Busca

Mudanças de ares e chamado à tomada de posição pela Mata Atlântica

08:15 · 25.05.2013 / atualizado às 08:54 · 26.05.2013 por
Roberto Klabin e Pedro Passos, durante a passagem da presidência da Fundação SOS Mata Atlântica Foto: Divulgação/SOS Mata Atlântica

A Fundação SOS Mata Atlântica antecipa a comemoração do Dia da Mata Atlântica (27 de maio) com três dias de atividades na Marquise do Ibirapuera e Museu de Arte Moderna, numa vasta programação, que segue até domingo. É o Viva a Mata – Encontro Nacional pela Mata Atlântica 2013.

Antes disso, na noite de quinta-feira, no Porão das Artes (também no Ibirapuera), uma solenidade, que contou com a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, Roberto Klabin passou a faixa presidencial a Pedro Passos após mais de duas décadas à frente da organização não-governamental (ONG).

Mas deixar a presidência não significa afastar-se da SOS Mata Atlântica. Klabin assumiu a vice-presidência de mar, a mais nova área de atuação da ONG, repleta de desafios no desbravamento de um novo universo de ecossistemas e espécies ameaçados.

Que se dane!”

A água do planeta vai acabar? Que se dane. As florestas estão sendo exterminadas? Que se dane. A poluição aniquilará a humanidade? Que se dane”. Essas polêmicas frases, carregadas de ironia e indiferença, fazem parte do estatuto da ONG Que Se Dane (QSD), que tem divulgado nas últimas semanas, nas redes sociais Facebook e Twitter, diversas mensagens a favor do lixo na rua, de lavar a calçada com água corrente, de andar de carro sozinho e de derrubar árvores.

O Viva a Mata 2013 foi aberto com uma divertia dramatização em referência à campanha, na realidade um chamado para que as pessoas tomem posição, no dia a dia, em relação à vida. A ONG fictícia faz parte de uma ação promovida pela Fundação SOS Mata Atlântica com o objetivo de convocar a sociedade para uma importante reflexão sobre o modo como o brasileiro tem lidado com os desafios ambientais do país.

A campanha, criada pela F/Nazca Saatchi & Saatchi, ressalta que “todo cidadão brasileiro é automaticamente filiado à QSD, um direito nato e alienável”. “Convidamos a sociedade a renunciar à emblemática ONG, indo até o Viva a Mata e desfilando-se”, conta Mario Mantovani, diretor de Políticas Públicas da Fundação SOS Mata Atlântica. Todos os que aderirem, poderão tirar uma foto no evento para ser publicada nas redes sociais como um “certificado de desfiliação”.

Esmo que não participe da desfiliação em massa, durante o evento, qualquer cidadão que não se sinta representado pela QSD também pode fazer seus comentários e críticas em suas redes sociais utilizando-se da hashtag #aQSDnãomerepresenta.

Confira o vídeo da campanha:

YouTube Preview Image

Código Florestal

Outro chamado, feito ontem, por meio do lançamento da campanha “Cumpra-se” e do lançamento do GT de Acompanhamento da Implementação do Código Florestal em São Paulo, a exemplo do que já foi feito em outros nove Estados, incluindo o Ceará, com o subsídio de diversas palestras técnicas relacionadas à nova lei, entre elas, sobre o Cadastro Ambiental Rural (CAR).

Mar

O Viva à Mata trata hoje, entre outros temas, sobre a ameaça a algumas espécies de peixes consumidos pela população. Às 14h, haverá uma mesa-redonda no MAM sobre consumo consciente de pescado. A mesa-redonda contará com a presença de Morena Leite, chef do restaurante Capim Santo; Camila Keiko Takahashi, bióloga da Fundação SOS Mata Atlântica; Lawrence Ikeda, biólogo e apresentador do Programa Biopesca da FishTV; Ronaldo Francini Filho, professor pesquisador da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). A mesa será mediada por Paulina Chamorro, editora de meio ambiente e apresentadora das Rádios Eldorado e Estadão.

Durante a mesa-redonda será apresentado um levantamento em feiras livres, supermercados e peixarias de bairro realizado para verificar quais pescados são mais encontrados, qual o consumidor tem maior interesse, se os vendedores sabem a origem do pescado e têm conhecimento da época de defeso de algumas espécies.

Antes, às 10h, especialistas da área marinha realizam seminário sobre os 25 anos da Constituição Federal, relacionando-a com a Proteção dos Ecossistemas Costeiros e Marinhos, citado pela primeira vez na constituição de 1988. Leandra Gonçalves, bióloga da Fundação SOS Mata Atlântica; Mauro Figueiredo, consultor da Fundação SOS Mata Atlântica; Ilídia Juras, consultora legislativa da Câmara dos Deputados; Marcus Polette, professor pesquisador da Universidade Vale do Itajaí (Univali) estarão reunidos para fazer um balanço sobre a proteção marinha e costeira no Brasil e as oportunidades de melhoria.

A criançada fez a festa no primeiro dia do Viva a Mata 2013 Foto: Divulgação/SOS Mata Atlântica
A criançada fez a festa no primeiro dia do Viva a Mata 2013 Foto: Divulgação/SOS Mata Atlântica

Saiba mais sobre o Viva a Mata, confira a programação de hoje e amanhã e compareça: http://www.sosma.org.br/projeto/viva-a-mata/edicao-2013/

Comentários 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *