Busca

20:04 · 27.05.2018 / atualizado às 20:04 · 27.05.2018 por
Os dois atletas se provaram os mais bem condicionados da região. (Fotos: CrossFit Games)

Aos 25 anos, o carioca Pablo Chalfun conseguiu o único ticket da disputa individual masculina para os CrossFit Games 2018. Com uma campanha consistente, ele foi impulsionado pela torcida da Arena Carioca 1, que fez o papel de judge e contava cada rep válida dele no Evento 6, o mais rápido da competição, com 20-15-10 chest-to-bar (substituindo os rope climbs das outras regionais) e 16-12-8 thrusters.

“Acho que eu fiz o Brasil inteiro orgulhoso. Não desisti em nenhum momento. Entrei na competição como o último atleta, mas você tem que acreditar e não deixar que ninguém te ridicularize. Quando me perguntavam ‘Qual é o seu plano?’, eu dizia: ‘Eu vou pro Games esse ano’. Você tem que confiar no seu trabalho a ponto de falar isso alto pra qualquer um”, descreveu após a prova.

Chalfun conheceu o CrossFit através do futebol americano, esporte em que foi campeão brasileiro e defendeu a seleção brasileira no Mundial. Ele também é sócio fundador e headcoach da Valente CrossFit Vila Isabel. O gigante de 88kg foi o último atleta convocado para a Regional, após terminar o Open em 30º na América do Sul. Ele só entrou na lista com a ida de três homens para a disputa por times e a recusa de outros dois.

O segundo brasileiro mais bem colocado foi o paulista André Sanches, que terminou a Regional em 3º, atrás do mexicano Luis Oscar Mora, de apenas 19 anos. O tricampeão brasileiro Anderon Primo, 23, antes apontado como favorito, terminou em 8º. Com o resultado, os três brasileiros do Top 10 ganharam vagas diretas para o Torneio Crossfit Brasil (TCB) 2018.

La chica

A mexicana Brenda Castro, 29 anos, confirmou o favoritismo da mídia internacional e venceu a disputa individual feminina em sua quinta participação em Regionals. No ano passado, ela obteve o 12º lugar na South, após o péssimo 42º em 2016. Ela também foi a mulher mais bem-condicionada do México, no Open, nos últimos três anos.

“Obrigada, México, obrigada, América Latina, obrigada, Deus. Isso apenas começou. Agora, começa o trabalho duro. Quero representar da maneira mais digna possível a comunidade latina, que eu amo tanto. Quero demonstrar que os regionais devem continuar na América Latina e que aqui há nível sim”, afirmou, rebatendo as críticas de que os atletas da regional “comiam poeira” dos americanos.

O segundo lugar individual ficou com a argentina Melina Rodriguez, primeira do Open no país, apenas 12 pontos atrás de Brenda. Vivian Aiello, em 3º, foi a brasileira com a melhor colocação. Tata Rebane e Anita Pravatti ficaram em 5º e 6º, respectivamente.

Confira o resultado individual dos brasileiros e das brasileiras:

1. Pablo Chalfun
3. André Sanches
8. Anderon Primo
14. Lucas Almeida
17. Fábio Dechichi
20. Éder Costa
22. Lucas Rosa
23. Reginaldo Silva
26. Guilherme Domingues
29. Gilson Duarte
33. Pedro Castro

3. Vivian Aiello
5. Tata Rebane
6. Anita Pravatti
11. Larissa Cunha
13. Antonelli Nicole
15. Luana Soares
18. Andreia Pinheiro
19. Rosana Prado
22. Susana Etto
23. Nathalia Mencari
24. Luiza Dias
26. Thatianne Freitas
29. Chris Schmidt

14:46 · 27.05.2018 / atualizado às 14:47 · 27.05.2018 por
O time venceu por um placar de 546 x 542. (Foto: CrossFit Games)

Depois de três dias de competição, deu Colômbia na disputa por equipes da Latin America Regional! Na última prova, o Team Colombia Parceros superou o Samurai Team, da Argentina, que liderava a competição depois de cinco eventos – e venceu por apenas quatro pontos. Os colombianos representarão a região nos CrossFit Games, em agosto, nos Estados Unidos.

Tudo foi decidido na última prova, quando os hermanos tomaram um no rep na worm lunge e perderam tempo ao precisarem jogar o equipamento ao chão. Os parceros, no entanto, terminaram primeiro os 144 HSPUs e tiveram uma comunicação perfeita nos lunges, liderados por Alejandro Arcila.

O resultado foi divulgado após muito suspense do head judge do evento. Depois, só alegria. “Precisávamos fazer os HSPU muito rápido e não cometer nenhum no rep”, detalhou a colombiana María Clara Ceballos. O time é formado ainda por Yonatan Restrepo e Marcela Peña Salas, a “Cheli”.

Ceballos ainda brincou com a comemoração de hoje e com a preparação para os Games. “Vamos tomar uns traguitos, mas só hoje”, riu. “Agora, teremos que comer bem e viver na mesma casa. Fora que o Alejandro terá que pedir o visto dos Estados Unidos”.

O time brasileiro mais bem colocado foi o Team Moema, na 4ª colocação. O carioca CFP9 ficou em 6º e, o paulista Silver Fern, em 10º. Nas posições 15 e 16, ficaram Dark Bulls Macaé e Bauru. O time Ribeirão Preto terminou em 20º e, o Team Gurkha, em 22º.

 

 

19:55 · 26.05.2018 / atualizado às 19:55 · 26.05.2018 por
Chalfun acumula 306 pontos, apenas dois à frente de Oscar Mora. (Foto: Reprodução/Instagram)

O segundo dia da disputa masculina na Latin America Regional terminou com a vitória do carioca Pablo Chalfun no Evento 4. Após o excelente resultado, o brasileiro também assumiu a liderança da competição. Ele fez um sprint emocionante para superar o mexicano Luis Oscar Mora, de 19 anos, agora vice-líder, após uma série de snatches e burpees. “Estou em casa. A torcida me colocou pra cima”, disse Chalfun após a conquista.

Durante o dia, os obstáculos com rampas foram a pedra no sapato de muitos competidores. Dentre eles, de André Sanches, que estava no topo do leaderboard até ontem. No Evento 3, ele ficou num péssimo 29º lugar e viu a liderança ser perdida para o mexicano Manuel Gallegos, 16º na prova. O estrangeiro também ficou à frente do brasileiro no Evento 4. Agora, Gallegos está em 3º e, Sanches, em 4º.

Quem também se complicou nos obstáculos foram os cearenses Éder Costa e Reginaldo Silva, que empataram na 37ª posição da prova após caírem diversas vezes nos degraus da rampa. Contudo, Reginaldo deu a volta por cima com um ótimo desempenho no Evento 4, com snatches e burpees over bar, ficando na 7ª colocação da prova. Hoje, Costa finalizou em 21º e, Silva, em 26º.

Simona se mantém

Na competição feminina, a chilena Simona Quintana mantém a primeira posição geral. No seu encalço, a mexicana Brenda Castro subiu da 6ª para a 2ª colocação, desbancando a brasileira Anita Pravatti, que havia terminado a sexta-feira como vice-líder. Agora, Pravatti está em 3º.

A segunda brasileira mais bem colocada é Larissa Cunha, 27, que dominou e venceu o Evento 3. Ela está na 7ª colocação. Em seguida, temos Vivian Aiello, em 8º, e Antonelli Nicole, em 10º.

Times

Na disputa por equipes, o argentino Samurai Team manteve a constância, conseguindo um terceiro e um primeiro lugares nas provas 2 e 4 – sim, as Worms finalmente chegaram para um dia com push presses e thrusters -, e continua no topo da lista, seguido de perto pelo time Colombia Parceros, apenas 20 pontos atrás dele.

O melhor time brasileiro continua sendo o Moema, na quinta posição. O Team Gurkha, cearense, não conseguiu cumprir os dois eventos no time cap e caiu duas colocações. Agora, está em 18º dos 27 times.

15:06 · 26.05.2018 / atualizado às 15:06 · 26.05.2018 por
Competição segue até 17h. (Foto: Crossfit Dragão do Mar)

Enquanto a Latin America Regional ferve no Rio de Janeiro, a Crossfit Dragão do Mar, em Fortaleza, realiza sua própria edição dos Crossfit Games 2018 neste sábado (26), até o fim da tarde.

E, falando em bom cearensês, as provas são realizadas nas categorias Bebê Dragão (até 12 anos), Invocadinhos (scaled), Arretados (intermediário) e Dragão do Mar (RX). Apenas a primeira e a última são abertas para outros boxes.

O Crossfit Dragão do Mar fica na Rua Dr. Ratisbona, 40, no bairro de Fátima.

Confira as provas do evento:

Sem freio – Amrap 8′

4-8-12-16-20-24-32… reps de thrusters (fat bar)/burpees jump over barbell/squat snatch com dumbells

Barbell Dragão do Mar

12 deadlifts/12 back squats/12 front squats
9 bar muscle ups/chest pull ups/pull ups
9 shoulder to overhead/9 hang cleans/9 power clean
6 bar muscle ups/chest pull ups/pull ups
6 overhead squats/6 hang snatches/6 snatchs
3 bar muscle ups/chest pull ups/pull ups

#Apenas6 – 6 rounds for time

6 snatches kettlebell one arm (cada round com um braço)
6 shoulder to overhead / 6 cleans / 6 swings / 6 deadlifts / 6 HSPU

00:54 · 26.05.2018 / atualizado às 00:54 · 26.05.2018 por
André Sanches contou com os gritos da arquibancada no evento “Linda”. (Foto: CrossFit Games)

Ainda pela manhã, os times sofreram na rampa de obstáculos anunciada por Dave Castro no Instagram, no início de maio, e apenas uma equipe finalizou o Evento 1 dentro do time cap na Latin America Regional: o Samurai Team, da Argentina. A prova contava ainda com overhead squats e double unders.

“Nós praticamos muito no nosso box”, disse a equipe após a finalização, em 12 minutos e 24 segundos. Por um segundo, eles não bateram o recorde da prova, que é do team Don’t Stop, na South Regional. O time cap era de 17 minutos. O Samurai Team também lidera a competição depois do primeiro dia, com 194 pontos. No Evento 3, eles empataram na segunda colocação.

Sim, Evento 3 porque a prova foi adiantada. Provavelmente, a organização ainda espera a chegada das Worms (minhocas), que serão utilizadas no Evento 2.

O cearense Team Gurkha está na 16ª colocação, dentre 31 times, acumulando 104 pontos. No Evento 1, ficou na 22ª colocação e, no Evento 3, empatou na 8ª colocação com o Team Moema, de São Paulo, que também é o time brasileiro mais bem colocado, na 4ª colocação, com 152 pontos. Em seguida, temos o Dark Bulls Macaé (140), CFP9 Rio (118), Ribeirão Preto (100), Bauru (78) e Silver Fern (76).

Sanches

Na disputa masculina, vimos muito suor no Triple 3, com 3km de remo, 300 double unders e 3 milhas de corrida – também adaptada, já que as Assault AirRunners não chegaram. Os atletas precisaram correr na área externa da Arena Carioca 1. A prova foi vencida pelo mexicano Luis Perez, que completou os exercícios em 38min16s.

Dentre os brasileiros, quem se deu bem foi André Sanches, 30 anos, que terminou em segundo lugar. Lucas Rosa terminou a bateria 1 em primeiro, mas caiu para a quarta colocação. Os cearenses Éder Costa e Reginaldo Silva ficaram em 12º e 23º, respectivamente. O tricampeão do TCB, Anderon Primo, apontado como um dos favoritos, ficou em 18º.

No evento 2, “Linda”, com 55 repetições de deadlifts, bench presses (adaptados para push presses) e squat cleans, André Sanches assumiu definitivamente a liderança do primeiro dia ao terminar no melhor tempo. Ele é o brasileiro mais bem colocado. Em seguida, temos Pablo Chalfun (7º), Anderon Primo (11º), Éder Costa (13º) e Lucas Rosa (18º). Reginaldo Silva está em 26º.

Simona

Entre as mulheres, a liderança é da jovem chilena Simona Quintana, de 21 anos, que venceu o Triple 3. O segundo lugar está com a tetracampeã brasileira Anita Pravatti, seguida pelas também brasileiras Tata Rebane e Vivian Aiello. A mexicana Brenda Castro, bastante mencionada pelos comentaristas, está em 6º lugar.

Neste sábado (26), as provas começam, novamente, às 9h. Nas categorias individuais, devemos ver os atletas sofrendo para completar um combo de muscle-ups, obstáculos com rampas no HSW e muitos pistols. No Evento 4, eles enfrentarão snatches pesados e leves e uma sequência de burpees.

12:41 · 25.05.2018 / atualizado às 12:47 · 25.05.2018 por
Evento segue até as 18h15 de hoje. (Foto: CrossFit Games)

Às 9h, foi dada a largada da CrossFit Games Latin America Regional, na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro.

Ao todo, o Brasil possui 52 atletas na competição: 28 na competição por times, que ocorre durante a manhã; e 11 homens e 13 mulheres, que competirão a partir do meio-dia. O Ceará tem um time e dois atletas masculinos na disputa.

O evento reúne os melhores atletas da região na disputa por uma vaga inédita nos CrossFit Games, a “Copa do Mundo” da modalidade que ocorre em agosto, em Wisconsin, nos Estados Unidos.

O evento no Brasil só está sendo possível pelo ato de solidariedade de boxes afiliados da cidade, que emprestaram seus próprios equipamentos após cinco contêineres com materiais como barras, anilhas, argolas e bikes ficarem retidos nas estradas do Estado por conta da greve dos caminhoneiros.

As baterias são transmitidas ao vivo através do Facebook Live, do site Games.CrossFit.com, na CBSSports.com e através do aplicativo CBS Sports App, disponível para iOS e Android.

Confira os horários das provas desta sexta (25):

Team Event 1 9h-10h
Team Event 2 10h20-11h20
Male Event 1 11h45-13h25
Female Event 1 1h25-15h05
Male Event 1 15h25-16h45
Female Event 2 16h55-18h15

00:30 · 25.05.2018 / atualizado às 00:30 · 25.05.2018 por
Em vídeo divulgado, foram cedidas barras e Assault Bikes. (Foto: CrossFit Games)

Ontem (23), a CrossFit decidiu não cancelar ou adiar a Latin America Regional, no Rio de Janeiro, após cinco contêineres com materiais como barras, anilhas, argolas e bikes ficarem retidos nas estradas do Estado por conta da greve dos caminhoneiros.

Num ato de solidariedade, boxes afiliados da cidade emprestaram seus próprios equipamentos para garantir a realização do evento, na tarde desta quinta-feira (24). O chamado foi atendido por unidades como a Crossfit Valente Centro, a Crossfit Jaws, a Crossfit A7, e a Casarão Crossfit.

O diretor dos Games, Dave Castro, está na cidade e pode fazer adaptações nos movimentos exigidos nas provas. No entanto, a comunidade internacional tem questionado se as mudanças terão a mesma validade dos wods já realizados nas regionais East, Europe e South, já que os materiais podem ser de marcas diferentes.

A Latin America Regional começa nesta sexta (25), às 9h.

18:41 · 24.05.2018 / atualizado às 18:41 · 24.05.2018 por
Os atletas mais bem condicionados do País estarão na disputa. (Fotos: Reprodução/Instagram)

O diretor geral dos CrossFit Games, Dave Castro, anunciou algumas mudanças na temporada 2018 de competições após o CrossFit Invitational, em novembro do ano passado. A mais festejada pelos atletas brasileiros foi a criação da Regional da América Latina, ainda que ela só garanta uma vaga direta de cada categoria para os Games.

O formato da competição estabelece que, das 40 vagas individuais da regional, 15 devem ser preenchidas por atletas da América Central (incluindo México, Panamá e ilhas da região) e, as outras 25, por representantes da América do Sul. Falando de times, são 10 classificados da Central e, os outros 20, da Sul.

Após a liberação da lista oficial de participantes, o Brasil comemorou a conquista de 31,25% das vagas individuais da Regional. Foram 25 atletas, sendo 11 homens e 14 mulheres. Eles ocupam 27,5% das vagas masculinas (ou 44% da América do Sul). Por sua vez, elas detêm 35% do total e 56% da América do Sul.

Com esse resultado, o Brasil supera o número de competidores nos Regionais de 2017, quando 11 atletas individuais estiveram nos Estados Unidos representando o país. Confira abaixo um breve currículo dos nossos classificados:

Homens

Guilherme Domingues, 28, 3º lugar do TCB 2016 e 1º do Open 2018 no Brasil
André Sanches, 30, 2º do Open 2018 no Brasil
Antonio Reginaldo, 33, campeão N/NE do TCB 2015 e 2017 e 3º do Open 2018 no Brasil
Anderon Primo, 23, tricampeão do TCB e 4º do Open 2018 no Brasil
Éder Costa, 33, 4º TCB 2017 e 5º do Open 2018 no Brasil
Lucas Rosa, 22, vice-campeão do TCB 2017 e 6º do Open 2018 no Brasil
Pedro Castro, 22, 7º do Open 2018 no Brasil
Lucas Almeida, 26, 8º do Open 2018 no Brasil
Fábio Dechichi, 28, 4º lugar do TCB 2016 e 9º do Open 2018 no Brasil
Pablo Chalfun, 25, 5º TCB 2015 e 11º do Open 2018 no Brasil
Gilson Duarte, 27, 12º do Open 2018 no Brasil

Mulheres

Renata Pimentel, 35, 3ª do TCB 2017 e 1ª Open 2018 no Brasil (não participará)
Vivian Aiello, 32, 3ª do TCB 2016, 4ª no TCB 2017 e 2ª do Open 2018 no Brasil
Antonelli Nicole, 32, campeã do TCB 2014 e 3ª Open 2018 no Brasil
Thatianne Freitas, 24, 4ª do Open 2018 no Brasil
Luiza Dias, 26, 9ª do TCB 2015 e 5ª do Open 2018 no Brasil
Anita Pravatti, 32, tetracampeã do TCB em 2011, 2015, 2016 e 2017 e 8ª do Open 2018 no Brasil
Larissa Cunha, 27, 9ª do Open 2018 no Brasil
Susana Rodrigues Etto, 34, 10ª Open 2018 no Brasil
Nathalia Mencari, 24, 12ª do Open 2018 no Brasil
Andreia Pinheiro, 35, 13ª do Open 2018 no Brasil
Rosana Prado, 29, 14ª do Open 2018 no Brasil
Luana Soares, 27, vice-campeã do TCB em 2016 e 2017 e 15ª Open 2018 no Brasil
Tata Rebane, 36, 17ª do Open 2018 no Brasil
Chris Schmidt, 34, 19ª do Open 2018 no Brasil

Times

Na disputa do Fittest Team da América Latina, teremos 28 atletas de sete equipes na arena. O número representa 25% das equipes na Regional, e 35% da América do Sul. Pela regra da competição, os times podem registrar até 3 homens e 3 mulheres na fase de qualificação, mas competem oficialmente apenas 4 membros. Um homem e uma mulher ficam de reserva caso alguém se machuque até as Regionals.

Confira os times selecionados com suas respectivas colocações no Open 2018 da América do Sul:

Team Moema (SP) – Karime Ferrari, Rodrigo Rocha, Vinicius Santiago, Tarcio Santos Ferreira, Cris Tourinho e Marina Hohmann (7º)
CrossFit Ribeirão Preto (SP) – Evandro Barbosa, Paulo Belém, Mariellen de Oliveira, Marília Ferreira, Andressa Garcia e Allan Portioli (11º)
Team Dark Bulls Macaé (RJ) – Lucas Borges, Lhais Costa, Leonardo Crucillo, Camile Figueiredo e Bruno Marins (12º)
Team Gurkha (CE) – Matheus Caetano, Cristiani Ferreira, Karol Paiva, Diego Palomares e Jorge Pontes (15º)
CFP9 Rio (RJ) – Victor C M Marques, Paulo Henrique Marinho, Thais Nunes, Rachel Valoura (18º)
CrossFit Bauru (SP) – Thiago Azevedo Dal Médico, Joyce Duarte, Pamela Ferreira, João Hide Kami Mura, Thiago Mesquita e Bartira Rodrigues (19º)
Team Silver Fern (SP) – Andressa Paulino, Vanessa Campanha, Giovanna Magnani, Michael Bernardeli, Vinicius Gaetan e João Paulo Araujo (20º)

Havia uma oitava equipe, mas a Hangar 193 Brazilian Hurricane, que obteve a 16ª colocação na América do Sul, foi desclassificada pela CrossFit. O regulamento estabelece que os times treinem no mesmo box por algum tempo, o que não ocorria com frequência já que alguns membros eram de diferentes Estados do Brasil.

13:39 · 24.05.2018 / atualizado às 13:39 · 24.05.2018 por
A atleta já está garantida no Games Master 35+. (Foto: Natinho Rodrigues)

A cearense Renata Pimentel, 35 anos, completou o Open 2018 com força: conquistou o 1º lugar no Brasil e na América Latina e o 5º mundial na categoria Master 35-39 anos. No ano passado, ela já havia se classificado para competir na South Regional, onde, disputando com nomes como Tennil Beuerlein, Camille Leblanc-Bazinet e a campeã brasileira Anitta Pravatti, conseguiu um ótimo 20º lugar dentre 46 competidoras.

Classificada automaticamente para a Latin America Regional, a 3º colocada no TCB 2017 surpreendeu muitos fãs ao anunciar, na última sexta-feira (18), que não participará da competição. Num longo texto no Instagram, ela explicou que essa foi uma das decisões mais difíceis de sua vida, mas apoiada pelo marido, Éder Costa.

Segundo Renata, desde 2017, todo o trabalho do casal foi voltado para conseguir uma classificação para os Games 35+. Refazendo os desafios do Open “inúmeras vezes”, até chegar no limite e, três semanas depois, enfrentando os quatro wods brutais do Qualifier do Master – tudo num fim de semana -, ela conseguiu.

Rendimento

Porém, tanto esforço, segundo ela, teve um custo. “Meu corpo acabou essa maratona fora do que prevíamos – perdi muito peso (5kg) e meu rendimento começou a cair muito, e, infelizmente, não recuperei ainda! Então, fiquei sem muita opção”, disse.

Depois da decisão, a atleta iniciou a fase de testes e a nova planilha rumo ao Games Master, que ocorrem em agosto. “Tenho mais de 2 meses pra estar na minha melhor forma – e tenho certeza que estarei! Peço desculpas aos que esperavam me ver na arena próximo fim de semana – e agradeço imensamente a torcida!”, finalizou.

Dezenas de outros atletas comentaram na postagem desejando bons resultados para a atleta. Éder Costa aproveitou o post para dizer: “Se preocupa não galera… eu vou competir… Éder Costa… marido dela”, brincou com a fama da esposa. Os dois já estão no Rio de Janeiro, e, claro, treinando nos boxes da cidade.

13:06 · 24.05.2018 / atualizado às 13:06 · 24.05.2018 por
Fikowski, Fraser e Panchik: 2º, 1º e 6º lugares dos Games competem nas regionais. (Fotos: CrossFit Games)

Vai ter o champs na arena! De 25 a 27 de maio, ocorre a Central Regional, na qual o bicampeão masculino dos Games, Mathew Fraser, entrará mais uma vez em ação, depois de pulverizar os adversários no Open 2018 – a diferença foi de 342 pontos entre ele e o segundo colocado, Alex Vigneault. A competição ocorre no Music City Center, em Nashville, no estado do Tennessee.

Brothers

Além de Fraser, o trio de irmãos Panchik também busca vagas nos Games deste ano. O veterano Scott, 30, busca sua sétima participação. Ele acumula dois 4º lugares em 2012 e 2013, um 5º em 2014 e três sextos nos últimos três anos. No Open 2018, ele ficou em 13º.

Os gêmeos Saxon e Spencer, 21, seguiram os passos do irmão mais velho. Saxon parece levar a melhor: ele terminou o Open 2018 em 49º mundial e finalizou a Central Regional de 2016 em 11º. Spencer terminou o Open deste ano em 111º. Até 2015, os dois competiam juntos por time.

Outro que tenta vaga é Alex Anderson, 4º da Central Regional em 2017 e 61º mundial no Open deste ano.

Entre as mulheres, o destaque é a jovem Brooke Wells, que, aos 22 anos, busca sua quarta participação nos Games. No ano passado, ela ficou em 14ª, após ter arrancado o 6º geral em 2016. Agora, ela deve entrar no páreo novamente, tendo ficado em 6º no Open 2018.

Oeste

Noutro ponto dos EUA, a West Regional ocorre na Del Mar Arena, na California. Lá, os holofotes se voltarão para o segundo colocado masculino dos Games 2017, Brent Fikowski, que também venceu esta regional nas últimas duas edições.

Outro que busca vaga no quinto Games é o veterano Josh Bridges, 3º lugar mundial no Open 2018 na categoria Master e 29º nos Games 2017. Também na briga está Cole Sager, 16º mundial no ano passado e 44º no Open 2018. A lista de possíveis classificados inclui ainda Cody Anderson, Jason Carroll e Neal Maddox.

Na West, concorre pelo lado feminino a amazona loira (do filme Mulher-Maravilha) Brooke Ence, 14ª dos Games em 2015, ano em que fez sua estreia. Em 2016 e 2017, ela não conseguiu a classificação, então deve vir com tudo neste ano, após ficar em 77ª no Open.

Ence encara a experiência de Chyna Cho, campeã da California Regional do ano passado, que busca sua quinta participação nos Games; de Alessandra Pichelli, 11ª colocada nos Games 2017 e 3ª da California ano passado (se passar, será seu sétimo Games) e de Rebecca Voigt, 37, veterana que não se classificou no ano passado.