Busca

Tag: Lenine


19:11 · 24.07.2017 / atualizado às 19:41 · 24.07.2017 por
O cantor pernambucano se junta à ONG para dar visibilidade ao Desafio Ambiental para estimular negócios sustentáveis, reconhecer inovações, iniciativas sociais e ferramentas que fomentem a sustentabilidade e que apoiem a restauração florestal em harmonia com questões sociais Foto: WWF-Brasil

Em uma iniciativa para trazer melhorias ao meio ambiente, o WWF-Brasil lançou, em junho, o Desafio Ambiental: inovação e empreendedorismo em restauração florestal, com o intuito de apoiar o País a atingir suas metas de restauração e, ao mesmo tempo, dar visibilidade a iniciativas pioneiras. E, para chamar atenção à causa, o cantor Lenine se uniu ao WWF-Brasil.

Engajado em causas ecológicas, Lenine aceitou de pronto participar desta ação, que tem suas inscrições abertas até o dia 9 de agosto. Para o diretor executivo do WWF-Brasil, Maurício Voivodic, “há bastante sinergia entre os valores do Lenine e os da organização, devido ao posicionamento ecológico dele e o seu envolvimento com a ‘causa verde’”.

E continua: “Queremos encontrar e promover o empreendedorismo e a inovação no setor privado para que a restauração florestal ganhe escala e se multiplique nas propriedades rurais brasileiras. Ao mesmo tempo, queremos popularizar o tema de restauração, que é de interesse público, e essa conexão com o público ganha força com a presença do Lenine”.

Lenine iniciou em 2015 o projeto Carbono, inspirado no elemento químico conhecido como a “base da vida”. Nesse álbum, o cantor destaca os impactos ambientais gerados pelo homem e a importância de freá-los.

Desafio Ambiental

Trata-se de um concurso para mapear, conectar, impulsionar e premiar iniciativas que restauram biomas brasileiros por meio de modelos inovadores e sustentáveis. A ação combina os universos da restauração florestal e do empreendedorismo de impacto e inovação, visando não só premiar financeiramente as ideias selecionadas, mas criar uma rede de colaboração entre as diversas iniciativas que acontecem no Brasil hoje, impulsionando o ecossistema de restauração.

Dentro da prática de restauração florestal, o concurso busca reconhecer:

  • Projetos de campo
  • Modelos de negócios que viabilizem a recuperação de áreas degradadas
  • Metodologias ou modelos inovadores
  • Iniciativas sociais que promovam a restauração florestal e sua cadeia
  • Tecnologias
  • Startups

As propostas serão selecionadas por júri técnico e júri popular. O primeiro corpo de jurados será composto por um representante de cada um dos parceiros do desafio, enquanto que o júri popular está aberto a qualquer pessoa física, sendo um voto para cada CPF.

Na primeira fase do concurso, serão selecionadas até oito propostas para a realização de uma imersão com o Impact HUB, a fim de impulsionar seu projeto. Em homenagem ao Dia da Árvore (Centro-Oeste, Sudeste e Sul), a premiação vai ocorrer no dia 21 de setembro e os prêmios serão distribuídos da seguinte forma:

1º lugar – júri técnico: participação da imersão e mentoria. R$ 5.000,00 em dinheiro e participação do Empretec (Sebrae)

2º lugar – júri técnico: participação da imersão e mentoria. R$ 3.000,00 em dinheiro e participação do Empretec (Sebrae)

3º ao 8º lugar: participação da imersão e mentoria

1º lugar – júri popular – R$ 2.000,00 em dinheiro

Por que restaurar?

A restauração florestal é uma prática importante para a manutenção dos ecossistemas. Essa técnica recupera áreas degradadas visando restabelecer sua estrutura e função ecológica, com melhoria da qualidade e quantidade dos recursos hídricos, fixação de carbono, regulação climática e conservação da biodiversidade, entre outras.

Surge como ferramenta de contraponto a preocupação com as questões ambientais, e, em particular, com o aquecimento global e com a possibilidade de ocorrerem mudanças do clima nos próximos anos.

O Brasil se configura entre os principais países produtores e exportadores de produtos agropecuários, com mais de 300 de milhões hectares destinados à agropecuária, segundo o IBGE. Contudo, esse setor também responde por grande parte das emissões brasileiras de gases de efeito estufa (GEE), que são responsáveis diretamente pelo aquecimento global.

“Nosso país se comprometeu em implantar ações e medidas que promovam o cumprimento de nossas metas no Acordo de Paris. Dentre elas, há o compromisso de recuperar 15 milhões de hectares de pastagens degradadas e reflorestar 12 milhões de hectares. Todavia, a estrutura hoje disponível para esse fim não conseguirá atender essa demanda se não houver ingredientes extras, com inovação e empreendedorismo”, comenta Mauricio Voivodic.

Imersão e planejamento colaborativo

Existem no Brasil inúmeras iniciativas que atuam em prol das florestas. São projetos de restauração e reflorestamento, agroflorestas, pequenos ou médios agricultores, startups de impacto, rede de sementes, povos e comunidades tradicionais e muitas outras iniciativas, que geram renda, restauram ecossistemas e contribuem para reverter o já conhecido quadro de desmatamento e degradação.

O impacto em larga escala e verdadeiramente transformacional não pode ocorrer isoladamente, requer ação coletiva. A ideia é impulsionar os projetos envolvidos e, além disso, estimular a criação de caminhos de colaboração setorial e interssetorial.

WWF-Brasil

Trata-se de uma organização não governamental (ONG) brasileira dedicada à conservação da natureza, com os objetivos de harmonizar a atividade humana com a conservação da biodiversidade e promover o uso racional dos recursos naturais em benefício dos cidadãos de hoje e das futuras gerações.

Criado em 1996, o WWF-Brasil desenvolve projetos em todo o País e integra a Rede WWF, a maior rede mundial independente de conservação da natureza, com atuação em mais de 100 países e o apoio de cerca de 5 milhões de pessoas, incluindo associados e voluntários.

Mais informações:
Desafio Ambiental: inovação e empreendedorismo em restauração florestal
Inscrições: até 9 de agosto de 2017
Realização: WWF-Brasil
Execução: Impact HUB
Apoio:
Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Ministério do Meio Ambiente (MMA), Pacto pela Restauração da Mata Atlântica e Parque Nacional da Tijuca
Site: www.desafioambiental.org

10:23 · 18.04.2014 / atualizado às 10:28 · 18.04.2014 por
YouTube Preview Image

 

O Projeto “Encontros Socioambientais com Lenine – Música e Sustentabilidade numa só nota”, patrocinado pela Petrobras, tem como objetivo ampliar a conscientização sobre cidadania e o conhecimento de práticas e tecnologias sustentáveis, além de promover a troca de experiências e informações entre os projetos visitados. Em continuidade à ação, que conta com a visita de Lenine a projetos apoiados pela companhia em 12 Estados, o cantor e compositor estará em Chaval (CE), hoje (18); e em Jericoacoara (CE), amanhã (19).

Hoje pela manhã, o músico conhece o trabalho realizado pelo Projeto Pesca Solidária, criado em 2010 para a conservação do estuário dos rios Timonha e Ubatuba, na divisa do litoral do Piauí e Ceará. A visita acontece no projeto, localizado em Porto do Mosquito, em Chaval, com café da manhã com a presença da comunidade pesqueira das cidades de Cajueiro da Praia, Chaval e Barroquinha, onde atua o projeto.

Em seguida haverá um passeio pelo estuário dos rios Timonha e Ubatuba para acompanhar uma pesca artesanal e uma despesca dos currais de peixes. À noite, o artista fará uma apresentação gratuita e aberta ao público, na praça central de Jericoacoara.

Lenine é colaborador de instituições no Brasil e no exterior que defendem causas sociais e ambientais. A afinidade do músico com o tema marca presença em diversas composições de sua autoria. Até junho, o músico percorrerá projetos ambientais, sociais e esportivos educacionais distribuídos por 12 Estados das cinco regiões geográficas do País. A estimativa é de que mais de 24 mil pessoas diretamente, e 640 mil indiretamente, sejam alcançadas, estimulando as comunidades a participar dos projetos existentes e a construir novos projetos com potencial de promover transformações sociais e ambientais.

O patrocínio ao projeto “Encontros Socioambientais com Lenine” está alinhado ao eixo estratégico Mobilização para Temas e Causas do Programa Petrobras Socioambiental: http://sites.petrobras.com.br/socioambiental/. Por meio do programa, a companhia investirá R$ 1,5 bilhão até 2018, em projetos com foco nas linhas de atuação: Produção Inclusiva e Sustentável, Biodiversidade  e Sociodiversidade, Direitos da Criança e do Adolescente, Florestas e Clima, Educação, Água e Esporte.

O objetivo do programa é potencializar a contribuição da Petrobras para o desenvolvimento sustentável e a promoção de direitos, com investimentos em práticas em todo país voltadas para um ambiente ecologicamente equilibrado.

Patrocínio da Petrobras no Ceará

A Petrobras patrocina seis projetos ambientais, sociais e de esportes educacionais no Estado. Os projetos incluídos na agenda desta semana são:

Pesca Solidária – Criado em 2010 para a conservação do estuário dos rios Timonha e Ubatuba na divisa do litoral do Piauí e Ceará.

Esporte e Educação Essa é a Nossa Praia – Projeto de esporte e educação, realizado pelo Instituto de Capacitação e Integração da Família, com patrocínio da Petrobras, na cidade de Paracuru (CE).

De Olho na Água – Projeto que possui três diretrizes: planejamento e gestão ambiental, desenvolvimento econômico sustentável e mudança de atitude. Já beneficiou diretamente, 1.500 moradores de comunidades de Ponta Grossa, Requenguela, Barrinha, Retiro Grande e Córrego do Sal. Indiretamente, 18 mil pessoas da região participaram de suas atividades.

Esporte e Educação Essa é a Nossa Praia – Democratizar o acesso da população jovem ao esporte e ao mundo digital, no município de Paracuru (CE) é o objetivo principal do projeto Esporte e educação: essa é a nossa praia. Os jovens participantes aprenderão a praticar surf, sandboard, vôlei de praia e futebol de areia. Além das aulas de esporte, serão ministradas aulas de comunicação digital.

Projeto Cacto – Iniciativa da Organização Não Governamental Fábrica de Imagens, oferece cursos voltados para jovens que tenham entre 16 e 29 anos e estejam cursando a partir do 9º ano do Ensino Fundamental ou tenham concluído o Ensino Médio na rede pública de ensino.

Jogos de Aprender – O projeto Jogos de Aprender, iniciativa da Associação Recreativa e Esportiva para Crianças e Adolescentes (Arca) que pretende desenvolver relação de atividades esportivas com conteúdos abordados nas disciplinas de matemática e português, para crianças e jovens matriculados no sistema público de ensino

No Clima da Caatinga – É um dos projetos da Associação Caatinga para conservação do bioma. O objetivo principal do Projeto No Clima da Caatinga é impactar positivamente na diminuição dos efeitos do aquecimento global através da conservação da Caatinga, no sertão de Crateús (CE).

Fonte: Petrobras