Busca

Categoria: Reúso


11:26 · 21.03.2017 / atualizado às 11:35 · 21.03.2017 por

Grandes especialistas nos temas reúso e dessalinização se reunirão, nesta quinta-feira (23), em Fortaleza, no 1º Simpósio Nacional sobre Dessalinização e Reúso: Viabilizando Alternativas à Escassez Hídrica. O evento é promovido pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes) na capital cearense, em parceria com a Abes Seção CE e a Câmara Temática Dessalinização e Reúso da Abes.

O encontro é uma das etapas preparatórias para o Congresso Abes Fenasan 2017, o maior encontro de Saneamento Ambiental das Américas, que será promovido em São Paulo, de 2 a 6 de outubro. O objetivo do Simpósio, que ocorrerá no Novotel Fortaleza, é debater e incentivar o uso da dessalinização e do reúso, tanto em custo quanto em aplicações, para que sejam opções viáveis na busca de soluções frente às situações de crise hídrica.

Segundo Álvaro José Menezes da Costa, diretor nacional da Abes, o simpósio visa a aprofundar a discussão do tema “e exibir exemplos práticos de reúso no Brasil, casos de reúso no exterior e também de dessalinização, que possam, de fato, ser aplicados na realidade nordestina o mais rápido possível”. Segundo Álvaro Menezes, a seca já atinge até as capitais nordestinas. “O risco de colapso é iminente”, alerta.

“O I Simpósio de Dessalinização e Reúso da Abes vem no momento oportuno e para romper paradigmas”, ressalta o coordenador da Câmara Temática Dessalinização e Reúso, Renato Giani Ramos. Ele ressalta as sérias crises hídricas enfrentadas por diferentes regiões do Brasil. “No meio de uma gravíssima falta de água na maioria das cidades do Nordeste, Fortaleza foi escolhida para debater em nível nacional alternativas para o fornecimento de água”.

O evento, explica, trará uma visão técnica, gerencial e econômica e reunirá experientes profissionais de diversas áreas e países para debater, de maneira ampla e assertiva, como viabilizar as soluções de dessalinização e reúso para a realidade brasileira. “O que um dia foi considerado uma alternativa cara, cada vez mais torna-se viável e necessária para poder ampliar a gama de alternativas de produção de água, de tal maneira que se garanta o abastecimento contínuo e com excelente padrão de qualidade, tanto para a indústria como para a população”, explica o coordenador. “É o chamado ‘cardápio de opções´”, completa.
Abes
Com 51 anos de atuação pelo saneamento e meio ambiente no Brasil, a Abes reúne em seu corpo associativo cerca de dez mil profissionais do setor e tem como missão ser propulsora de atividades técnico-científicas, político-institucionais e de gestão que contribuam para o desenvolvimento do saneamento ambiental, visando à melhoria da saúde, do meio ambiente e da qualidade de vida das pessoas.

Programação:

Mesa Redonda – Crise Hídrica no Nordeste: Passado, Presente e Futuro
Coordenador da Mesa: Renato Giani Ramos – coordenador da Câmara Temática de Dessalinização e Reúso / Empresa Dow Water& Process Solutions
Palestrantes
Helder dos Santos Cortez – diretor da Unidade de Negócio do Interior da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece)
Gianni Lima – assessor da Presidência da Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh)
Jesualdo Farias – titular da Secretaria das Cidades (Scidades)
Ronaldo Stefanutti – professor da Universidade Federal do Ceará (UFC)
Artur José Vieira Bruno – titular da Secretaria do Meio Ambiente (Sema)
Fuad Moura Braga – gerente de Programas Internacionais na Assessoria de Projetos Especiais – Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb)/Diretor da Abes-DF

Painel 1 – Financiamentos e Planos Regionais e Nacionais para a Dessalinização e Reutilização da Água
Coordenação e Mediação: Álvaro José Menezes da Costa – GO Associados
Palestra 1: Dessalinização e Reutilização da Água em Planos Nacionais e Regionais – Helene Kubler – CH2M HILL
Palestra 2: Financiamento Público e Privado às alternativas em dessalinização e reúso para a crise hídrica – Wladimir Ribeiro – Manesco e Associados
Palestra 3: Como estruturar um modelo de negócio para produção de água de reúso – um caso na prática – Fernando Gomes – Aquapolo

Painel 2 – Operação, Manutenção e Uso de Plantas de Dessalinização ou Reúso
Coordenação e Mediação: Alexander Fortin – CH2M Hill
Palestra 1: Viabilizando o Uso de Plantas Móveis e Pequenos Sistemas de Baixo Custo para o Fornecimento de Água Potável – Pablo Tojo – GRUNDFOS Holding A/S
Palestra 2: Operação e Manutenção de Plantas de Dessalinização – Fabian Fenóglio – SUEZ
Palestra 3: Dessalinização como Alternativa à Escassez Hídrica – Sérgio Hilsdorf – Veolia Water Technologies

Painel 3: Aplicações e Práticas de Dessalinização e Reúso
Coordenação e Mediação: Fernando Gomes – AQUAPOLO
Palestra 1: Práticas de Reuso de Água – Adrianus C. Van Haandel – Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental – UFCG
Palestra 2: Experiências de Dessalinização – José Roberto Ramos – RWL Water
Palestra 3: Aplicações e Práticas de Dessalinização e Reúso – Soluções por WABAG – Atul Injatkar – VA TECH WABAG LTD.

Mais informações:
1º Simpósio Nacional sobre Dessalinização e Reúso: Viabilizando Alternativas à Escassez Hídrica
Data: dia 23 de março de 2017 – das 8h45 às 17h15
Local: Novotel Fortaleza
Site para mais informações e inscrições
Site do Congresso ABES Fenasan 2017

13:13 · 19.05.2014 / atualizado às 13:13 · 19.05.2014 por

Até 11 de agosto, a Agência Nacional de Águas (ANA) receberá inscrições de propostas de ações de reúso agrícola de efluentes tratados no Semiárido para a chamada pública “Seleção de propostas para Desenvolvimento de Ações de Reúso Agrícola de Efluentes Tratados no Semiárido Brasileiro”.

Os trabalhos podem ser realizados por municípios, Estados ou consórcios intermunicipais e as inscrições devem ser realizadas através do Portal de Convênios SINCONV, página que contém o edital na íntegra.

A seleção busca escolher propostas de reúso agrícola de efluentes tratados no Semiárido em municípios com até 50 mil habitantes, para que sirvam de difusoras e multiplicadoras da prática de reúso agrícola.

Os três trabalhos demonstrativos selecionados serão financiados, via contrato de repasse, num total de R$ 4 milhões do orçamento da ANA. Os recursos somente serão liberados, conforme as etapas dos projetos sejam realizadas.

O edital contempla ações em três vertentes:

  • Implantação de novo sistema de tratamento de esgoto e de sistema de reúso agrícola de esgoto tratado
  • Adequação de sistema de tratamento de esgoto existente e implementação de sistema de reúso agrícola de esgoto tratado
  • Adequação de sistema atual e implantação de novo sistema de tratamento de esgoto e implementação de sistema de reúso agrícola de esgoto tratado

Com os trabalhos selecionados, a ANA busca estimular ações que contribuam com o saneamento e a qualidade de vida das regiões e municípios beneficiados, ajudando a reduzir a mortalidade infantil e a aumentar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) local.

Entre outros possíveis benefícios, as propostas também podem auxiliar na melhora da qualidade dos corpos d’água, além de incentivar a ampliação da área irrigada e o aumento da produtividade na agricultura.

A primeira etapa do processo seletivo é para habilitação das propostas prévias. Em seguida vem a fase de avaliação dos projetos. Por último, a ANA fará a análise e a seleção dos trabalhos habilitados e formará um Banco de Propostas, que será composto por aquelas classificadas e não aproveitadas em virtude da limitação de recursos do edital. Caso surja disponibilidade orçamentária, estas propostas poderão ser financiadas.

Fonte: ANA

 

16:54 · 20.10.2012 / atualizado às 17:02 · 20.10.2012 por

Cinco barcos confeccionados com garrafas PET, pela comunidade do Mundaú, foram entregues hoje, 20 de outubro, às 16horas, no clube Ronco do Mar, em Trairi, litoral oeste do Ceará. Eles serão utilizados na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio que dá nome ao município, conforme destaca a supervisora da Apa do estuário, Ana Michelle da Cruz Silva. Este projeto é uma compensação ambiental da Petrobras.

Somente em Trairi, foram coletadas quatro mil garrafas PET das praias, pela própria comunidade, e 16 pessoas fizeram o curso que entra agora na fase final. A OAK Soluções ambientais foi a empresa que projetou e ensinou a fabricação das embarcações.

O barco utiliza garrafas plásticas do tipo PET (polietileno tereftalato) como elementos de flutuação e piso e outros materiais em sua composição, tais como kits de peças pré-fabricadas, encomendados de outros profissionais, como os bicos de madeira e as ripas laterais de contenção das garrafas.

Compensação

Ana Michelle explicou que de acordo com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), as comunidades que habitam ou trabalham na área de influência das atividades petrolíferas marinhas, devem ser compensadas por eventuais impactos decorrentes desses empreendimentos.

O Plano de Compensação da Atividade Pesqueira (PCAP) e o Programa de Educação Ambiental (PEA) são condicionantes estabelecidos pelo órgão ambiental com base nesta concepção. As comunidades de Trairi (Mundaú e Canabrava) escolheram esse projeto, após um diagnóstico participativo dos problemas socioambientais locais.

A escolha do projeto pela Petrobras decorreu da proposição da escolha do reúso do PET, um produto industrial emblemático na questão ambiental, que por sua resistência e baixo preço torna-se um dos resíduos mais abundantes encontrados em praias, mangues, rios, lixões e bueiros das localidades-alvo, criando inúmeros problemas, inclusive de saúde pública; e o incentivo ao desenvolvimento da cultura do reaproveitamento, podendo ser estendido à confecção de outros objetos usados na atividade pesqueira.