Busca

Sara Sigmundsdottir desiste dos Games 2018 após lesão na costela; saiba como ela pode ocorrer

12:19 · 05.08.2018 / atualizado às 15:19 · 05.08.2018 por
(Fotos: CrossFit Games/Reprodução Instagram)

Sara Sigmundsdottir desistiu dos CrossFit Games 2018. O público do Coliseum e milhões de fãs da islandesa foram surpreendidos pela notícia, anunciada pouco antes do evento Bicouplet, na noite de ontem (4). Segundo a organização, a renúncia foi motivada por “problemas médicos”. Mais tarde, ela utilizou sua conta no Instagram para explicar uma lesão na costela direita.

“Eu nunca estive tão bem preparada para os CrossFit Games como estava neste ano, mas, no início da competição, algo aconteceu e minhas costelas ficaram muito doloridas e machucadas”, escreveu.

Mesmo assim, ela decidiu resistir. Na Marathon Row, a dor chegou a passar após os 10 km, então ela pensou que não seria tão ruim. “Depois a dor ficou muito pior, claro. Eu comecei na sexta-feira ainda em negação, e depois os analgésicos se tornaram meus melhores amigos depois da Clean and Jerk Speed Ladder”.

Quando Sara começou a se preparar para os eventos 10 e 11, a dor havia se tornado tão ruim que ela não conseguia mais se curvar para fazer um snatch ou para completar um muscle-bar. “É uma das coisas mais difíceis que eu já tive que fazer na minha vida, mas eu decidi desistir da competição devido a uma lesão por fratura por estresse na minha costela”, lamentou a islandesa.

O que é

Segundo ortopedistas, as fraturas por estresse são pequenas fissuras ósseas decorrentes da aplicação de impacto recorrente sobre o osso, muitas vezes, gerada pelo uso excessivo em atividades esportivas. Os médicos alertam ainda que, se não forem corrigidas a tempo, podem levar a uma fratura macroscópica, possível de ser vista no Raio-X.

Carreira

Desde o início da competição, diversos fãs notaram que os resultados da atleta não batiam com a empolgação que ela vinha apresentando desde os Regionals. Antes da desistência, Sara ocupava a 11ª colocação nos Games. Ela chegou a competir no evento da tarde, “Chaos”, no qual ficou em 20ª.

No currículo dos Games, Sigmundsdottir carrega uma carreira consistente: foi terceira colocada tanto em 2015 como 2016, e quarta em 2017. Ela buscava uma colocação ainda melhor em 2018.

“Mas uma coisa é certa”, completou: “Eu voltarei!!!”. Live long and prosper, Sara!

Comentários 0

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *