas Cataratas do Iguaçu?

4. O lixo coletado no País, em apenas um ano, seria suficiente para formar uma enorme muralha de quatro metros de altura construída ao longo de todas as praias do Brasil? Planejar as compras significa menos lixo e economia no bolso.

5. Um brasileiro gera, do berço ao túmulo, 25 toneladas de lixo; uma família de pai, mãe e dois filhos gera cem toneladas? E a Prefeitura gasta uma montanha de dinheiro para recolher e tratar esse lixo? Dinheiro que poderia ser usado para melhorar a educação e a saúde. Por isso, gere menos lixo, reaproveitando e reciclando tudo o que for possível.

6. Cada brasileiro descarta 74 sacolinhas plásticas por ano? Somadas, chegam a 14 bilhões de sacolas. O saco plástico leva 400 anos para desaparecer e ainda atrapalha a decomposição do resto do lixo no aterro. Evite as descartáveis, use sacolas retornáveis.

7. As sacolinhas plásticas descartadas em um ano pelos brasileiros se empilhadas, foram uma pilha de 700 Km de altura, quase a distância entre São Paulo e Florianópolis?

8. Um litro de óleo de cozinha usado polui até 25 mil litros de água? Armazenar o óleo usado em garrafas PET e entregar para reciclagem preserva o meio ambiente e ainda evita entupimentos no encanamento de casa e na rede de esgoto.

9. Pilhas recarregáveis geram muito menos resíduos que as pilhas descartáveis? O preço unitário das recarregáveis é mais alto, mas compensa porque você usa muitas vezes. Pense nisso, você vai comprar e jogar fora muito menos pilhas.

10.Um bilhão de pilhas são jogadas fora por ano no Brasil? Se, em vez de ir para o lixo, forem recicladas, a massa total de lixo evitado equivale a um dia inteiro de toda a coleta domiciliar do município de São Paulo.

11. Cada brasileiro usa em média cinco pilhas por ano? Se todas essas pilhas fossem recicladas, além da redução do lixo tóxico, seria possível recuperar em ferro o peso de 5.000 carros populares.

12. Baterias de celular contêm metais tóxicos. Nos lixões, acabam contaminando o solo e os lençóis de água usada na produção agrícola. Reciclar as baterias é evitar a contaminação da água que, logo adiante, vai irrigar frutas, verduras e pastos.

13. Fazer uma compra parcelada com juros sai muito mais caro? Muitas vezes, o valor pago na soma das prestações daria para comprar até três do mesmo produto. É com uma promoção ao contrário: leve um e pague três. Só parcele ou tome emprestado se realmente precisar.

14. Frutas, legumes e verduras da estação, além de serem mais saborosos porque estão fresquinhos, são também mais baratos pois têm uma oferta maior? Aproveite o sabor das estações e economize na sua compra.

15. Produtos da sua região chegam mais rápido e mais frescos ao supermercado. E, por andar menos de caminhão, são responsáveis por uma emissão menor de CO2, que causa aquecimento global?

16. Se cada um dos brasileiros da chamada “nova classe C” não ligar para trocos pequenos e abrir mão de apenas 5 centavos, serão acumulados no comércio R$ 2 milhões diariamente? Ou R$ 730 milhões um ano? Esse “troco” equivale ao que custa construir 10 hospitais iguais ao Hospital da Mulher, que está em construção em Fortaleza, ou 14 Hospitais Escola iguais aos de São Carlos, no interior de SP.

17. Se só 1% dos brasileiros desligar o computador todo dia apenas na hora do almoço, a energia economizada, em apenas um ano, evitará uma emissão de carbono equivalente à de 80 mil carros a gasolina viajando de São Paulo ao Rio? Desligue o computador para ir almoçar.

18. Cerca de 70% da madeira retirada ilegalmente da Amazônia fica no Brasil? E é usada, principalmente, na construção civil e na indústria de móveis? Exigir madeira certificada evita o desmatamento e reduz o aquecimento global.

19. Um terço do que compramos em alimentos perecíveis vai direto para o lixo? Uma família média brasileira que deixar de desperdiçar e colocar essa economia na poupança vai acumular quase R$ 1 milhão ao longo da vida.

Fonte: Instituto Akatu

Veja mais em http://www.akatu.org.br/

07:00 · 11.10.2011 / atualizado às 10:54 · 10.10.2011 por

Qual é a diferença entre consumo consciente e consumo sustentável? No primeiro caso, o consumidor faz escolhas individuais e imediatas, relacionadas à sua capacidade de optar em cada compra realizada. Já o consumo sustentável implica em uma mudança de padrão de comportamento e de hábitos adotados, e tem resultados que melhoram o planeta e a qualidade de vida da sociedade como um todo.

Nos últimos anos, o MMA promoveu inúmeras ações no Dia do Consumidor, sempre comemorado no dia 15 de outubro. A partir deste ano, o Ministério inaugura o Mês do Consumo Sustentável, com atividades de mobilização e conscientização de consumidores e de diferentes setores da sociedade.

De acordo com a gerente de produção e consumo sustentável do MMA, Fernanda Daltro, serão lançadas neste período três novas campanhas, como a de coleta de eletroeletrônicos, que será promovida em estações de metrô de Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte. Entre 21 e 26 outubro, serão disponibilizados postos de coleta em locais escolhidos pela intensa movimentação de passageiros.

