Busca

Tag: Amazônia Legal


20:16 · 04.09.2017 / atualizado às 20:27 · 04.09.2017 por
A cisterna calçadão, para pequenas produções familiares, é uma das opções de investimento Foto: Eduardo Queiroz / Agência Diário

A Fundação Banco do Brasil (Fundação BB) e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciaram  novo investimento social com o qual atingirá a marca de 100 mil cisternas instaladas no Semiárido brasileiro.

Serão mais R$ 22 milhões destinados à construção de 726 Cisternas de Produção e 3.579 Cisternas de Consumo. Os reservatórios para produção, também conhecidos como Cisternas Calçadão e de Enxurrada, são tecnologias sociais para captação e armazenamento de água pluvial destinada ao consumo de pequenos rebanhos e plantio de hortaliças. Já os voltados para consumo de água para beber, conhecidas como Cisternas de Placas atendem as necessidades básicas de moradores em suas residências.

Com o novo aporte, os recursos atingirão o total de R$ 340 milhões, atendendo mais de 400 mil pessoas. Desde 2012, a parceria da Fundação BB e o BNDES possibilitou a construção de 86.860 cisternas de placas e 13.141 reservatórios para produção.

Todas as cisternas construídas são georreferenciadas, o que garante a transparência na aplicação dos recursos. Durante a instalação, os moradores das comunidades são capacitados para construírem seus próprios reservatórios a fim de obterem maior aproveitamento da água potável.

A identificação e mobilização dos beneficiados e a assessoria técnica para implementação são conduzidos pela rede Articulação do Semiárido (ASA), que agrupa mais de três mil organizações da sociedade civil.

O presidente da Fundação BB, Asclepius Soares, reforça a importância da atuação da Fundação no vetor Água. “Sem água, a sobrevivência não é possível. Garantir o acesso a este recurso tão valioso para vida é trazer dignidade e cidadania. Além disso, permite que as pessoas tenham condições de conviverem com os eventos climáticos extremos do Semiárido, permanecendo em seus locais de origem”.

Histórico das parcerias

Além das cisternas, a Fundação BB e o BNDES já desenvolveram outras parcerias. Com recursos do Fundo Social, a Fundação BB e o BNDES apoiaram ações que resultaram na realização de 443 projetos sociais, beneficiando diretamente mais de 210 mil pessoas e com valor total de mais de R$ 215 milhões nos vetores: Agroecologia, Agroindústria e Resíduos Sólidos.

Considerando os valores investidos no vetor Água, a parceria da Fundação Banco do Brasil e BNDES totaliza R$ 555 milhões de recursos aplicados em projetos sociais.

Destaca-se a atuação na região Nordeste para a qual foram destinados investimentos sociais em 154 projetos. Foram aplicados R$ 72,1 milhões no Sudeste, nas regiões Norte e Nordeste foram aplicados R$ 82,5 milhões  e o valor de R$ 60,4 milhões nos estados do Centro-Oeste e Sul.

Já com os recursos do Fundo Amazônia, a parceria da Fundação BB e do BNDES apoiou 29 projetos, com investimento superior a R$ 14 milhões em sete estados, abrangendo mais de 50 municípios e atendendo a 17 mil participantes entre agricultores familiares, assentados da reforma agrária, indígenas, quilombolas e extrativistas.

Em 2014, foi lançado o edital Ecoforte Redes, no valor de R$ 25 milhões, visando o apoio a projetos territoriais de redes de agroecologia, extrativismo e produção orgânica, com intensificação de práticas de manejo sustentável de produtos da sociobiodiversidade, de sistemas produtivos orgânicos e de base agroecológica.

Também foi publicada seleção do Ecoforte Extrativismo, com investimento social de R$ 6 milhões, para apoio a estruturação de empreendimentos econômicos coletivos, visando ao beneficiamento e/ou à comercialização de produtos oriundos do uso sustentável da sociobiodiversidade em Unidades de Conservação Federais de Uso Sustentável no Bioma Amazônia.

Em agosto deste ano, a Fundação BB, o Fundo Amazônia e o BNDES, divulgaram dois novos processos seletivos no âmbito do Programa Ecoforte. Está previsto o investimento social de R$ 25 milhões de recursos não reembolsáveis, dos quais R$ 5 milhões serão destinados exclusivamente para o apoio a projetos localizados na Amazônia Legal, com aporte do Fundo Amazônia.

Fonte: Fundação BB

11:19 · 10.02.2013 / atualizado às 11:19 · 10.02.2013 por

Até R$ 2 milhões podem ser destinados pela empresa para o desenvolvimento de novos estudos, através de um edital exclusivo para a região

A Natura acaba de divulgar o resultado da chamada de projetos Natura Campus Amazônia, que tem o objetivo de colaborar com o desenvolvimento de ciência, inovação e tecnologia na região. Seis projetos foram selecionados nesta primeira edição do edital.

O investimento para a realização das pesquisas poderá chegar a R$ 2 milhões. O edital foi lançado em agosto de 2012, junto com a inauguração do Núcleo de Inovação Natura Amazônia, sede que a empresa de cosméticos mantém em Manaus.

As inscrições foram realizadas de 18 de agosto a 22 de outubro de 2012, quando pesquisadores de sete Estados amazônicos submeteram suas propostas de pesquisa, através da Internet, no portal Natura Campus. Dezenas de projetos foram inscritos.

Destes, avançaram para a segunda etapa da seleção somente aqueles que cumpriam todas as exigências do edital, no que diz respeito às linhas de pesquisa e a viabilidade de transformar a pesquisa em inovação, ou seja, que os resultados da pesquisa sejam aplicados na prática, em um novo produto, uma nova e sustentável forma de produção ou de conhecimento e valorização cultural, por exemplo.

“Depois de passar por uma banca científica e, posteriormente, por uma avaliação executiva, 12 propostas de pesquisa foram eleitas para a avaliação final, quando os proponentes puderam defender os seus projetos em apresentação presencial a uma banca, composta por pesquisadores da Natura e diretores da área de Inovação da empresa. Antes disso, os 12 finalistas participaram de um processo de coaching e imersão organizado pela Natura, em parceria com a Endeavor, consultoria em empreendedorismo”, conta Luciana Hashiba, gerente de gestão e redes de inovação na Natura.

O workshop abordou desde temas mais amplos, como empreendedorismo e inovação, a questões específicas sobre como realizar uma apresentação corporativa, visando maior aproximação entre a linguagem da academia e a do mercado.

O gerente geral do Núcleo de Inovação Natura Amazônia, Iguatemi Costa, destaca o quanto foi difícil selecionar os projetos. “Recebemos muitas propostas interessantes e inovadoras. Ficamos felizes com os resultados e estamos com projetos promissores que serão desenvolvidos de forma colaborativa entre empresa e instituição de pesquisa. E todo esse processo nos dá novas diretrizes para planejar as próximas ações para identificação de novos projetos em colaboração”, afirma.

As seis propostas selecionadas, agora estão em fase de contratação, quando serão definidos o volume final de recursos a ser destinado a cada uma, o cronograma de desembolso e estrutura de co-participação no desenvolvimento da pesquisa.

Inovação Colaborativa

O edital Natura Campus busca parcerias com universidades e instituições de pesquisa para desenvolver um trabalho colaborativo, visando a ampliação e o desenvolvimento da ciência, da inovação e da tecnologia. “Diferentemente dos editais de fomento à pesquisa, a Natura não está apenas injetando verba para o desenvolvimento de ciência. Trabalhamos em modelo de cooperação, a partir do qual a pesquisa é desenvolvida em conjunto com os pesquisadores da Natura que também participam da realização dos estudos, em uma relação mútua de aprendizado”, afirma Luciana Hashiba.

Conheça os projetos aprovados no Edital Amazônia/2012

  • Diversidade de Aromas de Plantas e Fungos da Região do Alto Rio Negro – Charles Zartman (Inpa)
  • Ecologia de populações de Endopleura uchi (Humiriaceae) e sua relação com extrativismo na Amazônia Central – Simone Benedet Fontoura (Ifam)
  • Prospecção de fungos amazônicos produtores de pigmentos e enzimas para aplicação cosmética – Emerson Silva Lima (Ufam)
  • Desenvolvimento de ferramentas para o melhoramento genético da palma de óleo, um desafio biotecnológico para a expansão sustentável da palmicultura no Brasil – Daniela Bittencourt (Embrapa CPAA)
  • Rios e Redes na Amazônia Indígena – Gilton Mendes (Ufam)
  • Agroflorestas Comunitárias de recomposição na Reserva Extrativista do Catuá-Ipixuna, Amazonas – Manuel de Jesus Vieira Lima Junior (Ufam)

Edital Natura Campus

O edital Natura Campus também possui a categoria “Ciência, Tecnologia e Inovação”, aberta a instituições de todo o Brasil e do mundo que desejem inscrever propostas multidisciplinares e de alto impacto.

Já a chamada de projetos Natura Campus Amazônia só recebeu propostas de estudos liderados por instituições de pesquisa da Amazônia Legal. O resultado do Edital Ciência, Tecnologia e Inovação está previsto para março de 2013.

Natura

Fabricante brasileira de cosméticos e produtos de higiene e beleza, com receita anual superior a R$ 5,5 bilhões, fica sediada em Cajamar (SP) e conta com quase sete mil colaboradores, que atuam nas operações do Brasil, Argentina, Chile, México, Peru, Colômbia e França.

O desenvolvimento sustentável orienta a maneira de a empresa fazer negócios desde sua fundação, em 1969. A paixão pelas relações fez a companhia adotar a venda direta como modelo de negócios. Reúne mais de 1,506 milhão de consultoras, sendo 1,226 milhão no Brasil e cerca de 280 mil no exterior, que disseminam a proposta de valor da empresa aos consumidores.

Fonte: Natura