Busca

Autor: Daniel Praciano


07:03 · 17.11.2017 / atualizado às 07:06 · 17.11.2017 por
Quantum V traz um projetor acoplado

Começaram oficialmente nesta semana as vendas do novo smartphone Quantum V, aparelho com projetor a laser integrado ao hardware e com foco automático. Com ele, a promessa é que os usuários poderão projetar filmes, vídeos e apresentações com imagem de alta qualidade na parede de casa, da escola, do trabalho, transformando as imagens e arquivos do aparelho em uma projeção de até 80 polegadas, sem a necessidade de acessórios para a tecnologia funcionar. Até então em pré-venda, o aparelho agora está disponível em quiosques da marca e também na loja on-line, pelo preço especial de lançamento a partir de R$ 1.799.

Seu recurso de projeção traz a tecnologia PicoP Scanning para a reprodução de imagens. A empresa também promete que o foco contínuo traz ajuste automático da imagem, sem a necessidade de ajustes manuais, facilitando a apresentação de conteúdos mesmo a uma distância de 2m entre o aparelho e a projeção. “O Quantum V alia o design de um smartphone de ponta com a qualidade de imagem e robustez de um projetor tradicional”, explica Vinícius Grein, diretor de Produtos da Quantum.

O Quantum V é equipado com um processador Octa-Core de 1.5GHz, Android 7.0 Nougat, 64GB de memória interna e 4GB de memória RAM, o que promete boa performance para o desempenho das tarefas e ótimo espaço de armazenamento para arquivos, fotos e vídeos. Além disso, o espaço interno pode ser expandido com uso de cartões de memória de até 256GB.

A bateria também foi pensada para que o aparelho não deixe ninguém desprevenido na hora de usar o projetor: são 4.000mAh de energia, o que permite a projeção de conteúdo por até quatro horas contínuas, sem a necessidade de recarga. O aparelho tem tela de 5,5 polegadas e câmeras de 13MP na traseira e 8MP na frontal.

Quantum V traz um aparelho com hardware bem interessante

Assistente de compra via WhatsApp
A Quantum passa a disponibilizar uma nova ferramenta de atendimento aos interessados em adquirir os produtos e as novidades da marca. Trata-se de um assistente de compra, via aplicativo WhatsApp, para quem deseja esclarecer dúvidas sobre a sua compra ou aparelho de maneira prática e eficiente. O serviço já está disponível por meio da loja on-line e pode ser utilizado após o cadastro do nome e número de celular do usuário.

“O recurso é uma forma de nos mantermos ainda mais conectados com os nossos consumidores. Nascemos no meio digital e sempre zelamos pelo diálogo constante com os nossos clientes e usuários. São consumidores que buscam uma compra inteligente e que fazem questão de interagir conosco o tempo todo. Por isso, nada mais providencial do que utilizar uma plataforma de mensagens instantâneas, simples, rápida e que já faz parte da vida de todo brasileiro”, conclui Thiago Miashiro, head of Business da Quantum.

06:53 · 17.11.2017 / atualizado às 06:55 · 17.11.2017 por

No dia em que a escritora cearense Rachel de Queiroz, se viva fosse, completaria 107 anos, o Google traz o doodle do dia como homenagem a ela.

A autora de obras como “O Quinze”, “As Três Marias” e “Memorial de Maria Moura”, entre outros premiados livros, foi a primeira mulher na Academia Brasileira de Letras (ABL), bem com a primeira mulher a receber o Prêmio Camões.

Justa homenagem do Google a esta grande cearense.

13:12 · 16.11.2017 / atualizado às 13:12 · 16.11.2017 por

Hoje o Instagram apresenta uma nova maneira de compartilhar histórias e salvar suas publicações favoritas: acessando o instagram.com a partir do seu celular.

Ao abrir o Instagram na web do celular, você verá o ícone da câmera na parte superior esquerda do seu feed. Toque no ícone para tirar uma foto ou adicionar da sua biblioteca. Você também pode adicionar ou alterar a cor do texto. Quando terminar, publique no Stories tocando em “Compartilhar sua história”.

Além disso, agora você pode salvar as publicações que gostaria de ver mais tarde por meio do Instagram pela web. Essas publicações podem ser acessadas tocando no ícone do marcador no canto superior direito da página.

13:52 · 14.11.2017 / atualizado às 14:22 · 14.11.2017 por
Executivos do Google e Visa anunciam a novidade em São Paulo

A partir desta terça, 14, os brasileiros poderão usar os seus smartphones para fazer pagamentos de produtos e serviços de maneira simples, segura e rápida com o Android Pay. O Google anunciou a chegada do serviço ao país durante evento realizado em São Paulo na manhã desta terça-feira.

>>>Pagamentos por aproximação se popularizam cada vez mais no Brasil

O Brasil é o 17º país a receber o Android Pay, que já está disponível em países como Estados Unidos, Espanha, Rússia e Japão. O serviço foi lançado inicialmente nos Estados Unidos, em setembro de 2015.

“Com mais de 2 bilhões de usuários ativos, o Android é o sistema operacional mais popular do mundo e busca sempre oferecer recursos inovadores para seus clientes. Com o Android Pay, os brasileiros agora poderão usar seus smartphones para fazer pagamentos de forma prática, rápida e segura”, diz Alessandro Germano, diretor de parcerias estratégicas do Google Brasil.

Google promete máxima segurança no Android Pay

Para instalar o Android Pay, primeiro é preciso verificar se o smartphone possui sistema operacional Android KitKat (4.4) ou versões posteriores. Depois, é só baixar o aplicativo do Android Pay gratuitamente na loja do Google Play. Uma vez instalado o app, basta adicionar os dados dos cartões de crédito ou débito dos bancos e operadoras de cartões de crédito parceiros no Android Pay. Neste primeiro momento, o serviço está disponível para os donos de cartões Banco do Brasil (crédito e débito), Caixa (débito), Neon (débito), Porto Seguro (crédito) e Brasil Pré-Pagos (débito) com a bandeira Visa. O Google espera adicionar novos parceiros em breve.

Na hora de pagar por uma compra com Android Pay, basta encostar o smartphone com tecnologia NFC em um ponto de venda que suporte essa tecnologia. Dentre as empresas que aceitam o serviço no Brasil, estão Carrefour, Casa do Pão de Queijo, Drogasil, Rei do Mate, Café do Ponto, Hering e Ipiranga. O caixa irá selecionar o tipo de pagamento (débito ou crédito) e inserir o valor da compra no terminal. Ao terminar, o cliente deve desbloquear e segurar seu smartphone próximo à máquina. Então, aguardar a mensagem de compra autorizada.

Segundo a assessoria de imprensa do Google no Brasil, a segurança está no centro do Android Pay. “Com a tokenização padrão da indústria, o Android Pay não envia aos comerciantes o número real do seu cartão no ato da compra. O Android Pay também permite que o usuário acompanhe os pagamentos e bloqueie o seu dispositivo caso ele seja perdido ou roubado”, finaliza comunicado para a imprensa.

14:46 · 09.11.2017 / atualizado às 13:35 · 14.11.2017 por
Zenfone 4

Nesta sexta-feira, 10/11, a Asus vai ofertar desconto de R$ 500 para toda a linha Zenfone 4 vendida no Brasil. Para tanto, o cliente precisa entrar, entre 11h e 14h, no site da Asus e usar o código de desconto PROMOZEN4. Ao finalizar a comprar, ele terá o desconto de R$ 500 em qualquer smartphone da linha Zenfone 4. Confira abaixo mais detalhes do anúncio da promoção relâmpago da Asus.

Desconto na linha Zenfone 4

Atualização

Infelizmente, apesar de várias tentativas, não conseguimos acessar a página. Foram vários erros. Bola fora da Asus que anunciou a promoção, mas os clientes não conseguiram acesso no horário reservado para tentar a compra.

13:09 · 09.11.2017 / atualizado às 13:12 · 09.11.2017 por

Existem mais de 5,5 milhões de blogs no Brasil, os quais representam 55,36% dos cerca de 10 milhões de sites ativos no país. Este universo está rapidamente se transformando em um mercado que começa a concorrer pela verba de propaganda: mais de 82% deles adota alguma rede de exibição de anúncios. A AdSense, do Google, reina absoluta entre os blogs, respondendo por 54,06% de participação. Todas as demais redes de anúncios somam 28,64%.

Estas e outras conclusões estão no mais novo levantamento realizado no início de setembro pela BigData Corp, empresa de big data da América Latina. A empresa realiza o monitoramento semanal de mais de 20 milhões de sites brasileiros (dos quais apenas a metade é ativa).

“Este é um universo sobre o qual pouco se sabe e direcionamos nossas pesquisas para destrinchar para onde vai esse mercado, que ganha relevância econômica em função do potencial de anúncios que possui, sem falar da capacidade de formação de opinião dos blogs mais influentes”, comenta Thoran Rodrigues, fundador e CEO da BigData Corp.

Blogosfera multifacetada
Boa parte dos sites é dedicada a um tema predominante. Lideram os blogs de moda (1,81%), os de tecnologia (1,76%), os de cultura (1,6%), os de política (1,3%), os de esportes (1,24%) e os de viagem (1,19%). No entanto, é visível a pulverização de assuntos, abrangendo, ainda entretenimento (1,12%), beleza (0,67%), games (0,38%) e humor (0,35%).

Outra característica dos blogs brasileiros é que menos de 1% deles (0,94%) consegue romper a barreira de meio milhão de acessos por mês. Ao contrário, 96,5% são pequenos, com até 10 mil visitas mensais. Da mesma forma, apenas 13,97% possuem mais de 5 mil imagens no seu acervo. “Talvez porque o tempo médio de vida dos blogs seja de apenas 12 meses, os acervos de fotos e posts seja pequeno”, explica o executivo. A maior parcela, 30,87%, possui menos de uma centena de fotos; e 27,03% apresentam aos seus visitantes entre mil e 5 mil imagens.

Profissionalização em curso
“Já vemos uma tendência à profissionalização desses blogs, que começam a usar ferramentas para alavancar sua exposição na web e facilitam o conhecimento de seus leitores, bem como o relacionamento mais fidelizado”, comenta Rodrigues.

De acordo com o levantamento da BigData Corp, mais de 80% (80,29%) já estão hospedados em, basicamente, duas plataformas de blogging: a Blogger, lidera com folga, com 59,76% dos blogs no país, e a WordPress (18,51%). Também o uso de mídias sociais se generalizou. Mais de 90% dos blogs aliam a sua exposição a elas: Facebook (48,53%) e Youtube (48,21%) são as favoritas dos blogueiros, os quais também lançam mão do Twitter (33,97%) e do Instagram (11,14%).

Desperdício de oportunidades
“Vale mencionar que, entre as ferramentas mais relevantes utilizadas na blogosfera brasileira, está o feed RSS, que facilita a distribuição e integração do conteúdo em outras plataformas, hoje presente em 91,49% dos blogs”, informa Rodrigues.

Curiosamente, as ferramentas de analytics, no entanto, ainda têm chão para conquistar: foram adotadas por apenas 41,39% dos blogs do país. “Isso denota um resquício de amadorismo, já que o blogueiro que dispensa a adoção de analytics não faz ideia de quem seja, de fato, o seu público. Vive às cegas, pois perde a oportunidade de apresentar um conteúdo mais dirigido e relevante a quem o segue, assim como a de alavancar o seu espaço comercialmente para as empresas que buscam atingir o seu leitor”, afirma o especialista em big data.

Thoran chama a atenção para uma tendência que indica a importância crescente do acesso aos blogs via celular: os aplicativos já estão presentes em 12,24% dos blogs nacionais.

13:10 · 08.11.2017 / atualizado às 13:10 · 08.11.2017 por
Android Pay deve ser anunciado nesta sexta-feira, 10, em São Paulo, para o consumidor brasileiro

O serviço de pagamento do Google, o Android Pay, pode ser anunciado nesta sexta-feira, 10, como começando a funcionar no Brasil. O imprensa nacional foi convidada para se fazer presente no escritório do Google em São Paulo, onde o anúncio deve ser feito.

O serviço de pagamento móvel do Google chega para concorrer com o Samsung Pay. Até agora, no Brasil, a Apple (Apple Pay) não chegou com o serviço de pagamento móvel dela, apesar de ter sido o primeiro a ser anunciado mundialmente.

Assim como os concorrentes, o Google Pay armazena no aplicativo os dados dos cartões de crédito e débito do usuário e cria carteiras eletrônicas. Para usar, basta aproximar o celular da máquina de cartões. Teoricamente, através da tecnologia NFC, tudo irá funcionar. Se a compra for via internet será necessário apenas colocar as credenciais do perfil Android Pay e dizer de onde sairá o dinheiro.

12:53 · 08.11.2017 / atualizado às 12:53 · 08.11.2017 por

Na guerra contra o cibercrime, o tempo sempre esteve do lado dos atacantes, com os criminosos usando o tempo de permanência como vantagem para realizar um ataque. No entanto, é possível recuperar a vantagem conhecendo o ambiente de segurança, planejando a frente e empregando uma abordagem proativa.

Para tentar ajudar aos internautas, a McAfee divulga 10 dicas que podem ser usadas para adicionar velocidade e inteligência à detecção e resposta de incidentes.

1. A integração é tudo. Se os produtos de segurança não se falam, não é possível ver o cenário completo. E uma violação pode ser perdida. A integração dos sistemas de detecção e resposta, através de iniciativas como OpenDXL, assegura a comunicação e acelera a detecção e a contenção

2. Compreenda todo o ambiente. Não é surpresa que os profissionais de segurança dizem que determinar o impacto e o alcance de um incidente de segurança leva muito tempo. Muitas vezes, subestimam quantos servidores, aplicativos e dispositivos existem na organização. Ao implementar o gerenciamento centralizado de segurança é possível obter a visibilidade e o monitoramento necessário.

3. Sempre mantenha os olhos nos dados. Detectar rapidamente a atividade anormal é essencial. No entanto, isso é impossível sem uma linha de base dos níveis normais de atividades do sistema, da rede e do usuário. Tenha uma solução que monitore continuamente o tráfego e detecte automaticamente qualquer atividade anormal, deixando os pontos cegos em rede no passado.

4. Mantenha-se atualizado sobre o cenário da ameaça. Comece com a coleta e a integração de inteligência de ameaças dentro da organização e expanda para o compartilhamento com toda a indústria. O compartilhamento possibilita uma inestimável visão das últimas vulnerabilidades e perigos. Use ferramentas que possam monitorar, coletar, gerenciar, priorizar e compartilhar inteligência de ameaças.

5. Priorize os ativos, eventos e ações. A triagem é a chave durante um ataque. É preciso conhecer seus recursos mais críticos, saber quando soar alarmes e ter fluxos de trabalho de investigação previamente estruturados e comunicações multifuncionais já estabelecidas. Planeje com antecedência para economizar um tempo precioso defendendo os ativos mais importantes no caso de ataque.

6. Pratique. Aproximadamente um terço das empresas treinam para a resposta a incidentes. Essa é uma porcentagem pequena, já que que colocar os procedimentos de resposta em teste identifica lacunas de segurança antes que ocorram violações. Execute exercícios regulares para melhorar os tempos de resposta; simule infrações, realize exercícios ou contrate uma empresa que realize testes de penetração para simular um ataque de fora da companhia.

7. Estabeleça uma equipe homem-máquina para combater o malware. A automação não irá substituir funcionários altamente treinados, e sim os tornará mais efetivos. Com a aprendizagem de máquinas é possível automatizar a classificação de eventos de segurança e a priorização. Isso permite realizar análises preditivas e prescritivas que ajudem a antecipar e neutralizar as novas técnicas de evasão emergentes.

8. Seja proativo. Ser proativo com a segurança, ao invés de reativo, é a única maneira de proteger o negócio. Depois de entender o ambiente, é possível procurar ativamente ameaças antes que elas ataquem.

9. Regule o acesso externo à empresa. Muitas brechas originam-se de fornecedores, parceiros ou provedores de nuvem terceirizados. Certifique-se de que todas as entidades conectadas ao ambiente de rede, sem exceção, aderem às políticas de segurança. Além disso, defina os privilégios, o tempo e os controles de localização para que certos parceiros possam acessar apenas sistemas e dados prescritos.

10. Crie um loop de feedback ativo. Torne os sistemas de detecção e resposta mais rápidos e inteligentes em cada evento. Aproveite todos os especialistas em segurança, tecnologia e processo para alimentar a análise pós-incidente para a inteligência de ameaças, ferramentas de automação e equipes de treinamento.

14:04 · 01.11.2017 / atualizado às 14:04 · 01.11.2017 por

O serviço de internet fixa registrou 28.167.860 assinantes em setembro de 2017, aumento de 113.243 usuários (+0,40%) quando comparado a agosto, segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicaçoes (Anatel). Nos últimos 12 meses, a banda larga fixa apresentou aumento de 1.575.470 usuários (+5,92%).

Nos últimos doze meses, houve aumento de usuários de banda larga fixa em todos os estados do País. Os maiores percentuais foram registrados nos estados do Rio Grande do Norte, com 54.260 novos clientes (+20,01%); Ceará com 97.977 novos usuários (+16,42%) e Maranhão com 28.920 novos clientes (+13,64%).

Outros destaques
Em termos absolutos, na comparação entre agosto e setembro deste ano, a base de assinantes de São Paulo registrou 51.877 novos clientes (+0,53%), no Paraná o aumento foi de 14.042 (+0,72%), e em Minas Gerais foram registrados 12.147 novos clientes (+0,44%).

Prestadores
A prestadora Claro liderou o crescimento no mês de setembro em comparação a agosto, a empresa registrou 51.909 assinantes (+0,60%). Outras empresas que também obtiveram crescimento em setembro foram a Sercomtel, com 8.811 novos usuários (+4,84%), e a TIM, com 6.839 novos clientes (+1,76%).

Em comparação com o ano passado, a Claro Brasil apresentou aumento de 366.971 clientes (+4,37%) na sua base de assinantes. A operadora Vivo registrou 122.366 novos clientes (+1,63 %) e a TIM mais 78.109 usuários (+24,63%).

07:00 · 01.11.2017 / atualizado às 06:59 · 01.11.2017 por
Instalação de mais antenas de celular seria uma boa saída para melhorar a qualidade do sinal 3G e 4G

Estudo da OpenSignal, empresa que, através do aplicativo homônimo (para iOS e Android) consegue analisar a internet móvel de quase 600 mil usuários ao redor do mundo – dos quais 40.717 só no Brasil -, traz o relatório de qualidade da internet móvel no mundo entre 1º de julho a 1º de outubro deste ano. E os números mostram evolução da internet móvel 4G no Brasil em dois cenários: velocidade e disponbilidade.

>>>Estudo da OpenSignal indica que 4G teve melhoria de qualidade no Brasil

De acordo com o levantamento feito pela empresa, o Brasil saltou de um 72º lugar, entre 77 países, para 67ª colocação quando o critério analisado é viabilidade/disponibilidade de sinal 4G no País. Esta colocação deixa o Brasil atrás ainda de países como Camboja, Irã e Costa Rica, por exemplo. Porém, já é uma ligeira evolução.

Melhor ainda é o cenário quando analisamos a velocidade 4G no Brasil. Apesar de nossas reclamações que, muitas vezes têm razão de ser, o país saltou de 49º colocado para 42º entre 77 países analisados, um pouco acima da metade do ranking. A posição nos deixa melhor colocados que países como EUA e Alemanha – gigantes e mais ricos.

É bem verdade que ainda temos muito, muito mesmo a melhorar, especialmente em viabilidade de sinal. Porém, é notória a evolução. Quanto mais políticas que possam ampliar a facilidade de instalação de antenas pelos municípios, mais vamos ter viabilidade de sinal. Outro gargalo é o valor cobrado pela internet móvel no Brasil. É bem verdade que esse custo já foi bem reduzido e temos planos que estão começando a se mostrarem interessantes, mas é preciso seguir evoluindo.

Saber que estamos com velocidade média 4G superior a gigantes como EUA e Alemanha é para empolgar, mas não para achar que já ganhou. É preciso expandir a malha de cobertura, permitir que possamos usar este sinal 4G o tempo todo e que os planos fiquem mais acessíveis.