Busca

21:42 · 03.06.2018 / atualizado às 21:42 · 03.06.2018 por
Fotos: CrossFit Games

Depois de um primeiro dia complicado, Noah Ohlsen, 27, deu a volta por cima para conquistar o tricampeonato da Atlantic Regional. O rapaz chega a seu quinto Games consecutivo com sede de ir além do 4º lugar conquistado em 2017.

A surpresa foi John Coltey, 29, que venceu duas provas e ficou em 2º. De onde ele veio? Como saiu da 8ª colocação do ano passado – seu ano de estreia no individual – para a vice-liderança neste ano? Em 2016, ele passou perto de se classificar por times, ficando em 6º. A ser observado.

A exemplo dos Panchik na Central Regional, também teve dobradinha de irmãos na Atlantic. Ben Smith e Alec Smith se qualificaram em 3º e 4º, respectivamente. Ben, campeão dos Games em 2015, participará dos Games pela 10ª vez, mesmo feito de Rebecca Voigt.

Alec Smith, 25, fará sua segunda aparição nos Games e tentará melhorar o 36º lugar do ano passado. Por fim, outro rookie: Ethan Helbig, de apenas 22 anos, fechou a lista ao ficar em quinto e desbancar veteranos de Games passados.

Mulheres

No lado feminino, a batalha foi favorável para Cassidy Lance-Mcwerther, 30, campeã mundial do Open 2018 e agora bicampeã da Atlantic. Ela fará sua quinta aparição nos CrossFit Games. Quem não deixou fácil para ela foi Emily Bridgers, 30, que ficou novamente no 2º lugar da Atlantic por apenas dois pontos e também fará seu 5º Games.

Mekenzie Riley, também 30, 23ª dos Games no ano passado, conseguiu o terceiro lugar e a terceira qualificação. Em seguida, veio Whitney Gelin, 33, que irá para os Games pela terceira vez. A rookie que completou o pódio foi Paige Semenza, 26 anos.

Times

Os times classificados para os Games foram: Team Soul (vencedor de três provas), Raw Training, CF Balance, Dwala Rangers e Hustlehard.

21:37 · 03.06.2018 / atualizado às 21:37 · 03.06.2018 por
Fotos: Reprodução @rasmuswandersen/CrossFit Games

Na Meridian Regional, a ex-ginasta neozelandesa Jamie Greene, 26, teve uma performance tão boa quanto a de Tia-Clair Toomey na Pacific Regional na aquisição do ingresso para seu 3º Games consecutivo. Ela venceu três das seis provas e ficou em 2º nas outras. No ano passado, Greene conseguiu um ótimo 8º lugar geral.

Em segundo, ficou Lauren Fisher, 24, 30ª dos Games em 2017. Ela participará de seu 5º Games. Além disso, teremos mais uma Dóttir nos Games deste ano. Oddrun Eik Gylfadottir, 29, “a Dóttir do deserto”, por morar na África, também conseguiu um ticket para Madison e participará do segundo Games.

Fechando a classificação, Stephanie Chung, 26, fará seu début nos Games em 2018, depois de sua segunda participação em Regionals. Lembrando que na Meridian só se classificam os quatro melhores atletas de cada categoria.

Nacionalidades

O dinamarquês Rasmus Andersen, 26, só teve uma vitória de prova, mas manteve um bom ritmo e conquistou a Meridian Regional. Uma verdadeira superação, já que, no ano passado, ele não se qualificou por ficar em 9º. Agora, participará dos Games pela terceira vez (sua estreia foi em 2015, com o Time Invictus).

O vice-líder da Regional foi o representante dos Emirados Árabes Unidos, Elliot Simmonds, 24, que irá ao segundo Games, o primeiro da categoria individual. Em 2016, ele conseguiu o bronze por times com o Crossfit Yas.

Quem também se deu bem foi suíço Lukas Esslinger, 25, que ficou em terceiro e vai a seu 3º Games. No ano passado, ele ficou na 18º colocação geral. Também teremos um francês na disputa mundial. Willy Georges, 25, foi o primeiro do Open 2018 no País e ficou em quarto na Meridian – 2018 foi sua estreia em Regionals. Nada mal, hein?

Times

Por times, qualificaram-se o suíço Riviera Team, os sul-africanos Cape Crossfit Wolfpack e CF Valley Road, e o espanhol CF Norte Redondela.

21:30 · 03.06.2018 / atualizado às 21:30 · 03.06.2018 por
Fotos: CrossFit Games

Kara Saunders teve de se contentar com mais um segundo lugar, e, dessa vez, não foi por uma diferença de dois pontos – mas por 30. Tia-Clair Toomey sustentou a coroa de  Fittest Woman on Earth de 2017 e conquistou a Pacific Regional 2018 depois de um fim de semana concorrido com a adversária, detentora do título nas duas últimas edições.

Com atuação impecável, Tia-Clair conquistou três primeiros e três segundos lugares nas seis provas do evento. Kara teve duas vitórias, duas vices, um terceiro e um escorregadio sexto lugar no Triple 3.

Em terceiro, tivemos Justine Beath, 28, que volta aos Games depois de ter ficado fora da disputa em 2017. Ela ficou em 38ª na edição de 2016, e agora acumula seis participações em CrossFit Regionals.

Courtney Haley, 23, ficou em 4º e conseguiu sua primeira qualificação individual. Em 2015, ela havia participado por times, ficando em 30º com o Team CrossFit Rocks. O quinteto qualificado foi fechado com a jovem Madeline Sturt, que vai a seu 3º Games aos 21 anos.

Homens

Do lado masculino da Pacific, tivemos a dominância de James Newbury, 27, que também venceu três das seis provas, a exemplo de Tia-Clair. Ele conseguiu o bicampeonato da Regional, e, consequentemente, a terceira qualificação da carreira. No ano passado, ele ficou em 26º nos Games.

Depois de ficar em 9º na Pacific do ano passado, Dean Linder-Leighton, 27, fará sua estreia nos Games ao conquistar o segundo lugar deste ano. Ele foi o primeiro lugar do Open 2018 na região da Australásia.

Em terceiro, Khan Porter, 28, conseguiu o ingresso para seu quarto Games. Entre 2014 e 2016, ele ficou nas 27º, 33º e 38º colocações. No ano passado, bateu na trave e não conseguiu a qualificação.

Royce Dunne, 27, conseguiu sua primeira qualificação individual. Em 2916, na disputa por times, ele ficou no último lugar. Zeke Grove, 26, 33º dos Games 2017, pegou a última vaga deste ano da Regional.

Times

Por times, classificaram-se: Reebok Crossfit Frankston, Schwartzs Crossfit Melbourne, CF 121, Athletic e East Tamaki, da Nova Zelândia.

13:55 · 01.06.2018 / atualizado às 16:33 · 01.06.2018 por
Na primeira ação, foram arrecadados 160kg de ração. (Foto: CrossFit Caserna/Reprodução)

O Crossfit cria comunidades de atletas e de amigos que, juntos, podem fazer mais, inclusive em ações que saem dos boxes. Pensando nisso, a Crossfit Caserna promoverá um aulão beneficente neste domingo (3), às 9h, em prol do Abrigo São Lázaro, Organização Não Governamental que cuida de animais abandonados em Fortaleza.

A iniciativa é aberta para praticantes de Crossfit de qualquer box da cidade, bem como para curiosos que têm interesse em conhecer a atividade de condicionamento físico. Para participar, é necessária a doação de 2kg de ração.

A meta da organização é dobrar a quantidade de doações do último aulão, realizado no dia 6 de maio, que arrecadou 160kg de insumos para os animais. O Abrigo São Lázaro necessita de cerca de 250kg de ração por dia.

Além dos alimentos, a ONG também precisa custear outras despesas e recebe donativos financeiros através de contas na Caixa Econômica Federal, Agência 0619, Op. 003, C/C 3054-6, e no Banco do Brasil S.A, Agência: 2925-4, C/C: 32.784-0.

Segundo a Crossfit Caserna, haverá um aulão beneficente em todo primeiro domingo de cada mês. O box fica localizado na Avenida Rui Barbosa, nº 2513, no bairro Joaquim Távora.

15:09 · 31.05.2018 / atualizado às 15:09 · 31.05.2018 por
Nomes de peso entram na arena no fim de semana. (Fotos: Reprodução/Instagram)

Chegamos ao último fim de semana das CrossFit Regionals 2018. Agora, será a vez dos atletas competirem nas regiões Atlantic (sudeste dos EUA), Meridian (África e sul da Europa) e Pacific (Ásia e Australásia). Sydney, na Austrália, será palco das performances das duas mulheres mais bem condicionadas do mundo, que venceram os Games no ano passado: Tia-Clair Toomey e Kara Saunders.

