Busca

Tag: Mobilidade Urbana


10:23 · 22.09.2013 / atualizado às 10:23 · 22.09.2013 por

Dia Mundial Sem Carro - Ilha

Por Maristela Crispim

Hoje, 22 de setembro, é comemorado o Dia Mundial Sem Carro e a principal reflexão a ser feita é como garantir um mínimo de qualidade de vida em cidades sufocadas por um trânsito cada dia mais complicado e por uma violência que reflete o desumanização do nosso sistema?

Muitos urbanistas que estudam e pesquisam sobre o assunto defendem que o crescimento das zonas urbanas deve ser pensado de modo a garantir que as pessoas vivam perto daquilo que garante as suas necessidades básicas: trabalho, escola, supermercado, cabeleireiro, academia, padaria, médico, farmácia.

Se você tiver tudo isso numa distância que pode ser percorrida a pé ou de bicicleta, por que tirar o carro da garagem e se meter num trânsito que vai lhe tirar o bom humor? Essa mudança promove a ocupação das ruas pelas pessoas, o que dá vida à cidade e até reduz a sensação de insegurança.

É claro que esses são investimentos de médio e longo prazo e que é preciso remediar a situação. Percorrer longas distâncias a pé ou mesmo de bicicleta numa cidade como Fortaleza, situada na linha do equador, onde temos uma incidência de raios solares considerável e temperatura média de 29º C o ano inteiro requer outros investimentos.

É preciso, além de aproximar as pessoas dos seus destinos, dar segurança a ciclistas e pedestres, com mais arborização urbana que garanta sombra no percurso, calçadas, ciclovias, ciclofaixas.

O transporte coletivo também precisa ser uma alternativa viável. Já temos o bilhete único, que é uma iniciativa bacana, já adotada em muitas cidades do mundo.

Mas precisamos conseguir entrar num ônibus sem ser esmagado às 6h30 ou às 17h30, um reflexo de como ainda se vive longe das nossas necessidades. Um transporte confortável, que não polua e seja rápido também é um estímulo a deixar o carro em casa.

Providencialmente o dia 22 de setembro neste ano caiu num domingo. Que tal, então, aproveitarmos essa oportunidade para buscar um deslocamento diferente do usual? Pode até ser uma aventura interessante!

00:23 · 23.05.2013 / atualizado às 00:23 · 23.05.2013 por

 VivaaMata2013

A nona edição do Viva a Mata – Encontro Nacional pela Mata Atlântica terá o tema “Direitos e Deveres Ambientais”. Organizado pela Fundação SOS Mata Atlântica, o evento será realizado de 24 a 26 de maio de 2013, das 9h às 18h, na Marquise do Parque Ibirapuera, com atividades também no auditório do Museu de Arte Moderna (MAM), em São Paulo (SP). Neste ano, o Viva a Mata é realizado às vésperas do dia 27 de maio, quando se comemora o Dia Nacional da Mata Atlântica.

A cenografia do evento é assinada pela empresa Candotti, que utilizará placas e cilindros de papelão para a construção dos pavilhões, prezando o reaproveitamento de materiais. O patrocínio é do Bradesco e o apoio é da Rede Globo, Rádios Eldorado e Estadão e Secretaria do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo.

“Interação e motivação são palavras para resumir o Viva a Mata deste ano. Queremos estimular as pessoas a se envolverem com os acontecimentos que as rodeiam, cumprindo seus deveres sem deixar de exigir seus direitos”, afirma Marcia Hirota, diretora de Gestão do Conhecimento da Fundação SOS Mata Atlântica.

O evento terá pavilhões temáticos – florestas, mar, urbano, água, mudanças climáticas e propriedades sustentáveis – que reunirão atividades interativas sobre cada tema, além da exposições de organizações não-governamentais (ONGs) que lutam pela sustentabilidade, empresas parceiras e patrocinadores.

Os dois caminhões da exposição itinerante “A Mata Atlântica é Aqui” também integrarão as atividades e promoverão diversas atrações jogos e palestras: um deles ficará na Marquise do Ibirapuera e o outro, próximo ao restaurante Green, no Parque.

A programação conta, ainda, com apresentações musicais e teatros, oficinas e uma programação de palestras no auditório do Museu de Arte Moderna (MAM) que reunirá especialistas para debaterem o Código Florestal (24) e a Proteção dos Ecossistemas Costeiros e Marinhos (25).

Código Florestal

Com a aprovação do novo Código Florestal em 2012, a lei deve agora ser implementada e acompanhada pela sociedade. Atentos a isso, representantes da sociedade civil estarão reunidos na sexta-feira (24), das 10h às 16h, no auditório do Museu de Arte Moderna (MAM), durante o Viva a Mata, para o lançamento de iniciativas e palestras sobre o Código Florestal.

Às 10h, será lançada a campanha nacional “Cumpra-se”, pelo cumprimento do Código Florestal, que tem como objetivo convidar o público a fazer a sua parte: contribuir e proteger o meio ambiente com ações diárias e apoiar a fiscalização do Poder Público. Já às 12h, haverá o lançamento do Grupo de Trabalho (GT) de Acompanhamento da Implementação do Código Florestal em São Paulo”, pela Frente Parlamentar Ambientalista de São Paulo, Fundação SOS Mata Atlântica e Associação Nacional de Órgãos Municipais de Meio Ambiente (Anamma).

O GT de São Paulo é o décimo lançado. Desde março deste ano outros oitos já iniciaram suas atividades: Bahia, Ceará, Espírito Santo, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Santa Catarina. Até o fim do ano serão lançados mais sete grupos.

“Queremos estimular a cidadania e o acompanhamento da Lei em um processo descentralizado e participativo, e também reforçar o papel das Frentes Parlamentares Estaduais. Por isso, vamos incentivar o acompanhamento e cumprimento do Código Florestal nos Estados da Mata Atlântica”, explica Mario Mantovani, diretor de Políticas Públicas da Fundação SOS Mata Atlântica.

Que Se Dane”

“A água do planeta vai acabar? Que se dane. As florestas estão sendo exterminadas? Que se dane. A poluição aniquilará a humanidade? Que se dane”. Essas polêmicas frases, carregadas de ironia e indiferença, fazem parte do estatuto da ONG Que Se Dane (QSD), que tem divulgado nas últimas semanas, nas redes sociais Facebook e Twitter, diversas mensagens a favor do lixo na rua, de lavar a calçada com água corrente, de andar de carro sozinho e de derrubar árvores.

A ONG fictícia faz parte, na verdade, de uma ação promovida pela Fundação SOS Mata Atlântica com o objetivo de convocar a sociedade para uma importante reflexão sobre o modo como o brasileiro tem lidado com os desafios ambientais do país. Reflexão esta que terá como ápice o Viva a Mata.

A campanha, criada pela F/Nazca Saatchi & Saatchi, ressalta que “todo cidadão brasileiro é automaticamente filiado à QSD, um direito nato e alienável”. “Convidamos a sociedade a renunciar à emblemática ONG, indo até o Viva a Mata e desfilando-se”, afirma Mario Mantovani. Todos os que aderirem, poderão tirar uma foto no evento para ser publicada nas redes sociais como um “certificado de desfiliação”.

Antes da desfiliação em massa, que acontecerá durante o evento, qualquer cidadão que não se sinta representado pela QSD também pode fazer seus comentários e críticas em suas redes sociais utilizando-se da hashtag #aQSDnãomerepresenta.

Mobilidade urbana

O Viva a Mata trará na sua programação o debate sobre o uso consciente da bicicleta e a segurança aos ciclistas. Para isto, o Instituto Aromeiazero e a Escola Bike Anjo (EBA) realizarão oficinas de arte e de aprendizado para pedalar, além de um passeio ciclístico. Além disso, haverá exposições de parceiros do Instituto, como o projeto de fotos de ciclistas Transite e das peças da Alforjaria.

No sábado (25), das 9h às 12h, a Escola Bike Anjo realizará um passeio ciclístico para um grupo de no máximo 40 pessoas, visando a interação delas com pontos turísticos do Parque Ibirapuera.

Os interessados em participar devem se encontrar em frente ao caminhão do projeto “A Mata Atlântica é Aqui – Exposição Itinerante do Cidadão Atuante”, da SOS Mata Atlântica, que estará estacionado na Marquise do Parque Ibirapuera para preencher uma ficha de inscrição e deverão lembrar de levar os equipamentos de segurança, como capacete, luva e sinalizadores (luzes na frente e atrás, ou refletor) que serão de uso obrigatório.

Ainda no sábado, das 15h às 18h, a organização realizará uma oficina interativa que propõe a reunião de adultos e crianças com voluntários, que passarão orientações sobre suas primeiras pedaladas e dicas para fazer isso de maneira fácil e descontraída.

No domingo (26), o Instituto Aromeiazero realizará a mostra e oficina interativa Bike Arte. Trata-se de uma exposição de arte voltada para temas relacionados à bicicleta. Fotografias, esculturas, quadros e intervenções de estilização de bicicletas fazem parte da programação do evento, que promove novos artistas paulistanos. A iniciativa tem como objetivo utilizar a arte como meio para tratar da mobilidade e cidades sustentáveis.

Fundação SOS Mata Atlântica

Criada em 1986, a Fundação SOS Mata Atlântica é uma organização privada sem fins lucrativos, que tem como missão promover a conservação da diversidade biológica e cultural do bioma Mata Atlântica e ecossistemas sob sua influência. Estimula ações para o desenvolvimento sustentável, promove a educação e o conhecimento sobre a Mata Atlântica, mobiliza, capacita e incentiva o exercício da cidadania socioambiental.

A Fundação também desenvolve projetos de conservação ambiental, produção de dados, mapeamento e monitoramento da cobertura florestal do bioma, campanhas, estratégias de ação na área de políticas públicas, programas de educação ambiental e restauração florestal, voluntariado, desenvolvimento sustentável, proteção e manejo de ecossistemas.

Programação

Auditório – Museu de Arte Moderna (MAM)

24/05 – Sexta-feira

10h – Lançamento da campanha pelo cumprimento do Código Florestal – Cumpra-se

12h – Lançamento do GT do Código Florestal da Assembleia Legislativa de São Paulo

14h – Debate Água e Código Florestal

16h – Debate Aplicação do Código Florestal

25/05 – Sábado

10h – Seminário: 25 anos da Constituição Federal e a Proteção dos Ecossistemas Costeiros e Marinhos

14h – Mesa-redonda Consumo Consciente de Pescado

Palco

24/05 – Sexta-feira

09h – Abertura do Viva a Mata 2013

10h – Aula aberta de Yoga

11h – Música – Grupo Embatucadores

12h – Fantoche – Salvando a Mata Atlântica

13h – Oficina e música – Cantando e Brincando com os Pássaros da Mata Atlântica

14h – Contação de história – A lenda do Curucutú

15h – Vivências com a Natureza para a Proteção da Mata Atlântica

16h – Música – Cantos da Mata

25/05 – Sábado

10h – Aula aberta de ginga

11h – Fantoche – Salvando a Mata Atlântica

12h – Contação de história – Biodiversidade e o Som dos Bichos

14h – Teatro – Os Saltimbancos Voluntários

15h – Fantoche – Salvando a Mata Atlântica

16h – Musica – Muriqui

26/05 – Domingo

10h – Aula aberta de alongamento

11h30 – Mobilização pelo Código Florestal – Campanha Cumpra-se

13h – Teatro – O rio que sumiu

14h – Vivências com a Natureza para a Proteção da Mata Atlântica

15h – Contação de história: A Flauta do Amor

16h – Teatro musical – Semeando Em Canto

Sala Exposição Itinerante

24/05 – Sexta-feira

13h – Palestra Vivências de Educação Socioambiental na APA Delta do Parnaíba

16h – Palestra Programa Amigos do Mar

25/05 – Sábado

10h – Palestra A Pegada Ecológica em São Paulo

11h – Palestra Caminhos para uma Economia de Baixo Carbono

13h – Palestra Novas Metodologias de Restauração de Mata Ciliares e de Reserva Legal

16h30 – Palestra Tubarões no Limite

26/05 – Domingo

14h – Palestra Vida Costeira e Marinha

16h – Roda de Conversa Mini Documentário – Pimp My Carroça

Fonte: Fundação SOS Mata Atlântica

15:53 · 03.04.2013 / atualizado às 15:53 · 03.04.2013 por

Estão abertas até o dia 8 de abril as inscrições para o Seminário Internacional de Pesquisa e Extensão “Gestão Urbana e Sustentabilidade”, que acontece nos dias 9, 10 e 11 de abril de 2013, no Auditório Rachel de Queiroz, no Centro de Humanidades 2 da Universidade Federal do Ceará (UFC), na Avenida da Universidade, 2762, térreo, Benfica.

Além de professores e pesquisadores da UFC, participarão os professores Enrique Sánchez Albarracín e Chantal Berdier, da Universidade de Lyon. Nas palestras, debates e mesas-redondas, os participantes trocarão ideias sobre pesquisas ligadas à Educação Ambiental, arte em espaços públicos, condições de vida e trabalho de catadores de lixo, gestão de resíduos sólidos, mobilidade urbana, dentre outros temas.

O seminário é realizado pela UFC – por meio do Programa de Pós-Graduação em Psicologia, do Laboratório de Pesquisa Ambiental (Locus), do Projeto de Extensão “Sem Fronteiras: Plural pela Paz” -, juntamente com o Instituto Nacional de Ciências Aplicadas de Lyon (Insa); o Laboratório de Pesquisa “Meio Ambiente, Cidade, Sociedade” (EVS), ligado ao Insa; e a Administração da Região Rhône-Alpes, França.

O evento conta com o apoio da Empreendimentos de Transformação de Recicláveis (Emtre) e a Rádio Universitária FM 107,9.

Os interessados podem se inscrever no Locus. Conheça a programação completa no portal da UFC .

12:49 · 18.02.2013 / atualizado às 12:51 · 18.02.2013 por
YouTube Preview Image

Iniciativa da Lola Madrid recicla veículos abandonados em ferro-velho e cria peças únicas, feitas a mão

Desde que pesquisadores do mundo inteiro, reunidos no Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) trouxeram a público a preocupação relativa aos efeitos das nossas emissões de gases geradores de efeito estufa sobre o clima do Planeta, pontos a mais foram acrescentados aos meios de transportes não poluentes e coletivos.

Se acrescentarmos que a bicicleta é um meio de transporte que também pode melhorar a saúde das pessoas, todos concordamos que seu uso deve ser estimulado. Que tal, então, contarmos com bicicletas exclusivas, feitas artesanalmente, a partir da sucata de carros antigos? Mais simbólico impossível!

A agência Lola Madrid pôs a ideia em prática no projeto Bicycled. Por que uma agência publicitária decidiu embarcar neste projeto? “Acreditamos que é sempre melhor para fazer do que dizer. Então, antes de falar sobre a bicicleta perfeita, decidimos criá-la”, diz o site do Bicycled.

Além das vantagens de emissão zero, atividade saudável e reciclagem, a exclusividade também é um destaque: “porque cada bicicleta é feita de peças de carros reais, não haverá duas de um tipo”.

Quem acessar o site pode fazer a pré-encomenda de uma bike como essa. Só tem um porém: até o momento não foi divulgado quanto cada peça irá custar. Fica a dica!

08:46 · 18.09.2012 / atualizado às 08:46 · 18.09.2012 por

Por Maristela Crispim

Estamos na Semana da Mobilidade, 16 a 22 de setembro, e, no sábado, 22 de setembro, teremos o Dia Mundial Sem Carro (World Car Free Day). A iniciativa partiu da França, em 1997 e, aos poucos, foi se espalhando pelo mundo. No Brasil, movimentos de ciclistas, principalmente, têm atividades programadas, em diversas cidades, desde 2001, começando por São Paulo.

Em Fortaleza, o V Pedala Fortaleza – Legado da Copa, que normalmente é realizado no segundo domingo do mês, marcará a data. A concentração está marcada para as 16 horas do próximo sábado, com saída às 17 horas, na Avenida Beira-Mar, em frente à Estátua Iracema Guardiã. As inscrições podem ser feitas pelo site http://www.fortaleza.ce.gov.br/inscricoes-pedala-fortaleza.

O objetivo principal é estimular uma reflexão sobre o uso excessivo do automóvel, além de propor às pessoas que dirigem todos os dias que revejam a dependência que criaram em relação ao carro ou moto. Uma oportunidade para as pessoas experimentarem, pelo menos nesse dia, formas alternativas de mobilidade, descobrindo que é possível a locomoção sem o uso do automóvel.

A data está relacionada ao movimento internacional Car Free, que advoga a revitalização das cidades, buscando garantir um futuro sustentável. Para os integrantes do movimento, a opção das cidades em favor do automóvel – “o carrocentrismo” – foi equivocada, por trata-se de um meio de transporte altamente poluidor e destruidor do espaço urbano.

Como alternativa, propõem a reconversão das cidades para favorecer meios sustentáveis de mobilidade, elegendo a bicicleta e os meios de transporte coletivos como expressão da sustentabilidade. A justificativa é que, com um trânsito mais calmo, as pessoas tenderiam a caminhar mais, resgatando os espaços públicos e alcançando um novo conceito de qualidade de vida.

Além de Fortaleza, outras capitais e grandes cidades brasileiras realizam o movimento. Na maior cidade do País, a Rede Nossa São Paulo organiza a Semana da Mobilidade, com atividades variadas, desde palestras até intervenções urbanas.

18:44 · 27.01.2012 / atualizado às 18:55 · 27.01.2012 por
As estações estão localizadas em pontos estratégicos de bairros da zona sul e centro do Rio Foto: Maristela Crispim

Há alguns meses a cidade do Rio de Janeiro ganhou um novo e ecológico serviço: o Sistema de Bicicletas Públicas (Samba) ou simplesmente Bike Rio. É claro que o sistema ainda funciona apenas nas áreas nobres da cidade, onde há disponibilidade de ciclovias, mas já é uma luz no fim do túnel no que diz respeito ao estímulo ao uso do transporte.

O Samba é uma iniciativa da Prefeitura do Rio de Janeiro, em parceria com o Banco Itaú, visando oferecer à cidade uma opção de transporte sustentável e não poluente. Implantado e operado pela empresa SERTTEL, o projeto conta com 60 estações e 600 bicicletas, distribuídas nos bairros de Copacabana, Ipanema, Leblon, Lagoa, Jardim Botânico, Gávea, Botafogo, Urca, Flamengo e Centro.

O Sistema é composto de estações inteligentes, conectadas a uma central de operações via wireless, alimentadas por energia solar, distribuídas em pontos estratégicos da cidade do Rio de Janeiro, onde os usuários cadastrados podem retirar uma bicicleta, utilizá-la em seus trajetos e devolvê-la na mesma, ou em outra estação.

Objetivos

  • Introduzir a bicicleta como de Transporte Público saudável e não poluente
  • Combater o sedentarismo da população e promover a prática de hábitos saudáveis
  • Redução dos engarrafamentos e da poluição ambiental nas áreas centrais das cidades
  • Promover a humanização do ambiente urbano e a responsabilidade social das pessoas

Como utilizar

Compra de passes

1. Passe mensal – R$ 10,00 (Válido por 30 dias)

Acesse o site www.movesamba.com.br/bikerio e clique na opção “cadastre-se”

Clique no Menu “comprar passe”, leia as instruções de uso, confirme seu Passe mensal e informe os dados do seu cartão de crédito

Veja no mapa do site a localização das estações de aluguel e dirija-se a qualquer uma delas para retirar bicicletas, usando o telefone celular informado no cadastro

2. Passe diário – Uso eventual / sem cadastro – R$ 5,00 (Válido por 24 horas)

Veja no mapa do site a localização das estações de aluguel e dirija-se a qualquer uma delas para retirar bicicletas

Ligue do seu telefone celular para o número: (21) 4063.3111 ou (21) 3005.4316

Ouça as informações sobre regras e tarifas

Digite os dados do seu cartão de crédito

O telefone usado para compra do passe diário deverá ser o mesmo utilizado para liberação da bicicleta

Retirada da bicicleta na estação

  • Ligue do seu telefone celular para o número (21) 4063.3111 ou (21) 3005.4316
  • Digite o número da estação que deseja retirar a Bicicleta
  • Digite o número da posição da bicicleta escolhida
  • Confirme a operação e puxe a bicicleta quando a luz verde estiver acesa

Uso da bicicleta

  • Você pode fazer quantas viagens quiser durante todo o dia
  • Viagens de até 60 minutos são gratuitas, desde que sejam realizadas com intervalo de pelo menos 15 minutos entre elas
  • Viagens com duração de mais de 60 minutos serão tarifadas à parte, no valor de R$ 5,00 por cada 1 hora excedente
  • Através do celular o usuário pode consultar a situação de bicicletas disponíveis e de vagas para devolução, ligando para (21) 4063.3111 / (21) 3005.4316 ou acessando a Internet: www.movesamba.com.br/appbikerio

Devolução da bicicleta na estação

A devolução da bicicleta pode ser realizada em qualquer estação disponível

  • Escolha uma posição livre
  • Encaixe a Bicicleta e verifique se a mesma está devidamente travada
  • Se a estação estiver sem espaço para a sua bicicleta, ligue para a Central de Atendimento ao Usuário: 0800 8926650 ou (21) 2221.7460

Mais informações: www.movesamba.com.br

07:00 · 15.09.2011 / atualizado às 10:44 · 14.09.2011 por

 

Quase todo dia lemos notícias sobre o trânsito difícil na cidade de Fortaleza, que, como outras metrópoles, enfrenta os problemas decorrentes da opção predominante pelo transporte rodoviário individual.

No dia 22 de setembro, o mundo celebra o World Car Free Day, ou, em Português claro, o Dia Mundial Sem Carro, uma estratégia de divulgação que vem sendo apoiada por um número crescente de cidades em todo o mundo.

Nesta data, criada na França, em 1997, são realizadas atividades em defesa do meio ambiente e da qualidade de vida. O objetivo principal é estimular uma reflexão sobre o uso excessivo do automóvel, além de propor às pessoas que dirigem todos os dias que revejam a dependência que criaram em relação ao carro ou moto.

A proposta é que essas pessoas experimentem, pelo menos neste dia, formas alternativas de mobilidade, descobrindo que é possível se locomover pela cidade sem usar o automóvel e que há vida além do para-brisa.

O Car Free é um movimento internacional que advoga a revitalização das cidades, buscando garantir um futuro sustentável. O movimento e seus apoiadores entendem que a opção das cidades em favor do automóvel foi equivocada por tratar-se de um meio de transporte altamente poluidor e destruidor do espaço urbano.

Como alternativa, propõem a reconversão das cidades para favorecer meios sustentáveis de mobilidade, elegendo a bicicleta e os meios de transporte coletivos como expressão da sustentabilidade.

Com cidades tendo um trânsito mais calmo, as pessoas tenderiam a caminhar mais, resgatando os espaços públicos e alcançando um novo conceito de qualidade de vida.

Em Fortaleza, os já tradicionais passeios ciclísticos noturnos farão alusão à data durante a semana. No dia 22, será aberta a exposição de fotografias Dia Mundial Sem Carro, às 9h30min, na Câmara Municipal de Fortaleza (Salão Branco).