Busca

Categoria: Poluição do Ar


18:41 · 28.09.2016 / atualizado às 18:41 · 28.09.2016 por
A estimativa é que cerca de 3 milhões de mortes ao ano estejam ligadas à exposição à poluição externa do ar Foto: Natinho Rodrigues / Agência Diário
A estimativa é que cerca de 3 milhões de mortes ao ano estejam ligadas à exposição à poluição externa do ar Foto: Natinho Rodrigues / Agência Diário

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou ontem (28) que 92% da população global vivem atualmente em áreas onde os níveis de qualidade do ar ultrapassam os limites mínimos estabelecidos pela entidade.

Os dados integram o mais completo relatório global já divulgado pela organização sobre zonas de perigo para poluição do ar, com base em informações de medições por satélite, modelos de transporte aéreo e monitores de estação terrestre de mais de 3 mil localidades rurais e urbanas.

Poluição atmosférica e saúde

A estimativa é que cerca de 3 milhões de mortes ao ano estejam ligadas à exposição à poluição externa do ar. A poluição interna do ar, entretanto, aparenta ser igualmente perigosa já que, em 2012, em torno de 6,5 milhões de mortes estavam associadas à poluição interna e externa juntas.

De acordo com a OMS, quase 90% das mortes relacionadas à poluição do ar são registradas em países de baixa e média renda, sendo que quase dois em cada três óbitos foram contabilizados no sudeste da Ásia e em regiões ocidentais do Pacífico.

Ainda segundo o relatório, 92% das mortes são provocadas por doenças não comunicáveis, sobretudo doenças cardiovasculares, derrame, doença obstrutiva pulmonar crônica e câncer de pulmão. A poluição do ar também aumenta os riscos de infecções respiratórias graves.

“A poluição do ar continua prejudicando a saúde das populações mais vulneráveis – mulheres, crianças e adultos de mais idade”, disse a diretora-geral adjunta da organização, Flavia Bustreo. “Para que as pessoas sejam saudáveis, elas precisam respirar ar limpo do primeiro ao último suspiro”, completou.

Fontes de poluição

A OMS alerta que as principais fontes de poluição do ar incluem modelos ineficientes de transporte; combustível doméstico e queima de resíduos; usinas de energia movidas a carvão; e atividades industriais em geral.

“Para enfrentar a poluição do ar, é preciso agir o mais rápido possível”, defendeu a diretora do Departamento de Saúde Pública e Determinantes Ambientais e Sociais de Saúde da OMS, Maria Neira.

“As soluções existem por meio do transporte sustentável nas cidades, da gestão de resíduos sólidos, do acesso a combustíveis domésticos limpos e fogões, bem como de energias renováveis e da redução de emissões industriais”, concluiu Maria.

Fonte: Agência Brasil

18:45 · 25.01.2014 / atualizado às 19:02 · 25.01.2014 por

conpet

Trinta e seis marcas de automóveis aderiram voluntariamente, neste ano, ao Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBEV), coordenado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), em parceria com o Programa Nacional da Racionalização do Uso dos Derivados do Petróleo e do Gás Natural (Conpet), vinculado ao Ministério de Minas e Energia (MME) e realizado pela Petrobras.

A nova lista, que tem 496 modelos autorizados a utilizar a Etiqueta Nacional de Conservação de Energia em 2014, contempla informações sobre o consumo de combustível, o nível de emissões de Dióxido de Carbono (CO2), um dos gases responsáveis pelo efeito estufa, e de gases poluentes regulados pelo Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

A consulta sobre o consumo dos automóveis está disponível no site do Conpet  e pode ser feita por categoria de veículo, marca, modelo ou motor. Também permite ordenar pelo menor consumo e comparar todos os modelos pelas suas classificações que vão desde “A”, para mais eficiente, até “E”, para menos eficiente, tanto na sua categoria como entre todos os modelos participantes.

Os 113 modelos de 14 marcas que obtiveram as melhores classificações são contemplados adicionalmente com o Selo Conpet de Eficiência Energética concedido pela Petrobras.

Também está disponível a classificação quanto à redução da emissão de gases poluentes em relação aos limites do Proconve, indicando com uma estrela os carros que emitem mais e até três estrelas para os que emitem menos.

O site traz ainda novas funcionalidades para o consumidor: ao clicar no nome do modelo serão exibidas informações sobre consumo, emissões e classificações comparativas e um clique na marca permite o acesso à sua página eletrônica.

As informações sobre o consumo dos veículos com etanol e gasolina na cidade e na estrada são declaradas ao Inmetro pelas empresas participantes, após testarem seus modelos em laboratórios semelhantes ao laboratório de ensaios veiculares do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), utilizado para desenvolvimento dos combustíveis e que dá suporte técnico ao PBEV.

Também apoiam o PBEV o laboratório da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), a Agência Nacional do Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e representantes das marcas associadas à Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e à Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva).

Economia

Poderão ser visualizadas no site as dicas do Conpet para economizar combustível. Fatores como a falta de manutenção, pneus descalibrados, direção agressiva com acelerações e frenagens bruscas, trânsito congestionado, velocidade elevada, combustível inapropriado, condições adversas da via ou excesso de peso influenciam a eficiência dos veículos, podendo aumentar em mais de 20% o consumo de combustível declarado.

Fonte: Petrobras

09:27 · 25.11.2013 / atualizado às 09:27 · 25.11.2013 por

O Programa Ambiental do Transporte (Despoluir), chegou ao número de 1 milhão de aferições de caminhões e de ônibus em todo o Brasil. O programa é desenvolvido pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) e pelo Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest Senat).

“Na prática, isso representa menos emissão de poluentes nas cidades e nas rodovias, menos consumo de combustível e maior consciência ambiental entre os transportadores – motoristas de empresas, caminhoneiros autônomos e outros trabalhadores do setor”, conforme destaca o presidente da CNT, senador Clésio Andrade.

O Projeto Redução da Emissão de Poluentes é uma das principais ações do Despoluir, que foi lançado em 2007. São 10 mil empresas e mais de 12 mil caminhoneiros autônomos atendidos. Regularmente, os participantes têm seus caminhões e ônibus aferidos para medir o nível de material particulado (fumaça preta) emitido.

Os veículos que estão de acordo com os índices determinados por lei recebem o selo Despoluir. Os motoristas dos caminhões e ônibus reprovados são orientados por técnicos sobre a necessidade de se fazer a manutenção correta para que haja menos emissão e menor gasto de combustível, dentre outros benefícios.

De acordo com o senador Clésio Andrade, nesses mais de seis anos do Despoluir, “o programa tem contribuído para estimular todo o setor de transporte a trabalhar pelo desenvolvimento sustentável”. No início do programa, o índice de aprovação nas aferições era menor (82,89%) e evoluiu para expressivos 88,69% aprovados em 2013, o que demonstra a incorporação da temática ambiental no transporte.

“Depois de participar do projeto de redução de emissões, muitos transportadores começam a desenvolver outras ações ambientais nas suas empresas, como práticas de reúso de água e gestão de resíduos”, diz o senador Clésio Andrade. As próximas ações do Despoluir serão voltadas para a melhoria da eficiência energética.

Fonte: CNT

08:25 · 11.11.2013 / atualizado às 08:38 · 11.11.2013 por
O Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar faz também outros reconhecimentos, como o Certificado de Qualidade Empresa 100% às empresas com frota totalmente aprovada pelo Programa Despoluir Foto: Eduardo Queiroz / Agência Diário
O Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar, faz também outros reconhecimentos, como o Certificado de Qualidade Empresa 100% às empresas com frota totalmente aprovada pelo Programa Despoluir Foto: Eduardo Queiroz / Agência Diário

Com o objetivo de reconhecer as empresas do setor de transportes de passageiros e de cargas que investem em projetos ambientais, a Federação das Empresas de Transportes Rodoviários (Cepimar) realiza, hoje (11), no 23º Batalhão de Caçadores – Batalhão Marechal Castello Branco, em Fortaleza, a entrega do Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar 2013, já em sua 11ª edição. A solenidade começa às 16 horas e conta com a presença de empresários, personalidades do setor e colaboradores das 29 empresas concorrentes ao prêmio.
O processo de avaliação, realizado de 1 de janeiro a 30 de setembro de 2013, superou as edições anteriores no número de iniciativas quanto à implantação de projetos ambientais. Nos três Estados de atuação da Cepimar, o número de inscrições teve adesão de 134,29% a mais de empresas em relação a 2012.
O Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar também confere Certificado de Qualidade Empresa 100% às empresas com frota totalmente aprovada pelo Programa Despoluir e que não tiveram nenhuma multa aplicada pelos órgãos fiscalizadores ambientais; e o Troféu Destaque Ambiental a personalidades ou instituições cujas ações contribuem para um meio ambiente saudável.
Despoluir
A Cepimar coordena o programa ambiental do transporte, o Despoluir, que tem como objetivo promover o uso racional de combustível no setor de transporte. A equipe do programa realiza aferições periódicas nos veículos das frotas das empresas do Ceará, Piauí e Maranhão. Além de orientar sobre o recebimento e armazenamento do óleo diesel e realizar palestras sobre condução segura e econômica.
Mais informações
Prêmio Melhoria da Qualidade do Ar – Versão 2013 – Fortaleza
Local: 23º Batalhão de Caçadores – Batalhão Marechal Castello Branco
Data: 11 de novembro (segunda-feira)
Hora: 16h