Tia-Clair é a atual campeã da modalidade, vencendo os Games de 2017 depois de dois anos na vice-liderança. Em 2018, aos 24 anos, ela voltará com tudo – pelo menos, é o que promete nas redes sociais. No Open deste ano, ela ficou na 12ª colocação mundial e tentará superar Kara Saunders, que ficou à frente dela na Pacific Regional do ano passado. Com esse histórico, sua quarta participação já é quase certa.

Kara, 28, quase foi coroada nos Games do ano passado, ficando apenas dois pontos atrás de Toomey. Neste ano, ela mandou muito bem no Open e ficou na incrível segunda colocação mundial. Já na Pacific, ela não deve querer mais uma prata. Afinal, já são três anos consecutivos no topo do pódio da Regional.

Também veremos novas participações de Madeline Sturt, que pode ir para seu 3º Games aos 21 anos. Em 2017, ela ficou em 3º lugar da Pacific e em 35º nos Games; de Jessica Coughlan, 29, 5ª da Pacific e 36ª dos Games 2017, e de Stephanie Ortiz, 30, que bateu na trave ano passado ao ficar em 6º lugar na Regional.

O lado masculino da Pacific não é tão conhecido. James Newbury, 27, tenta a terceira qualificação depois de ter vencido a Regional ano passado e ficado em 26º nos Games. Zeke Grove, 26, foi 4º da Pacific e 33º dos Games 2017. Mitchell Sinnamon, 28, foi 5º lugar da Regional nos últimos dois anos e último dos Games no ano passado.

Atlantic

A Atlantic Regional tem algumas estrelas do Crossfit. Uma delas é Noah Ohlsen, 27, que quase subiu ao pódio dos Games 2017 ao ficar em 4º lugar. O rapaz já venceu a regional em 2015 e 2017 e quer ter um bom desempenho para chegar ao quinto Games consecutivo.

Outro nome que salta aos olhos é o de Ben Smith, campeão dos Games em 2015, vice-campeão em 2016 e 7º do ano passado, que pode fazer história como atleta individual: caso se qualifique neste ano, será sua 10ª classificação para os Games – ele está lá todos os anos desde 2009.

Teremos ainda o retorno de Alec Smith, 25, irmão mais novo de Ben que ficou à frente dele na Atlantic do ano passado, em 2º, mas ficou no 36º lugar dos Games 2017. E a volta de Travis Mayer, 27, 4º da Atlantic e 23º dos Games no ano passado.

No lado feminino, o destaque é Cassidy Lance-Mcwerther, 30, campeã mundial do Open 2018, campeã da Atlantic 2017 e 12º lugar dos Games 2017. Ela busca sua quinta qualificação. Também teremos Emily Bridgers, 30, 2ª da Atlantic e 16ª dos Games em 2017, também em busca de seu 5º Games. E Mekenzie Riley, também 30, 3ª da Atlantic e 23ª dos Games no ano passado. Ela tenta a terceira qualificação.

Meridian

A Meridian Regional será sediada em Madri, capital espanhola, e não tem nomes tão conhecidos quanto nas outras. Entre as mulheres, há Lauren Fisher, 24, 5ª da California Regional e 30ª dos Games em 2017, que se mudou para Dubai e irá disputar na nova região. Ela busca seu 5º Games.

Outra que desponta é a ex-ginasta Jamie Greene, 26, que pode ir a seu 3º Games consecutivo. No ano passado, ela conseguiu um ótimo 8º lugar geral, depois de ter ficado em 4ª na Meridian – isso quando a regional ainda reunia boa parte da Europa, com ela tendo brigado com “monstras” como Briggs, Thorisdottir e Holte.

Com a nova configuração e sem Björgvin Karl Gudmundsson e Andrey Ganin no caminho, as coisas devem ser ficar mais fáceis para mais uma classificação do finlandês Jonne Koski, nono nos Games e vice da Meridian do ano passado, que pode chegar a seu quinto Games aos 23 anos.

Quem também pode se dar bem é suíço Lukas Esslinger, 25, 4º da Meridian 2017 e 18º dos últimos Games, bem como o representante dos Emirados Árabes Unidos, Elliot Simmonds, 24, que pode chegar ao segundo Games. Em 2017, ele ficou na 7ª colocação da Meridian, e, em 2016, conseguiu o bronze por times com o Crossfit Yas.

Outro que pode conseguir um ticket para Madison é o sul-africano Jason Smith, 33, bronze na Meridian do ano passado e 10º nos Games, superando nomes como Cole Sager e Josh Bridges.

16:19 · 30.05.2018 / atualizado às 16:19 · 30.05.2018 por
Seletivas do TCB em 2017. (Foto: Reprodução/YouTube)

Depois da conquista do carioca Pablo Chalfun na Latin America Regional dos CrossFit Games 2018, vai começar o maior campeonato de condicionamento físico do País. O Torneio CrossFit Brasil (TCB) chegará à sua 9ª edição em 2018, em setembro. Até lá, ocorrem as cinco Super Seletivas Regionais, que começam neste fim de semana, em Curitiba, e seguem até julho, em Salvador.

Neste ano, 1.147 atletas de 519 boxes se inscreveram nas Seletivas, segundo a organização. Os homens são maioria, com 856 atletas; já as mulheres são 291. A categoria com mais inscritos é a Elite, com 556 homens e 188 mulheres. Na teen, são 58 meninos e 18 meninas. A procura foi tão alta que 70% das vagas foram preenchidas em 12h.

Os cinco boxes com mais inscritos são de São Paulo, liderados pela Crossfit Bauru, onde treina o tricampeão do TCB, Anderon Primo. As novidades desse ano são uma terceira categoria Master – além da 35+ e da 40+, haverá a 45+ – e a competição por equipes do mesmo box para os melhores atletas do País. Serão distribuídos R$110 mil em premiações.

Lembrando que os atletas que terminaram a Latin America Regional no Top 10 já têm vaga garantida no TCB. O campeão Pablo Chalfun, o 3º lugar, André Sanches e o 8º, Anderon Primo, do lado masculino; e Vivi Aiello (3ª), Tata Rebane (5ª) e Anitta Pravatti (6ª), pelas mulheres, não precisarão passar pelas Super Seletivas.

Confira as datas das Seletivas:

Seletiva Curitiba (PR) – 2 e 3/junho – Local: Crossfit High Pulse
Seletiva Marília (SP) – 9 e 10/junho – Local: Crossfit Marília 2
Seletiva Jundiaí (SP) – 16 e 17/junho – Local: Parque da Uva
Seletiva Niterói (RJ) – 23 e 24/junho – Local: Ginásio Caio Martins
Seletiva Salvador (BA) – 30/junho e 1/julho – Local: Centro Panamericano de Judô

Greve

Mesmo diante da greve dos caminhoneiros e agravamento da distribuição de combustíveis e produtos, que impedirá a chegada dos materiais da Gladius, da Aubicon e da Ultrawod para montagem, a organização do TCB decidiu manter a seletiva curitibana.

O local que receberá a Seletiva será o mesmo da Seletiva Sul do ano passado, a CrossFit High Pulse. “Certamente algumas provas serão adaptadas, por conta dos materiais que estarão disponíveis no evento (e pela falta deles), por isso a retirada (dos atletas) do Ranking Geral”, lamentou a entidade.

História

O TCB foi realizado pela primeira vez em 2010, na Crossfit Brasil, primeiro box do País instalado pelo paulistano Joel Fridman, no ano anterior. O objetivo era fortalecer a comunidade crossfiteira em crescimento em outros estados. Em 2012, o evento já teve aspecto mais profissional, num ginásio poliesportivo, e reuniu 120 atletas inscritos.

No ano seguinte, foi necessário nivelar o campeonato pelos atletas brasileiros com melhor resultado no Open. O Torneio contou com 75 atletas e foi visto por mais de 4 mil espectadores. Em 2014, um novo formato trouxe 8 Seletivas regionais que classificaram 86 atletas para a disputa. Em 2016, a Categoria Master estreia no Torneio. No ano passado, os atletas Master foram divididos em duas categorias, e a categoria Teen ganhou seu espaço.

13:01 · 29.05.2018 / atualizado às 13:01 · 29.05.2018 por

 

Atletas da Crossfit Gurkha conseguiram boas colocações. (Foto: @karolpaiva12/Reprodução)

Depois de um fim de semana intenso, a Latin America Regional chegou ao fim no último domingo (27) e, com ela, a participação dos seis atletas cearenses no campeonato que buscava o homem, a mulher e o time mais bem condicionados da América Latina. Ao final de seis provas, eles conseguiram ficar entre os 25 melhores de suas categorias.

O principal resultado foi o de Éder Costa, 33, que ficou na 20ª colocação do individual masculino, dentre 40 atletas participantes. “Sou um atleta que consegue manter foco e a calma durante as provas e competições que disputo, mas confesso que a cada prova no backstage a sensação foi a mesma… nervosismo ao extremo”, confessou o atleta no Instagram.

Éder Costa na prova Triple 3. (Foto: CrossFit Games)

Durante a narração da Regional, Éder recebeu, dos comentaristas americanos, a alcunha de “marido da Renata Pimentel”, atleta que já se classificou para os Games na categoria Master 35+. “Feliz em dar o meu melhor, feliz em estar do lado de amigos de competição, feliz de competir com minha torcida que veio só para me prestigiar… realmente marcou para sempre e entrou para a história”, completou ele.

Ainda no masculino, Antonio Reginaldo Silva, 33, conquistou a 23ª posição. “Participar dos Regionais era meu sonho e, sendo no Brasil, foi melhor ainda. Muito empolgante sentir a vibração da torcida, te apoiando, gritando seu nome, é algo que deixa sua vida marcada pra sempre!”, descreveu o atleta ao Hora do Cross.

O cearense protagonizou um momento cômico da competição no último domingo, depois que a narradora Naty Graciano confundiu o nome dele durante o Evento 5 e o anunciou como “Reginaldo Rossi”. A torcida foi ao delírio. O DJ, então, pôs o sucesso “Garçom” para tocar, música que foi cantada em coro pela arquibancada.

Reginaldo Silva venceu duas baterias. (Foto: reginaldos_22/Reprodução)

Contudo, o atleta diz que quer ficar ainda mais preparado para o futuro. “Estou feliz com meu desempenho, mas não satisfeito. Dá pra fazer mais e melhor. Vou em busca de ser ainda mais completo no Crossfit e poder voltar para os Regionais ano que vem!”, projeta.

Na disputa por equipes, os quatro atletas do Team Gurkha – Matheus Caetano, 26, Diego Palomares, 27, Karol Paiva, 37, e Cristiani Ferreira, 34 –  ficaram em 22º lugar geral dentre 30 times concorrentes. Eles foram parte do único time nordestino a se classificar para a competição regional.

“É a realização de um sonho… Nós fomos os primeiros a conseguir esse feito, então foi um momento muito mágico onde recebemos muitas mensagens de apoio da galera e, inclusive, muitos vieram para nos prestigiar de perto, e isso não tem preço. Sensação ímpar de felicidade por você perceber que é algo palpável e totalmente possível estar entre eles”, descreve Cristiani.

Karol Paiva emenda e diz que o time foi precursor da categoria no Nordeste, região que vem ganhando respaldo pela atuação de atletas como Eder e Renata, “que foram mostrando a cara da nossa região para o Brasil e para o mundo”. “Serve de motivação para todos nós sabermos que somos capazes; é preciso que se leve o esporte com seriedade e respeito”, afirma.

Para ela, a worm de quase 163kg exigiu muito jogo de cintura da equipe (“quando você pensa que já dominou algo, vem o novo”), mas o “sofrido” mesmo foi a rampa com obstáculos. Já para Cristiani, “foram as barras para fazer os movimentos de suspensão, por estarem lisas demais”. Lembrando que tudo na competição foi adaptado com o empréstimo de boxes afiliados do Rio de Janeiro.

A worm exigiu muita coordenação do time. (Foto: Crossfit Gurkha/Reprodução)

Questionada sobre o que pesa mais na hora da competição, Cris não titubeia: “a mente, certeza”. Karol Paiva completa: “Acredito que o atleta tem que estar em equilíbrio, com o corpo preparado, mas a cabeça é quem controla. Se não houver controle emocional, não tem força física que resista”.

Cristiani avalia o resultado geral da Latin America Regional como “bom”, já que o Team Gurkha não estava focado na Regional, mas nas seletivas do Torneio Crossfit Brasil (TCB). “A Regional veio no meio da nossa preparação e isso nos deixou muito contentes, pois mostrou que nosso nível está subindo e que o Nordeste também é capaz de ter atletas de nível”.

“A Regional me ensinou a lição de que ‘se eu acreditar eu alcanço’. Tem renúncia, tem dor, tem vários ‘nãos’ para um ‘sim’… Mas tem a certeza de que um trabalho levado com seriedade, responsabilidade, compromisso e sobretudo amor gera grandes resultados”, finaliza Karol.

12:28 · 29.05.2018 / atualizado às 12:28 · 29.05.2018 por
Pódio da categoria Dragão do Mar. (Foto: Crossfit Dragão do Mar)

Confira abaixo a lista dos vencedores da edição cearense dos Crossfit Games, promovida pela Crossfit Dragão do Mar no último fim de semana. Parabéns a todos os atletas!

Pódio Dragão do Mar (RX)

1° Sensei Michael Barbosa
2° Daniel Nunes e Felipe Colares Aragão
3° Rodrigo Martim (Crossfit Bad Lions)
4° Guto Menezes
5° Thiago Pressão (Crossfit Cangaço)

Pódio Arretados Masculino (Intermediário)

1° Alysson Leite
2° Medson Rocha
3° George Sales
4° Eriko Serra Ribeiro
5° Felipe de Codes

Pódio Invocadinhos Masculino (Scaled)

1° Frederico Rodrigues
2° Vagner Bessa (Box Cabra da Peste)
3° Michael Lima
4° Thiago Rebouças
5° Eduardo Aquino

Pódio Arretados Feminino (Intermediário)

1° Tâmila Lima
2° Gizelle Pinheiro
3° Mariana Melo
4° Alanne Ximenes
5° Morgana Sayonara

Pódio Invocadinhos Feminino (Scaled)

1° Raissy Recamonde
2° Alana Ravena
3° Fernanda Campos
4° Fabiana Melo

Pódio Bebê Dragão Feminino (Até 12 anos)

1° Lynda Thalissa
2° Amanda Cavalcante

“A vocês que me aguentam, que confiam a sua evolução a nossa equipe, me permitam elogiá-los, vocês fizeram um evento dentro do box ser espetacular!”, agradeceu o headcoach Allan Marx.

17:05 · 28.05.2018 / atualizado às 17:05 · 28.05.2018 por
Abbott e Fikowski tiveram ótimos desempenhos. (Fotos: CrossFit Games)

Na West Regional, a situação era a mais imprevisível que nas competições anteriores, com três grandes atletas brigando pela liderança. No final, Brent Fikowski, vice-campeão dos Games 2017 e agora tricampeão desta regional, fez uma apresentação inconstante, mas ainda assim consistente, garantindo sua terceira qualificação consecutiva para os Games.

O vice-líder foi Cole Sager, 27, que conseguiu sua quinta qualificação seguida para os Games, nos quais sua melhor colocação foi o 5º lugar em 2016. No ano passado, ele ficou em 16º. Ele é treinado por Ben Bergeron, mesmo coach de Mat Fraser e Katrin Davidsdottir.

Josh Bridges, 35 anos, conseguiu sua quinta qualificação. Atleta de Crossfit desde 2005 e aposentado da carreira militar, ele ficou em 29º nos Games 2017 e recusou a participação no Master 2018, escrevendo: “Obrigado pelo convite, @crossfitgames, mas não este ano! Ainda vou me divertir com os caras jovens!”.

O quarto lugar ficou com Cody Anderson, 25, 15º geral nos Games do ano passado, que conseguiu o passaporte para seu terceiro Games. Ele espantou de vez os fantasmas de 2015 e 2016, anos em que ficou na sexta colocação e fora dos Games. Mitchel Stevenson, 25, fechou a lista e conseguiu sua primeira qualificação depois de bater na trave em 2017 e ficar em 6º.

Ruiva

“Abbott, a vermelha”, como diz sua conta do Instagram, venceu a West Regional na disputa feminina. Emily Abbott, 29, superou as adversárias e conseguiu sua quinta participação consecutiva nos Games, onde acumula os 35º, 8º, 20º e 19º lugares, respectivamente, nos últimos quatro anos. No ano passado, ela ficou em 3ª na Regional.

Com a vice-liderança, a veterana Alessandra Pichelli, 32, 11ª colocada nos Games 2017 e 3ª da California Regional ano passado, pegou o ticket para seu sétimo Games.

Em terceiro, tivemos o feito de Ehea Schuerch, 29, que se classificou para os Games com menos de dois anos de Crossfit! Sim, a data ela guarda bem: 19 de julho de 2016. No ano passado, o time dela, o Spokane Valley, ficou em 6º na West, a um lugar da qualificação.

A quarta colocação pôs Chyna Cho, 31, campeã da California Regional do ano passado, em sua quinta participação nos Games. E o que falar de Rebecca Voigt, 37, que provou não precisar da categoria Master? Em 2018, conseguindo a última vaga da West Regional, ela participará dos Games pela décima vez. Décima vez! A atleta já competiu em todos os Games desde 2008 – exceto 2017, quando não se classificou, e desbancou a islandesa Annie Thorisdottir, que irá pela nona vez.

Times

Os times classificados na West Regional foram: Invictus X (que venceu três eventos), Torrance Training Lab, Fort Vancouver, Billings e Invictus.

11:53 · 28.05.2018 / atualizado às 11:55 · 28.05.2018 por
A tríade teve performances irrepreensíveis. (Fotos: CrossFit Games)

Dois rounds de 10 snatches com quase 80kg, sem quebrar as séries. Com força e técnica, Mat Fraser, 28 anos, deixou (mais uma vez) os adversários no chinelo e bateu o recorde do Evento 4 da Central Regional, com 5min07s, dez segundos à frente do recorde anterior. Foi a terceira das cinco vitórias dele no fim de semana, que só deslizou no Evento 1, o Triple 3, ao ficar na 9ª colocação.

O “cara dos barbells”, como é conhecido, dominou a Regional e mal deu chance para os outros competidores se mostrarem. Dominante, ele foi o primeiro atleta a conquistar cinco títulos regionais consecutivos e segue mais uma etapa em busca do terceiro título de Fittest Man On Earth. “Hoje, quero uma noite tranquila com minha família”, disse após a loucura do fim de semana.

O vice-líder da Central Regional foi Alex Anderson, 28 anos, 8º lugar dos Games no ano passado – seu melhor resultado até agora. Com a campanha regular na regional, ele conseguiu o 4º ticket consecutivo para a competição na carreira.

O terceiro lugar e o terceiro passaporte para Madison ficou com Nicholas Urankar, 34, que conseguiu voltar aos Games depois de dois anos afastado. Em 2015, ele havia ficado na 28ª colocação da disputa, mas, em 2016 e 2017, não conseguiu a qualificação regional.

Irmãos juntos

Scott Panchik, 30, não fez um primeiro dia, se recuperou no segundo e voltou a perigar não ir aos Games deste ano, no terceiro. Mas, na última prova, ele se recuperou e fez um sprint para conseguir a segunda colocação depois de thrusters pesados. No fim, ele ficou com o quarto lugar geral e participará de seu 7º Games.

Com uma boa companhia, aliás. O irmão de Scott, Saxon Panchik, aos 21 anos, também conseguiu o passe para seu primeiro Games, ao ficar em 5º lugar da região.

Wells

Do lado feminino, Brooke Wells impressiona. Aos 23 anos, ela conseguiu o 1º lugar da Central Regional para participar de seu quarto Games. O título do final de semana foi uma lembrança de 2015, quando ela repetiu o feito com apenas 19 anos.

Em segundo, ficou Kristi Eramo, seis anos mais velha, que irá ao seu terceiro Games. Em 3º e 4º lugares, ficaram as novatas Amanda Barnhart, 26 (que venceu os Eventos 4, 5 e 6, de forma impressionante), e Michelle Fumagalli, 30.

O quinteto qualificado fechou com Jennifer Smith, que fará sua terceira aparição individual nos Games, depois de ter ficado de fora no ano passado. Ela ficou apenas dois pontos à frente de Jessica Griffith, 26, que, até 2016, competia por times

Froning

Na competição por times, sem surpresas, o Mayhem Freedom conquistou o topo do pódio da regional pela quarta vez consecutiva. Essa é a equipe do tetracampeão individual e bicampeão por times Rich Froning Jr., 30, que procura tirar o gosto amargo do segundo lugar nos Games de 2017.

Completam a lista de times qualificados o OC3 Black (3ª vez nos Games), o Team 417 (4º Games), o Mayhem Independence e o Crossfit Kilo (5ª aparição).