Live From USA

Busca


Seguimos com as cores do outono

Publicado em 27/10/2011 - 8:00 por | 1 Comentário

Eu toda feliz com as árvores coloridas

Acompanhando o post da Karol sobre o outono, venho postar mais imagens dessa linda estação. Esse é meu primeiro outono nos Estados Unidos e estou admirada com tanta beleza.

Aqui, na região de Washington, D.C., as cores estão mudando aos poucos. Segundo o que me falam, ainda faltam uns dias para a  estação chegar ao seu auge, que, como disse a Karol, é bem rápido.

Em Washington, as cores podem ser bem vistas nos parques da cidade e nos bairros residenciais. Ao redor da minha casa, as árvores já estão todas mudando de cor. E no centro de DC, os pontos turísticos já ganharam nova cara, com os amarelos e laranjas das folhas.  O que não gosto é do frio, que já começa a incomodar.

Como ainda falta um pouco para que esteja tudo com as cores do outono, devo voltar em breve com mais fotos dessa bela estação. Isso é só uma prévia!

Abaixo, fotos do Capitólio, em Washington, que já está com a paisagem modificada pela estação:



Fotos: Arquivo pessoal

Tags: , , , , ,

As cores do outono!

Publicado em 26/10/2011 - 10:02 por | 2 Comentários

Neste blog, estamos sempre falando das estações do ano, mostrando as diferenças e as nossas impressões sobre as mudanças. Hoje, eu compartilho com vocês um pouco da beleza do outono. Todos os dias, eu acompanho uma linda e gradual transformação ao meu redor. Este é o terceiro ano que vivencio o outono no hemisfério Norte e esta é a minha estação preferida. É no outono que ocorre um dos mais belos espetáculos da natureza.

Diariamente, o verde da vegetação vai sendo substituído por cores vibrantes como o amarelo, o laranja, o vermelho, etc. As plantas que ganham um colorido intenso transformam completamente a paisagem.

Infelizmente, esse lindo espetáculo não dura muito tempo. A vegetação vai perdendo cor e brilho gradualmente, até as folhas caírem.

O outono é também a estação da colheita. Neste período do ano, os dias ficam mais curtos, as noites mais longas e o clima mais frio. Esta é uma estação de transição que antecede o frio e longo inverno. Por isso, enquanto o inverno não chega, eu sigo admirando a paisagem. É impossível ficar indiferente a tanta beleza!

Tags: , , , ,

Jazz no parque agita o verão de D.C.

Publicado em 14/06/2011 - 11:52 por | Comentar

Sculpture Garden, em D.C., lotado nas sextas-feiras de jazz

Já que temos falado bastante do verão por aqui, vou dar uma dica para quem vai passar por Washington D.C. nos próximos meses. É o Jazz in the Garden, evento que ocorrerá toda sexta-feira, no Sculpture Garden, até o dia 9 de setembro, quase final da estação.

Como o próprio nome diz, a programação traz, toda sexta, uma banda de jazz diferente tocando no Jardim das Esculturas de Washington (ver mapa abaixo), sempre das 5 da tarde às 8h30 da noite (que aqui, no verão, é o pôr-do-sol). As pessoas sentam na grama, levam suas comidas e bebidas, ou compram no local, e ficam apreciando um delicioso jazz.

Veja programação completa

Tenho ido toda sexta-feira e estou adorando. É um clima muito gostoso, como tenho sentido que será durante todo o verão, apesar do enorme calor que faz por aqui. O local fica um pouco cheio, mas, no final, todo mundo se aperta e ninguém fica sem seu lugar na grama.

Americanos fazem uma bela festa durante o verão

Muito calor! Quem chega mais cedo, fica ao redor do lago artificial

Ouvir o jazz da grama também é uma delícia

A banda Deanna Bogart tocou na última sexta (10)

Banda brasileira e chuvas

Na abertura do festival, olhem só, tocou a banda Origem, jazz brasileiro. No entanto, como fiquei sabendo quase na hora de começar a apresentação, cheguei no finalzinho do show, que foi adiantado por conta da tempestade que caiu no local.

Uma observação sobre as tempestades, bem frequentes no verão, é que, segundo o que me disseram, elas gostam de cair especialmente no final das tardes de sexta. No entanto, em três sextas de jazz, ela só encerrou mais cedo a primeira. E nem tão cedo assim, deu para aproveitar bastante.

Bebidas alcoólicas

A sangria é a bebida mais comum nos dias de jazz. Ótima mistura

Para quem gosta, nos dias do Jazz in the Garden, é vendida uma deliciosa sangria no local, carro-chefe da festa, além de outras bebidas. É relevante falar sobre a bebida aqui, pois D.C. Área, como em vários estados dos Estados Unidos, o consumo de bebida alcoólica é bem burocrático.

Não se pode beber em locais abertos, só nos bares ou dentro de casa. Nem mesmo andar na rua com uma garrafa de cerveja, por exemplo, é permitido. Aberta, jamais, e, se fechada, dentro de sacolas. E, para comprar, é obrigatório apresentar sua identidade.

Por isso, me admirei por venderem bebidas no parque durante esse evento. Mas, claro, tem suas restrições. A bebida alcoólica consumida deve ser comprada lá. Na entrada, há guardas verificando as bolsas. Você pode levar comida e até bebidas, desde que não sejam alcoólicas.

Ao final da festa, ninguém pode sair com a bebida que sobrou, por exemplo, ou bebe tudo ou vai ter de jogar fora, infelizmente. No parque, nos dias de jazz, também vendem lanches, refrigerantes e água.

Não perca!

Tirando esses “probleminhas”, seguindo todas as regras, você terá um final de sexta-feira muito agradável no Sculpture Garden. A entrada é gratuita e o local é bem bonito, cheio de gente de todas as idades e muito animado nos dias do jazz. Repito, se passar por Washington, durante o verão não deixe de conferir essa programação!

Clique para ampliar

Serviço

Jazz in the Garden

Onde? Sculpture Garden (Independence Avenue and 7th Street South West)
Quando? Toda sexta-feira até 9 de setembro
Que horas? Das 5 da tarde até 8h30 da noite
Quanto? Grátis!

Tags: , , , , , , , , ,

Diferenças na paisagem

Publicado em 28/04/2011 - 16:24 por | 4 Comentários

A primavera chegou de verdade. Infelizmente, apesar das belas paisagens, pelo que tenho acompanhado, é também tempo de muitas chuvas e tempestades. Estamos com alerta de tornado (tornado watch) desde ontem em D.C. Area, como é chamada a capital americana e sua “região metropolitana”.

No entanto, até agora, para tranquilidade de todos, além de bastante chuva, nada grave aconteceu. Pelo contrário, a chuva aqui deu até uma trégua e consegui tirar uma foto do quintal de casa, que fica ainda mais verde quando molhado.

Aproveito para mostrar a foto de hoje ao lado de uma foto que tirei dois meses atrás, no inverno. Acho muito interessante a mudança na paisagem, por isso coloco aqui outra comparação de fotos da primavera e do inverno.

Quintal da casa onde moro no inverno

... e na primavera

Tags: , , , , , , ,

Cherry Blossom

Publicado em 20/04/2011 - 17:58 por | Comentar

Cerejeiras carregadas de flores em Washington, D.C

Falando em primavera, não poderia deixar de falar do Cherry Blossom, que ocorre em algumas cidades dos Estados Unidos, entre elas, Washington, D.C., que inclusive realiza o Festival Nacional do Cherry Blossom.

Cherry Blossom, na tradução para o português, significa flor de cerejeira. Aqui nos EUA, eles chamam de Cherry Blossom o período em que as flores de cerejeira desabrocham. Essas flores só vivem por mais ou menos duas semanas, depois elas caem e as cerejeiras ganham folhagem normal.

No entanto, esse curto espaço entre o desabrochar e o cair das flores de cerejeira é muito especial. É também como a abertura da primavera, pois elas nascem antes das outras flores e antes do verde das gramas e árvores chegar definitivamente. As flores de cerejeira começam a aparecer no final do mês março e desaparecem no começo de abril.

Macro das flores

Monumento a Washington florido durante o Cherry Blossom

Presente do Japão

Clique para ampliar

A capital americana tem cerca de 5.000 cerejeiras, principalmente concentradas no entorno do lado Tidal Basin e nas proximidades do Monumento a Washington (ver mapa ao lado). As árvores foram um presente do Japão aos Estados Unidos, em 1912, como símbolo da amizade entre os dois países.

E, desde 1935, é realizado o National Cherry Blossom Festival, que todos os anos atrai milhares de turistas à cidade. Além da beleza da florada das cerejeiras, durante o Cherry Blossom, você encontra uma programação especial, baseada na cultura japonesa, como forma de agradecer pelo presente.

Atrações do festival

São cerca de duas semanas com atrações musicais e oficinas de arte gratuitas, competições (como o concurso nacional de pipas), feira de comidas e produtos japoneses, além da tradicional Cherry Blossom Parade (típica parada americana).

Além disso, apesar de estar ainda um pouco frio durante o Cherry Blossom, as pessoas fazem piquenique à beira do Tidal Bassin, curtem os pedalinhos do lago, passeiam de bicicleta entre as árvores. É mesmo uma festa. Num final de semana de tempo bom, você pode encontrar as áreas com cerejeiras todas lotadas.

Disseram-me que a cidade ficava um caos nos principais dias de festival, mas não vi isso. Imagino que o clima tenha deixado muitas pessoas, que já são “acostumadas” com as cerejeiras, em casa. Eu, que nunca tinha visto nada parecido, passei uma semana toda indo ao lago ver as flores.

Um outro detalhe curioso é o cuidado com essas árvores. O governo, inclusive, monitora a florada, dando previsões do pico do desabrochar das flores. Realmente, elas merecem toda atenção, pois são responsáveis por um espetáculo indescritível. Todas as fotos que eu possa postar aqui não conseguirão mostrar a real beleza do conjunto dessas árvores carregadas de delicadas flores.

Mais algumas fotos:


Tags: , , , , , ,

Temporada de Tornados

Publicado em 20/04/2011 - 17:40 por | 2 Comentários

Categorias: Clima, Estações do ano

 

Essa foto do site da ABC News mostra o rastro de destruição deixado por tornados no Arkansas.

A primavera chegou e os tornados também. A temporada de ventos fortes e tempestades já fez muitos estragos por aqui. Vocês devem ter visto no noticiário brasileiro. Desde a semana passada, os tornados estão destruindo cidades no sudeste dos Estados Unidos. Dezenas de pessoas já morreram. Essa já vem sendo considerada pelo governo americano como a temporada de tornados mais violenta das últimas décadas.

Viver essa experiência de perto tem sido um horror! O tempo fecha e o céu fica com uma cor tão escura que dá arrepios. O vento balança os galhos das árvores como se eles fossem de papelão. O telhado das casas e apartamentos levanta. Bem, a maioria é presa, acho eu, que para evitar danos maiores. Os raios e trovões fazem as paredes do meu apartamento tremer. E dirigir? Nossa, a primeira vez que peguei uma tempestade dessas na estrada, pensei que fosse causar um acidente. O vento balançava tanto o meu carro que por pouco não perdi o controle! Olhe, e tudo isso, é só uma tempestade forte porque tornado mesmo, ainda não passou pela minha cidade (e eu espero que não passe).

Eu me assusto só de ver os alertas na televisão. Quando há ameaça de tornados, um sinal sonoro e tarjas com avisos e informações gerais são inseridoss na tela da TV para que o telespectador acompanhe o que está acontecendo. Dependendo do caso, a programação pode ser interrompida por completo para que meteorologistas possam explicar a região por onde o tornado está passando, a velocidade dos ventos, o que as pessoas devem fazer, para onde ir, etc. Imaginem como é ouvir: “Agora o tornado está passando aqui do lado, em dez minutos ele chega a sua cidade, vá para um lugar seguro!”.

Bem, quem mora em casa com basement (porão), deve ir para o basement, mas e quem mora em um apartamento no terceiro andar, como eu? São várias as medidas de segurança para evitar o pior, mas nenhuma de fato, é 100% segura.  Por mais que as cidades e os moradores se preparem, a força da natureza, nós sabemos, é imprevisível.

Tags: , , , ,

Do inverno para a primavera

Publicado em 20/04/2011 - 2:36 por | Comentar

Sempre tive curiosidade e muita vontade de vivenciar cada estação do ano bem marcada, característica, como é aqui. Cheguei na terra do Tio Sam  na segunda metade do inverno e ainda peguei bastante frio. Apesar de me falarem que o pior havia passado, eu achei muitíssimo frio. Cheguei a pegar -4C, não é fácil, principalmente se você sempre viveu no calor do Ceará.

Houve dias em que eu não tive condições de sair de casa. Acostumada  a andar sempre de roupas leve em Fortaleza, só com o fato de colocar quilos de roupas (calca, meia-calça, blusa, blusa e outra blusa, casaco, luva, protetor de orelha), eu já desanimava. No entanto, mesmo com esses contratempos, deu para sair bastante e ver a paisagem do inverno. Que achei bem triste, árvores sem folhas, tudo cinza, até as pessoas.

O que é lindo no inverno é a neve. Estava aqui na última vez que nevou nesse ano em D.C., no final de fevereiro. E aí sim, fica tudo lindo. Como não nevou tanto, então não teve caos, nada parou, como já aconteceu outras vezes. Apenas a beleza da brancura de tudo.

Abaixo, fotos da rua onde moro no inverno, com neve, e no começo da primavera.

Beleza

Agora, já estamos na primavera. Essa estação se iniciou oficialmente no último dia 21 de março, mas começou a mostrar  sua cara há apenas uns 10 dias. E eu já posso dizer que é coisa mais linda.Tudo começa a viver de novo. Em todo lugar vemos flores desabrochando, as pessoas falam mais, mais crianças andam pelas ruas.

Olhando do quintal da casa onde moro, que é rodeada de muito verde, tem passarinhos voando, esquilos correndo, parece até um filme da Disney, como costumo brincar.

Em D.C., além das flores e das árvores nos parques, os canteiros das ruas ganham flores, os estabelecimentos privados também colocam flores nas suas entradas. A cidade ganha um clima de beleza e alegria. O clima é ameno, um frio gostoso, um calor bem de leve nos dias de sol, mas bastante chuva sempre. É o que pude ver até agora.

Aguardem, pois vou mantê-los informados sobre essa primavera linda que estou vivendo na capital americana.

Tags: , , , ,


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999