Busca

22:30 · 22.04.2016 / atualizado às 23:32 · 23.04.2016 por

earth_NASA

O Dia da Terra – 22 de abril – foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) para marcar a responsabilidade coletiva de promover a harmonia com a natureza e alcançar um balanço entre economia, sociedade e meio ambiente.

Trata-se de uma oportunidade anual de reafirmar um compromisso coletivo num mundo ameaçado por mudanças climáticas, exploração insustentável dos recursos naturais e outros problemas causados pelo ser humano.

“Quando nós ameaçamos nosso planeta, minamos nossa própria casa – e a nossa sobrevivência no futuro”, já disse secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que completou, no ano passado: “não temos Plano B porque não temos Planeta B”.

Reafirmando tudo isso, até o momento, 175 países, dos 195 países-membros da ONU, assinaram o Acordo do Clima, em Nova York, numa segunda data histórica após a aprovação do documento, no dia 12 de dezembro de 2015, em Paris, encerrando a COP-21.

Uma coisa é certa: as Mudanças Climáticas estão em curso, tendem a degradar a nossa qualidade de vida e, se nada for feito, tudo será muito pior no futuro. Esse é um compromisso de nações, mas deve ser também do setor produtivo e de cada habitante do Planeta.

A grande questão é que, por se tratar de um problema global, é muito difícil convencer as pessoas / empresas / governos da importância do papel de cada um para reduzir os seus impactos sobre o equilíbrio planetário e, ao mesmo tempo, buscar mitigar os efeitos já em curso.

No caso do Brasil, além das metas de redução de desmatamento, investimento em energias / meios de transporte limpos, ainda há muito mais a ser feito. Depende de cada um de nós a qualidade de vida das gerações futuras. Porque o Planeta vem provando, há eras, que consegue sobreviver.

Maristela Crispim

Editora

08:00 · 20.04.2016 / atualizado às 22:54 · 19.04.2016 por
Em Paracuru (CE), a ação ocorre nas praias de Curralzinho, Ronco do Mar, Boca do Poço, Pedra Rachada e Quebra-Mar Foto: Natinho Rodrigues / Agência Diário
Em Paracuru (CE), a ação ocorre nas praias de Curralzinho, Ronco do Mar, Boca do Poço, Pedra Rachada e Quebra-Mar Foto: Natinho Rodrigues / Agência Diário

De 21 a 24 de abril, as cidades de Florianópolis e Imbituba (SC), Itanhaém (SP) e Paracuru (CE) realizam mobilizações pela universalização do saneamento básico, com coleta de assinaturas por esgoto tratado, e por água limpa nas praia e rios brasileiros. A ação faz parte da campanha Saneamento Já, que conta com organizações apoiadoras por todo o Brasil.

Em Florianópolis, a ação ocorre dos dias 21 a 24 de abril, na Praia de Jurerê Internacional e contará com a participação de ONGs como a Fundação SOS Mata Atlântica, Instituto-e, Associação FloripAmanhã, Instituto Comunitário da Grande Florianópolis (Icom), e parceiros como a Câmara de Dirigentes Lojistas de Florianópolis (CDL Florianópolis) e a Jurerê Internacional.

Uma das consequências da deficiência na coleta e tratamento de esgoto se reflete nas praias de Florianópolis, destino muito procurado não apenas por Catarinenses, mas também por turistas de outras localidades.

O boletim de balneabilidade (qualidade da água para contato primário) de Florianópolis, emitido pela Fundação do Meio Ambiente do Estado, no dia 4 de março, indica que 41% dos pontos monitorados estão impróprios para banho. Florianópolis é uma das poucas capitais litorâneas que coleta pelo menos metade do esgoto gerado (índice de coleta de 55%), porém o tratamento de esgoto na Ilha da Magia ainda é de apenas 46%, segundo o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento.

Para Malu Ribeiro, coordenadora da Rede das Águas da Fundação SOS Mata Atlântica, a falta de investimentos em saneamento básico no Brasil tem renegado praias, mananciais e rios urbanos às condições impróprias para o uso da sociedade e várias doenças pelo contato com água contaminada. “É necessário mudar essa realidade. O acesso à água em qualidade e quantidade é direito humano, mas para que isso ocorra temos que fazer pressão e incluir o saneamento na agenda de prioridade do País”, ressalta.

Nas outras três cidades, a ação ocorre no dia 21 de abril, com a presença da ONG Ecosurf.

Confira os locais e participe:

Em Itanhaém (SP), na Praia dos Sonhos e Praia dos Pescadores

Em Imbituba (SC), na Praia do Rosa

Em Paracuru (CE), a ação ocorre nas praias de Curralzinho, Ronco do Mar, Boca do Poço, Pedra Rachada e Quebra-Mar

Também é possível assinar a petição por esgoto tratado e água limpa nas praias e rios, bem como ter outras informações sobre a campanha, no link http://bit.ly/peticaosaneamento.

Fonte: Fundação SOS Mata Atlântica

22:20 · 18.04.2016 / atualizado às 22:20 · 18.04.2016 por
Eco-pousada Casa Bobô, na Bahia, é destaque no Brasil
Eco-pousada Casa Bobô, na Bahia, é destaque no Brasil

Os viajantes brasileiros estão mais preocupados com o impacto ambiental de suas viagens,  de acordo com uma recente pesquisa¹ conduzida pelo TripAdvisor, site de planejamento e reservas de viagens, com mais de 4.800 entrevistados em todo o mundo, incluindo 587 no Brasil.

Para celebrar o Dia Mundial da Terra, comemorado no dia 22 de abril, o TripAdvisor também levantou dez dos melhores hotéis e pousadas EcoLíderes por menos de R$ 580,00 por noite no Brasil e no mundo², levando em conta propriedades com o selo EcoLíder Platina dentro do programa EcoLíderes3, que premia as acomodações com práticas sustentáveis.

Viagens sustentáveis em ascensão

Os viajantes brasileiros estão mais conscientes sobre o impacto ambiental de suas viagens; 65% dos entrevistados no país estão propensos a fazerem escolhas de viagens sustentáveis nos próximos 12 meses, número bem acima dos 35% do último ano.

E, de acordo com os dados da pesquisa, a internet está ajudando a impulsionar essa tendência; quase oito em cada dez brasileiros (78%) afirmam que a possibilidade de encontrar informações online sobre práticas ambientais de hotéis os ajuda a fazer escolhas sustentáveis.

A mesma porcentagem (78%) concorda que sites como o TripAdvisor, onde os viajantes podem filtrar e reservar hotéis com práticas verdes, torna-os mais propensos a reservar um hotel que se preocupa com a questão ambiental.

O que torna os hotéis sustentáveis

Segundo o estudo, entre as diversas ações sustentáveis adotadas por hotéis, a prática mais importante inclui possuir um interruptor de luz central operado pelo cartão-chave para desligar todas as luzes ao sair do quarto (46%), ter um programa de reutilização de toalhas (40%) e outro para economizar água (37%).

Os turistas brasileiros também demonstram seu compromisso com o meio ambiente não apenas quando se hospedam em um hotel, mas também em outros momentos da viagem; 65% afirmam comprar produtos de origem local, 50% utilizam cartão de embarque eletrônico via celular e 49% caminham, utilizam bicicleta ou transporte público por se tratar de escolhas mais conscientes.

“Esta pesquisa mostra que muitos viajantes estão buscando caminhos para reduzir o impacto ambiental de suas viagens. Com o programa EcoLíderes, podemos ajudar as pessoas a encontrarem informações necessárias para fazerem escolhas sustentáveis por meio dos filtros de busca que ajudam os usuários a reservarem hotéis com base em suas práticas verdes”, disse Claudia Martinelli, porta-voz do TripAdvisor no Brasil.

Região Sudeste em destaque

Para ajudar os viajantes a planejar e reservar viagens sustentáveis, o TripAdvisor fez um levantamento de alguns dos mais bem avaliados hotéis disponíveis para reservas no site por menos de R$ 580,00 por noite que contam com o selo EcoLíder Plantina, nível mais alto do programa EcoLíderes. Na lista brasileira, seis dos dez estabelecimentos estão localizados na Região Sudeste: três em Minas Gerais, dois em São Paulo e um no Espírito Santo.

TripAdvisor

Maior site de viagens do mundo, ajuda turistas a planejarem e reservarem a viagem. Traz dicas de viajantes e inúmeros recursos de planejamento, além de contar com links para as ferramentas de reserva que pesquisam centenas de sites para encontrar os melhores preços de hotéis.

Os sites do TripAdvisor juntos formam a maior comunidade de viagens do mundo, com 350 milhões de visitantes únicos por mês** e mais de 320 milhões de avaliações e opiniões, cobrindo mais de 6,2 milhões de acomodações, restaurantes e atrações. Os sites operam em 48 mercados em todo o mundo.

Dez hotéis ecolíderes platina bem avaliados por menos de r$ 580 por noite

Brasil

Eco-Pousada Casa Bobô, Boipeba, Bahia – Nota no TripAdvisor: 4.95 – Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 293,00

Pousada Encantos da Terra, Canela, Rio Grande do Sul – Nota no TripAdvisor:4.80 – Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 236,00

Hotel Fazenda Parque dos Sonhos, Socorro, São Paulo – Nota no TripAdvisor: 4.56– Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 360,00

Don Ramon Pousada, Canela, Rio Grande do Sul – Nota no TripAdvisor: 4.66– Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 474,00

E.Suítes Sion, Belo Horizonte, Minas Gerais – Nota no TripAdvisor: 4.54 – Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 235,00

Quality Hotel & Suítes Brasília, Distrito Federal – Nota no TripAdvisor: 4.48 – Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 280,00

Ouro Minas Palace Hotel, Belo Horizonte, Minas Gerais – Nota no TripAdvisor: 4.42– Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 373,00

Pullman São Paulo Ibirapuera, São Paulo, São Paulo – Nota no TripAdvisor: 4.34 – Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 405,00

Pousada Pedra Azul, Domingos Martins, Espírito Santo – Nota no TripAdvisor: 4.56 – Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 496,00

Ibis Poços de Caldas, Poços de Caldas, Minas Gerais- Nota no TripAdvisor: 4.21– Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 150,00

Mundo

Artist’s Inn and Gallery, Terre Hill, Stati Uniti – Nota no TripAdvisor: 5 – Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 568,00

Hotel du Vieux-Quebec, Québec, Canada – Nota no TripAdvisor: 5 – Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 469,00

The 4Rooms, Porto, Portogallo – Nota no TripAdvisor: 5 – Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 421,00

Villa Tres Jolie, Trezzone, Italia – Nota no TripAdvisor: 5 – Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 386,00

Glascoed Guest House, Llandudno, Regno Unito – Nota no TripAdvisor: 5 – Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 336,00

Maple Hill Farm Inn, Hallowell, Stati Uniti – Nota no TripAdvisor: 5 – Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 481,00

Noosa Valley Manor B&B Retreat, Noosa, Australia – Nota no TripAdvisor: 5 –Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 545,00

Macaw Bank Jungle Lodge, Cristo Rey, Belize – Nota no TripAdvisor: 5– Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 577,00

Eco-Pousada Casa Bobo Ilha de Boipeba, Brasil – Nota no TripAdvisor: 5– Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 293,00

Hotel Casa de Hacienda La Jimenita, Quito, Ecuador – Nota no TripAdvisor: 5 –Disponível para reserva no TripAdvisor por uma tarifa média de R$ 571,00

Notas

1 Pesquisa conduzida entre 22 de março e 1 de abril de 2016 com 4.805 usuários do TripAdvisor, 2.168 na Itália, 827 na França, 834 na Espanha, 389 na Russia e 587 no Brasil.

2 Top 10 baseado na tarifa media e no número de avaliações no TripAdvisor de propriedades com o selo EcoLíder Plantina dentro do programa EcoLíderes por menos de R$ 580,00 por noite disponíveis no TripAdvisor. Tarifas de hotéis baseadas no valor de uma noite em cada propriedade em 2016. Valores retirados de parceiros de reservas do TripAdvisor, incluindo agências de viagens online e hotéis. Preços convertidos de Euro para Real em 11 de abril de 2016.

3 O programa EcoLíderes foi lançado em 2013 para ajudar os viajantes a planejar viagens sustentáveis, permitindo que comparem e reservem pousadas e hotéis por meio de filtros de busca com base em práticas sustentáveis. O programa foi desenvolvido junto a Rainforest Alliance e United Nations Environment Programme. O programa EcoLíderes leva em conta as práticas sustentáveis adotadas por cada propriedade e classifica cada estabelecimento de acordo com seus níveis de participação – Bronze, Prata, Ouro ou Platina – selos exibidos nas listagens dos hotéis e pousadas no TripAdvisor.Uma lista abrangente de práticas sustentáveis é avaliada. Quanto mais práticas o hotel adota, mais alto é o seu nível no programa EcoLíderes.

17:49 · 13.04.2016 / atualizado às 17:49 · 13.04.2016 por
A Votorantim realizará ação de gestão com sustentabilidade econômica e ambiental em uma área de 31 mil hectares no Vale do Ribeira (SP) Foto: Divulgação Votorantim
A Votorantim realizará ação de gestão com sustentabilidade econômica e ambiental em uma área de 31 mil hectares no Vale do Ribeira (SP) Foto: Divulgação Votorantim

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento, no valor de R$ 43 milhões, à Votorantim S.A. para projeto pioneiro de gestão com sustentabilidade econômica e ambiental em uma área de 31 mil hectares de Mata Atlântica. Denominada Reserva Votorantim – Legado das Águas, esta área se localiza no Vale do Ribeira, no Estado de São Paulo.

O investimento total do projeto é de R$ 52 milhões, possibilitando desenvolver pesquisas científicas sobre a flora e a fauna com universidades, desenvolver e implementar o Plano de Manejo da Reserva, criar infraestrutura para visitação, gerar emprego e renda para a comunidade daquela região e implantar uma Estação de Tratamento de Esgotos (ETE) e outra de Tratamento de Água (ETA).

Uma das principais atividades do projeto será a restauração de áreas com espécies nativas em 810 hectares, com técnicas de plantio total, de enriquecimento e de sistemas agroflorestais. Para o fortalecimento da cadeia produtiva da restauração serão feitos investimentos em viveiros de mudas.

No financiamento concedido à Votorantim S.A. serão utilizados recursos ordinários do Banco e do Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (FNMC), no âmbito do Programa Fundo Clima.

A “Reserva Votorantim – Legado das Águas” é resultado da aquisição de áreas no entorno do Rio Juquiá-Guaçu, onde foram construídas usinas hidrelétricas que geram energia para as unidades industriais do Grupo Votorantim. Nela, já foi constatada a presença de animais como a jaguatirica, onça parda, anta-albina, lagarto teiú, macacos muriquis do sul e outros, considerada importante para o equilíbrio ecológico local.

Ressalte-se que o projeto apoiado pelo BNDES irá contribuir não apenas para a proteção da biodiversidade e dos recursos hídricos, como também para a formação de um corredor de Mata Atlântica, já que está localizado entre parques estaduais e áreas de proteção ambiental.

O projeto inovador de gestão de reservas ambientais poderá ser adotado como modelo em outros biomas nacionais, transformando áreas de uso operacional em áreas planejadas por meio de estudos ambientais e tipos de manejo capazes de equilibrar atividades de uso sustentável, recuperação, preservação e proteção integral.

Fonte: BNDES

22:14 · 08.04.2016 / atualizado às 22:14 · 08.04.2016 por

O Aterro Metropolitano Oeste de Caucaia (Asmoc) vai abrigar a usina Foto: Waleska Santiago / Agência Diário
O Aterro Metropolitano Oeste de Caucaia (Asmoc) vai abrigar a usina Foto: Waleska Santiago / Agência Diário

Será inaugurada, na manhã desta segunda-feira, unidade para captação e tratamento do biogás produzido no Aterro Sanitário Municipal Oeste de Caucaia (Asmoc), a Gás Natural Renovável Fortaleza (GNR Fortaleza). A ação é uma parceria com a Prefeitura de Fortaleza e a Ecofor Ambiental.

A nova usina se adequa à Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), aprovada e sancionada em 2010. A GNR Fortaleza vai possibilitar a retirada do gás metano da superfície do Aterro e será a segunda maior do País, ficando atrás apenas da de Gramacho, no Rio de Janeiro, com capacidade para a produção de 100.000 m³ de biometano, um combustível renovável compatível com as especificações do gás natural, usado para abastecer veículos, indústrias, comércio e residências.

O gás é gerado a partir da decomposição de resíduos orgânicos depositados no Asmoc, principal destinação de todo o resíduo sólido recolhido em Fortaleza.

21:28 · 06.04.2016 / atualizado às 21:28 · 06.04.2016 por

arvore_solar_uece

A ECO Soluções em Energia, em parceria com o Mestrado Acadêmico em Ciências Físicas Aplicadas da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e a empresa de arquitetura Projec, apresenta, nesta sexta-feira (8), no Campus do Itaperi, o projeto Árvore Solar. A estrutura terá dez painéis fotovoltaicos responsáveis por carregar as baterias de uma frota de nove bicicletas elétricas.

Durante o dia, quando as bicicletas estiverem conectadas à árvore, os painéis carregarão suas baterias. Quando estiverem em uso, a árvore repassará a energia para a rede pública, gerando créditos para a Uece utilizar posteriormente. A bicicleta com necessidade de carga à noite usará a energia da concessionária.

frame_01

A energia solar ajudará no deslocamento dos funcionários responsáveis pela segurança da instituição. As motocicletas e automóveis ficarão de lado, assim como o gasto com combustível e a emissão de gases poluentes, dando espaço para bicicletas elétricas, alimentadas com a ajuda da árvore solar. A iniciativa conta com o apoio da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), por meio do Fundo de Inovação Tecnológica do Ceará (FIT).

“O projeto da Árvore Solar engradece o know-how de serviços da nossa empresa por ser um projeto desafiador. Mais do que ser limpa, a luz solar é uma fonte de energia constante, inesgotável e capaz de atender grandes demandas. A ECO Energia projeta, vende e instala projetos específicos para geração distribuída em residências e indústrias, tendo mais de 4MW contratados no Norte e Nordeste do Brasil.”, explica Jonas Becker Paiva, diretor da ECO Soluções em Energia.

frame_04

A ECO Soluções em energia também conta com o auxílio da Incubadora de Empresas da Uece (IncubaUece), à qual é associada. A incubadora está prestando assistência à empresa com o intuito de viabilizar a execução do projeto. A missão da IncubaUece é estimular e apoiar empreendedores no processo de geração, consolidação e crescimento de micro, pequenas e médias empresas no Ceará, promovendo o desenvolvimento regional sustentável.

Segundo Geraldo Magela Moraes, arquiteto e sócio da empresa Projec, a ideia das árvores solares surgiu como complemento para um projeto de triciclos elétricos solares compartilhados para pequenos percursos. “Essa forma inovadora de captação por painéis solares simulando a filotaxia das plantas, a sua eficiência, bem como a otimização dos espaços ante a disposição convencional das placas fotovoltaicas, geralmente localizadas lado a lado nas cobertas das edificações”, ressalta o arquiteto.

Mais informações:

Inauguração Árvore Solar

Local: Uece/Campus do Itaperi em frente à Reitoria – Avenida Dr. Silas Muguba, 1700

Dia: 8 de abril (sexta-feira)

Horário: 15h30

18:12 · 01.04.2016 / atualizado às 18:12 · 01.04.2016 por
Banco já havia financiado a construção de 20 mil cisternas, no valor de R$ 210 milhões Foto: Cid Barbosa / Agência Diário
Banco já havia financiado a construção de 20 mil cisternas, no valor de R$ 210 milhões Foto: Cid Barbosa / Agência Diário

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e o movimento social Articulação do Semiárido Brasileiro ( ASA Brasil) lançaram a segunda fase do Programa de Implantação de Cisternas para Uso na Produção de Alimentos, em Propriedades Rurais Ocupadas por Famílias da Região do Semiárido Brasileiro.

Nessa nova etapa, lançada nesta quinta-feira (31), em Brasília, serão construídas 3,4 mil cisternas de produção, no valor de R$ 46,8 milhões. Os recursos são não reembolsáveis, provenientes do Fundo Social do BNDES.

Essa iniciativa se soma à primeira etapa do programa, contratada em 2013, quando foram executadas e entregues 20 mil cisternas de produção, no montante total de R$ 210 milhões, também oriundos do Fundo Social do Banco. A totalidade dos recursos já foi liberada e o programa integralmente cumprido. Foram beneficiadas mais de 20 mil famílias na região do Semiárido Brasileiro.

O programa tem permitido que as famílias da área atingida pela seca tenham acesso à água durante todo o ano, por meio do armazenamento da chuva. Alguns dos benefícios são a fixação da população no campo e a melhoria de sua qualidade de vida.

Bancos de sementes

Também no âmbito da parceria BNDES/MDS/ASA está em implementação o programa de estruturação e construção de 400 bancos comunitários de sementes na região, com o objetivo de preservar, selecionar e armazenar as sementes nativas adaptadas ao Semiárido Brasileiro de forma coletiva. Com investimentos de R$ 8,6 milhões do Fundo Social, dos quais R$ 3 milhões já desembolsados, o projeto deverá ser concluído até o fim deste ano, permitindo melhores condições de vida para os agricultores familiares.

A implantação de cisternas e a construção de bancos de sementes são iniciativas complementares, pois envolvem armazenamento e manejo de água e de sementes para uso na produção de alimentos, em propriedades rurais ocupadas por famílias da região do Semiárido brasileiro, inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

“Esta é uma das maiores ações de adaptação climática do mundo”, afirmou a ministra do MDS, Tereza Campello, destacando as qualidades sociais e ambientais do projeto, que, “desenvolvido em conjunto com as comunidades locais, permitiu a democratização do acesso à água”. O MDS coordena o programa do Governo Federal Água para Todos, que já implantou, nos últimos dois anos, cerca de 1,2 milhão de cisternas familiares (água para consumo humano) na região.

“Este é um projeto extraordinário, que representa a libertação e a melhoria de vida de milhares de famílias”, disse o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, para quem o programa significa “uma verdadeira revolução social”.

Fonte: BNDES