13:22 · 16.01.2013 / atualizado às 13:33 · 16.01.2013 por
Nas blitze realizadas no Estado, a Região do Cariri desponta como a mais problemática Foto: Divulgação

A região do Cariri é onde se encontra o maior percentual de carros circulando com excesso de fumaça, segundo a Gerência de Análise e Monitoramento (Geamo) da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), responsável pelo Programa de Combate à Fumaça Negra.

O município de Crato foi o campeão em todo o Estado. A média de multas na cidade chegou a 7,2 por cada blitz realizada. De acordo com a gerente da Geamo, Magda Kokay, é preciso intensificar a atuação do programa por lá para que esse índice possa cair e minimizar a poluição atmosférica na região.

Das cidades com grande frota de ônibus, caminhões, utilitários e pickups, Maracanaú é o município que tem apresentado resultados positivos. A média ficou em três carros multados a cada blitz do Programa de Combate à Fumaça Negra, o que mostra uma maior conscientização ambiental da população.

Crescimento

Segundo informações da Semace, o programa obteve crescimento expressivo no número de carros vistoriados e de ações realizadas em 2012. Ao todo, foram 19.862 veículos monitorados, o que representa um aumento de 67% em relação ao ano anterior. Foram 19 blitze a mais, totalizando 174. Outro ponto positivo a ser destacado é que o percentual de automóveis fora dos padrões permaneceu baixo, apenas 3,7%, resultando em 738 autos de infração.

Além de procurar minimizar a poluição gerada pela fumaça expelida dos veículos movidos a diesel, o objetivo da Semace, ao realizar essas ações, é mostrar à sociedade a necessidade de ter sempre o veículo regulado e com a manutenção em dia, para que a emissão de poluentes seja mínima e dentro dos padrões estabelecidos por lei. O programa existe desde 1990. Na época, o percentual de carros poluindo acima do permitido chegava a 34,5.

Metas para 2013

Além de reforçar a ação da Semace no Cariri, a equipe do programa quer intensificar, também, no restante do interior cearense, bem como em algumas cidades da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Outro ponto a ser posto em prática é a utilização do opacímetro na medição do índice de poluição.

A medida faz com que as vistorias deixem de ser feitas pelo método comparativo com a escala de Ringelmann Reduzido, que é composta por cinco tonalidades colorimétricas, que variam do cinza claro ao preto total, e passem a ser computadorizadas.

Fonte: Semace

12:50 · 01.01.2013 / atualizado às 13:34 · 01.01.2013 por

Hoje, 1º de janeiro de 2013, a Petrobras lança o Diesel S-10, com ultra baixo teor de enxofre, para todo o Brasil. O combustível, disponível em torno de 5.900 postos de serviço, sendo mais de 2.400 postos da Petrobras, substitui integralmente o Diesel S-50. Os benefícios ambientais do diesel com baixo teor de enxofre são mais efetivos nos veículos produzidos a partir de 2012. Esses veículos utilizam motores com tecnologia para redução de emissões veiculares atendendo a fase P7 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve).

Além do teor de enxofre ainda menor, o novo Diesel S-10 tem número de cetano (medida de qualidade de ignição) 48 contra 46 do Diesel S-50 com benefícios de melhor partida a frio, redução de fumaça branca, redução na formação de depósitos e aumento da vida útil do óleo lubrificante que podem ser facilmente percebidos pelos motoristas. Esses benefícios também podem ser observados inclusive nos motores de tecnologia anteriores a 2012.

Modernização

A Petrobras investe continuamente na melhoria da qualidade dos combustíveis. Entre 2005 e 2011, foram investidos R$ 38,5 bilhões para modernizar seu parque de refino e adequar a logística para atendimento ao mercado interno, dos quais R$ 19,6 bilhões para a produção e movimentação do diesel de baixo teor de enxofre. Entre 2012 e 2016, ainda serão investidos R$ 27,2 bilhões na modernização das refinarias e adequação da logística para o atendimento do mercado interno, dos quais R$ 20,7 bilhões no programa de qualidade do diesel.

O Diesel S-10 está disponível em 15 polos de venda e terá a oferta ampliada para 17 polos durante o primeiro trimestre de 2013, propiciando o abastecimento de 78 bases de distribuição espalhadas pelo país. A lista completa de postos Petrobras que comercializam o Diesel S-10, que inclui também os pontos de venda do Flua Petrobras (marca própria do Arla 32), está disponível no site www.br.com.br.

Fonte: Petrobras

17:45 · 17.12.2011 / atualizado às 17:47 · 17.12.2011 por

A presidente Dilma Rousseff sancionou a lei que proíbe o fumo em locais fechados em todo o País, sejam eles públicos ou privados. A mudança na legislação foi publicada nesta quinta-feira (15 de dezembro) no “Diário Oficial da União”.

Conforme o texto sancionado pela presidente, o Poder Executivo precisará regulamentar o artigo que trata sobre o fumo. Não há prazo para que a regulamentação seja feita.

Considera-se recinto coletivo público ou privado “local fechado, de acesso público, destinado a permanente utilização simultânea por várias pessoas”. Entram nessa regra, por exemplo, os shoppings.

O texto altera os artigos 2 e 3 da Lei 9.294/1996. O artigo segundo previa o fumo em recinto coletivo “salvo em área destinada exclusivamente a esse fim, devidamente isolada e com arejamento conveniente”.

Atualmente, o fumo em locais fechados já é proibido por leis estaduais, como em Rio, São Paulo e Paraná, além de outros Estados. Com a nova legislação, a proibição passará a ser em todo território nacional.

O texto amplia ainda as restrições à propaganda do cigarro, com aumento da advertência sobre os riscos do fumo. A medida torna obrigatório o aumento de avisos sobre os malefícios do fumo, que deverão aparecer em 30% da área frontal do maço de cigarros, a partir de 1º de janeiro de 2016.

A publicidade em pontos de vendas também fica proibida “com exceção apenas da exposição dos referidos produtos nos locais de venda”.

De acordo com o ministério da Saúde, o texto também prevê aumento na carga tributária dos cigarros, além de fixar preço mínimo de venda do produto no varejo.

Fica estabelecida em 300% a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para o cigarro. O aumento também precisará passar por regulamentação. Conforme o governo, o aumento no preço do produto está previsto para o início de 2012. Com o reajuste do imposto e o estabelecimento de um preço mínimo, o cigarro subirá cerca de 20%, em 2012, chegando a 55% em 2015.

Na Câmara, o relator da proposta, deputado Renato Molling (PP-RS), tentou manter os fumódromos por meio de uma emenda à medida.

O texto previa, porém, que o estabelecimento indicasse que o fumo é permitido e que seja vetada a entrada de menores de 18 anos.

O Ministério da Saúde disse que não apoiava a emenda e que o governo tinha agenda contínua para restrição do fumo.

O texto acabou sendo aprovado na Câmara em 26 de outubro já sem a possibilidade dos fumódromos.

Fonte: G1

11:32 · 27.09.2011 / atualizado às 11:33 · 27.09.2011 por
A poluição do ar afeta mais a nossa saúde do que imaginamos Foto: Agência Reuters

Pelo menos 2 milhões de pessoas morrem no mundo devido à má qualidade do ar causada por poluição. A conclusão é da Organização Mundial da Saúde (OMS), que analisou dados de 1.100 cidades, de 91 países, com mais de 100 mil habitantes. Segundo especialistas, a contaminação do ar pode levar a problemas cardíacos e respiratórios.

“A poluição atmosférica é um grave problema de saúde ambiental. É vital que aumentemos os esforços para reduzir o impacto na saúde que (a poluição atmosférica) cria”, disse a diretora de Saúde Pública e Meio Ambiente da OMS, Maria Neira.

De acordo com ela, é necessário que as autoridades de cada País façam monitoramentos constantes para medir a poluição do ar. “(Assim) podemos reduzir significativamente o número de pessoas que sofrem de doenças respiratórias e cardíacas e até de câncer de pulmão.”

Segundo Neira, é fundamental lembrar que a poluição do ar é provocada por vários fatores, como os gases de escapamentos dos veículos, a fumaça de fábricas e fuligem das usinas de carvão. “Em muitos países não há qualquer regulamentação sobre a qualidade do ar. Quando há normas nacionais, elas variam muito na sua aplicação.”

A OMS informou ainda que em 2008 cerca de 1,34 milhão de pessoas morreram prematuramente por causa dos efeitos da poluição sobre a saúde. Segundo especialistas, políticas de prevenção podem evitar as mortes prematuras.

Fonte: Renata Giraldi / Agência Brasil