Busca

Categoria: Sustentabilidade Rural


09:33 · 23.08.2016 / atualizado às 20:39 · 22.08.2016 por

Uma planta que até pouco tempo atrás era usada somente como cerca viva para defesa de propriedades rurais começa a ganhar o status de alternativa forrageira para o gado e de uma arma poderosa que os agricultores familiares podem utilizar para recuperar áreas degradadas e em processo de desertificação no Semiárido brasileiro. A espécie em questão é a Opuntia dillenii, popularmente conhecida como Palma de Espinhos. Sem contar que ela ainda apresenta a vantagem genética de ser imune às pragas da Cochonilha do Carmim e de Carapaça.

Uma pesquisa realizada no sítio São Pedro, de propriedade do agricultor experimentador Valdir da Silva Souza, localizado no distrito de Catolé de Boa Vista, do município de Campina Grande (PB), entre agosto de 2015 a junho de 2016, demonstrou que, em um período de dez meses, a Palma de Espinhos, mesmo cultivada em um solo degradado e com as plantas submetidas a pouca chuvas, foi capaz de produzir 7.341,71 kg/ha de massa verde ou 5.873,87 kg de água/ha.

Nesse cenário, as plantações surgem como uma alternativa agricultável denominada de “roçados de espinhos”. Neles os agricultores familiares podem formar os açudes verdes, já que as plantas armazenam alto teor de água. No entanto, o que mais impressionou os pesquisadores foi a capacidade da Opuntia dillenii recuperar o solo de áreas degradadas e mesmo daquelas já submetidas a estágios severos de desertificação.

Dados preliminares apontam que o solo do terreno que serviu de base para a experiência apresentou significativa melhora de todos os indicadores de nutrientes e atividade biológica. Como plantar? No experimento científico a espécie foi cultivada em um espaçamento de 1.5 m x 0,5 m x 0,5 m, o terreno localizado entre as fileiras de plantas foi usado para produção de feno e cobertura morta, evitando-se a limpeza da área intercalada. (Com informações do Instituto Nacional do Semiárido (Insa).

07:17 · 10.01.2013 / atualizado às 07:17 · 10.01.2013 por

O prazo para participar do Concurso de Artigos sobre Iniciativas de Estímulo à Sustentabilidade nas Micro e Pequenas Empresas termina em 20 de janeiro. O concurso marca uma década da parceria entre o Serviço Brasileiro de Apoio a Micro e Pequena Empresa (Sebrae) e a Confederação Nacional de Municípios (CNM).

As inscrições deverão ser encaminhadas por sedex ou serviço similar. O objetivo é valorizar exemplos bem-sucedidos de políticas públicas, no âmbito dos municípios, que estimulem o desenvolvimento local e contribuam para o desenvolvimento sustentável, com distribuição da renda. O concurso também incentiva a formulação de ações para que as Micro e Pequenas Empresas – situadas ou com atuação no território do Município – utilizem-se de processos sustentáveis do ponto de vista ambiental, social e econômico.

Podem concorrer trabalhos individuais e em grupo, de candidatos vinculados à administração pública municipal de qualquer cidade brasileira, independentemente do nível de formação pessoal. Os candidatos poderão apresentar apenas um artigo sobre um dos quatro seguintes temas: Gestão Ambiental, Eficiência Energética, Resíduos Sólidos e Sustentabilidade Rural.

Serão premiados os três primeiros colocados em cada tema. O primeiro lugar receberá R$ 5 mil, enquanto o segundo colocado terá direito a R$ 3 mil e o terceiro colocado, R$ 1 mil.

O resultado do concurso será publicado nos sites da Confederação Nacional de Municípios (http://www.cnm.org.br) e do Sebrae (http://www.sebrae.com.br ) a partir de 30 de abril de 2013. A solenidade de premiação será realizada em Brasília.

Mais detalhes em: www.portaldodesenvolvimento.org.br/concurso