Busca

Categoria: Natureza


08:00 · 20.11.2015 / atualizado às 09:51 · 20.11.2015 por
Como parte da programação, os jornalistas selecionados pela organização, farão visitas externas ao Açude Castanhão (foto) e ao Canal da Integração Foto: Ellen Freitas / Agência Diário
Como parte da programação, os jornalistas selecionados pela organização, farão visitas externas ao Açude Castanhão (foto) e ao Canal da Integração Foto: Ellen Freitas / Agência Diário

Impulsionado pela atual situação hídrica que passa o País e pelo colapso causado pela falta da água nos municípios cearenses, o Instituto Hidroambiental Águas do Brasil (Ihab) realiza, entre os dias 21 a 25 de novembro, no Centro de Eventos do Ceará, o VII Encontro Intercontinental sobre a Natureza (O2).

A seca está entre os principais assuntos em discussão no evento, já que a situação atual de todos os açudes do Ceará é a de menor reserva hídrica da década, segundo dados da Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh). Dos 153 açudes monitorados, 128 estão abaixo de 30% da capacidade. Alguns, tidos como ícones na história do abastecimento de água no Ceará, como o Castanhão, detém apenas 12,78% da capacidade.

Em busca de soluções práticas para o convívio com a seca, geólogos, geógrafos, engenheiros, jornalistas, especialistas e interessados na área do meio ambiente estarão reunidos em Fortaleza para participar do O2, que tem como tema central “Sustentabilidade: práticas de segurança hídrica, alimentar, e economia no Semiárido”.

Os profissionais irão discutir temas relacionados à segurança hídrica, alimentar, socioeconômica e ambiental. O intuito é traçar metas e estratégias públicas sustentáveis para solucionar crises. Esta sétima edição do evento reunirá, em Fortaleza, especialistas da África, Austrália, Alemanha, México, Chile, Canadá, Itália e de outros países, que irão participar de mesas, painéis e talk show.

Para o organizador do evento, o geólogo Clodionor Araújo, o grande objetivo é conscientizar por meio de capacitação, oficinas e palestras, que todos podem contribuir usando racionalmente apenas a quantidade necessária para a sua manutenção. “Ao mostrar claramente exemplos de como as pessoas vivem e utilizam os recursos naturais ajuda a orientar. A divisão de continentes é política. A natureza desconhece esta divisão e atua para atender à vida”, ressalta.

O Ihab é uma organização não governamental sem fins lucrativos, qualificada como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip). Com sede em Fortaleza, conta com a colaboração de profissionais multidisciplinares com experiências em organizações públicas, privadas e do terceiro setor para o cumprimento de sua missão e objetivos.

Evento para jornalistas

Os profissionais do Jornalismo Ambiental terão um espaço dedicado às questões da Comunicação Ambiental. Juntos, eles irão compor o Encontro Intercontinental de Jornalistas Ambientais. A entrada dos profissionais de Comunicação é gratuita para cobertura do evento e palestras da área. Como parte da programação, os jornalistas selecionados pela organização, farão visitas externas ao Açude Castanhão e ao Canal da Integração.

Além do Ceará, jornalistas que trabalham em importantes publicações do gênero de Manaus, São Paulo, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro devem participar do encontro. Os profissionais de Fortaleza e demais regiões do Interior podem se inscrever gratuitamente e conferir a programação no site www.ihab.org.br/o2015.

Mais informações:

Encontro Intercontinental sobre a Natureza (O2)

Data: De 21 a 25 de novembro de 2015

Horário: Das 14h às 21h

Local: Centro de Eventos – Av. Washington Soares, 1141 – Água Fria

Inscrições: As inscrições podem ser realizadas no site www.ihab.org.br/o2015 ou na sede da entidade, que fica na rua Ildefonso Albano, 820 – Meireles

21:31 · 18.06.2015 / atualizado às 21:31 · 18.06.2015 por

Uma pequena vila de pescadores, nas Ilhas Shengsi, parte do Arquipélago Zhoushan, na foz do Rio Yangtze (leste da Baía de Hangzhou), no litoral chinês, tem chamado a atenção de internautas por causa de fotografias que mostram construções cobertas pela vegetação nativa.

O arquipélago compreende 394 ilhas, cada uma com uma área superior a 500 metros quadrados, das quais apenas 18 são habitáveis. O clima subtropical, com temperatura média anual de 15° C, atrai muitos turistas e milhares pescadores a cada ano.

Desabitada, a vila vem sendo lentamente coberta pela vegetação local. Isso faz com que pareça que os edifícios emergem da Terra e lhe confere um aspecto ao mesmo tempo belo e assustador.

Os textos multiplicados com as fotos pela Internet não revelam o motivo do abandono da vila, que parece ter algum tempo, mas revelam o que pode ocorrer se um dia os humanos deixarem de existir neste Planeta.

As informações sobre a autoria das fotos e a localização exata da ilha são desencontradas e, talvez, para o seu bem, seja melhor ficar assim. Sem ser perturbada por curiosos, a natureza continua o seu lento trabalho.

 

22:27 · 13.07.2013 / atualizado às 23:55 · 14.07.2013 por

OLavradordeIpanema

Por Maristela Crispim

“Se uma criança pudesse fazer o mapa de uma cidade – pensava eu, olhando o pé de romã, ele teria menos casas e mais árvores e bichos.” Assim o grande cronista brasileiro Rubem Braga começa o texto “Havia um pé de romã”, um dos 14 escolhidos para fazer parte da coletânea “O lavrador de Ipanema” que reúne os textos que exaltam o seu amor pela natureza.

Com o mesmo carinho que dedicava a plantas e árvores frutíferas de sua cobertura, no Rio de Janeiro, Rubem Braga traduzia em palavras sua admiração pelo verde. Foi exatamente esse traço que fez o seu amigo, também cronista, Paulo Mendes Campos apelidá-lo de “lavrador de Ipanema”.

Em sua cobertura da Rua Barão da Torre, o cronista plantou tantas espécies de plantas e árvores frutíferas que formou um verdadeiro sítio em um dos mais charmosos endereços do Brasil. Pitangueiras, goiabeiras, pés de romã e tantos outros o inspiraram a exaltar essa paixão também por meio das letras.

A editora Record caprichou na nova publicação, lançada por ocasião do último Dia Mundial do Meio ambiente, no mês que passou. Além das ilustrações exclusivamente desenvolvidas para cada texto, pelo premiado artista Andrés Sandoval, a edição, em capa dura, foi confeccionada em papel reciclado.

Fixa técnica

Título: O lavrador de Ipanema

Autor: Rubem Braga

Páginas: 112

Preço: R$ 49,90