Impressões Mínimas

Categoria: liberdade


11:24 · 30.05.2012 / atualizado às 11:25 · 30.05.2012 por

Diariamente, sábado, domingo, feriado, antes de sair de casa, pego meus instrumentos de trabalho  para enfrentar o dia, seja ele de guerra, seja ele de paz. Na bolsa, idéias e palavras, nada mais.  A Cora Coralina já havia me ensinado isso:

Das Pedras

Ajuntei todas as pedras
que vieram sobre mim.
Levantei uma escada muito alta
e no alto subi.
Teci um tapete floreado
e no sonho me perdi.
Uma estrada,
um leito,
uma casa,
um companheiro.
Tudo de pedra.
Entre pedras
cresceu a minha poesia.
Minha vida…
Quebrando pedras
e plantando flores.
Entre pedras que me esmagavam
Levantei a pedra rude
dos meus versos.”

Pesquisar
Posts Recentes

09h09mTransbordo

10h08mDesistir nunca, render-se jamais

03h07mAprender a leveza pretendida

09h06mVida: borboletas são metáforas

10h06mAprendiz de vida nova

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs