Busca

00:32 · 24.05.2018 / atualizado às 00:33 · 24.05.2018 por

Vai ter Latin America Regional sim! A informação foi confirmada na noite desta quarta-feira (23), pelo liaison da CrossFit HQ no Brasil, Ricardinho Prudente. Ele atua como elo entre o quartel-general da empresa e toda a comunidade brasileira, cuidando das mídias sociais, do Departamento de Afiliação e do Departamento Legal.

“Os meios de comunicação locais informaram incorretamente que o evento foi cancelado devido a uma greve de transporte em andamento. A greve causou problemas em todo o país. Embora a chegada de alguns equipamentos tenha sido adiada, não há planos para cancelar ou adiar a competição”, informou por meio de sua conta no Instagram.

A mesma mensagem foi publicada no site oficial dos CrossFit Games, em versões em inglês e português. “Nossas equipes têm planos de contingência para lidar com muitas situações, incluindo atrasos ou falta de equipamento”, esclarece Justin Bergh, gerente geral da CrossFit Games.

“Apesar dos desafios locais, estamos animados para começar a competição na sexta-feira e coroar os Fittest Man, Woman e Team na América Latina, no domingo ”, emenda. A nota oficial finaliza dizendo que vários membros seniores da sede da CrossFit já estão no Rio de Janeiro.

A Regional começa na sexta (25), às 9h.

21:48 · 23.05.2018 / atualizado às 21:48 · 23.05.2018 por

A Latin America Regional, primeira grande competição de CrossFit no Brasil (depois do lançamento do ‎Open 18.1), pode ser prejudicada pela greve de caminhoneiros que bloqueia as estradas de acesso ao Rio de Janeiro, cidade do evento, conforme informações do Globo Esporte (GE).

Segundo a organização, a montagem da estrutura de barras e argolas, por exemplo, deveria ter começado na última segunda-feira, mas cinco contêineres vindos dos Estados Unidos e dois caminhões lotados de produtos e equipamentos estão parados entre Santos e o Rio. A competição está prevista para este fim de semana, no Parque Olímpico.

O GE também explicou que os hotéis nos arredores da arena, na Zona Oeste da Cidade Maravilhosa, já estão lotados, e cerca de 8 mil ingressos já foram vendidos para os três dias de disputa.

Com o atraso, os organizadores receiam que os americanos não compreendam os problemas e desconsiderem o Brasil do circuito mundial de CrossFit. Atualmente, há um contrato com a marca fechando três anos de eventos no País.

14:24 · 23.05.2018 / atualizado às 14:24 · 23.05.2018 por
O time foi o primeiro do Nordeste a se classificar para uma Regional dos Games. (Foto: Shot4Time)

O Ceará e o Nordeste estarão bem representados na Latin America Regional, que ocorre neste fim de semana, na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro: Éder Costa e Antonio Reginaldo Silva competirão pelo lado masculino, e o Time Gurkha entra na disputa por equipes.

Reginaldo, 33 anos, comanda a Crossfit R2, em Fortaleza, e terminou o Open deste ano em 3º lugar no Brasil e 12º na América do Sul, ficando à frente, inclusive, do tricampeão brasileiro Anderon Primo.

“Há muito tempo eu busco essa classificação para essa competição e graças a Deus este ano eu fui felizardo. Eu vejo meu ídolos competirem lá e agora eu vou participar. É um passo de cada vez e estamos evoluindo a cada dia”, destacou o atleta em entrevista ao caderno Jogada.

Já Éder é headcoach da Crossfit Gurkha e finalizou o Open em 5º no Brasil e 19º na América do Sul. No currículo, ele também ostenta o 4º lugar no Torneio Crossfit Brasil (TCB) do ano passado.

Na disputa por equipes, teremos mais quatro atletas do Team Gurkha: Matheus Caetano, Diego Palomares, Karol Paiva e Cristiani Ferreira enfrentarão a pesada Worm, que, neste ano, pesa 162kg. Na classificação, eles contaram ainda com a participação do atleta Jorge Pontes. 

Depois de ficarem em 15º no Open 2018, na América do Sul, eles integram o primeiro time do Nordeste a se classificar para uma Regional dos Games. Preparo não falta: os treinos duravam até quatro horas por dia, divididos em duas sessões. Pra cima!

14:02 · 23.05.2018 / atualizado às 14:02 · 23.05.2018 por

Depois da Triplet Edition, disputada no dia 5 de maio, a Crossfit Babu anunciou, ontem (22), mais uma edição do Babu Games. O evento será realizado entre os dias 24 e 26 de agosto, no estacionamento do shopping RioMar Fortaleza, no bairro Papicu.

O formato será, novamente, por trios, mas com uma mudança. serão dois homens e uma mulher por equipe. Além disso, foi divulgada a criação de uma categoria Master individual para atletas 35+.

O evento para Masters deve acontecer apenas na sexta (24). Já o sábado e o domingo serão de muito suor para os trios. Detalhes sobre inscrições e provas devem ser divulgados nas próximas semanas.

Saúde

A competição fará parte da programação do Festival Costume Saudável, que vai contar com mais de 200 atividades entre aulas em academias, palestras, apresentações culturais e oficinas culinárias, dentre outras. Ano passado, quase 50 mil pessoas circularam nos três dias de evento.

Atualmente, o Festival é o maior evento de hábitos saudáveis do Norte Nordeste e tem como objetivo divulgar novos hábitos alimentares, a prática de atividades físicas que promovem o bem estar e a adoção de um estilo de vida saudável.

00:28 · 23.05.2018 / atualizado às 00:30 · 23.05.2018 por
Sweeney e Alvarez superaram outros 39 atletas. (Fotos: CrossFit Games/Reprodução)

Carismático e notadamente favorito do público em Salt Lake City, Sean Sweeney, 26 anos, conhecido como “cowboy do Crossfit” por sempre competir com um chapéu de couro na cabeça, venceu a South Regional 2018 depois de ficar na primeira colocação em dois eventos. Os fãs, inclusive, usaram máscaras com o rosto do atleta.

Foi uma volta por cima, já que, em 2017, o ex-marinheiro se frustrou ao ficar em 6º lugar, a uma posição da qualificação. Um susto, neste ano, ainda precisou ser superado: uma lesão no quadríceps fez seu técnico reforçar o trabalho na força dos membros inferiores, nos últimos meses. Deu certo.

O segundo passe para os Games ficou com Rogelio “Roy”Gamboa, 31, que se classificou para seu segundo Games, depois de ter ficado fora do circuito em 2017. Em 2016, ele foi campeão da South Regional. Roy foi seguido pelo terceiro lugar de Brandon Luckett, 23, estreante nos Crossfit Games.

O destaque da região nos últimos anos, Logan Collins, 26 anos, 11º nos Games 2017, não conseguiu manter seu título de campeão da South do ano passado, mas garantiu a qualificação ao ficar em quarto lugar.

O pódio foi completado pelo grandalhão barbudo Jared Enderton, 29, outro rookie na competição. Força ele tem: ex-wrestler e ex-strongman, foi levantador de peso olímpico entre 2010 e 2015, ano em que passou a se dedicar full time ao Crossfit.

Veterana

No lado feminino, a disputa acirrada, já que nenhuma das top 5 venceu nenhuma prova, sagrou campeã de 2018 a experiente Margaux Alvarez, 33, que ficou em terceiro na South 2017 e terminou os Games do ano passado em 24º. Esta é sua sexta qualificação consecutiva para a maior competição do esporte.

A canadense Camille Leblanc-Bazinet, 29, repetiu o feito de 2017 e ficou na segunda posição da região, carimbando sua oitava passagem para os Games, os quais venceu em 2014. Ela foi seguida por Brista Mayfield, 30, ex-ginasta que conseguiu sua primeira qualificação após competir nos regionais pela sexta vez.

Tennil Beuerlein, 6ª colocada nos Games 2017, caiu da primeira colocação da South, no ano passado, para a quarta posição, neste ano. É sua terceira qualificação para os Games.

Mais jovem entre as classificadas, Bethany Shadburne se qualificou aos 24 anos, um bom resultado para quem começou no Crossfit em 2015, após oito anos de passagem pela ginástica, três pelo bodybuilding e mais alguns pelo thriatlon e maratonas. Antes, seu melhor resultado era a 20ª colocação mundial no Open 2017.

Times

A disputa por equipes foi dominada pelo time Don’t Stop, que arrastou primeiros lugares em quatro provas e garantiu a vitória com 572/600 pontos. Em seguida, respectivamente, vieram os times Salt Lake City CF Black (476), Salt Lake City CF Gold (466), Lone Star Crossfit (460) e Crossfit Omnia (440).

00:19 · 23.05.2018 / atualizado às 00:19 · 23.05.2018 por
                    Katrin venceu cinco das seis provas; Vellner, uma. (Fotos: CrossFit Games)

O Times Union Center, em Albany, Nova York, foi palco das performances absolutamente dominantes da islandesa Katrin Tanja Davidsdottir, Fittest Woman On Earth em 2015 e 2016, e do canadense Patrick Vellner, terceiro colocado nos dois últimos Games, na conquista do título de campeões 2018 da East Regional.

Davidsdottir arrastou nada menos que cinco das seis provas, superando as 38 adversárias e acumulando 588 dos 600 pontos possíveis no campeonato. Esta foi sua sexta qualificação para os Crossfit Games, e ela vem com muita sede ao pote na tentativa do tricampeonato.

Carol-Ann Reason-Thibault, que tirou de Katrin o título de campeã regional no ano passado, ficou em terceiro neste ano, carimbando sua quarta qualificação. É o mesmo número de passes de Kari Pearce, segunda colocada deste ano depois do 3º lugar na East de 2017.

O pódio ficou completo com o 4º lugar e a quinta qualificação da ex-ginasta americana Dani Horan, 29, e a primeira qualificação individual da canadense Chloe Gauvin-David, 26. Ao receber a notícia, ela se jogou ao chão, não acreditando no resultado.

Cerveja

“Vou pegar uma cerveja assim que eu puder”, disse Patrick Vellner após ser laureado campeão da East e ter seu passaporte carimbado para Madison 2018. Esta foi sua terceira qualificação individual, depois de ter competido pelo time Crossfit Plateau 2, em 2015.

O “T-Rex” Tim Paulson conquistou o segundo lugar da East Regional e sua segunda qualificação para os Games. Ele foi 3º da East em 2017 e 9º do Open de 2018. Em terceiro, ficou o bigodudo Craig Kenney, que participará dos Games pela segunda vez.

A quarta e a quinta colocação ficaram para dois novatos, ou rookies, como se diz em inglês. Alexander Caron, 22, 6º mundial do Open 2018, e o americano Marquan Jones, 28, desbancaram nomes como Alex Vigneault, 2º lugar mundial no Open deste ano – sim, atrás apenas do bicampeão Mathew Fraser.

Suspeita

No Instagram, Vigneault explicou que, na última semana de preparação e no Triple 3, primeiro evento da Regional, notou que havia algo errado. “No começo, pensei que era um mau desempenho, mas aconteceu novamente nos próximos eventos”, explicou. Após o evento 4, ele realizou um exame de sangue para descartar a rabdomiólise.

“Acabei tendo uma desidratação grave, juntamente com sintomas de bronquite”, disse. Embora tenha percebido que estava fora da qualificação para os jogos, ele tomou a decisão de terminar a regional, finalizando o campeonato na 25ª posição. Melhoras, Alex!

Times

Na disputa por times, classificaram-se os atletas americanos da Invictus Boston (1º), Reebok Crosffit One (2º) e Fiternity Gym (4º), bem como os canadenses da Eastwood Bridge (3º) e da Pro1 Montreal (5º).

00:07 · 23.05.2018 / atualizado às 00:09 · 23.05.2018 por
         Thorisdottir e Khrennikov conquistaram a Europe Regional. (Fotos: CrossFit Games)

Com nove qualificações para os Crossfit Games, a islandesa Annie Thorisdottir, 28 anos, se tornou a atleta com mais passes para a competição na história. Ela fez sua primeira aparição em 2009, ficando “apenas” em 11º lugar. Já em 2010, ela retornou conquistando a segunda colocação, e, nos dois anos seguintes, se tornou a Fittest Woman On Earth.

Neste final de semana, Annie conquistou mais um título: a de campeã da Europe Regional 2018 na categoria feminina, depois de ter finalizado o Open deste ano no 5º lugar mundial. A vice foi Laura Horvath, de apenas 21 anos, que conseguiu sua primeira qualificação e também fez história ao se tornar a primeira atleta da Hungria a ir para os Games. Ela ficou apenas quatro pontos atrás de Annie.

Outra Dottir, Ragnheidur Sara Sigmundsdottir, também conseguiu uma vaga em seu quarto Games, de onde já arrancou dois terceiros lugares em 2015 e 2016 e o 4ª em 2017. Ela ficou em terceiro lugar na região depois de finalizar dois eventos em primeiro lugar.

Em quarto, tivemos a norueguesa Kristin Holte, campeã da Meridian Regional de 2017 e 7ª nos Games do ano passado. Este será seu quinto Games, e o segundo da sueca Camilla Salomonsson Hellman, que pegou a quinta e última vaga da Europa. Foi sua primeira qualificação individual, uma vez que já competiu pelo time Crossfit Nordic, em 2016.

A polonesa Gabriela Migala quase chegou lá, ficando em sexto lugar. Com apenas 19 anos, ela chamou atenção do público ainda na sexta, quando desbancou as atletas favoritas e assumiu a liderança do exaustivo Evento 1. Com mais experiência, ela deve dar trabalho nos próximos anos.

P.S.: Uma adversária em potencial das atletas ficou fora do circuito regional desse ano. A veterana britânica Samantha Briggs, 36, Fittest Woman on Earth em 2013, lesionou o cotovelo em abril e só competirá na categoria Master. No entanto, ela comentou parte das provas do final de semana, matando a saudade da arena.

Recuperação

Na disputa masculina, o islandês Björgvin Karl Gudmundsson, o BKG – 5º nos Games do ano passado -, até tentou defender seu bicampeonato da região, conquistado em 2016 e 2017, mas finalizou a Europe 2018 com a quinta colocação; não foi o esperado, mas o suficiente para garantir sua quinta qualificação para os Games.

O motivo? Uma velha lesão no joelho o atrapalhou ainda na sexta, colocando-o nos péssimos 13º e 23º lugares, nas duas primeiras provas. Ele contou que nem sabia se competiria no sábado, mas dois osteopatas londrinos o ajudaram a dar a volta por cima. “Vou fazer outra checagem quando voltar para casa, mas não é nada sério. Ficará tudo bem para os Games”, garantiu.

Quem roubou a cena na região foi a Rússia, com duas qualificações inéditas. Roman Khrennikov, 23 anos, subiu no topo do pódio depois de ficar quatro vezes no top 5 dos eventos. Nada mal para quem terminou o Open 2018 no 134º lugar mundial. “Disciplina faz a diferença”, resumiu após sua primeira qualificação para os Games.

Reviravolta

O outro soviético classificado foi Andrey Ganin, 34, 1º lugar do Open na Rússia, nos últimos três anos, e também qualificado pela primeira vez. O pódio ficou completo com o segundo lugar e a segunda qualificação do suíço Adrian Mundwiler, e do terceiro lugar e da quarta qualificação do sueco Lukas Högberg, 1º lugar do Open 2018 na Suécia e 6º na Meridian Regional de 2017.

Högberg ficou de fora dos Games do ano passado por pouco, superado por apenas dois pontos pelo atleta Frederik Aegidius, 30, namorado de Annie Thorisdottir. Neste ano, provando que tudo pode mudar no esporte, foi Aegidius quem ficou na sexta colocação e, portanto, fora dos Games.

Times

Uma sopa de países europeus se classificou para os Games 2018 na disputa por times: dois noruegueses, Maxpuls Spartans (1º) e Team RXperformance (3º); um holandês, Vondelgym (2º); um sueco, Crossfit Fabriken (4º), e um dinamarquês, o Butcher’s Lab (5º).

18:46 · 22.05.2018 / atualizado às 18:46 · 22.05.2018 por
Os atletas competem em nove regionais ao redor do mundo. (Foto: CrossFit Games)

É isso aí: no próximo final de semana, uma segunda leva de atletas começa a segunda etapa na corrida para definir quem são o homem, a mulher e o time mais bem condicionados do mundo. Depois das cinco longas semanas do Open, os campeonatos regionais são mais “curtos”, com wods intensos durante três dias.

Com as regionais Europe, East e South concluídas, já foram definidas 15 vagas masculinas, 15 vagas femininas e 15 por times. Faltam 25 de cada. Ao final das seis regionais restantes, avançam mais cinco representantes de cada categoria das regionais Central, West, Atlantic e Pacific; quatro da Meridian e, infelizmente, apenas um da Latin America, na qual os atletas do Brasil concorrem.

Eventos

A partir da sexta e durante o fim de semana, de 25 a 27 de maio, veremos as disputas da Central, com atletas dos estados do miolo americano; da West, que reúne a costa oeste dos EUA mais o oeste do Canadá, e da Latin America, com brasileiros competindo contra outros sul-americanos e representantes da América Central.

Por fim, de 1º a 3 de junho, ocorrem as regionais Atlantic (sudeste dos EUA), Meridian (África e sul da Europa) e Pacific (Ásia e Australásia).