Busca

Categoria: Poluição Atmosférica


09:27 · 25.11.2013 / atualizado às 09:27 · 25.11.2013 por

O Programa Ambiental do Transporte (Despoluir), chegou ao número de 1 milhão de aferições de caminhões e de ônibus em todo o Brasil. O programa é desenvolvido pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) e pelo Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest Senat).

“Na prática, isso representa menos emissão de poluentes nas cidades e nas rodovias, menos consumo de combustível e maior consciência ambiental entre os transportadores – motoristas de empresas, caminhoneiros autônomos e outros trabalhadores do setor”, conforme destaca o presidente da CNT, senador Clésio Andrade.

O Projeto Redução da Emissão de Poluentes é uma das principais ações do Despoluir, que foi lançado em 2007. São 10 mil empresas e mais de 12 mil caminhoneiros autônomos atendidos. Regularmente, os participantes têm seus caminhões e ônibus aferidos para medir o nível de material particulado (fumaça preta) emitido.

Os veículos que estão de acordo com os índices determinados por lei recebem o selo Despoluir. Os motoristas dos caminhões e ônibus reprovados são orientados por técnicos sobre a necessidade de se fazer a manutenção correta para que haja menos emissão e menor gasto de combustível, dentre outros benefícios.

De acordo com o senador Clésio Andrade, nesses mais de seis anos do Despoluir, “o programa tem contribuído para estimular todo o setor de transporte a trabalhar pelo desenvolvimento sustentável”. No início do programa, o índice de aprovação nas aferições era menor (82,89%) e evoluiu para expressivos 88,69% aprovados em 2013, o que demonstra a incorporação da temática ambiental no transporte.

“Depois de participar do projeto de redução de emissões, muitos transportadores começam a desenvolver outras ações ambientais nas suas empresas, como práticas de reúso de água e gestão de resíduos”, diz o senador Clésio Andrade. As próximas ações do Despoluir serão voltadas para a melhoria da eficiência energética.

Fonte: CNT

08:25 · 11.11.2013 / atualizado às 08:38 · 11.11.2013 por
O Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar faz também outros reconhecimentos, como o Certificado de Qualidade Empresa 100% às empresas com frota totalmente aprovada pelo Programa Despoluir Foto: Eduardo Queiroz / Agência Diário
O Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar, faz também outros reconhecimentos, como o Certificado de Qualidade Empresa 100% às empresas com frota totalmente aprovada pelo Programa Despoluir Foto: Eduardo Queiroz / Agência Diário

Com o objetivo de reconhecer as empresas do setor de transportes de passageiros e de cargas que investem em projetos ambientais, a Federação das Empresas de Transportes Rodoviários (Cepimar) realiza, hoje (11), no 23º Batalhão de Caçadores – Batalhão Marechal Castello Branco, em Fortaleza, a entrega do Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar 2013, já em sua 11ª edição. A solenidade começa às 16 horas e conta com a presença de empresários, personalidades do setor e colaboradores das 29 empresas concorrentes ao prêmio.
O processo de avaliação, realizado de 1 de janeiro a 30 de setembro de 2013, superou as edições anteriores no número de iniciativas quanto à implantação de projetos ambientais. Nos três Estados de atuação da Cepimar, o número de inscrições teve adesão de 134,29% a mais de empresas em relação a 2012.
O Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar também confere Certificado de Qualidade Empresa 100% às empresas com frota totalmente aprovada pelo Programa Despoluir e que não tiveram nenhuma multa aplicada pelos órgãos fiscalizadores ambientais; e o Troféu Destaque Ambiental a personalidades ou instituições cujas ações contribuem para um meio ambiente saudável.
Despoluir
A Cepimar coordena o programa ambiental do transporte, o Despoluir, que tem como objetivo promover o uso racional de combustível no setor de transporte. A equipe do programa realiza aferições periódicas nos veículos das frotas das empresas do Ceará, Piauí e Maranhão. Além de orientar sobre o recebimento e armazenamento do óleo diesel e realizar palestras sobre condução segura e econômica.
Mais informações
Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar – Versão 2013 – Fortaleza
Local: 23º Batalhão de Caçadores – Batalhão Marechal Castello Branco
Data: 11 de novembro (segunda-feira)
Hora: 16h

13:22 · 16.01.2013 / atualizado às 13:33 · 16.01.2013 por
Nas blitze realizadas no Estado, a Região do Cariri desponta como a mais problemática Foto: Divulgação

A região do Cariri é onde se encontra o maior percentual de carros circulando com excesso de fumaça, segundo a Gerência de Análise e Monitoramento (Geamo) da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), responsável pelo Programa de Combate à Fumaça Negra.

O município de Crato foi o campeão em todo o Estado. A média de multas na cidade chegou a 7,2 por cada blitz realizada. De acordo com a gerente da Geamo, Magda Kokay, é preciso intensificar a atuação do programa por lá para que esse índice possa cair e minimizar a poluição atmosférica na região.

Das cidades com grande frota de ônibus, caminhões, utilitários e pickups, Maracanaú é o município que tem apresentado resultados positivos. A média ficou em três carros multados a cada blitz do Programa de Combate à Fumaça Negra, o que mostra uma maior conscientização ambiental da população.

Crescimento

Segundo informações da Semace, o programa obteve crescimento expressivo no número de carros vistoriados e de ações realizadas em 2012. Ao todo, foram 19.862 veículos monitorados, o que representa um aumento de 67% em relação ao ano anterior. Foram 19 blitze a mais, totalizando 174. Outro ponto positivo a ser destacado é que o percentual de automóveis fora dos padrões permaneceu baixo, apenas 3,7%, resultando em 738 autos de infração.

Além de procurar minimizar a poluição gerada pela fumaça expelida dos veículos movidos a diesel, o objetivo da Semace, ao realizar essas ações, é mostrar à sociedade a necessidade de ter sempre o veículo regulado e com a manutenção em dia, para que a emissão de poluentes seja mínima e dentro dos padrões estabelecidos por lei. O programa existe desde 1990. Na época, o percentual de carros poluindo acima do permitido chegava a 34,5.

Metas para 2013

Além de reforçar a ação da Semace no Cariri, a equipe do programa quer intensificar, também, no restante do interior cearense, bem como em algumas cidades da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Outro ponto a ser posto em prática é a utilização do opacímetro na medição do índice de poluição.

A medida faz com que as vistorias deixem de ser feitas pelo método comparativo com a escala de Ringelmann Reduzido, que é composta por cinco tonalidades colorimétricas, que variam do cinza claro ao preto total, e passem a ser computadorizadas.

Fonte: Semace

12:50 · 01.01.2013 / atualizado às 13:34 · 01.01.2013 por

Hoje, 1º de janeiro de 2013, a Petrobras lança o Diesel S-10, com ultra baixo teor de enxofre, para todo o Brasil. O combustível, disponível em torno de 5.900 postos de serviço, sendo mais de 2.400 postos da Petrobras, substitui integralmente o Diesel S-50. Os benefícios ambientais do diesel com baixo teor de enxofre são mais efetivos nos veículos produzidos a partir de 2012. Esses veículos utilizam motores com tecnologia para redução de emissões veiculares atendendo a fase P7 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve).

Além do teor de enxofre ainda menor, o novo Diesel S-10 tem número de cetano (medida de qualidade de ignição) 48 contra 46 do Diesel S-50 com benefícios de melhor partida a frio, redução de fumaça branca, redução na formação de depósitos e aumento da vida útil do óleo lubrificante que podem ser facilmente percebidos pelos motoristas. Esses benefícios também podem ser observados inclusive nos motores de tecnologia anteriores a 2012.

Modernização

A Petrobras investe continuamente na melhoria da qualidade dos combustíveis. Entre 2005 e 2011, foram investidos R$ 38,5 bilhões para modernizar seu parque de refino e adequar a logística para atendimento ao mercado interno, dos quais R$ 19,6 bilhões para a produção e movimentação do diesel de baixo teor de enxofre. Entre 2012 e 2016, ainda serão investidos R$ 27,2 bilhões na modernização das refinarias e adequação da logística para o atendimento do mercado interno, dos quais R$ 20,7 bilhões no programa de qualidade do diesel.

O Diesel S-10 está disponível em 15 polos de venda e terá a oferta ampliada para 17 polos durante o primeiro trimestre de 2013, propiciando o abastecimento de 78 bases de distribuição espalhadas pelo país. A lista completa de postos Petrobras que comercializam o Diesel S-10, que inclui também os pontos de venda do Flua Petrobras (marca própria do Arla 32), está disponível no site www.br.com.br.

Fonte: Petrobras

07:50 · 20.01.2012 / atualizado às 07:50 · 20.01.2012 por

Por Rosalvo Júnior / Agência CNT de Notícias

Ceará e Pernambuco são os Estados com o maior número de revendas adaptadas ou obrigadas a fornecer o combustível

O Nordeste é a região com maior número de postos adaptados à oferta do diesel S50 – com menor teor de enxofre e menos poluente –, cuja venda se tornou obrigatória em todo o País a partir deste ano.

Ceará e Pernambuco são os Estados com o maior número de revendas varejistas adaptadas ou obrigadas a oferecer o combustível, segundo recente determinação da Agência Nacional de Petróleo (ANP).

Os Estados figuram em primeiro lugar porque, desde 1º de maio de 2009, o S50 é comercializado como único tipo de óleo diesel rodoviário nas regiões metropolitanas de Fortaleza, Recife e Belém (na região Norte).

Agora, para garantir o abastecimento do combustível em todo o território nacional, a ANP selecionou 3.100 postos que se juntarão aos outros 1.100 estabelecimentos que já vendem o produto nessas três capitais.

No total, de acordo com a lista divulgada pela ANP, mais de 4.200 postos estão obrigados a cumprir a norma. Eles foram escolhidos supondo uma autonomia mínima de 100 km para os veículos pesados.

Estão incluídas na determinação as revendas em que o número de bicos para abastecer motores a diesel seja superior ao de bicos para veículos com motores do ciclo Otto – gasolina e etanol.

Em relação ao restante da lista, a posição do Sudeste chama a atenção. Apesar de ter a maior malha rodoviária do país – 26.778 km ou 33% das rodovias federais e estaduais pavimentadas, segundo a Pesquisa CNT de Rodovias 2011 –, a região figura em segundo lugar, atrás do Nordeste, entre as que possuem maior número de postos obrigados a oferecer o S50, aproximadamente 840.

Fiscalização

A ANP está fiscalizando o cumprimento da norma. Na última sexta-feira (13 de janeiro), a Agência visitou oito estabelecimentos na Grande São Paulo e constatou que em dois deles não havia o S50 nos tanques de abastecimento. Os postos foram autuados e, ao final do processo administrativo, podem pagar multa que varia de R$ 5 mil a R$ 2 milhões, segundo a Lei 9.847/1999.

“Infelizmente, chegamos à condição de ser autuados. Isso tudo é desnecessário porque cria um antagonismo entre o agente econômico e a agência reguladora”, avalia o diretor de postos de rodovia da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e Lubrificantes (Fecombustíveis), Ricardo Hashimoto. Ele garantiu à Agência CNT de Notícias que existem postos com o produto à disposição em que, até o momento, nenhum veículo parou para abastecer.

Hashimoto acrescenta que a fiscalização deveria ser um pouco mais tolerante, uma vez que as mudanças nos estabelecimentos não são imediatas e devem ser feitas com critério. “Para fazer uma modificação, diversas instâncias devem se manifestar. Licenças ambientais podem atrasar, temos limitações. Os postos irão se adaptar à medida em que os consumidores começarem a procurar pelo produto”, explica.

Para a análise da qualidade do combustível oferecido aos caminhões, a ANP vai colher, durante as fiscalizações, amostras do diesel S50 nos postos avaliados. Denúncias sobre irregularidades podem ser encaminhadas para o Centro de Relações com o Consumidor da ANP pelo telefone 0800 970 0267 ou por meio de formulário eletrônico disponível na página da ANP.

07:14 · 28.11.2011 / atualizado às 09:16 · 30.11.2011 por
A expectativa é que a decisão tenha reflexos na modernização e na competitividade do parque industrial brasileiro Foto: SXC.hu

Indústrias, refinarias de petróleo, termoelétricas a gás e a óleo e fábricas de cimento, que entraram em operação antes de 2006, terão que reduzir as emissões de poluentes aos níveis adotados para as novas plantas. A medida foi aprovada na quinta-feira (24 de novembro), durante reunião do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama).

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), os prazos para a adequação variam de cinco a 15 anos, conforme a atividade. Além do impacto na melhoria da qualidade do ar, a expectativa é que a decisão tenha reflexos na modernização e na competitividade do parque industrial brasileiro.

Ainda segundo o ministério, o desafio, a partir de agora, é dotar o País de um sistema de monitoramento capaz de assegurar a efetividade da resolução aprovada. A nova resolução prevê que as emissões de gases tóxicos como o sulfúrico, o nítrico e o fosfórico, além de particulados, sejam limitadas e monitoradas.

Fonte: Paula Laboissière /Agência Brasil

11:32 · 27.09.2011 / atualizado às 11:33 · 27.09.2011 por
A poluição do ar afeta mais a nossa saúde do que imaginamos Foto: Agência Reuters

Pelo menos 2 milhões de pessoas morrem no mundo devido à má qualidade do ar causada por poluição. A conclusão é da Organização Mundial da Saúde (OMS), que analisou dados de 1.100 cidades, de 91 países, com mais de 100 mil habitantes. Segundo especialistas, a contaminação do ar pode levar a problemas cardíacos e respiratórios.

“A poluição atmosférica é um grave problema de saúde ambiental. É vital que aumentemos os esforços para reduzir o impacto na saúde que (a poluição atmosférica) cria”, disse a diretora de Saúde Pública e Meio Ambiente da OMS, Maria Neira.

De acordo com ela, é necessário que as autoridades de cada País façam monitoramentos constantes para medir a poluição do ar. “(Assim) podemos reduzir significativamente o número de pessoas que sofrem de doenças respiratórias e cardíacas e até de câncer de pulmão.”

Segundo Neira, é fundamental lembrar que a poluição do ar é provocada por vários fatores, como os gases de escapamentos dos veículos, a fumaça de fábricas e fuligem das usinas de carvão. “Em muitos países não há qualquer regulamentação sobre a qualidade do ar. Quando há normas nacionais, elas variam muito na sua aplicação.”

A OMS informou ainda que em 2008 cerca de 1,34 milhão de pessoas morreram prematuramente por causa dos efeitos da poluição sobre a saúde. Segundo especialistas, políticas de prevenção podem evitar as mortes prematuras.

Fonte: Renata Giraldi / Agência Brasil