Busca

Categoria: Permacultura


14:58 · 21.02.2013 / atualizado às 19:26 · 21.02.2013 por

Por Maristela Crispim

Dragon Dreaming é método completo para a realização de projetos criativos, colaborativos e sustentáveis a partir dos sonhos e visões coletivas. Este é o tema de curso, realizado em várias cidades brasileiras, em rede, e que começa amanhã, em Fortaleza.

O próprio criador da metodologia, o geógrafo John Croft, vem da Austrália para o curso de aprofundamento (imersão), entre 1º e 10 de março, na Taíba. A alemã Ita Gabert, educadora e terapeuta psico-corporal, começa amanhã o curso introdutório, que vai até domingo, na Escola Vila (Bairro de Fátima).

O Dragon Dreaming vem sendo aplicado há mais de 20 anos em projetos sociais, ambientais, institucionais e no planejamento estratégico participativo para projetos de desenvolvimento comunitário sustentável na Austrália, África, Papua Nova Guiné, Europa e agora no Brasil.

A metodologia inspira-se em teorias de desenvolvimento e aprendizagem organizacionais, na Física contemporânea, na Teoria de Sistemas Vivos, Ecologia Profunda e sabedoria aborígene. Ela tem como princípios o empoderamento de indivíduos, a construção de comunidades e o serviço à Terra. O planejamento de projetos (incluindo o cronograma, atribuição de tarefas e elaboração do orçamento) toma a forma de um tabuleiro de jogos, que é jogado na vida real.

Projetos comunitários

Na segunda etapa do curso, de aprofundamento, também será abordada a “Captação Empoderada de Recursos”, método para a criação de uma base econômico-financeira para sustentar a realização de projetos com esses princípios.

Por esse motivo, o movimento de base comunitária Sabiaguaba em Transição – que articulou esse curso de design de projetos sustentáveis Dragon Dreaming no Ceará – lançou uma campanha – disponível no link http://www.benfeitoria.com/dragondreaming – para facilitar o acesso de agentes da transição e lideranças comunitárias do Ceará e do Nordeste, especialmente da Sabiaguaba, para participar do treinamento na metodologia. O objetivo é que essas pessoas fiquem mais capacitadas e fortalecidas para realizarem projetos comunitários bem sucedidos e sustentáveis.

“Estamos empenhados neste curso por acreditar no poder transformador e inovador desta metodologia para as comunidades, para o poder público, empresas, escolas, ONGs e projetos pessoais”, explica a bióloga Marisol Ginez Albano, educadora ambiental dialógica e membro do Movimento Sabiaguaba em Transição.

Segundo Marisol, a metodologia inclui o planejar, o sonhar, o realizar e o celebrar. Ela destaca que, na sabedoria aborígene, quando a pessoa deixa de acreditar nos seus sonhos é porque metade da alma já morreu.

Bairro ecológico

“Composto pelas comunidades de Sabiaguaba, Gereberaba e Abreulândia, é um bairro intenso e complexo. Essa capacitação os conduz a Sabiaguaba em direção à transição de um bairro em processo acelerado de degradação ambiental e ‘desculturalização’ para um bairro ecológico, de base comunitária e tradicional, capaz de irradiar sustentabilidade para toda a cidade de Fortaleza”, destaca a bióloga.

Ela ressalta que, resguardado pelo mangue e estuário dos rios Cocó e Pacoti, os campos de dunas, a praia, e uma população nativa com um pé em uma tradição rica de práticas sustentáveis e outro em uma cultura da massificação, consumo predatório e degradante, no intuito de conservar e manejar esta bela região foram criadas, em 2006 as Unidades de Conservação da Sabiaguaba, o Parque Natural Municipal das Dunas e a Área de Proteção Ambiental de Sabiaguaba.

Em 2011 foi realizado o plano de manejo dessas unidades, o primeiro a abrigar um zoneamento permacultural e que criou o desafio da transição de Sabiaguaba para o primeiro bairro ecológico de Fortaleza. Foi nesse contexto que um grupo composto por moradores, pesquisadores e apaixonados em geral, disposto a trabalhar, se organizou identificando-se como Movimento Sabiaguaba em Transição.

Dentre as suas ações, destacam-se mais de 30 círculos de diálogo e de ação; a dissertação de mestrado de Marisol, defendida no Programa de Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente (Prodema), da Universidade Federal do Ceará (UFC), resultante de uma pesquisa-ação mesclando o Método Paulo Freire e a Permacultura em Gereberaba; a criação da Feira Agroecológica da Sabiaguaba; e a realização do 1º Festival da Tradição.

Outra rica conquista foi a formação Gaia Education junto ao Curso de Especialização em Educação e Permacultura para a Sustentabilidade em Unidades de Conservação, em parceria com a Universidade Estadual do Ceará (Uece), tendo a Sabiaguaba como um estudo de caso e laboratório.

Como participar

Quem quiser participar do curso com o método Dragon Dreaming em Fortaleza deve acessar www.dragondreamingbr.org  ou informar-se pelos telefones (85) 9734-4232   e (85)8912-2080.

O curso introdutório acontece de 22 a 24 de fevereiro na Escola Viva (Bairro de Fátima); a etapa de aprofundamento segue de 1º a 10 de março na Taíba. Os valores para o curso incluem materiais, alimentação e hospedagem para o aprofundamento.