Busca

Categoria: Pegada Hídrica


16:34 · 24.03.2011 / atualizado às 16:34 · 24.03.2011 por

 

Com o objetivo de avançar nas estratégias de conservação e gestão da água doce, uma parceria entre WWF Brasil, Water Footprint Network (WFN), The Nature Conservancy e USP São Carlos trouxe ao Brasil o criador do conceito de Pegada Hídrica, Arjen Hoekstra.

O objetivo foi transmitir conhecimento técnico a representantes de instituições-chave que possam unir esforços para atrair o engajamento de governos, empresas, universidades, institutos de pesquisa, ONGs, entre outros, no sentido de implementar a metodologia de gestão eficiente e sustentável da água no País.

A Pegada Hídrica é uma ferramenta de gestão de recursos hídricos que indica o consumo de água doce com base em seus usos direto e indireto. O método permite que as iniciativas públicas e privadas, assim como a população em geral, entendam o quanto de água é necessário para a fabricação de produtos ao longo de toda a cadeia produtiva.

Desta forma, os segmentos da sociedade podem quantificar a sua contribuição para os conflitos de uso da água e degradação ambiental nas bacias hidrográficas em todo o mundo.

A Pegada Hídrica pode ser verde, quando a água da chuva evapora ou é incorporada em um produto durante a sua produção; azul, que calcula as águas superficiais ou subterrâneas que evaporam ou são incorporadas em produtos, ou então devolvidas ao mar ou lançadas em outra bacia; e cinza, que mede o volume de água necessário para diluir a poluição gerada durante o processo produtivo.

Ao analisar a Pegada Hídrica de um produto, é preciso levar em consideração as etapas do processo de fabricação e os locais por onde ele passou – desde a matéria-prima até o produto final.

De acordo com o professor, “a Pegada Hídrica de uma área onde tem água em abundância é muito diferente da que está numa região mais seca”. Por isso, ele criou uma forma de distingui-las.

É possível também calcular a Pegada Hídrica de um indivíduo, de acordo com o padrão de consumo que ele segue e a oferta de produtos que ele tem. O brasileiro tem cerca de 5% da sua pegada em casa, com consumo de água na cozinha e no banheiro, e 95% estão relacionados com o que compra no supermercado, especialmente com produtos agrícolas.

Mesmo já sofrendo com conflitos pelo uso da água doce, a América do Sul tem a maior reserva de recursos hídricos do mundo. Por isso, há uma crescente demanda por produtos de uso intensivo de água na região.

Hoekstra acredita que as empresas estão buscando entender o que podem fazer para ajudar, já que o comprometimento dos recursos hídricos pode afetar diretamente os negócios.

A WFN deu um grande passo e publicou o Manual Técnico de Pegada Hídrica (disponível para download em www.waterfootprint.org), que contém normas globais. A criação de normas globais e padrões é um ponto chave para comparar produtos e empresas.

Médias globais de Pegada Hídrica

1 taça de vinho – 120 litros de água

1 xícara de café – 140 litros de água

1 kg de açúcar refinado – 1.500 litros de água

100 gramas de chocolate – 2.400 litros de água

1 hambúrguer – 2.400 litros de água

1 camiseta de algodão – 2.700 litros de água

Fonte: WWF Brasil