Os consumidores serão estimulados a levar equipamentos antigos ou que estão fora de uso, como TVs, eletrodomésticos, monitores, cabos de computadores, telefones, celulares, CDs, DVDs, fitas VHS e afins.

Nesta campanha, o MMA conta com as parcerias da Phillips, Carrefour e de duas empresas de coleta e reciclagem, a Descarte Certo e a Oxil, que vão realizar a coleta, triagem e destinação adequada a recicladores.

Fernanda explica que esta é também uma maneira de preparar o consumidor para o processo de logística reversa, prevista na Política Nacional de Resíduos Sólidos. “Esperamos sensibilizar o consumidor a não realizar o descarte de eletroeletrônicos no lixo comum, pois tal prática tem alto impacto ambiental, uma vez que os produtos possuem componentes químicos e tóxicos. Além disso, o descarte inadequado gera desperdício de materiais que podem ser reaproveitados, como plástico, vidro e metais”, avalia a gerente de consumo sustentável.

Cadernos Sustentáveis

O MMA também vai lançar a série Cadernos de Consumo Sustentável, que serão exemplares explicativos e lúdicos, com informações sobre o consumo sustentável e suas colaborações para a sociedade e o meio ambiente.

As publicações serão lançadas periodicamente e contarão com a parceria de instituições especializadas em assuntos relacionados ao tema. O primeiro número será produzido com o Compromisso Empresarial para a Reciclagem (Cempre) com a temática consumo sustentável e reciclagem.

Os próximos cadernos vão abordar os temas do consumo sustentável relacionado à água e ao público infantil. “Vamos mostrar como a sociedade pode ter uma postura responsável relacionada a estas temáticas”, explica Fernanda Daltro.

Redução de sacolas

A partir de 20 de outubro, haverá ainda a segunda fase da campanha educativa direcionada à redução do uso de sacolas plásticas pelos consumidores. A primeira etapa deste processo de conscientização foi a campanha “Saco é um Saco”, que ressaltou a importância de se reduzir o consumo de sacolas plásticas e conseguiu reduzir a produção de cerca de cinco bilhões destas embalagens, entre 2007 e 2011.

Para se ter uma ideia, em 2007, havia 17, 9 bilhões de sacolas plástica sendo produzidas por ano. Em 2010, este número já foi reduzido para 14 bilhões, segundo uma pesquisa de sustentabilidade produzida pela rede Walmart. “Conseguimos iniciar um processo de sensibilização com a sociedade, e provocamos ainda o debate com diferentes setores que foram mobilizados”, explica a gerente.

A nova fase da campanha vai receber o título “Vamos tirar o planeta do sufoco”, e além de promover os conceitos de consumo consciente e de redução do uso do plástico, vai motivar a sociedade a adotar novas alternativas. O MMA e parceiros pretendem estimular o uso de sacolas reutilizáveis, embalagens de papelão, carrinhos de feira e outras embalagens reaproveitáveis.

O lançamento da campanha será nacional, mas a Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental do MMA pretende estimular a implementação do projeto em cada estado da federação, bem como os municípios.

As grandes redes de supermercado também já estabeleceram metas de redução do uso de sacolas plásticas, com o objetivo de alcançarem a eliminação (ou a utilização mínima) destas embalagens até 2012. Estas metas se tornaram compromissos que vão constar do Plano Nacional de Produção e Consumo Sustentável.

Boas práticas

Se analisarmos toda a cadeia envolvida no processo de consumo, perceberemos que os consumidores podem optar por escolher melhor seus produtos, além de diminuir o consumo de água e energia, prática que também pode ser adotada pelo varejo e pelo setor produtivo. O comércio do varejo também pode oferecer produtos mais sustentáveis e promover a gestão de resíduos, além de estimular o consumidor a praticar o consumo sustentável.

Os fornecedores, desde o momento de fabricação até o de distribuição, podem adotar medidas de redução de água, energia e de insumos. Podem ainda instituir o critério da sustentabilidade ao comprar matérias-primas feitas a partir de manejo e de outros critérios, como a reposição de elementos à natureza.

Na hora de desenvolver os produtos, podem optar por uma criação que seja desde o princípio sustentável, com a redução de embalagens desnecessárias e a elaboração de produtos mais concentrados.

Já o governo, pode dar um impulso importante ao ciclo do consumo sustentável ao realizar compras públicas de produtos que tenham critérios de sustentabilidade, uma vez que é classificado como o maior consumidor individual de cada país.

Fernanda Daltro ressalta que, quando são colocados critérios ambientais nestas compras, ocorre o estímulo para a reestruturação do mercado, e que atitudes assim têm o poder de influenciar e motivar todos os envolvidos na cadeia de consumo a realizar escolhas melhores.

O MMA também lançou um hotsite sobre consumo sustentável que traz informações sobre as ações promovidas pelo Ministério e instituições parceiras, posts e dicas de consumo sustentável.

O endereço é : hotsite.mma.gov.br/mesdoconsumosustentavel

Fonte: Carine Corrêa/ MMA

Pesquisar

Gestão Ambiental

Blog da seção Gestão Ambiental, da editoria Negócios, do Diário do Nordeste.
Posts Recentes

10h09mCafé com qualidade e consciência

12h09mO porquê de um Dia Mundial de Limpeza da Praias

04h09mSustentável 2018: empresários e executivos debatem desafios de sustentabilidade 

01h09mUnifor inscreve para MBA em Gestão Ambiental na Cadeia Produtiva

10h08mUma radiografia da seca nos estados do Nordeste

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs