Impressões Mínimas

Categoria: poesia


10:17 · 11.06.2012 / atualizado às 10:32 · 11.06.2012 por

Sabe o que eu queria agora? Seu peito.  Encostar a cabeça, deitá-la para o  lado, ciente do porto amigo a recebê-la. Ter os cabelos afagados em acalanto,  num gesto comum aos amantes que têm em seus companheiros amigos também. São em momentos assim que percebo como  ao ouvir teu coração batendo junto ao meu –  é,  isso acontece  e sempre é bom! -, a dor presente em minha alma se ameniza.  Meu coração volta a sorrir de novo.

20:53 · 18.03.2012 / atualizado às 20:53 · 18.03.2012 por

 

Escuta, eu não quero contar-te o meu desejo
Quero apenas contar-te a minha ternura
Ah se em troca de tanta felicidade que me dás
Eu te pudesse repor
-Eu soubesse repor_
No coração despedaçado
As mais puras alegrias de tua infância!

(Manuel Bandeira)

12:00 · 25.01.2012 / atualizado às 12:00 · 25.01.2012 por
13:43 · 11.01.2012 / atualizado às 13:43 · 11.01.2012 por

 

 

Na vida, o bom senso é sempre benvido para os passos certo. Mas, às vezes, precisa-se demais de um pouco de incoerência para adotar passo trôpego. Cai, não cai, cai, não cai, parece música aos ouvidos de quem não teme, de quem ousa, não desiste e de uma maneira ou de outra, vai. Mesmo diante do risco iminente de cair.

 

Pesquisar
Posts Recentes

09h09mTransbordo

10h08mDesistir nunca, render-se jamais

03h07mAprender a leveza pretendida

09h06mVida: borboletas são metáforas

10h06mAprendiz de vida nova

Ver mais

Tags

Categorias
Blogs