Autor: Daniel Praciano


09:10 · 11.04.2019 / atualizado às 09:54 · 11.04.2019 por

A Samsung apresentou o novo Galaxy A80, considerado um intermediário premium. O preço do aparelho não foi revelado, mas sabe-se que ele chega em junho ao Brasil. O Galaxy A80 oferece inovações como uma câmera rotativa e uma bateria que promete ser mais inteligente. O Galaxy A80 está disponível globalmente em três cores: Rosê, Prata e Preto. Os aparelhos virão com 8 GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno. Ele já vem com o mais novo processador Qualcomm, o Snapdragon 730, chipset octa core (dual 2.0GHz + Hexa 1.8GHz) e sem suporte para cartão de microSD. Também tem leitor de digitais sob o display. Vem com Android 9 Pie como sistema operacional.

>>>Confira os preços de toda a linha A da Samsung

Câmera rotativa

Criado com a primeira câmera rotativa da Samsung, o Galaxy A80 traz 3 câmeras que são ativadas automaticamente na parte de trás do telefone quando os usuários iniciam o aplicativo da câmera. O mecanismo da câmera gira quando os usuários selecionam o modo selfie.

Essa câmera adaptável promete uma experiência intuitiva com a mesma lente de alta resolução, dianteira e traseira, para que o consumidor nunca precise sacrificar a qualidade. Com a câmera principal de 48MP, os usuários podem agora gravar imagens seja de dia ou de noite. A Câmera de Profundidade 3D do Galaxy A80 proporciona cenário não apenas para fotos, mas também vídeos, escaneando objetos para medição e profundidade. Além disso, a lente UltraWide oferece o mesmo ângulo de visão do olho humano, garante a Samsung.

O modo de vídeo Super Estável (Super Steady) promete ajudar o usuário a capturar conteúdo com facilidade, reduzindo o tremido para garantir vídeos de ação suaves e de nível profissional. Isso, sinceramente, só vendo para acreditar, visto que até a GoPro 7, que tem experiência nisso, não oferta uma qualidade impressionante, mas algo muito bom. E com outros recursos inteligentes de câmera, como o Otimizador de Cena, que promete reconhecer e melhorar até 30 cenas, e a Detecção de Falhas, que identifica automaticamente as falhas antes de clicar, o consumidor nunca perderá a foto perfeita.

Display Infinito

Graças à câmera rotativa, os usuários podem ter uma visão desimpedida com o novo Display Infinito da Samsung. A tela do A80 é FHD+ Super AMOLED de 6,7 polegadas. O aparelho vem com sistema Dolby Atmos.

Bateria

Uma dos maiores desejos dos usuários, a bateria do A80 promete deixá-lo durante o dia de uso sem dor de cabeça. São 3.700mAh do Galaxy A80 e seu recurso de carregamento super-rápido de 25W. O Galaxy A80 também possui uma bateria inteligente que promete aprender a rotina diária e seus padrões de uso de aplicativos para otimizar o consumo de energia do telefone. O Modo de Economia de Energia Adaptável dá aos usuários a segurança de saber que a bateria inteligente está funcionando com mais eficiência para o melhor desempenho necessário.

08:32 · 11.04.2019 / atualizado às 08:32 · 11.04.2019 por

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o 5G demandará altos investimentos em infraestrutura, tanto no núcleo da rede, quanto no acesso. Por ser prestado por meio de faixas de frequência mais altas (acima de 3GHz), será necessária uma quantidade muito maior de antenas de telefonia móvel para dar suporte ao 5G, quando comparado às redes 3G e 4G, além de um investimento massivo em redes fixas de fibra óptica para escoamento do tráfego das redes 5G. “Estima-se que os investimentos no setor de telecomunicações brasileiro na próxima década será da ordem de R$ 40 bilhões, sendo 40% desse montante destinado à redes de banda larga móvel (3G/4G/5G)”, informa a Agência.

A Anatel reforça que o 5G demandará um número muito maior de estações radiobase, principalmente em ondas milimétricas (frequências acima de 24 GHz), que deverão ser conectadas prioritariamente via fibra óptica, em uma rede definida por software (SDN), que poderá sofrer ajustes dinâmicos a fim de otimizar os recursos de rede conforme a demanda, inclusive permitindo criar camadas de redes (network slicing) otimizadas por aplicação.

Com relação a preço, isso ainda não está definido: se será mais cara ou barata que o 4G, por exemplo. Porém, acredito que o custo, ao menos no começo será elevado. Afinal, as empresas terão que fazer altos investimentos como salientou a Anatel e isso, por certo, será repassado aos clientes. A Anatel não confirma ou desmente essa teoria. A Agência afirma apenas que possui metodologia própria de cálculo do preço mínimo em editais de radiofrequência, fruto de anos de debates internos, benchmarks internacionais, análises e estudos com empresas de consultoria e também com o Tribunal de Contas da União (TCU). “Os detalhes dessa metodologia serão, pela primeira vez, incluídos em anexo à consulta pública do Edital, a fim de conferir oportunidade para que a sociedade e os agentes setoriais contribuam com o seu aperfeiçoamento em consulta pública. Após essa consulta, o cálculo do Preço Mínimo será concluído, discutido com o TCU e então publicado juntamente com o Edital”. Desta forma, ainda teremos o preço mínimo para o leilão e não o valor final para o consumidor, que é o que vai nos afetar em última instância.

Por falar em edital, a Anatel está preparando o próximo Edital de Licitação, que ainda será aprovado pelo Conselho Diretor. Com relação que faixa de frequência será usada para o serviço 5G, a Anatel explica que qualquer faixa  poderá ser utilizado pelo 5G e evoluções, todavia, as faixas pioneiras serão as de 3,5 GHz e de 26 GHz. “Ambas farão parte da próxima licitação. Adicionalmente, outras faixas farão parte da licitação, a saber, 700 MHz e 2,3 GHz”. A Agência informa ainda que a licitação está prevista para março de 2020 e a operação comercial poderá iniciar a partir da assinatura dos Termos de Autorização.

O que representa o 5G?

O 5G será as redes das redes, garante a Anatel. Isto significa que qualquer outra rede poderia ser substituída por uma infraestrutura 5G. As 3 verticais principais do 5G são a banda larga móvel otimizada (eMBB); as comunicações massivas máquina-máquina (mMTC) e as comunicações de baixa latência e alta confiabilidade (uRLLC). A partir dessas verticais uma infinidade de novos serviços e aplicações poderá ser oferecida – como carro conectado, smart city, IoT, missão crítica, cloud computing etc.

Ainda de acordo com a Agência, o 5G fornecerá uma infraestrutura na qual diversas aplicações poderão ser implementadas, como a telemedicina e carros conectados. Outras aplicações esperadas incluem IoT, realidade virtual, realidade aumentada, cloud computing e uma série de outras possibilidades.

Esperamos que todos nós possamos participar dessa revolução. Para isso, os preços deverão ser convidativos e não uma exploração. Vamos aguardar!

18:02 · 07.04.2019 / atualizado às 18:04 · 07.04.2019 por

Não é de hoje que os desenvolvedores do aplicativo WhatsApp tentam uma forma de reduzir ou acabar com os redirecionamentos em massa através do app. Segundo o WABetaInfo, isso pode estar perto do fim.

O WABetaInfo diz que as mensagens reenviadas pelo menos 5 vezes serão classificadas como “encaminhadas com frequência”. A novidade já estaria em testes tanto para smarpthones Android quanto iOS.

Até aí nada demais, pois quem faz estas mensagens encaminhadas infinitas não liga para isso. A questão é que os desenvolvedores do WhatsApp querem dar aos administradores de grupo a oportunidade de barrar estas mensagens. Dependerá deles a palavra final.

Isso será muito bom, pois quem encaminha tudo é, geralmente, preguiçoso. Para evitar o cancelamento das mensagens teria que copiá-la e escrevê-la novamente. Dificilmente irá fazer isso com todas as mensagens.

Não sabemos quando a novidade chegará, pois a última, de você escolher entrar ou não em grupos, até agora não foi liberada de verdade para todos os usuários.

Eu, particularmente, acredito que essas medidas são saudáveis, mas duvido muito que pegue. Afinal, quem quer dar golpe ou espalhar mentira vive disso e vai se esforçar para seguir agindo assim.

08:36 · 05.04.2019 / atualizado às 12:42 · 05.04.2019 por

E a sul-coreana Samsung foi a segunda do mundo a comercializar um smartphone para a internet 5G. A empresa lançou, nesta sexta-feira, 5, as vendas do Galaxy S10 5G. Isso, pois o país sede da empresa saiu, ontem, 4, com a estreia da cobertura nacional desta tecnologia. O modelo mais básico do S10 5G custará 1,39 milhão de wons ou US$ 1.230. O primeiro smartphone 5G foi o Moto Snap 5G, lançado dia 14 de março nos EUA e que tem como parceiro a telecom Verizon, em solo norte-americano que foi começou, horas depois das teles sul-coreanas, a comercializar o 5G (apenas nas cidades de Chicago e Minneapolis).

A Coreia do Sul, um dos países mais conectados do mundo, pretende mostrar aos demais a qualidade do serviço 5G, tecnologia que apostam irá revolucionar o setor. Neste país da Ásia, 3 operadoras (SK Telecom, KT e LG Uplus) oferecem o serviço 5G, por enquanto.

A Coreia antecipou em dois dias o lançamento da rede para vencer a disputa com outros gigantes: Estados Unidos, China e Japão.

Desta forma, a Verizon, dos EUA, que pretendia ser a primeira, ficou para trás. Mesmo a empresa norte-americana tendo antecipado o lançamento da rede dela para hoje. Porém, nos EUA, apenas Chicago e Minneapolis estão prontas.

5G

O 5G tem a promessa de trazer velocidade de 20 vezes mais rápida que o atual 4G. Isso seria suficiente para, por exemplo, baixar um filme completo em questão de segundos.

Não há data certa para a chegada do 5G ao Brasil. A melhor previsão é para meados de 2020.

Com informações da AFP

14:15 · 04.04.2019 / atualizado às 14:18 · 04.04.2019 por

A TCL mostrou em Fortaleza, nesta quinta-feira, 4, em um hotel na Beira-Mar, uma linha de novos produtos para este ano. O que mais nos chamou a atenção foram as TVs que trazem o sistema operacional Android O, do Google, o que torna o carregamento dos aplicativos mais fluídos que, por exemplo, em modelos Samsung que testei. Além disso, as TVs trazem embarcada a Assistente do Google (versão em português) que facilita, inclusive, se você quiser fazer pesquisas sobre personalidades como Neymar ou até mesmo uma conta de multiplicação.

Desde o produto mais barato da marca, por R$ 1.299, até o mais caro, por R$ 5.799, a Inteligência Artificial é uma promessa que os testes que nos foram mostrados hoje provaram ser real. Além disso, as TVs chegam com controle remoto que funciona como microfone em contato direto com a TV. Você faz a demanda, por exemplo, para assistir Narcos na Netflix e, rapidamente, a TV entende e reproduz o seriado. Sem dúvida muito melhor que sair digitando o nome da série naqueles controles de TV, não é mesmo?

Apps

Através da Assistente do Google e do sistema Android, o usuário poderá baixar de apps até jogos diretamente da Google Play, o que facilita e até amplia a experiência. Além disso, como há a função integrada do Chromecast, isso permite que os usuários transmitam seus vídeos, jogos e aplicativos favoritos de seus dispositivos móveis, em alta qualidade, para suas TVs.

Disponibilidade e preços

A série S6500 está disponível desde março nos tamanhos de tela 32”, 40”, 43”, com resolução em HD para o modelo de 32”, e Full HD para os tamanhos de tela de 40” e 43”. O aparelho será vendido com preços sugeridos de R$ 1.299; R$ 1.699 e R$ 1.899, respectivamente.

A série C6 da TCL possui tecnologia 4k, soundbar integrado Harman Kardon, além de todos os recursos de inteligência artificial como controle remoto com comando de voz com Google Assistant em português, também presente na linha S6500 de TVs Full HD.

O aparelho possui design que chama atenção por não possuir bordas e ter a espessura de um smartphone. A C6 já está disponível em telas de 55” e 65” com custo de R$ 3.899 e R$ 5.799, respectivamente.

07:58 · 03.04.2019 / atualizado às 08:44 · 03.04.2019 por

Depois que os aviões da Boeing caíram na Indonésia, ano passado, e este ano na Etiópia, matando 346 pessoas (entre tripulantes e passageiros), os 737 Max da companhia entraram no centro de uma polêmica. Especialmente o sistema Maneuvering Characteristics Augmentation System (MCAS), que é um sistema de segurança automático que realiza correções em caso de violação de determinados parâmetros em manobras de mudança de altitude e direção e vem embarcado nele como principal novidade. Muitos o apontam como responsável pelas quedas. Tudo isso ainda está em análise para decidir se as duas quedas estão ligadas realmente a esse sistema.

>>>Boeing atualiza software e manuais do 737 Max que era usado pela Gol para voar para Orlando e Miami

No dia 27 de março, tudo indicava que essa história estava próxima de um fim, pois a Boeing tinha revelado que havia chegado a alterações que considerava suficientes para tudo voltar ao normal. Porém, nesta segunda-feira, 1 de abril, a Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês) resolveu jogar duro. Indicou que quer que a Boeing reveja as modificações feitas no sistema MCAS. Segundo reporta a AFP, nesta quarta, 3, a “FAA não vai aprovar o programa (…) enquanto a agência não estiver satisfeita” com a atualização que lhe foi apresentada, disse o regulador de transporte aéreo dos EUA que foi além, dizendo que quando receber a atualização (da atualização) a “FAA vai realizar uma inspeção rigorosa com a segurança como prioridade”.

Anteriormente, diz a AFP, a FAA não fez uma análise tão profunda do Max devido tê-lo considerado uma variante do 737 NG e, desta forma, o sistema MCAS não teria sido examinado. O NG, inclusive, é o avião que a Gol está disponibilizando para os brasileiros, via Brasília, seguirem para Orlando ou Miami com parada para abastecer em Punta Cana (na República Dominicana). Nós de Fortaleza temos que seguir para Brasília em conexão e depois passar pela cidade da República Dominicana antes de Orlando ou Miami. Isso quando temos sorte. Caso contrário prepare-se para uma viagem longa, que pode durar até 19 horas e 30 minutos passando por São Paulo ou Rio de Janeiro e depois Atlanta para, então, chegar a Orlando ou Miami. Isso que era um voo direto de cerca de 7 horas e 15 minutos. Que lamentável!

Para a AFP, um porta-voz da Boeing disse, na última segunda-feira que a empresa está trabalhando para demonstrar que identificaram e atenderam adequadamente todos os requisitos de certificação, que serão enviados para a revisão da FAA assim que forem concluídos, nas próximas semanas.

“A segurança é a nossa maior prioridade e vamos adotar uma abordagem metódica e completa para o desenvolvimento e teste da atualização, para nos certificarmos de que teremos tempo para fazê-lo bem”, acrescentou a empresa para a agência de notícias.

É amigos. A novela Boeing-737 Max está longe de acabar. Desta forma, os passageiros da Gol podem esquecer o voo direto por um bom tempo. O sonho virou pesadelo, não é mesmo?

07:08 · 29.03.2019 / atualizado às 07:10 · 01.04.2019 por

Segundo nota enviada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), ela participou na última quarta-feira (27/3) de evento da fabricante Boeing, nos Estados Unidos, em que foram apresentadas e discutidas propostas de otimização no sistema MCAS da aeronave 737-8 Max, em função dos eventos recentes com esse modelo de aeronave. Aqui no Brasil, 7 equipamentos destes já estavam em propriedade da Gol. Os aviões eram usados nos voos direto de Fortaleza para Miami e Orlando e de Brasília para os mesmos destinos. Todos estão suspensos até segunda ordem.

>>>Boeing atualiza software e manuais do 737 Max que era usado pela Gol para voar para Orlando e Miami

Boeing 737 Max 8 da Gol está em solo até a resolução total do problema

De acordo com comunicado enviado pela Anac, as informações e propostas apresentadas pela Boeing estão em fase de análise técnica pela equipe da Agência. “Somente após a conclusão dessas análises será possível avaliar se haverá ou não o estabelecimento de novas exigências para a liberação de uso da referida aeronave no país. Reforçamos que os aviões do referido modelo da Boeing somente poderão voltar a operar no Brasil após a conclusão, pela Anac, de que essas aeronaves apresentam condições seguras para operação”.

Ainda segundo a nota enviada pela Anac, as operações do 737-8 Max estão suspensas no País desde 13 de março, após o conhecimento pela Anac de indícios de que o acidente ocorrido com a aeronave da Ethiopian Airlines, em fevereiro último, apresentou semelhanças com os o acidente da Lion Air, em outubro do ano passado. No total, os dois acidentes mataram 346 pessoas entre tripulantes e passageiros. Na verdade, a Gol tomou a iniciativa de deixar as aeronaves em solo após muita pressão de passageiros e sociedade civil. A Anac concordou com a empresa nesta ação.

07:08 · 28.03.2019 / atualizado às 07:03 · 02.04.2019 por

A empresa norte-americana Boeing apresentou, ontem, 27, as esperadas atualizações no software e no manual de voo do 737 Max, o modelo que caiu matando 246 pessoas nos últimos meses na Indonésia (outubro de 2018) e Etiópia (fevereiro de 2019). Mesmo equipamento era usado pela Gol até o começo de março para fazer os voos direto de Fortaleza e Brasília para Orlando e Miami, cidades na Flórida, EUA.

>>Boeing 737 MAX será equipado com sinal de alerta luminoso, diz AFP

>>Atualização de software teria sido a causa de acidentes com Boeing 737 Max 8 e da suspensão do voo direto para Orlando pela Gol?

>>Gol fala sobre tecnologias em aeronaves que serão usadas em voos de Fortaleza para Orlando e Miami

 

Durante a reunião com pilotos, reguladores e repórteres na fábrica da Boeing em Rento, EUA, eles se esforçaram para provar que tudo está superado. Uma mostra que a empresa deseja retornar, com segurança, o quanto antes, os voos com o 737 Max pelo mundo. “Vamos fazer de tudo para nos assegurarmos de que acidentes como esses não ocorram de novo”, disse o vice-presidente de estratégia de produtos da Boeing, Mike Sinnet, à imprensa, segundo a AFP.

Sistema corrigido?

A grande dúvida que a Boeing terá que responder é se o sistema de estabilização MCAS está realmente melhor, mais fácil de manusear e seguro. A empresa garante que as intervenções feitas, mais a atualização do manual e a promessa de retreinamento dos pilotos fará do 737 Max um avião tranquilo para voar.

De acordo com a AFP, a empresa afirmou que a intervenção do sistema será mais transparente para a tripulação, e os pilotos poderão desativá-lo mais facilmente em caso de problemas, explicou a Boeing. Segundo a empresa, a nova versão do programa passou por “centenas de horas de análise, testes de laboratório, simulações e dois testes”, incluindo um com representantes da Agência Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA) a bordo. O objetivo é “reduzir a carga de trabalho da tripulação em situações anormais e impedir que o MCAS seja ativado quando receber dados falsos”, disse a Boeing.

Agências reguladoras do mundo todo como a FAA nos EUA e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) no Brasil ainda terão que analisar se as mudanças são suficientes para voos seguros. Além de saber se irão pedir mais requisitos para autorizar que as aeronaves voltam a voar.

FAA se explica

De acordo com a AFP, ainda ontem, o diretor interino da FAA, Dan Elwell, apresentou-se a senadores americanos para explicar por que a agência não tomou providências rapidamente após a segunda queda do Max na Etiópia.

Gol e Anac

Entramos em contato com a assessoria de imprensa da Gol e estamos aguardando para saber se a empresa já tem uma data para recolocar os aviões em funcionamento e se os passageiros, mesmo alocados em outros voos, terão o poder de escolher ou não retornar para o voo direto através do 737 Max.

Também questionamos a Anac sobre a situação dos aviões da Boeing que foram e deverão voltar a ser usados pela Gol aqui no Brasil. A resposta está aqui.

Com informações da AFP

 

15:09 · 26.03.2019 / atualizado às 17:38 · 26.03.2019 por

Não é de agora que vários produtores de conteúdo estão preocupados com a aprovação da reforma dos direitos autorais na Europa, o temido artigo 13. A diretiva limita o uso, por gigantes da internet como Google e YouTube, de obras artísticas e material jornalístico de terceiros. Ela ainda terá que passar por outros passos até virar lei em cada país do bloco europeu.

A reforma foi discutida durante quase 3 anos. Ela tem dois artigos muito contestados pelos produtores de conteúdo. Os dois polêmicos artigos dessa lei são o 11 e o 13. O primeiro é o apelidado de “imposto do link” que prevê a cobrança por compartilhamento de links e resumos de notícias em plataformas comerciais. Não há especificamente que plataformas seriam essas.

Porém, é o artigo 13 o alvo da maior ódio de produtores de conteúdo. Ele restringe o uso de conteúdo de terceiros, supostamente em memes e vídeos de reação como vemos no YouTube, por exemplo, apesar de legisladores falarem que isso não é o foco da diretiva que só vai se tornar lei se os países do bloco a adaptarem e criarem suas legislações locais. Porém, gigantes como Google, YouTube e Facebook, além de produtores de conteúdo estão temerosos se isso não irá se virar contra eles.

A FolhaPress escutou a Organização Europeia das Uniões de Consumidores. Segundo eles, o mecanismo de verificação das produções não distingue o conteúdo que respeita do que não respeita a nova diretiva.

Porém, a Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia, segundo a FolhaPress, garante que memes e demais conteúdos gerados com objetivo de citação, crítica, resenha, caricatura, paródia ou pastiche (como GIFs) será permitido. O mesmo informou Andrus Ansip, vice-presidente de mercado digital comum, e Mariya Gabriel, comissária europeia para economia e sociedade digital, reforçam, conjuntamente, que tudo foi feito para preservar os conteúdos, respeitando os donos originais das produções.

Próximo passo

A instrução segue para o endosso formal do Conselho Europeu e depois os países-membros terão até 2 anos para incorporar as regras e, então, virar lei.

Se realmente ficar destinada a apenas acabar com as pessoas que pegam conteúdo dos outros para ganhar em cima, concordo plenamente com isso. Afinal, é um absurdo você produzir algo e ter aquele conteúdo tomado por terceiros.

Google responde

Segundo informou a assessoria de imprensa do Google, proprietária também do YouTube, a empresa acredita que a diretiva de Direitos Autorais ainda gera incerteza nos produtores de conteúdo e em empresas como o próprio YouTube.  O Google também diz que irá trabalhar com formuladores de políticas, editoras, criadores e detentores de direitos à medida que os países-membros da UE implementarem essas novas regras.

Veja a nota na íntegra:

“A Diretiva de Direitos Autorais foi aprimorada, mas ainda gera incerteza jurídica e prejudicará as economias criativas e digitais da Europa. Os detalhes são importantes, e esperamos trabalhar com formuladores de políticas, editoras, criadores e detentores de direitos à medida que os países-membros da UE implementarem essas novas regras.”

14:19 · 21.03.2019 / atualizado às 14:50 · 21.03.2019 por

Segundo a AFP, o Facebook admitiu, nesta quinta-feira, 21, que milhões de senhas ficaram armazenadas como arquivos de texto em seus servidores internos, uma falha de segurança que tornou os códigos acessíveis a funcionários da gigante tecnológica.

“Para deixar claro, essas senhas nunca ficaram visíveis para ninguém fora do Facebook e até então não encontramos provas de que ninguém tenha abusado internamente ou acessado-as indevidamente”, declarou o vice-presidente de engenharia, segurança e privacidade, Pedro Canahuati, em um post de blog.

De acordo com a ABC News, usuários não só do Facebook, quanto do Facebook Lite e também do Instagram foram impactados.

Segundo a AFP, a falha foi descoberta em uma revisão de rotina feita. Canahuati disse que o Facebook deve notificar centenas de milhões de usuários do Facebook Lite, dezenas de milhões de usuários do Facebook e outra dezena de milhares de clientes do Instagram.

Sua senha do Facebook em risco. Foto: Hamik/Shutterstock

Isso é o absurdo do ano ou do século? Uma nova crise para o Facebook e nova desconfiança para usuários ao redor do mundo. Temos tanta dor de cabeça para criar uma senha forte, mistura de números e letras e outras até com códigos especiais para isso? Nossas senhas em arquivos não criptografados?

Agora a rede social recomenda que você mude novamente a senha e utilize a verificação em dois passos para evitar que alguém invada sua conta. Aí você pergunta de volta: “qual a necessidade se a rede social vai guardar tudo isso sem segurança devida nos servidores dela?”. Te digo que, por mais que eles tenham dado esse mole, você deve continuar usando senhas fortes e recomendo que utilize a verificação em dois passos em tudo que for possível.

Com informações da AFP

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Na Rede

Tendências, novidades e novos produtos para quem é apaixonado por tecnologia. Comportamento digital e redes sociais também em pauta. Por Daniel Praciano.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags