Autor: Raphael PH Santos


13:00 · 14.05.2019 / atualizado às 10:53 · 14.05.2019 por

O aplicativo do Uber agora mostrará o destino do usuário que solicitou a corrida. A medida foi tomada para oferecer mais segurança aos condutores, que sofrem atualmente alguns golpes vindos de usuários mal intencionados. Além desse novo recurso, aparecerá para o motorista se o usuário solicitante é novato na plataforma.

Esse novo modelo poderia afetar os usuários que solicitam viagens curtas. Julgando que não vale a pena, os motoristas poderiam não aceitar tais percursos. Porém, para que as informações do percurso sejam expostas, o condutor deverá primeiro aceitar a solicitação de viagem, diminuindo bastante a possibilidade desse problema.

Fabio Plein, diretor de operação da Uber Brasil, informa que essa característica do app era uma das demandas mais recorrentes dos condutores, porém, afirma que a implementaram de uma maneira que não prejudique os usuários solicitantes:

“Criamos uma ferramenta para garantir isso sem prejudicar os usuários”, disse ele. “Os experimentos já realizados mostraram resultados positivos nesse sentido”, complementa.

Até agora, apenas Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre terão essas novas funcionalidades liberadas, pois já participaram de testes no começo do ano. Ainda não foi bem detalhado, mas as outras cidades receberão a novidade aos poucos. O serviço continuará em testes por algum tempo, mesmo depois de lançado. Dados serão colhidos e uma avaliação constante será feita.

10:34 · 14.05.2019 / atualizado às 10:36 · 14.05.2019 por

Mais de 1 milhão de brasileiros já estão sendo impactados por um serviço online que aproxima os “crushes” usando basicamente o Facebook. É o Messenger Match, desenvolvido em Fortaleza, que usa inteligência artificial para aproximar casais. Semelhante ao Tinder e ao Happn, a grande diferença é que não precisa baixar um aplicativo a mais no seu smartphone, apenas usá-lo no Facebook.

O Messenger Match é na verdade um chatbot inteligente, parcialmente gratuito, que se assemelha a um assistente virtual na busca pelo “mozão” perfeito. O robô vai conversando com o usuário enquanto faz a procura do(a) candidato(a) ideal. Dessa forma, todo o processo de encontrar essa pessoa fica mais divertida e interativa.

“Aproveitando esta onda de assistentes virtuais no Brasil, onde hoje nós já temos exemplos como a Bia, do Bradesco, a Lu, do Magazine Luiza, nós criamos o Messenger Match, que é um assistente de paquera inteligente”, explica o cofundador do serviço, o engenheiro de software Thiago Amarante.

Como usar o Messenger Match

Busque por Messenger Match no bate-papo do Facebook ou entre diretamente no site Messenger Match. Clique em “começar” e preencha alguns dados, como: idade, faixa etária que busca, localização e sexo de interesse. Algumas perguntas simples serão feitas e, em seguida, alguns perfis que combinem vão ser apresentados; a partir daí é usar a criatividade no papo com o interesse amoroso.

“O MM, como é chamado carinhosamente pelos usuários, vai fazer algumas perguntas simples e, logo em seguida, apresentar perfis que combinem com o usuário, a partir das informações repassadas. Daí, ele pode curtir ou não. Ao mesmo, ele é também apresentado para outros usuários. É possível também alterar as características que interessam a qualquer momento”, explica Amarante.

Perfil dos usuários

A ferramenta hoje conta com mais de 1 milhão de usuários. A maioria está em São Paulo, cerca de 40%, seguido de Rio de Janeiro (13,5%) e Minas Gerais (12,9%). Alguns cadastros são de fora do país, como Filipinas, Portugal, EUA e Índia. A maioria dos usuários é homem e a faixa etária principal é de jovens entre 18 e 24 anos.

Há uma assinatura, mas não é obrigatória. A versão gratuita é o suficiente para o usuário buscar os perfis mais ideais, mas assinando o serviço, as chances na busca crescem, pois o pagante, o usuário premium, aparece primeiro para as pessoas as quais ele deu like, aumentando assim a chance do papo ser iniciado depois de aceita a correspondência de perfis.

09:33 · 06.05.2019 / atualizado às 09:33 · 06.05.2019 por

Nesse mês de maio a Huawei chega ao Brasil com dois modelos de smartphones: o HUAWEI P30 Pro e o HUAWEI P30 lite. Com o HUAWEI P30 Pro, a empresa promete inovações e tendências tecnológicas principalmente com relação a câmera. Além disso, também promete design inovador, SuperZoom, carregamento reverso, entre outros. A partir do dia 17 de maio, o smartphone da marca estará disponível nas cores Aurora e Preto, por R$ 5.499,00, em lojas físicas e online dos principais e-commerce brasileiros.

Confira as algumas características do aparelho que os consumidores brasileiros terão acesso com este dispositivo:

Sistemas de câmeras Leica

Ao trazer um revolucionário sistema de quatro câmeras desenvolvidas em parceria com a Leica, a Huawei inicia uma nova era em fotografia de smartphones e reforça sua liderança no mercado como desenvolvedora de câmeras integradas com Inteligência Artificial (IA).

O Huawei P30 Pro está equipado com uma câmera principal de 40MP com sensor Super Spectrum, uma câmera de 20MP Ultra Grande-Angular, uma câmera de telefoto de 8MP, a câmera HUAWEI Time-of-Flight (ToF), e uma câmera frontal de 32MP para um novo nível de selfies.

Design com sem bordas

A Huawei trabalhou em parceria com a Pantone, com o objetivo de propor novas cores que foram mundialmente aceitas pelos consumidores nos smartphones da companhia e que estão alinhadas com as tendências da atualidade. O HUAWEI P30 Pro chega ao Brasil com cores gradientes na traseira, um display OLED de 6.47 polegadas feito de vidro curvo 3D, com alta resolução, e proposta de baixo consumo de energia.

Processador super-rápido

O Kirin 980 é o primeiro chipset do mundo que traz NPU integrado a IA, uma unidade de processamento neural que melhora o desempenho do dispositivo em todas as frentes e sugere que sua velocidade não seja reduzida ao longo do tempo.

Outro ponto do processador é sua capacidade de armazenar informações de comportamento dos usuários e identificar seus hábitos por meio do aprendizado de máquina (learning machine), resultando em uma experiência mais personalizada e em um smartphone com a cara de cada pessoa.

Faça a distância desaparecer

A tecnologia SuperZoom do HUAWEI P30 Pro é impactante entre os smartphones premium do mercado, possibilitando que os usuários consigam romper as barreiras de distância sem perder qualidade e fidelidade do que está sendo fotografado. Essa performance absoluta é possível graças ao zoom óptico de 5x, zoom híbrido de 10x, zoom digital de 50x, além de uma lente periscópica que, sem interferir no design do smartphone, curva a luz no ângulo correto e maximiza a distância focal enquanto minimiza a altura da câmera.

Carregamento reverso sem fio

A bateria de 4.200 mAh do HUAWEI P30 Pro suporta carregamento por indução em duas vias, o que significa o usuário pode encher outra bateria compatível com o padrão Qi de indução, como fones de ouvido sem fio, escovas de dente, mouse, barbeador elétrico, entre outros dispositivos.

Levitação eletromagnética: display acústico

O alto-falante do HUAWEI P30 Pro é posicionado atrás da tela do smartphone, projetando o som diretamente no ouvido dos usuários. Esta tendência foi resultado de uma pesquisa com os consumidores, que mencionaram que o áudio de ligações era perdido caso o smartphone não fosse posicionado propriamente.

Leitor de impressões digitais

Além do alto-falante, o leitor de impressões digitais também foi posicionado atrás da tela do HUAWEI P30 Pro e foi a primeira inovação do mundo a ser posicionado atrás da tela de um smartphone. Esta vantagem tecnológica garantiu mais espaço de uso para as pessoas, é 30% mais rápido que os leitores tradicionais e, também, um importante recurso de segurança, uma vez que reforça a proteção de todas as informações do usuário.

15:24 · 15.04.2019 / atualizado às 11:33 · 15.04.2019 por

A Twitch, principal plataforma e comunidade de entretenimento ao vivo, anuncia o Twitch Sings, primeiro jogo da plataforma desenvolvido para ser uma experiência de karaokê durante uma transmissão ao vivo. Com um catálogo extenso de músicas, além de recursos que streamers e suas comunidades podem usar para criar performances únicas e criativas juntos, o jogo foi anunciado na TwitchCon Europa, realizado entre os dias 12 e 14 de abril, em Berlim, Alemanha.

“O Twitch Sings une a diversão e a energia de estar em um show ao vivo com a criatividade sem limites dos streamers para fazer uma performance interativa”, afirma Joel Wade, Produtor Executivo do Twitch Sings.

Usando o bate-papo e uma sobreposição de vídeo interativa personalizada, o público desempenha um papel fundamental na experiência do Twitch Sings, fornecendo feedback ao vivo, aplaudindo, votando na próxima música, interagindo com outros membros da comunidade e com o cantor e compartilhando performances em toda a plataforma. Além disso, os criadores da Twitch podem escolher se apresentarem sozinhos, convidar sua comunidade para participar de um dueto, ou colaborar com outros canais.

Novidades anunciadas na TwitchCon Europa

Durante a primeira edição da TwitchCon fora dos Estados Unidos, o CEO da Twitch, Emmett Shear, anunciou novas ferramentas, recursos e experiências para auxiliar os streamers a aumentarem seu público e se conectarem com suas comunidades. O executivo enfatizou o foco contínuo da Twitch no entretenimento interativo e a experiência compartilhada ao vivo criada por todos os membros da comunidade.

Além do Twitch Sings, a plataforma revelou as seguintes atualizações em pagamentos, streaming e ferramentas de descoberta, que estarão disponíveis em breve:

Melhorias na Pesquisa e nos Diretórios:

A Twitch implementará uma variedade de melhorias para melhorar a descoberta de canais. A partir de junho, a comunidade terá acesso a um recurso de pesquisa mais rápido e inteligente, bem como a capacidade de classificar canais no diretório. As novas opções de classificação incluirão os canais do menor para o maior número de espectadores, o mais recentemente iniciado ou os sugeridos com base no histórico de exibições.

Retrospectiva:

A partir de junho, a Twitch gerará automaticamente um rolo de destaque sugerido para os criadores de conteúdo com base nos principais clipes capturados por sua comunidade durante uma transmissão. Os streamers poderão optar por compartilhar os destaques automatizados
com um clique ou editá-los.

Pagamento em 15 dias:

A plataforma passará a realizar o pagamento de Parceiros, Afiliados e desenvolvedores de Extensões que atingirem o limite de US$ 100,00 em apenas 15 dias após o encerramento do mês.

10:11 · 15.04.2019 / atualizado às 10:11 · 15.04.2019 por

Fontes de várias origens garantem que a Apple está disposta a gastar meio bilhão no Arcade, seu recém-anunciado serviço de games. O jornal Financial Times confirma o valor e sugere que pode até passar desse montante.

O número impressiona bastante, pois a Apple tem anunciado várias iniciativas para disputar com as empresas já estabelecidas no setor de televisão e filmes, inclusive streaming, entretanto o orçamento total é de 1 bilhão, ou seja, talvez mais da metade não seja para TV e Filmes, mas sim para games. A empresa planeja lançar pelo menos 100 jogos para o serviço, cada um com grande orçamento.

“A Apple não informou quanto vai cobrar pelo Arcade ou pelo TV+, mas analistas do HSBC estimaram que as receitas do Apple Arcade crescerão de US$ 370 milhões em 2020 para US$ 2,7 bilhões em 2022 e US$ 4,5 bilhões até 2024. Nesta data, o banco prevê 29 milhões de usuários pagando US$ 12,99 por mês. Esses números são maiores que suas estimativas de receita para o Apple TV+, de US$ 2,6 bilhões até 2022 e US$ 4,1 bilhões até 2024, e do Apple News+, que deve gerar US$ 1,7 bilhão e US$ 2,7 bilhões, respectivamente.”, segundo Times.

Um dos grandes competidores da Apple nesse seguimento vai ser a Google, após o anúncio do Stadia. A empresa é a tradicional pedra no sapato da gigante de Cupertino, pois também é dona do Android, sistema operacional que propicia várias empresas conseguirem competir com os iPhones da Apple. O Google tem grandes planos para sua plataforma de games que promete ser um dos serviços mais inovadores nos últimos anos no ramo dos games, sequer precisando de console.

10:19 · 11.04.2019 / atualizado às 10:23 · 11.04.2019 por

A página oficial do WikiLeaks e a polícia inglesa confirmaram. Julian Assange foi preso na manhã do dia 11 de abril (quinta-feira) na embaixada do Equador em Londres. Ele vivia no local há sete anos, protegido pelo governo equatoriano. Entretanto, nesta quinta-feira o país o negou asilo e em seguida a polícia londrina (a Scotland Yard) o prendeu. A prisão vem logo depois do WikiLeaks acusar o governo equatoriano de espionar Assange, uma medida tomada pelo ativista após ter seu acesso à internet cortado dentro da embaixada.

O WikiLeaks, fundado por Assange, foi responsável por vazar inúmeros documentos que continham dados sobre vários assuntos sensíveis de ordem política e militar. Os casos mais famosos são sobre as eleições nos Estados Unidos (em duas ocasiões) e sobre a invasão ao Afeganistão.

Apesar dos vários processos, a polícia londrina o prendeu por conta de um mandado expedido em 2012, quando ele negou a render-se ao Tribunal de Magistrados de Westminster (Londres); sendo abrigado na embaixada equatoriana como “fuga”.

Vídeo do momento da prisão de Julian Assange

O Equador decidiu deliberadamente retirar asilo diplomático a Julian Assange por violar reiteradamente convenções internacionais e protocolos de convivência”, declarou, em post no Twitter, o presidente do Equador, Lenín Moreno.

O ativista estava na embaixada desde 2012. Uma das promessas da campanha de 2017 para presidente de Lenín Moreno foi a resolução desse problema diplomático que abalava as relações entre Equador, Estados Unidos, Reino Unido e Rússia. Houve uma proposta de dar a cidadania equatoriana para Assange, uma forma de fazê-lo morar na Rússia, mas a ideia não avançou, pois a contrapartida seria o ciberativista ficar sem acesso à internet.

14:38 · 09.04.2019 / atualizado às 14:45 · 09.04.2019 por

Oito estados americanos passaram a permitir que instituições escolares de ensino médio (high school) possam ter jogos eletrônicos dentro da grade de ensino da escola. Sendo assim, os alunos poderão participar de competições de eSports representando a escola da mesma forma como outros esportes são abordados, como futebol, futebol americano, basquete, vôlei etc.

Nem todos os games foram permitidos. Um dos mais conhecidos que teve permissão é o Smite, porém vários jogos de tiro ficaram de fora da lista. Apesar da restrição, esse movimento é muito importante para o mercado de esportes eletrônicos, pois aquece mais ainda o cenário e dá mais respaldo ao esporte. Além do mais, permite que um movimento já firme para com os demais esportes nos Estados Unidos, como a formação de jogadores desde as escola fundamental, comece a ocorrer também no cenário dos eSports.

Os alunos que se destacam no meio poderão contar até com bolsas de estudo, afinal algumas universidades como a New York University (NYU) e a University of California já possuem um programa de descontos para quem participa de seus times de jogos eletrônicos.

Mercado bilionário

Empresas que antes patrocinavam jogadores e competições de esportes tradicionais agora também apostam nos esportes eletrônicos de jogos como Fortnite, League of Legends e o próprio Smite. Segundo levantamento da Newzoo, o mercado estimado para 2019 é de 1 bilhão e a audiência poderá atingir até 454 milhões de espectadores ao final do ano.

11:27 · 09.04.2019 / atualizado às 11:27 · 09.04.2019 por

Agora é oficial, a linha Galaxy J de smartphones vai ser substituída pela linha Galaxy A, segundo anunciou a Samsung na Malásia. A empresa publicou um vídeo anunciando a transição entre os novos modelos. Além disso, o vídeo também mostra uma rápida demonstração das capacidades da linha Galaxy A.

Quem gosta da linha Galaxy J ainda pode ter um pouco de esperança, pois o anúncio feito para o mercado da Malásia não necessariamente irá para outro territórios, mas marca uma tendência da Samsung com relação a essa família de aparelhos. O Brasil, por exemplo, ainda não tem nada confirmado, mas não há nada que faça pensar que aqui será diferente se houver mesmo uma tendência mundial.

17:03 · 20.03.2019 / atualizado às 17:03 · 20.03.2019 por

O futuro dos games não está mais numa caixa“: foi assim que o Google apresentou nessa terça-feira, 19, o Stadia, seu novo serviço de streaming de games. Com ajuda de sua infraestrutura de processamento na nuvem, a gigante americana vai permitir que os jogadores desfrutem de games em qualquer tela, do celular à TV e com qualquer controle, desde que estejam conectados à internet. Se funcionar, a ideia pode acabar com um mercado tradicional do entretenimento: a venda de consoles e jogos em formato físico, desbancando marcas como Sony, Nintendo e Microsoft.

Anunciado durante a Game Developers Conference, evento do setor realizado nesta semana em São Francisco, o Stadia (estádios, em latim) deve chegar ao mercado até o fim do ano nos EUA, Canadá, Reino Unido e na Europa. Não há data prevista para o Brasil. Ainda não está claro, porém, como os jogadores pagarão para usar o Stadia.

Analistas apontam que uma assinatura, nos moldes do Netflix ou do Spotify, é o modelo de negócios mais provável. Ainda não se sabe também quais e como serão os jogos disponíveis – em São Francisco, títulos de alto desempenho como Doom e Assassin’s Creed surgiram entre as promessas.

O jogo não vai precisar de um console extra para jogar, sendo um novo modelo de videogames

Funcionalidades

Além de permitir partidas pela rede, sem que o usuário precise de um novo dispositivo, o Google quer trazer novas funções aos games.

Por meio do Stadia, criadores de conteúdo poderão jogar partidas ao vivo junto com espectadores, em uma função chamada Crowd Play. Outra ferramenta, chamada State Share, permitirá que um jogador comece a jogar uma fase específica de um jogo, em menos de dez segundos, a partir de um vídeo que mostre o mesmo nível.

O Google criou um estúdio próprio de jogos para o Stadia – comandado por Jade Raymond, que criou games como Watch Dogs, da Ubisoft. Haverá ainda um controle próprio do Stadia, no qual usuários poderão apertar botões específicos para gravar vídeos de seus jogos ou pedir ajuda ao Google Assistant para consultar como passar de fase.

Competição

O Stadia não chega sozinho ao mercado: Sony e Microsoft também devem lançar algo parecido este ano. Para analistas, é um setor cheio de potencial, mas com incertezas.

“O Stadia é uma ótima prova de conceito, mas só fará sucesso se tiver usuários e bom conteúdo disponível”, disse Daniel Ahmad, da consultoria Niko Partners, pelo Twitter.

Já André Pase, professor da PUC-RS, aponta que redes podem ser entrave. “Não basta uma conexão boa, é preciso que ela seja boa o suficiente para permitir ao jogador ter tempo de reação dentro dos games.”

Fonte: Jornal O Estado de S. Paulo e Estadão Conteúdo

09:46 · 08.03.2019 / atualizado às 09:46 · 08.03.2019 por

Acredite, ainda não houve uma missão conhecida como caminhada espacial completamente composta por mulheres. Isso vai mudar, pois no dia 29 de março as astronautas da NASA Anne McClain e Christina Koch farão história ao irem as duas para fora da Estação Espacial Internacional realizar reparos técnicos. O suporte terrestre também será feito por uma mulher, no caso Kristen Facciol, da Agência Espacial Canadense, a partir do Centro Espacial Johnson, da NASA, em Houston.

“Acabei de descobrir que estarei no painel oferecendo suporte para a primeira caminhada espacial completamente feminina, com @AstroAnnimal e @Astro_Christina, e não consigo conter minha empolgação!!!!”, disse Kristen Facciol em seu twitter.

A missão irá durar cerca de sete horas e a intenção será substituir baterias que foram instaladas em 2018. Toda a cobertura será realizada pela NASA, em seu site e Youtube, e poderá ser assistida a partir das 8h30, horário de Brasília, do dia 29 de março.

Em 2013 ambas foram escolhidas para serem astronautas pela NASA e essa será também a primeira caminhada espacial de cada uma delas. McClain já está na Estação Espacial Internacional desde dezembro de 2018, tendo ido na Expedição 58. Koch irá deixar a Terra na Expedição 59, marcada para o dia 14 de março, e chegará a tempo para estudar bem a missão com a colega; ela também ficará durante a Expedição 60.

Conheça um pouco da história de Anne McClain, uma das duas que irá caminhar no espaço. De jogadora de Rugby a astronauta da NASA.

A Primeira Mulher a Caminhar no Espaço

O feito da dupla americana acontecerá quase 35 anos depois que a primeira mulher astronauta caminhou no espaço. Em 25 de julho de 1984 a soviética Svetlana Savitskaya realizou o feito em sua segunda estadia em órbita. Também primeira mulher a ir ao espaço duas vezes, Svetlana conduziu atividades extra-veiculares no espaço, permanecendo fora da estação orbital Salyut 7, numa caminhada espacial de 3 horas e 35 minutos, onde testou novas ferramentas e procedimentos para soldagem, corte e materiais de revestimento na estação.

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Na Rede

Tendências, novidades e novos produtos para quem é apaixonado por tecnologia. Comportamento digital e redes sociais também em pauta. Por Daniel Praciano.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags