Gestão Ambiental

Busca


Sustentabilidade pop

Publicado em 02/10/2014 - 11:49 por | 4 Comentários

Categorias: Sem categoria
  • Enviar para o Kindle
Leandro Chavez produz carteiras a partir de embalagens Tetra Pak com temáticas variadas Foto: José Leomar / Agência Diário

Leandro Chavez produz carteiras a partir de embalagens Tetra Pak com temáticas variadas Foto: José Leomar / Agência Diário

Formado em Turismo e Hotelaria, Leandro Chavez conta que, ao cursar a disciplina de Gestão Ambiental, tomou-se de encantamento pela área da sustentabilidade.

Logo depois, ganhou uma carteira feita de embalagem Tetra Pak, ficou curioso e foi tentando até que fez a sua primeira. E não parou por aí. Pesquisou sobre a embalagem e sobre outras possibilidades.

Buscou imagens na Internet, principalmente ligadas a música, cinema e artes plásticas e partiu para feiras de artesanato e outros locais onde percebeu que seu trabalho tinha boa aceitação.

Ele criou uma marca – a Recicl’up – e, além de produzir carteiras e porta moedas temáticos, de acordo com a necessidade e o gosto das pessoas que frequentam esses locais, produz sob encomenda.

As inspirações vão desde clássicos do design, passando por personalidades e personagens, como Elis Regina, Rappa, Pink Floyd, Frida Kalo, Picasso, Salvador Dali a Bob Sponja, Snoopy e Smurfs.

Ele tem exposto no Dragão do Mar (Fuxico do Dragão), aos domingos das 16 às 20 horas; Mercado da Lua (Feira Cultural do Benfica), às sextas-feiras, das 17 às 22 horas; no Candeeiro Café & Arte; no Parque del Sol(Mercado del Sol); e em eventos como o Cine Ceará, Quarta Coletiva (Mercado dos Pinhões), Maloca Dragão (Aniversário do Dragão do Mar) e Virada Cultural (Dragão do Mar).

Tags:

Está aberta a segunda chamada para o Edital de Apoio a Propostas de Gestão do Conhecimento em Zonas Semiáridas do Nordeste do Brasil

Publicado em 01/10/2014 - 9:00 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

e-cardIIChamada

Estão bertas, até o dia 1º de dezembro, as inscrições para a segunda chamada do Edital de Apoio a Propostas de Gestão do Conhecimento em Zonas Semiáridas do Nordeste do Brasil.

Promovido pelo Programa Semear, o edital visa facilitar o acesso da população rural a um conjunto de conhecimentos e inovações que contribuam para melhorar suas condições de vida, coexistir com as condições semiáridas e tirar maior proveito das possibilidades de desenvolvimento do Semiárido nordestino brasileiro.

O edital e os documentos complementares para inscrição devem ser acessados no Portal Semear, seção Oportunidades: www.portalsemear.org.br.

Serão apoiadas propostas com valor até R$ 40.000,00 que se enquadrem nas categorias Estudos Temáticos, Sistematizações de Experiências, Inovações e Boas Práticas e Visitas de Intercâmbio, que contemplem, pelo menos, uma das seguintes áreas temáticas: Inovações produtivas e tecnológicas, Recursos naturais e adaptação às mudanças climáticas e, por fim, Negócios Rurais.

Apenas na categoria Estudos Temáticos, poderão participar também Pessoas Físicas, como pesquisadores, professores, técnicos, especialistas, agricultores, dentre outros.

Questionada sobre o porquê da iniciativa, a coordenadora do Programa Semear, Ângela Brasileiro, explica: “visamos contribuir para preencher a lacuna existente no apoio às organizações com atuação no Semiárido nordestino para implementação de propostas de gestão do conhecimento que possam contribuir para o desenvolvimento rural e aumentar a visibilidade de organizações com potencial para implementar ações que agreguem novos saberes, novas práticas e inovações no Semiárido.”

As propostas selecionadas nesta chamada serão executadas a partir de março de 2015 e deverão ser implementadas em até seis meses nos municípios que compõem as zonas semiáridas dos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, conforme indicado em anexo do Edital.

O Edital de Apoio a Propostas de Gestão do Conhecimento em Zonas Semiáridas do Nordeste do Brasil é promovido pelo Programa Semear, iniciativa implementada em parceria pelo Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e o Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA) com apoio da Agência Espanhola de Cooperação Internacional (AECID).

Áreas temáticas

Inovações produtivas e tecnológicas

Identificação e promoção de inovações produtivas e/ou tecnológicas apropriadas para a convivência com o Semiárido, respeitando a cultura e as características bioclimáticas da região.

Recursos naturais e adaptação às mudanças climáticas

Experiências de manejo de recursos naturais, energias alternativas, de recuperação de áreas degradadas e outras formas de adaptação às mudanças climáticas.

Negócios rurais

Identificação e disseminação de experiências exitosas de negócios rurais, agrícolas e não agrícolas, que contribuam para a melhoria das condições socioeconômicas da população rural do Semiárido Nordestino.

Mais informações

Para dúvidas, informações e esclarecimentos, o interessado deve fazer contato por meio do telefone (71) 2104-5492, de segunda à quinta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h, e às sextas-feiras, das 9h às 13h, ou do e-mail editais.semear@iica.int. Neste caso, o campo assunto deverá ser preenchido com a indicação a seguir: Edital 01/2014 – Esclarecimentos.

Fonte: Programa Semear

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

A vegetação em nossa vida

Publicado em 24/09/2014 - 8:30 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle
O juazeiro, árvore da Caatinga, tem função importantíssima na manutenção do equilíbrio ambiental Foto: Agência Diário / Cid Barbosa

O juazeiro, árvore da Caatinga, tem função importantíssima na manutenção do equilíbrio ambiental Foto: Agência Diário / Cid Barbosa

A página de Gestão Ambiental completa dez anos em dezembro de 2014 e, para celebrar a data, estamos publicando reportagens especiais. Começamos no Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho), com um caderno especial sobre resíduos sólidos. Em julho publicamos multipages sobre água; em agosto o tema foi energia. Hoje o foco é a necessidade de conservação do nosso bioma: a Caatinga.

Só lembrando: 21 de setembro é o Dia da Árvore das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, marcando o início da primavera. No Norte e Nordeste, a Semana da Árvore é comemorada em março, período ideal para o plantio devido ao nosso regime chuvoso.

Seguem, abaixo, dicas sobre a importância da vegetação em nossa vida e também para plantio e manutenção do nosso verde:

A importância da vegetação natural em nossa vida

A vegetação natural ajuda a

  • Manter os recursos hídricos

  • Conservar a diversidade de espécies de plantas e animais

  • Controlar a erosão do solo

  • Manter o microclima (conforto térmico)

  • Protege de ventos e enxurradas

O Estado do Ceará fica quase integralmente no bioma Caatinga, com vegetação adaptada às condições do Semiárido, de altas temperaturas, chuvas escassas, concentradas em alguns meses e de distribuição irregular

Para manter essas condições em equilíbrio, devemos contribuir para a manutenção da sua biodiversidade.

Uma das principais ameaças é o desmatamento para extração de lenha e carvão, utilizados em diversas atividades

Ações como manejo adequado e utilização e fontes de energia alternativas, como restos de de poda, por exemplo, ajudam muito.

Se você mora em uma casa, mesmo que na cidade, pode contribuir ao cultivar espécies adequadas ao clima e ao local onde serão plantadas, e de preferência nativas. É importante orientação nessa hora para saber sobre o crescimento, tamanho da copa, raízes, cuidados etc.

Mesmo se você morar em apartamento, pode se engajar em movimentos, participar ou estimular campanhas de replantio na praça ou parque mais próximo.

E bom lembrar que, em nossa região, a época mais adequada para o plantio é o período de chuvas (janeiro a junho). Se plantar em época seca deve-se irrigar numa frequência mínima de três vezes por semana, até o restabelecimento do período de chuvas.

Se não puder mesmo, cultive pelo menos uma jardineira ou jarros com plantas ornamentais, para temperos ou chás. O contato com plantas faz bem e estimula o interesse sobre o assunto.

GestãoAmbiental_DezAnos_Vetegação_JPEG

Dicas para o plantio

Espécies

Na composição de espécies deve-se buscar o equilíbrio entre espécies nativas e exóticas adaptadas, devendo-se dar preferência às espécies nativas ocorrentes na região bioclimática, já que estão adaptadas ao ecossistema local, promovendo a sua conservação, bem como a recuperação e reintrodução de pássaros nativos.

Período

A época mais adequada para o plantio é o período de chuvas (janeiro a junho). Quando do plantio em época seca deve-se adotar a prática de irrigação numa frequência mínima de três vezes por semana, até o restabelecimento do período de chuvas.

Espaço

No caso de espécies e médio e grande porte a área permeável em torno da árvore quando adulta deverá ter, no mínimo, um faixa de 0,60m. Sempre que possível deve ser mantida área não impermeabilizada em torno das árvores, na forma de canteiro, faixa ou soluções similares.

