Busca

23:09 · 16.09.2018 / atualizado às 23:09 · 16.09.2018 por
Foto: Reprodução/Instagram

O Torneio CrossFit Brasil (TCB) 2018 foi de muita garra e superação para os 11 atletas cearenses na disputa e, por pouco, não houve representantes do Estado no pódio. O time Crossfit R2, formado por Reginaldo Silva, Américo Lima, Talita Almeida e Larissa Freire, ficou em 4º lugar na disputa, apenas 12 pontos atrás do time que levou o bronze.

Na categoria Elite Masculina, Éder Costa finalizou em 8º e, Pedro Yago Araújo, em 32º, dentre os 45 participantes. Infelizmente, logo na quinta-feira, Renata Pimentel teve uma crise de asma na primeira prova e precisou deixar a disputa na Elite feminina.

Das atletas Master, Rosimary Lima terminou em 6º entre as mulheres 45+, e Karol Paiva, em 8º na categoria 35-39 anos. Os dois representantes da categoria Teen, Davi Cruz e Luís Rebouças, finalizaram em 6º e 8º, respectivamente.

Parabéns a todos os atletas!

23:06 · 16.09.2018 / atualizado às 23:11 · 16.09.2018 por
Fotos: Reprodução/Instagram/TCB

Depois de 11 wods nos últimos quatro dias, o paulista Anderon Primo, 23 anos, conquistou o tetracampeonato do Torneio CrossFit Brasil (TCB) 2018 e se tornou o maior vencedor masculino da competição. Já a carioca Luana Soares, 27, venceu o Torneio pela primeira vez, depois de dois anos como vice.

Além do talento indiscutível, Anderon contou com sorte. Pablo Chalfun, primeiro brasileiro nos CrossFit Games, não competiu por vir de uma sequência de outras disputas. André Sanches, bronze em 2017, também escorregou no fim de semana depois de ter finalizado a quinta-feira na liderança.

O mesmo pode ser dito de Luana. Ela viu, fora do páreo, a tetracampeã Anita Pravatti, lesionada; Vivi Aiello, melhor brasileira na Latin America Regional, e a cearense Renata Pimentel, que sofreu uma crise de asma na primeira prova ainda na quinta-feira e precisou deixar a disputa.

Assim, a gigante de 1,84m ficou ainda maior e dominou a disputa. Na Elite feminina, o pódio ficou completo com a carioca Larissa Cunha, de 27 anos (31 cm mais baixa que Luana), e a paulista Tata Rebane, 36, ex-participante do BBB4.

A surpresa na Elite masculina ficou com o vice, o estreante Vinícius Klaus Stoelben, 27, do Mato Grosso, que já subiu ao pódio em seu primeiro TCB. O paulista André Sanches, 30, conseguiu se recuperar e manteve a medalha de bronze na CrossFit Itaim.

13:37 · 12.09.2018 / atualizado às 13:37 · 12.09.2018 por
Fotos: Reprodução/Instagram

A 9ª edição do Torneio CrossFit Brasil (TCB) começa nesta quinta (13) e se estende até domingo (16) na busca dos atletas mais bem condicionados do País. E, claro, a Terra da Luz estará presente na Arena Sorocaba, em São Paulo. Dos 276 atletas classificados para a competição, 11 são do Ceará.

Na Elite masculina, serão dois. Eder Costa, 33, headcoach da CrossFit Gurkha, e Pedro Yago Araújo, 25, inscrito pela CrossFit Caserna e prestes a abrir o Wall Box Cross Training, em Messejana. Eles enfrentarão outros 47 nomes de peso, como Anderon Primo, Pablo Chalfun e André Sanches.

“Apesar da correria de estar abrindo meu box ter impactado um pouco na rotina de treinos, para a minha primeira participação no torneio, espero poder dar o melhor e aproveitar o máximo possível dessa competição espetacular… Realizando um sonho”, descreve Pedro Yago.

Renata Pimentel é a representante na Elite feminina – e com grandes chances de subir ao pódio. Participante dos CrossFit Games 2018, ela ficou na 11ª colocação na categoria Master 35-39 anos. Ombro a ombro com ela, estarão outras 36 atletas, como Luana Soares, vice do ano passado, e Vivi Aiello, melhor colocada na Latin America Regional. A atleta cearense se esforçou bastante, no último mês, para se recuperar de uma lesão no abdômen e retomar a força que perdeu nesse tempo.

Teens e Masters

Davi Cruz, vencedor teen da Super Seletiva de Salvador e terceiro do ranking geral nas classificatórias, é outra aposta de pódio. “Minha expectativa é e sempre vai ser o primeiro lugar, mas não sou louco de não saber que tenho uma concorrência bem acirrada. No geral, o sonho mais próximo seria o pódio; é nele que penso todos os dias nos treinos. Vou pra dar o meu melhor, seja o que Deus quiser”, declarou Davi ao Hora do Cross.

Aos 16 anos, ele concorre na categoria Teen com mais 17 rapazes, incluindo outro cearense: Luís Rebouças, 17 anos, da CrossFit 6450, bronze na etapa de Salvador. “Quero deixar todo meu esforço dentro da arena e vir pro Ceará com a mente de que foi realizado todo trabalho duro, de olho no pódio, claro!”, espera.

Karol Paiva, companheira de treinos de Renata na Gurkha, disputará na categoria Master 35-39 anos, ao lado de outras 11 mulheres. Rosimary Lima, 46 anos, também da 6450, é uma das seis mulheres postulantes ao título da categoria Master +45 anos. Perguntada sobre a expectativa para o Torneio, ela disse: “A melhor possível! Estar entre os melhores do País já é uma grande conquista! Vão ser dias incríveis de muito suor e superação!”

Time

Ainda teremos o time “CrossFit R2”, formado por Reginaldo Silva, Américo Lima, Talita Almeida e Larissa Freire. O formato por equipes é inédito no TCB e contará com 24 quartetos. “Meu objetivo era participar do individual, mas, devido ao meu erro na prova do OHS, acabei ficando de fora do pódio das Seletivas e da vaga para o Brasileiro”, lamentou Reginaldo, emendando: “Mas esse ano está sendo muito especial pra mim. Estou inaugurando meu novo box agora, dia 1º de outubro, e quero trazer um troféu desse TCB, em equipe, pra lá. Vamos brigar por pódio”, garantiu.

15:49 · 09.09.2018 / atualizado às 15:49 · 09.09.2018 por
Foto: Reprodução/Instagram

A húngara Laura Horvath, 21, chegou para ficar. Desconhecida do grande público até este ano, ela ficou em segundo lugar nos CrossFit Games 2018 e, neste domingo (9), conquistou a Swiss Alpine Battle (ou “Batalha dos Alpes Suíços”) ao lado do irmão, Kristóf Horvath, 24. No mesmo campeonato, o canadense Patrick Vellner, vice dos Games 2018, e o islandês Björgvin Karl Gudmundsson, 5º lugar, venceram na categoria dupla masculina.

Os irmãos Horvath, os melhores atletas daquele País, levaram nada menos que seis das 10 provas da disputa, incluindo uma trilha de obstáculos com ladeiras – nada difícil para quem vem de uma família de escaladores. Em 2º lugar, ficou a dupla formada pela britânica Samantha Briggs, vice na categoria Master 35-39 dos Games, e pelo suíço Adrian Mundwiler, 16º nos Games 2018.

Na disputa masculina, Vellner e BKG chamaram a atenção desde as inscrições, ao se intitularem “Pale and Paler”, algo como “O Pálido e o mais Pálido ainda”. Eles brincaram sobre quem seria o mais branco dos dois. No Instagram, um seguidor chegou a perguntar: “O que é mais difícil: os CrossFit Games ou pegar um bronze?”. A dupla venceu metade das 10 provas, superando outras 36 equipes.

“Pale and Paler”. (Foto: Reprodução/Instagram)

Em segundo lugar, ficaram as “Bestas Polonesas”, Bronislaw Olenkovic e Bartek Lipka, o 4º e o 3º melhores atletas da Polônia, em 2018. Eles ficaram 73 pontos atrás dos pálidos. Todos os atletas tiveram o seu nível de fitness testado na paradisíaca aldeia de Villars-sur-Ollon, a uma altitude de 1.300 metros, no coração dos Alpes.

13:42 · 08.09.2018 / atualizado às 13:44 · 08.09.2018 por
Foto: TCB/Reprodução

Faltam cinco dias para a elite do CrossFit brasileiro iniciar a corrida para definir os melhores atletas do País na modalidade. A 9ª edição do Torneio CrossFit Brasil (TCB) ocorre de 13 a 16 de setembro em Sorocaba, São Paulo, reunindo 276 atletas, homens e mulheres, em seis categorias. Serão distribuídos mais de R$100 mil em premiações.

Neste ano, as novidades são uma nova categoria Master, a 35-39 anos, e a inédita disputa por times (quartetos mistos do mesmo box). Permanecem ainda as categorias Elite, Teen, 40-44 anos e 45+. Os melhores atletas conquistaram as vagas nas cinco Super Seletivas, em junho e julho.

Competidores

Na elite masculina, Anderon Primo tentará o tetracampeonato. Contudo, em seu encalço, estarão Pablo Chalfun, primeiro brasileiro na elite do CrossFit Games; André Sanches, bronze no TCB 2017 e na Latin America Regional; Francisco Javier, o “Chiquinho“, outro tricampeão brasileiro; Lucas da Rosa, vice-campeão do TCB 2017; e os fenômenos Gui Malheiros, que entrou na maioridade após ser o 2º melhor teen nos CrossFit Games 2017, e Vitor Caetano, vencedor geral das Super Seletivas.

Entre as mulheres, a tetracampeã Anita Pravatti abre caminho para outra vencedora. Ela não participará do Torneio porque se recupera de lesão no ombro, que, segundo ela, estava comprometendo o movimento dos braços. Luana Soares, atual vice-campeã do TCB, terá concorrência de Vivi Aiello, melhor brasileira na Latin America Regional, e da cearense Renata Pimentel, 11ª colocada nos CrossFit Games 2018 na categoria Master 35-39 anos.

Os vencedores levarão para casa o troféu do TCB e um cheque de R$ 10 mil. A organização e produção do TCB 2018 é da ETA! Eventos, com supervisão técnica da CrossFit Brasil. Prepara… 3, 2, 1!

História

O TCB foi realizado pela primeira vez em 2010, na Crossfit Brasil, primeiro box do País instalado pelo paulistano Joel Fridman, no ano anterior. Em 2012, o evento já teve aspecto mais profissional, num ginásio poliesportivo, e reuniu 120 atletas inscritos.

No ano seguinte, foi necessário nivelar os atletas brasileiros a partir do resultado no Open. O Torneio contou com 75 atletas e foi visto por mais de 4 mil espectadores. Em 2014, um novo formato trouxe 8 Seletivas regionais. Em 2016, a Categoria Master estreia no Torneio. No ano passado, a categoria Teen ganhou seu próprio espaço.

23:30 · 02.09.2018 / atualizado às 23:30 · 02.09.2018 por
Foto: Reprodução/Instagram

O campeonato de Crossfit mais imprevisível de Fortaleza se aproxima. O Selva 2018 ocorre entre 18 e 21 de outubro, no Terminal Marítimo de Fortaleza, no bairro Cais do Porto, dentro do Oktober Fitness, maior evento fitness da América Latina. Para participar da etapa presencial, os atletas precisam passar por um qualifier até o dia 4 de setembro. A inscrição custa R$30 e está disponível neste site.

O classificatório servirá para separar os participantes nas categorias Sub-18 (10 vagas para cada sexo); 19-39 anos, subdividida em Scaled (30/30 vagas), Intermediário (30/30 vagas), RX (20/20 vagas) e Elite (10/10 vagas); 40-44 anos (20/20 vagas) e +45 anos (20/20 vagas).

Além disso, pela primeira vez, haverá também o formato por times, em trios do mesmo sexo, nas categorias Scaled (30/30 vagas), Intermediário (20/20 vagas) e RX (10/10 vagas). Segundo o headcoach Thiago Pressão, responsável técnico pelo evento, é necessário que apenas um membro do time realize o qualifier para classificar o time. Ao todo, são cinco provas “bem divertidas”, aponta Pressão.

Inesperado

O resultado dos wods, com os vídeos anexos, deve ser enviado ao site do Ceará Games para elaboração do ranking. “A proposta do Selva é ‘prepare-se para o inesperado’. No Crossfit, o atleta precisa estar preparado para a diversidade. Prometo provas e elementos bem atípicos do convencional, para tornar o Selva uma avaliação de condicionamento físico geral. Vai ser bem legal”, acredita o organizador.

O evento, que chega a sua terceira edição, oferecerá premiação de R$20 mil em dinheiro. A estreia do Selva ocorreu em 2013, quando só existia um box de Crossfit em Fortaleza. A segunda disputa aconteceu em 2015, na Praia do Futuro.

Neste ano, o Selva ocorre dentro do Oktober Fitness, que trará vasta programação em jogos e esportes, educação física, nutrição, fisioterapia, psicologia e medicina esportiva, higiene, beleza e estética, enfermagem, gastronomia orgânica, saúde e bem-estar.

12:33 · 27.08.2018 / atualizado às 12:33 · 27.08.2018 por
Foto: Nícolas Paulino

Chegou ao fim, neste domingo (26), a quarta edição do Babu Games, competição de Crossfit promovida pela CrossFit Babu. A disputa ocorreu dentro do Festival Costume Saudável, no shopping RioMar, no Papicu. Ao todo, quase 200 atletas suaram a camisa roxa do evento.

Ainda na sexta (24), a categoria Master reuniu cerca de 50 atletas, homens e mulheres, com mais de 35 anos. Segundo o organizador do Babu Games, Pedro Gomes, foi a primeira vez que a categoria foi posta à prova num evento em Fortaleza.

Dentre os RX, a dobradinha da CrossFit Dragão do Mar, Allan Marx e Sensei Michael, ocupou as duas primeiras colocações do pódio. Em terceiro, ficou o headcoach da CrossFit Aldeota, Fred Guedes. Na categoria scaled, o campeão foi Wilson Gomes, da equipe da casa.

Nos dois dias seguintes, foi a vez dos times mistos, formados por dois homens e uma mulher, entrarem na arena do estacionamento para encararem cinco provas que chamaram a atenção pela ausência de um item recorrente: a barra olímpica. Ponto para Pedro Gomes, que investiu em acessórios como dumbbells e kettlebells para fugir do comum.

Nível TCB

Sete times RX disputaram o topo do pódio. E a parada estava nível Torneio CrossFit Brasil (TCB)! O páreo duríssimo sagrou campeão o trio formado por Reginaldo Silva, Pedro Yago e Talita Almeida, apenas dois pontos à frente do trio Alexandre Castro, Nath e Carlos Abreu, do time VDC Babu Aldeota.

Na categoria scaled, a vitória ficou com a CrossFit Babu North, com o Trio de Três, formado por Mateus Santana, Jordana Castro e Felipe Mattar. Este último ainda protagonizou uma história de superação. Na primeira prova, no sábado, ele torceu o pé num malfadado step box over. Decidiu continuar a competição e passou a madrugada de domingo em tratamento para completar as outras provas. Deu certo.

Pouco depois da premiação, Pedro Gomes aproveitou pra soltar: a 5ª edição do Babu Games pode ser realizada em breve, mais precisamente no mês de novembro. E também adianta: desta vez, a disputa deve ser individual.

Confira abaixo os pódios do evento:

Master
RX
Masculino: 1. Allan Marx (Dragão do Mar), 2. Sensei Michael (Dragão do Mar), 3. Fred Guedes (Aldeota)
Feminino: 1. Manuela Coelho (Iracema/Caçadores), 2. Maria Cândida Paula Pessoa (Porão)

Scaled
Masculino: 1. Wilson Gomes (Babu North), 2. Aloisio Júnior (Mutants), 3. Antonio Júnior (Mutants)
Feminino: 1. Alina de Vasconcelos (Iracema), 2. Winne Nascimento (Aldeota), 3. Rosângela Vale (Mufasa)

Times

Scaled 1 Trio de 3 (Babu North – 486) 2 Carrancudos Team (Carranca – 481) 3 Canamã (R2 e Superação – 474)

 

 

 

 

 

 

 

Intermediário 1 Sem chip (Dragão do Mar – 497) 2 VDC Team R2 (495) 3 Team CRC (Carranca – 485)
RX 1 Reginaldo Caserna (496) 2 VDC Babu Aldeota (494) 3 Caserna Porão (491)
12:37 · 24.08.2018 / atualizado às 17:03 · 24.08.2018 por
Foto: Reprodução/Instagram

Os crossfiteiros de Fortaleza contam agora com uma nova opção para obter roupas e acessórios para evoluir na modalidade. Isso porque a primeira loja física da Gladius Equipment será inaugurada oficialmente nesta sexta (24), às 17h, no shopping RioMar Fortaleza, no bairro Papicu.

Camisas, camisetas, shorts, bermudas, bonés e mochilas chamam a atenção nas prateleiras. No local, também estão disponíveis equipamentos para boxes e centros de treinamento, ou para academias de garagem, como abmats, wallballs, barras e anilhas estampadas de diversas cores.

O coquetel de abertura terá a presença de diversos atletas conhecidos no Crossfit cearense, como Renata Pimentel, Eder Costa e Reginaldo Silva. A loja fica no piso E1, em frente à academia R2, próxima ao posto do Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

16:37 · 19.08.2018 / atualizado às 16:37 · 19.08.2018 por
Foto: Nícolas Paulino

Por alguns segundos, silêncio absoluto do público para a concentração do atleta. Depois, um grito que quebra a calmaria para um exercício de força extrema. Mais alguns segundos se passam para ter a confirmação de que tudo valeu, vinda de três juízes. Assim foi o GWL, primeiro campeonato de levantamento de peso olímpico (LPO) de Fortaleza, que ocorreu neste sábado (18), na Porão CrossFit. O campeão do evento levantou com facilidade, diga-se de passagem, 120 kg de snatch e 150kg de clean and jerk.

Entre as mulheres, na categoria até 55kg, a campeã foi Bia Mesquita, headcoach da Porão, que comemorou ter levantado 81kg de clean and jerk com um peso corporal de 53kg. Ela ainda foi campeã feminina geral, com o maior Sinclair (coeficiente de desempenho entre atletas de diferentes pesos). Na categoria acima de 63kg, Cristiani Ferreira, do Galpão Central do Corpo, levantou facilmente 85kg.

Bia Mesquita, da Porão CrossFit. (Foto: Nícolas Paulino)

Os homens tinham quatro categorias. Na “peso-pena”, até 77kg, um dos destaques foi o gaúcho Caio Moretti, de apenas 17 anos. Pesando 63 kg, ele levantou 75kg de snatch (batendo o PR, que era de 74kg) e 100kg de clean and jerk. Não subiu no pódio, mas arrancou aplausos acalorados do público.

Praticante de CrossFit há dois anos, na Tríade, Caio conta que gosta de tudo no esporte. “Antigamente eu preferia o ginástico, mas como surgiu a oportunidade do campeonato, comecei a treinar só LPO. Mas amo os dois de todo jeito”, ri. A meta é fazer bonito no campeonato nacional de LPO, na categoria 62kg, que ocorre em Minas Gerais, daqui a dois meses.

Pesos pesados

Nas categorias masculinas mais corpulentas, a competição ficou ainda mais pesada. Fred Guedes, headcoach da CrossFit Aldeota, completou séries de 102kg, 107kg e 112kg de snatch, e 131kg de clean and jerk. Os 137kg pesaram.

Lucas Ponte (CrossFit Superação), profissional de referência no Ceará na metodologia Ogre Barbell de LPO, fez 105kg e 112kg de snatch, e 135kg e 142kg de clean and jerk. Tentou 147kg. Não subiu.

Jorge Lucas teve o maior Sinclair masculino. (Foto: Nícolas Paulino)

O campeão geral masculino do GWL foi Jorge Lucas Pontes, atleta da CrossFit Aldeota e da CrossFit Gurkha. Com movimentos precisos e quase irretocáveis, ele não completou nenhum erro ao levantar 115kg e 120kg de snatch, e 140kg, 145kg e impressionantes 150kg de clean and jerk. Ele teve o maior Sinclair geral, de 315.95.

O Levantamento de Peso Olímpico é uma modalidade que exige velocidade, força, potência, coordenação, precisão e equilíbrio. Para se executar snatches ou clean and jerk de qualidade, é preciso que o atleta trabalhe diversas bases, como deadlift, snatch balance, overhead squat, front squat, back squat, jerk e push press, dentre outros.

Confira os pódios:

Mulheres:
Até 55kg: 1. Bia Mesquita (Porão); 2. Manoela Silva (MarcoZero)
55kg-63kg: 1. Lívia Soares (Cross98 – MA); 2. Lígia (Caserna)
+63kg: Crys Ferreira (Central do Corpo); 2. Lívia Furtado (Cangaço)

Homens:
Até 77kg: 1. Saulo Antunes (Porão); 2. Carlos Abreu (Aldeota)
77kg-89kg: 1. Jorge Lucas (Aldeota/Gurkha); 2. Lucas Ponte (Superação); 3. Eduardo Silva (Cross98 – MA) e Carlos (Caçadores)
89kg-102kg: 1. Fred Guedes (Aldeota); 2. Mychel Moura (BadLions); 3. Victor Guimarães (Cangaço)
+102kg: Eduilton Barros (Dragão do Mar); Tiago Pereira (Cangaço) e Robson Mendes (Aldeota)

23:11 · 15.08.2018 / atualizado às 23:11 · 15.08.2018 por
Fotos: Reprodução/Instagram

Coisas que nos são tiradas antes do tempo deixam um sabor amargo nos lábios, ou com uma nuvem misteriosa que se expande no peito e entala na garganta. Na manhã do último domingo, a comunidade crossfitter de Fortaleza precisou lidar com essa situação. Com uma partida cedo demais. Com uma viagem inesperada. Com a despedida prematura de Maria Helena Medeiros da Silva Costa, a Helena de Troia.

A atleta e coach da CrossFit Excalibur, na Parquelândia, partiu sem deixar aviso, aos 30 anos. Precisamos lidar com a notícia como a prova Chaos, dos últimos CrossFit Games, na qual os movimentos eram ditados pelos judges no momento em que deveriam ser executados. Mas não foi um movimento fácil de receber. Foi sufocante. Foi desolador. Foi pesado como wod com thruster e burpee.

Helena se foi e, junto com ela, um pedacinho das duas filhas de sangue, Lolo e Bia, e das centenas de filhos-alunos e filhas-alunas, colegas de box e de competições, amigos de vida e familiares. Depois da surpresa, infelizmente não uma boa, como se geralmente espera, companheiros de treino e profissão organizaram diversas homenagens para a atleta.

Assim surgiu o wod Helena de Troia, criado pelo headcoach da Excalibur, Osmir Júnior. O treino consiste em quatro rounds de: 30 wall-ball shots, 30 double-unders, 30 burpees, 3 clean and jerk, 11 muscle bar, 11 HSPU e 11 toes-to-bar. Digno de uma guerreira.

Para pô-lo em prática, centenas de pessoas compareceram à Porão CrossFit, em pleno feriado. A comunidade crossfitter, mais do que nunca, se provou unida: lá, além da Porão e da Excalibur, compareceram representantes dos boxes Babu, Bullet, Aldeota, Gurkha, Cactus, Dragão do Mar, Caserna, Haka, 6450, Canídeos, Colosso, Iracema… Enfim, quase todos os boxes de Fortaleza, numa demonstração de fé em meio à dor.

A Porão ficou pequena pra tanta gente. (Foto: Reprodução/Instagram)

A headcoach da Porão, Bia Mesquita, amiga de Helena, discursou bastante emocionada. Ela lembrou de uma coincidência: no dia 15 de agosto de 2017, foi a primeira vez que Helena pisou na Porão. Um ano depois, “tenho certeza de que ela também estava lá”. “Não interessa o motivo. Esquece o que aconteceu. Hoje, a nossa missão é fazer com que o legado da Helena seja honrado. Ela não tinha a menor ideia do quanto era querida e do quanto fez por nós”, lembrou Bia.

Diego Evangelista, também headcoach da Porão, destaca que nunca viu uma mobilização tão grande e em tão pouco tempo. Ele também aproveitou o momento para deixar uma lição: “No meu último encontro com a Helena, ela me deu um abraço e elogiou o carinho com que eu e a Bia nos tratamos. Então, vamos tratar bem os companheiros, os coaches, quem está perto de você. Às vezes, a gente explode por coisa pequena. A gente tá aqui, junto, pra cuidar dos outros. A gente precisa de mais amor e união”, expressou.

Como respostas a Helena, salvas de palmas, um minuto de silêncio e uma oração. E… suor e garra para completar o wod! Após as turmas, os coaches de Fortaleza também realizaram o desafio. O aulão também arrecadou fundos para ajudar as filhas de Helena, que voltarão a morar em Natal com os avós. O objetivo é custear os estudos delas o final de 2019. A vakinha online “Todos por Helena de Troia” também foi organizada para ajudar.

Outra homenagem ocorrerá nesta sexta (17). Um ato ecumênico está marcado na CrossFit Excalibur (Av. Jovita Feitosa, 1226), às 20h30.