Manejo

Após o plantio da muda em local definitivo, inicia o período de manutenção e conservação, quando se deverá cuidar da irrigação, das adubações de restituição, das podas, da manutenção da permeabilidade dos canteiros ou faixas.

Normas técnicas

  • Para uma arborização adequada o porte das árvores deve necessariamente estar em sintonia com o espaço destinado

  • As espécies selecionadas a serem plantadas devem corresponder, prioritariamente, à listagem de nativas e exóticas adaptadas, correlacionadas pelo órgão ambiental

  • Em áreas públicas não será permitido o plantio de espécies exóticas invasoras, plantas com espinhos, com princípios ativos tóxicos, árvores produtoras de frutos, que possam prejudicar o trânsito, ou a conservação de vias públicas, causar acidentes e/ou prejuízos patrimoniais

  • O formato e a dimensão da copa devem ser compatíveis com o espaço físico tridimensional disponível, permitindo o livre trânsito de veículos e pedestres, evitando danos às fachadas e conflito com a sinalização, iluminação e placas indicativas

  • Nos passeios, devem-se plantar apenas espécies com sistema radicial pivotante. As raízes devem possuir um sistema de enraizamento profundo para evitar o levantamento e a destruição de calçadas, asfaltos, muros de alicerces profundos

  • Selecionar espécies rústicas e resistentes a pragas e doenças

Poda

A poda é realizada basicamente com quatro finalidades:

  • Poda de Formação – Neste tipo de poda, ramos laterais são retirados até uma altura de 1,80 m visando não prejudicar o futuro trânsito de pedestres e veículos sob a copa

  • Poda de Limpeza – Nesta poda eliminam-se os ramos velhos, em excesso, mortos, lascados, doentes ou praguejados

  • Poda de Contenção – Este tipo de poda é realizado visando adequar a copa da árvore ao espaço físico disponível em função de um plantio inadequado. A recomendação geral é manter um mínimo de 30% da copa, mantendo sempre que possível o formato original

  • Poda de Segurança – Este tipo de poda é realizado visando remover partes da árvore que ameaçam a segurança da população, das edificações e outras instalações, como as redes aéreas elétricas e telefônicas

Poda de Raiz

Quando inevitável, a poda de raiz, pelo risco que representa, deve ser aplicada com muito critério, sempre acompanhada por um profissional habilitado e observando algumas recomendações básicas:

  • Evitar o corte de raízes grossas (com diâmetro entre 10mm e 20mm) e raízes fortes (com diâmetro superior a 20mm). Quanto maior o diâmetro da raiz, mais lenta a regeneração e maior o comprometimento da estabilidade

  • Não eliminar raízes ao redor de toda árvore. Quanto maior a quantidade de raízes eliminadas, maior o comprometimento da estabilidade

  • Não realizar corte de raízes próximas ao tronco. O corte deve ser realizado a uma distância mínima de 50 cm do tronco da árvore

  • Expor a raiz que será cortada. Antes de realizar o corte, deve ser aberta uma valeta, manual e cuidadosamente, para expor a raiz e permitir a realização de um corte liso, sem danos a quaisquer de suas partes

  • Não realizar o corte de raízes com ferramentas de impacto (facão, machado, etc.). O corte de raízes deve ser realizado com serra bem afiada, sendo o primeiro corte na extremidade próxima à árvore e o segundo na outra extremidade

  • Proteger as raízes e o solo do ressecamento

Fonte das dicas: Manual de Arborização: Procedimentos Técnicos para Plantio, Transplantio, Poda e Corte – Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma)

Tags: , , , , , ,

Hoje é dia de sair sem carro

Publicado em 22/09/2014 - 11:54 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

Print

Hoje é o dia escolhido no ano para deixar o carro em casa e ir para o trabalho / escola / lazer de outra forma. A cada ano mais e mais pessoas, entidades da sociedade civil e governantes veem no Dia Mundial Sem Carro (DMSC) – 22 de setembro – uma oportunidade para sensibilizar e mobilizar a comunidade em torno das questões relacionadas à mobilidade urbana, como saúde, qualidade de vida, poluição, orçamento, acidentes.

O Dia Mundial Sem Carro começou na França, em 22 de setembro de 1997. Em 2000, a União Europeia instituiu a Jornada Internacional “Na Cidade, sem meu Carro”, reunindo 760 cidades. No ano seguinte foram 1.683 cidades participantes. Encorajados pelo êxito da iniciativa do Dia Europeu sem Carro, a comissão organizadora lançou, em 2002, a Semana Europeia da Mobilidade.

No Brasil, a ação começou em 2001, envolvendo 11 cidades: Porto Alegre, Caxias do Sul e Pelotas (RS); Piracicaba (SP); Vitória (ES); Belém (PA); Cuiabá (MT), Goiânia (GO);Belo Horizonte (MG); Joinville (SC); São Luís (MA). Em São Paulo, a iniciativa é realizada desde 2005.

Em 2010, também inspirado pelas ações europeias, o movimento brasileiro idealizou uma semana de ações de mobilização e conscientização sobre os impactos da falta de mobilidade. A agenda proposta para a Semana da Mobilidade é que comece no dia 16 de setembro e tenha um grande encerramento no dia 22 de setembro, o Dia Mundial Sem Carro.

Tags: , , , ,

Praia limpa todo dia

Publicado em 19/09/2014 - 13:54 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

 

As ações de limpeza têm se ampliado com o Projeto Limpando o Mundo, da Aquasis Foto: Helosa Araújo / Agência Diário

As ações de limpeza têm se ampliado com o Projeto Limpando o Mundo, da Aquasis Foto: Helosa Araújo / Agência Diário

Amanhã, 20 de setembro, no Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias, diversas ações no litoral do Ceará e nas lagoas de Fortaleza chamam a população a colaborar, não apenas na limpeza, mas para não poluir nossos recursos hídricos. O fato de deixar qualquer lixinho cair no chão contribui para a queda na qualidade das águas dos nossos recursos hídricos e para afetar a vida aquática porque “as águas sempre correm para o mar”.

Confira, a seguir, toda a programação de amanhã, procure se engajar, divulgar ou simplesmente pensar melhor no assunto. Os benefícios dessa mudança de atitude virão para todos nós.

Projeto Limpando o Mundo

Com o o objetivo de prevenir milhares de toneladas de lixo de irem para o oceano, no fim da década de 1980 foi realizada, pela primeira vez, a ação “Clean Up The World”, em Sydney, Austrália, quando mais de 40 mil voluntários auxiliaram na remoção de dejetos da costa australiana.

O projeto ganhou o mundo e é realizado em diversos países e cidades, incluindo Fortaleza, onde as Organizações Não Governamentais (ONGs) Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (Aquasis) e Instituto Povo do Mar (Ipom), o Serviço Social do Comércio (Sesc-CE) e a surfwear Greenish executam a tradução da iniciativa australiana, no Projeto Limpando o Mundo.

Visando a mobilização e sensibilização das pessoas e a soma dos esforços dos diversos projetos comprometidos com o meio ambiente, o Projeto promove o Dia Mundial de Limpeza de Praias, todos os anos no terceiro sábado de setembro.

Para esse dia 20, o Limpando o Mundo articulou parcerias com mais de 20 instituições e, durante esta terceira semana de setembro, realiza limpeza em praias de Fortaleza, Caucaia, Aquiraz, Cascavel, Aracati e Icapuí. Estima-se a participação de pelo menos 500 voluntários nos diversos grupos de limpeza. Nos pontos de concentração estão sendo distribuídos kits de limpeza para os participantes e passadas orientações de segurança ao lidar com o lixo.

Todo o lixo coletado pelo projeto é separado para reciclagem, catalogado e descartado corretamente. Os números do total de lixo removido das praias será divulgado em nota pelo projeto nos dias seguintes.

Quem se interessar em ajudar, basta ir até as praias divulgadas na página do Facebook do projeto (Limpando o Mundo/ Ceará) ou levar um saco plástico e coletar o lixo que puder na visita à praia / barraca favorita.

Abaixo segue uma lista com todas as praias e pontos de encontro de voluntários onde ocorrerão as limpezas:

Fortaleza

Barra do Ceará – Albertu’s restaurante

Praia de Iracema – Calçadão do Estoril

Titanzinho – Sede Associação Comunitária / IPOM

Praia do Futuro – Barraca Vila Galé

Rio Pacoti (sabiaguaba) – Eco Museu do Mangue

Caucaia

Cumbuco – Escola do Cumbuco

Tabuba – Lago do Kite Surf

Icarai – Barraca Waikiki

Aracati

Canoa Quebrada – Sede Recicriança

Quixaba – Barraca Marisol

Icapuí

Praia das Quitérias – Sede Força Jovem Atravessando Fronteiras

Cascavel

Caponga – Projeto Surf Escola

Mutirão nas lagoas

Uma data para chamar a atenção da importância do cuidado com os recursos hídricos da Cidade. Esse é o objetivo do Dia Nacional de Limpeza de Praias, Rios, Lagos e Lagoas que a Prefeitura de Fortaleza celebrará, amanhã, a partir das 9 horas, com um mutirão em seis lagoas urbanas: Urubu, Papicu, Porangabussu, Parangaba, Maraponga e Messejana. O ponto de encontro será na Lagoa da Parangaba.

O Dia Nacional de Limpeza de Praias, Rios, Lagos e Lagoas foi instituído durante a conferência ambiental Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Eco-92), pela Rede Nacional de Educadores Ambientais, a ser realizado no terceiro sábado de setembro, anualmente.

A ONG Aquasis é parceira da gestão municipal nessa atividade, por meio do projeto Limpando o Mundo. Juntas, população, organizações da sociedade civil e a Prefeitura de Fortaleza, limparão também algumas praias (confira relação abaixo).

A iniciativa é coordenada pela Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), com o apoio da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), Secretarias Regionais, Empresa Municipal de Limpeza e Urbanização (Emlurb) e Ecofor Ambiental.

Locais de limpeza

Lagoas

- Urubu (Regional I)

- Papicu (Regional II)

- Porangabussu (Regional III)

- Parangaba (Regional IV)

- Maraponga (Regional V)

- Messejana (Regional VI)

Praias (pontos de encontro)

- Barra do Ceará – Restaurante do Alberto

- Praia de Iracema (Estoril)

- Titanzinho (Associação Comunitária/ Ipon)

- Praia do Futuro (Aldeia Surf School/ Vila Galé)

- Sabiaguaba (Ecomuseu do Mangue)

Ações privadas

A Solar Coca-Cola realizará mais uma vez o Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias, neste sábado, das 8h30 às 11h30, um mutirão de educação ambiental para recolher lixo e conscientizar os banhistas sobre a importância de manter praias e rios limpos, a partir de uma caminhada de aproximadamente 2 km.

No ano passado, o evento recolheu quase uma tonelada de lixo. Neste ano, a ação será realizada na Praia do Meireles, na Avenida Beira-Mar, saindo do Clube Atlético Náutico Cearense até a Volta da Jurema. A expectativa é que o evento envolva cerca de 350 voluntários.

A ação também promove a responsabilidade social, pois todos os resíduos recolhidos são separados e destinados às cooperativas de catadores. Neste ano, a beneficiada será a Sociedade Comunitária de Reciclagem de Lixo do Pirambu (Socrelp), que também participa do mutirão de coleta.

Coordenado mundialmente desde 1986 pela ONG americana The Ocean Conservancy, o Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias é um dos mais bem sucedidos eventos que envolvem voluntários do mundo. Em torno de 40 milhões de pessoas de 125 países são mobilizadas em prol da ação.

A Coca-Cola apoia a ação desde 1994, como parte das iniciativas do programa Coletivo Reciclagem, do Instituto Coca-Cola Brasil. A Solar Coca-Cola vai realizar ações nas regiões em que atua (Nordeste, Mato Grosso, parte de Tocantins e de Goiás) limpando rios, praias e lagoas das principais cidades em que está presente.

Funcionários da Posco E&C Brasil realizam a 2ª Ação Voluntária de Limpeza de Praias e Ruas do Cumbuco, entre as 8 e 11 horas. O evento pretende reunir mais de 150 voluntários coreanos e brasileiros, além de moradores do Cumbuco.

O encontro será na Escola Municipal Helena de Aguiar Dias, onde os voluntários serão orientados e receberão o material para a ação – que é uma parceria com diversas associações do Cumbuco, como a Colônia dos Pescadores, Associação Comunitária do Cumbuco (ASCC) e Instituto de Formação de Empreendedores e Educadores (IFEE). A parceria entre a Posco E&C Brasil e as associações do Cumbuco acontece desde janeiro de 2014, e a primeira ação voluntária para a limpeza das praias locais aconteceu em maio deste ano.

A Energia Pecém e a Eneva, realizam, em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de São Gonçalo do Amarante, a Campanha Praia Limpa Taíba, uma ação para recolher o lixo da praia na localidade. Mais do que promover esse mutirão de limpeza, a termelétrica pretende chamar a atenção da comunidade para a importância de manter as praias limpas e não jogar lixo na areia. Na oportunidade, estudantes do município, pescadores, moradores e colaboradores da Energia Pecém e outras empresas parceiras na iniciativa irão receber da usina os materiais necessários para entrarem em ação na limpeza da beira-mar.

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Ecoelce alcança marca de uma tonelada de pilhas arrecadadas

Publicado em 16/09/2014 - 15:16 por | 1 Comentário

  • Enviar para o Kindle

Coletor de Pilhas_Ecoelce

Desde julho de 2013, o Ecoelce, programa da Coelce que propõe a troca de material reciclável por bônus na fatura de energia, recebe em alguns pontos de coleta, pilhas e baterias usadas, totalizando, até agosto de 2014, a marca de um tonelada de pilhas.

As pilhas são encaminhadas ao Projeto Abinee, da Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica, que visa implantar os sistemas de logística reversa e destinação final das pilhas comuns de zinco-manganês, pilhas alcalinas, pilhas recarregáveis e baterias portáteis, sendo o Ecoelce o parceiro nessa ação. Após o descarte da pilha, o material é coletado, pesado, separado e encaminhado para o reprocessamento e a reciclagem.

Considerado resíduo perigoso, em termos técnicos, a reciclagem de pilhas e baterias consiste na recapturação dos materiais, nomeadamente manganês, zinco, aço e carbono, para serem reintroduzidos no processo industrial, evitando com isso a deposição dos metais pesados, tóxicos e altamente poluentes na natureza, ao mesmo tempo em que diminui a necessidade de exploração mineira para a obtenção dos mesmos.

Apesar de ser um resíduo que não disponibiliza bônus Ecoelce aos clientes, houve grande adesão da população cearense em destinar corretamente esse resíduo perigoso. Segundo o responsável pela área de eficiência energética da Coelce, Odailton Arruda, as pessoas estão mais conscientes sobre a destinação correta desses resíduos. “Chegar à marca de uma tonelada de pilhas arrecadas mostra que as pessoas não estão preocupadas somente com o desconto na conta de energia”, reforça.

Ecoelce

Em atuação desde janeiro de 2007, o programa já atendeu 427.817 clientes cadastrados, contabilizou mais de 17.231 toneladas de resíduos e concedeu R$ 2.260.555,77 em bônus na conta de luz. O projeto conta atualmente com 99 postos, entre capital e interior do Ceará.

Para aderir à iniciativa e trocar lixo por bônus na conta de energia, o titular da fatura deve solicitar seu cartão Ecoelce – que conta com um chip no qual ficam registrados os dados do cliente – cadastrando-se, com a conta em mãos, nos postos de coleta do programa. Com o cartão, basta o cliente levar o lixo reciclável ao ponto de coleta e registrar os bônus para sua próxima fatura de energia. Na capital, são treze pontos do programa aptos a receber as pilhas.

PONTO DE COLETA

ENDEREÇO

Assembleia Legislativa

Av. Desembargador Moreira com Rua Francisco Holanda, 900 – Jardins da Assembleia Legislativa, Joaquim Távora

Estrela Supermercado

Rua Florêncio de Alencar, 793, Barra do Ceará

Supermercado Super do Povo

Av. Dedé Brasil – no estacionamento do Super do Povo, Dias Macedo

ETUFOR

Av. dos Expedicionários com Rua Raul Cabral no prédio da ETUFOR, Vila União

Maraponga Mart Moda

Rua Altair com Rua Itaguaí (atrás do estacionamento da Moda Íntima), Maraponga

Mercadinho São Luiz

Av. Ulisses Bezerra, 1300, Cidade dos Funcionários (atrás do Mercadinho São Luiz da Av. Oliveira Paiva)

Praça do North Shopping

Rua 03, n° 255 ao lado da Fazendinha da Praça do North Shopping, Presidente Kennedy

Sebrae Meireles

Esquina da Rua Antônio Augusto com Rua Dr. Atualpa Barbosa Lima (ao lado do Sebrae), bairro Meireles

Washington Soares (Posto Ipiranga JG)

Av. Washington Soares, 3340, Água Fria – próximo ao Siara Hall

Aquiraz

Av. Torres de Melo – em frente a Rodoviária, Aquiraz

Jereissati I

Av. 06, nº. 80 – Jereissati I – atrás da Escola Dep. José Martins Rodrigues, Maracanaú

Prédio Administração Central Coelce

Rua Padre Valdevino, 150, Piedade

Prédio Diretoria Comercial Coelce

Rua Padre Valdevino, 150, Piedade

Fonte: Coelce

Tags: , , , , ,

Plano vai proteger espécies de aves da Caatinga ameaçadas de extinção

Publicado em 15/09/2014 - 13:33 por | 3 Comentários

Categorias: Biodiversidade
  • Enviar para o Kindle
Papagaio-de-cara-suja é uma das espécies beneficiadas Foto: Aquasis / Fábio Nunes

Papagaio-de-cara-suja é uma das espécies beneficiadas Foto: Aquasis / Fábio Nunes

Com objetivo de reduzir a perda e alteração de habitat, a pressão de caça, o tráfico e manter ou incrementar as populações de aves, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) lançou, no dia 8 passado, o Plano de Ação Nacional para Conservação das Aves Ameaçadas de Extinção da Caatinga (PAN Aves da Caatinga), que será coordenado pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave).

O PAN Aves da Caatinga abrange dez espécies ameaçadas de extinção: Hemitriccus mirandae (maria-do-nordeste); Lepidocolaptes wagleri (arapaçu-de-wagler); Penelope jacucaca (jacucaca); Phylloscartes beckeri (borboletinha-baiana); Phylloscartes roquettei (cara-dourada); Xiphocolaptes falcirostris (arapaçu-do-nordeste); Pyrrhura griseipectus (periquito-de-cara-suja); Rhopornis ardesiacus (gravatazeiro); Sclerurus cearensis (vira-folha-cearense); e Sporagra yarrellii (pintassilgo-do-nordeste).

Combate ao tráfico

A meta é diminuir a captura e tráfico do Pyrrhura griseipectus (periquito-de-cara-suja), e a caça do Penelope jacucaca (jacucaca) e do Crypturellus noctivagus zabelê (zabelê) , além de conhecer a população e área de ocupação de Pyrrhura griseipectus. Há também outras espécies beneficiadas a exemplo do Augastes lumachella (beija-flor-de-gravata-vermelha); Formicivora grantsaui (papa-formiga-do-sincorá); Formicivora iheringi (Papa-formigas-da-caatinga) e Scytalopus diamantinensis (tapaculo-da-chapada-diamantina).

Com a execução do PAN, será possível estimar o tamanho populacional das espécies para manter ou ampliar a área de ocupação conhecida. Também se espera trabalhar para reduzir as taxas de perda de formações de Caatinga e promover conectividade de remanescentes em áreas importantes identificadas para a conservação das espécies. O plano, que será mantido e atualizado no site do ICMBio, vai vigorar até fevereiro de 2017.

Fonte: MMA

Tags: , , , , , ,

Competição da ONU para jovens inovadores busca soluções para lidar com as mudanças climáticas

Publicado em 12/09/2014 - 13:12 por | Comentar

  • Enviar para o Kindle

O objetivo é fazer com que a Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC)  ajude as cidades inteligentes a mitigarem e reduzirem os efeitos das mudanças climáticas, principalmente em áreas relacionadas à saúde global Foto: Agência Diário / Kid Júnior

O objetivo é fazer com que a Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) ajude as cidades inteligentes a mitigarem e reduzirem os efeitos das mudanças climáticas, principalmente em áreas relacionadas à saúde global Foto: Agência Diário / Kid Júnior

A União Internacional de Telecomunicações (UIT) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançaram o desafio para a Competição Mundial de Telecomunicações para Jovens Inovadores, que este ano enfocará em Cidades Inteligentes e Mudança Climática.

A ideia é explorar como a Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC) pode ajudar as cidades inteligentes a mitigarem e reduzirem os efeitos das mudanças climáticas, principalmente em áreas relacionadas à saúde global.

As duas soluções vencedoras serão exibidas durante a ITU Telecom World 2014, a plataforma líder de debate, intercâmbio de conhecimento e promoção de redes para a comunidade de TIC, que será realizada em Doha, Catar, entre os dias 07 e 10 de dezembro. Além da oportunidade de participar dos workshops e de apresentar seus projetos para a indústria, os ganhadores ainda receberão até 10 mil dólares e um ano de tutoria contínua.

“As condições de clima extremos, epidemias, surtos de doenças infecciosas e poluição do ar exacerbando doenças não comunicáveis são exemplos de como a mudança do clima está afetando a saúde das pessoas em todo o mundo”, disse o secretário-geral do UIT, Hamadoun I. Touré. “As TICs podem fornecer soluções para lidar com as mudanças climáticas ao desenvolver cidades inteligentes que ajudarão a reduzir emissões, melhor a sustentabilidade da economia e promover o uso de tecnologias verdes inovadoras”.

Para Touré, é vital dar a oportunidade para os jovens se engajarem nessas questões dado que são eles que sofrerão com os efeitos negativos do clima na saúde. O desafio está aberto para jovens entre 18 e 30 anos em todo o mundo e, diferente das competições passadas cujo público-alvo era as start-ups, este ano os candidatos devem enviar sugestões e trabalhar em grupo para discutir, trocar ideias e elaborar as contribuições em forma de um conceito. O prazo final de inscrição é 7 de outubro, detalhes em ideas.itu.int

Fonte: ONU Brasil

Tags: , , , , , , , , ,

CEBDS lança estudo sobre Pagamentos por Serviços Ambientais

Publicado em 09/09/2014 - 20:01 por | Comentar

Categorias: Sem categoria
  • Enviar para o Kindle

O Conselho Empresarial Brasileiro para Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) promove lançamento da publicação “Pagamento por Serviços Ambientais: recomendações para o Marco Regulatório Brasileiro”, nesta quarta-feira, dia 10, em São Paulo. O documento oferece subsídios para as discussões atuais em torno da regulamentação de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) no Brasil.

 

O estudo apresenta um diagnóstico sobre a prática de pagamentos por serviços ambientais no Brasil e no mundo, bem como considerações e análises dos projetos de lei brasileiros sobre o tema, com abordagem voltada para os desafios e as oportunidades para o setor empresarial. A publicação reúne a perspectiva de governo, organizações da sociedade civil e empresas.

 

Hoje não há incentivo para organizações que investem na proteção, conservação do meio ambiente e no uso sustentável dos recursos naturais, o que não gera estímulo econômico para fazê-lo. Por exemplo, um produtor rural que detém uma área de reserva florestal privada (acima daquelas previstas pelo código florestal) poderia ser remunerado pela preservação de matas ciliares que garantam o fornecimento da água que será utilizada nos processos industriais, ou tratadas e distribuídas para a população. Com a lei do PSA em vigor, haveria um novo mercado, incluindo o custo da preservação dos ecossistemas. No entanto, a lei para regulação do Pagamento por Serviços Ambientais está em tramitação no Congresso desde 2007, mas ainda não foi votada.

 

O objetivo do estudo é discutir o arranjo ideal para uma política pública focada em pagamento por serviços ambientais no Brasil. 

 

Serviço: dia: 10/09/2014

Hora: 14h30 às 16h30

Local: CasaE Basf – Av. Professor Vicente Rao, 1195, Campo Belo – São Paulo

 

Tags:

Agricultura familiar contrata R$ 5,36 bilhões do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) em dois meses

Publicado em 09/09/2014 - 8:00 por | Comentar

Categorias: Sem categoria
  • Enviar para o Kindle

A força da agricultura familiar
Nos dois primeiros meses da safra atual, agricultores familiares acessaram R$ 5,36 bilhões do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) – para aumento da produção e compra de máquinas e equipamentos a juros baixos. O valor representa 22% dos R$ 24,1 bilhões previstos no Plano Safra 2014/2015.
 
De 1º de julho a 31 de agosto deste ano foram realizados 395 mil contratos. No mesmo período do ano passado, foram contratados R$ 3,9 bilhões e firmados 364 mil contratos.
 
O estado com maior volume de contratação é o Rio Grande do Sul, com mais de 92 mil contratos, que representam R$ 1,75 bilhão. Isso é quase um terço do total (R$ 5,6 bilhões), incialmente, previsto para o estado.
 
Saiba mais
 
Do total investido nos dois primeiros meses da safra*:
 
- Foram fechados 160 mil contratos de financiamento para custeio da safra em um valor de R$ 2,9 bilhões;
 
- Para investimentos na propriedade, como compra de equipamentos ou mecanização de processos, o número de contratos é de 235 mil, que, somados, atingem o valor de R$ 2,4 bilhões;
 
- As mulheres bateram recorde. Elas financiaram até agora R$ 723,5 milhões e fecharam 106 mil contratos. Isso já é mais do que elas financiaram em toda a safra passada, quando foram fechados 91.784 contratos no valor de R$ 535 milhões;

* Os valores foram fornecidos pela Diretoria de Organização do Sistema Financeiro e Controle de Operações do Crédito Rural (Diorf), Departamento de Regulação, Supervisão e Controle das Operações do Crédito Rural e do Proagro (Derop), do Banco Central, que gerencia o Sistema de Operações do Crédito Rural e do Proagro (SICOR).

 

 

 

 

Tags:

Page 4 of 74« First...23456...102030...Last »

Facebook

Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999