Autor: Tecno


06:21 · 17.05.2019 / atualizado às 12:29 · 16.05.2019 por

É inegável a importância da internet no dia a dia das pessoas hoje. Afinal, com ela fica fácil realizar pesquisas acadêmicas ou para o trabalho, se conectar com amigos e familiares, comprar algo necessário e compartilhar experiências incríveis: férias, um restaurante, o nascer do Sol. Mas assim como existem os prós, há os contras e a internet também pode expor as pessoas ao risco. Para evitar os perigos e curtir a experiência online sem preocupações, a Kaspersky Lab separou cinco atitudes para você repensar sobre sua segurança online hoje, no Dia Mundial da Internet, neste dia 17 de maio:

Qual a senha do Wi-Fi?

“Essa talvez seja a primeira pergunta que fazemos ao chegar em um restaurante, aeroporto ou hotel. O grande perigo é que redes abertas podem ser uma armadilha para redirecionar as pessoas para sites fraudulentos. Basta uma pessoa mal-intencionada escolher um local de grande tráfego, se conectar a uma rede aberta / criar uma conexão com nome similar do restaurante/hotel e esperar que o internauta acesse um site de compras ou Internet Banking para roubar seus dados”, alerta Fabio Assolini, analista sênior de segurança online da Kaspersky Lab. Para se conectar sem ter essa preocupação, basta criar uma conexão segura, usando produtos como o Kaspersky Secure Connection, que isola seus dados mesmo quando você usa uma rede pública.

Clica, clica, clica

São inúmeros os links que circulam, principalmente no WhatsApp, e a maioria são fraudes. Está cada vez mais difícil separar as promoções reais das fakes. “Os cibercriminosos estão monitorando as promoções reais para criar versões falsas. Um exemplo recente foi o golpe que atraiu mais de 700 mil pessoas oferecendo um kit de lápis de cor durante a Volta às Aulas”, explica Assolini. Antes de clicar, é sempre válido acessar o site oficial da marca (digital seu endereço na barra de endereços) e confirmar a ação/oferta. “Neste caso, bloqueamos o link falso via nossa rede na nuvem, a Kaspersky Network Security, quando identificamos a fraude e as vítimas eram apenas 50 mil. Mesmo quem clicou foi impedido de acessar o site fraudulento e conseguimos mitigar o alcance dele”, afirma. Embora a mensagem pareça verdadeira, sempre suspeite de links e anexos;

O barato sai caro

Uma pesquisa realizada pela Kaspersky Lab, em parceria com a empresa CORPA, mostrou que 35% dos brasileiros estão dispostos a fornecer informações pessoais em troca de cupons, descontos especiais ou programas de fidelidade. “Brindes e ofertas são usados pelas marcas e também pelos cibercriminosos. Em um golpe descoberto e bloqueado por nós, o objetivo era criar um cadastro de vítimas, provavelmente para efetuar compras de Natal em nome delas. O internauta esquece que, ao expor seus dados na internet, não tem mais volta. Como o comportamento anterior, é mais simples quando a solução de segurança bloqueia o acesso”, destaca.

Deseja salvar seu login e senha?

Os logins e senhas são nossas identidades digitais hoje e servem para permitir a compra online, acesso a serviços online, conteúdos exclusivos entre outros. Visando simplificar o uso delas, 41% dos brasileiros, de acordo com o primeiro estudo regional desenvolvido pela Kaspersky Lab na América Latina, em conjunto com a empresa de pesquisa chilena CORPA, acabam usando até três combinações – e muitos ainda utilizam a função ‘preenchimento automático’. “No início deste ano, veio a público a existência de uma base de dados com 1,1 bilhão de credenciais únicas, resultado de diversos vazamentos de dados. Além disso, os criminosos brasileiros já conseguiram desenvolver uma técnica que visa os smartphones para roubar credenciais de mobile banking e dados de cartões”, explica Assolini. A criação de senhas únicas e o uso da dupla autenticação são as melhores formas de proteger sua identidade digital, uma vez que, se vazada/roubada basta mudar a credencial de um serviço. Para criar combinações únicas sem abrir mão da simplicidade, o internauta pode usar um gerenciador de senhas, como o Kaspersky Password Manager.

Meu celular, minha vida

Em um país onde 80% dependem do celular para se conectar à internet, não é um exagero que os smartphones carregam a vida do usuário: fotos de família, e-mail pessoal e profissional, contatos, acesso ao banco, entre outras coisas. “Infelizmente as pessoas não valorizam suas vidas digitais com a mesma importância que a ‘real’, já que 41% dos brasileiros não contam com nenhuma segurança em seu celular. Além de assustador, isso é controverso. É da natureza humana a autoproteção, mas não buscamos formas de fazer isso com nossos dados”, alerta.

“A falta de consciência em relação à nossa segurança e nossa privacidade online é o ponto em comum em todos os pontos acima e isso acabam nos colocando em risco. Ao adotar comportamentos mais seguros, o internauta consegue evitar a maioria dos perigos online. Além disso, ele pode usar uma solução como o Kaspersky Total Security para simplificar sua experiência online e se proteger das ameaças mais elaboradas, já que estamos constantemente monitorando o surgimento de novos ataques”, finaliza o analista de segurança.

10:44 · 16.05.2019 / atualizado às 10:44 · 16.05.2019 por

A partir desta quinta-feira, 16, a linha Galaxy M, que será vendida exclusivamente no e-commerce de varejistas parceiros, está disponível para os consumidores. As novidades chegam com Display Infinito, câmeras que prometem agradar aos usuários e bateria de longa duração. Disponíveis nas cores preto e azul, o preço sugerido do Galaxy M30 é de R$ 1.499, do Galaxy M20 é de R$ 1.199 e o do Galaxy M10 é de R$ 899.

Conheça as principais características de cada smartphone da linha M:

Galaxy M30

O Galaxy M30 possui câmera traseira tripla de 13MP (principal; F1.9), 5MP (profundidade) e 5MP (ultra-wide com 123º de abertura).

Outro destaque é a potência da bateria de 5.000 mAh que permite desfrutar dos recursos do smartphone ao longo de um dia inteiro sem se preocupar, garante a Samsung (não testamos o aparelho), além de carregador rápido Tipo C que disponibiliza um carregamento mais conveniente.

Galaxy M20 e Galaxy M10

Os Galaxy M20 e M10 possuem Display Infinito e processadores que prometem bom desempenho. O M20 tem processador 2x 1.8 GHz Cortex-A73 + 6x 1.6 GHz Cortex-A53 com chipset Samsung Exynos 7 Octa 7904 com GPU Mali-G71 MP2 e 4GB de memória RAM e 64GB de armazenamento interno expansível até 512GB. Exatamente a mesma configuração do M10.

O Galaxy M20 vem com uma tela de 6,3” FHD enquanto o Galaxy M10 possui uma tela de 6.2”.

Tanto o Galaxy M10 quanto o M20 tem uma bateria de 5000 mAh com carregamento rápido.

07:53 · 16.05.2019 / atualizado às 07:56 · 16.05.2019 por

A NASA tem planos para lançar uma primeira missão tripulada ao planeta Marte em 2030. Entretanto, não é preciso esperar até lá, já que o NASA Kennedy Space Center Visitor Complex dispõe aos turistas uma simulação de como é viver em uma base científica no planeta vermelho.

Este equipamento permite que você sinta os efeitos da falta de gravidade. Foto: Nasa/Divulgação

São as atrações ATX Center e Mars Base 1. A primeira reproduz o treinamento de astronautas em cinco horas de duração, e é composta pelo lançamento de um foguete, sua acoplagem e seu pouso. Graças a uma tecnologia que imita microgravidade, os participantes podem até experimentar como é a sensação de caminhar no espaço! Já a segunda atividade, possibilita uma experiência de cinco a sete horas em uma missão para superar os obstáculos naturais da superfície marciana. Na aventura, diversão e aprendizado andam lado a lado! Trabalhando em equipe, os participantes poderão manusear plantas e vegetais em um Laboratório de Botânica profissional, administrar a Base de Operações, coletar dados científicos e programar um robô para limpar painéis solares.

Aqui é possível trabalhar em um laboratório profissional de botânica. Foto: Nasa/Divulgação

Para participar de ambas simulações é necessário possuir fluência em inglês para compreender as instruções dos orientadores, além de ter mais de 10 anos de idade.

07:29 · 16.05.2019 / atualizado às 07:33 · 16.05.2019 por

A Organização Mundial da Saúde (OMS) acaba de lançar um guia de saúde infantil. A publicação alerta aos pais para não permitirem que crianças com menos de 2 anos tenham acesso ao celular e outros equipamentos. Aos 2 anos de idade ou mais a recomendação é desligar os equipamentos 2 horas antes de dormir. Razões para isso não faltam. A OMS enumera que entre crianças a luz emitida pelas telas atrapalha o sono, predispõe à obesidade, interfere na saúde óssea, metabolismo cardíaco, desenvolvimento de habilidades cognitivas e motoras.

Pesquisa

Segundo o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto do Instituto Penido Burnier de Campinas a mesma regra vale para adultos, mas 31% leva o celular para a cama. É o que revela uma pesquisa realizada pelo especialista com 814 participantes de 25 a 65 anos. “É claro que existem muitas diferenças entre o organismo de crianças e adultos, mas a luz que que penetra em nossos olhos regula todas as funções biológicas durante as 24 horas do dia, independente da idade”, afirma.

O celular ou qualquer outro tipo de tela digital não deve ser usado antes de dormir, inclusive por adultos, porque emitem luz azul, a mesma que predomina durante o dia, explica. Por isso, observa, avisa nosso cérebro que deve manter o estado de alerta, independente do horário. Resultado: diminui a produção da melatonina, hormônio indutor do sono, secretado apenas no escuro.

Efeitos na saúde

O oftalmologista ressalta que a OMS recomenda a bebês de até 1 ano 17 horas de sono/dia, de 1 a 2 anos de 11 a 14 horas/dia e dos 3 aos 4 anos de 10 a 13 horas/dia. Já a indicação para adultos é bem menor. Varia de e 6 a 8 horas/dia. Adultos que dormem menos ganham peso e têm maior dificuldade de absorção da insulina. Significa que a chance de contrair diabetes tipo 2 aumenta. Do ponto de vista da saúde ocular o diabetes dobra o risco de desenvolver catarata, destaca. Isso acontece, porque a lente do olho é formada por água e proteínas transparentes. “O acúmulo de glicemia na corrente sanguínea dificulta a absorção de oxigênio pelas células do cristalino que entram em processo de oxidação. O resultado é a opacificação da lente interna do olho que responde por 49% dos casos de cegueira tratável no país” afirma. Os principais sinais da catarata elencados pelo médico são:

– Troca frequente do grau dos óculos.
– Perda da visão de contraste e de profundidade.
– Dificuldade de enxerga à noite ou em ambientes escuros
– Enxergar halos em torno das luzes.
– Ofuscamento ou perda momentânea da visão quando os olhos são atingidos por faróis contra no trânsito.

O único tratamento é a cirurgia que consiste em substituir o cristalino opaco pelo implante de uma lente dentro do olho.

12:56 · 15.05.2019 / atualizado às 12:57 · 15.05.2019 por

A Motorola lança no Brasil o Motorola One Vision a partir de R$ 2.199 e com promessa de uma câmera capaz de produzir fotos tão nítidas, que permitem enxergar até mesmo no escuro.

O aparelho vem com o sistema de câmera mais que promete ser potencializado por elementos de inteligência artificial (IA), estabilização de imagem óptica (OIS) e a tecnologia Quad Pixel, além de uma outra promessa bem aguardada por usuários: uma bateria para o dia inteiro.

Tela

O One Vision tem uma tela batizada de CinemaVision Full HD+ 21:9 de 6.3″, que conta com uma câmera de selfie em formato com recorte circular no canto superior da tela. O novo smartphone da Motorola oferece um design fino, com acabamento da parte traseira em vidro 4D Corning Gorilla Glass em duas cores com efeito gradiente: azul safira e bronze.

Fotos noturnas

Como não recebemos o produto para testes, não há como ter certeza que a promessa da Motorola acontece no mundo real. Porém, o que a empresa diz é que, como o One Vision traz a tecnologia Quad Pixel, as fotos, mesmo noturnas, agradaram a todos. Segundo a Motorola, isso acontecerá ao combinar quatro pixels em grande pixel de 1.6 µm, através dos quais o sensor de 48 MP oferece até quatro vezes mais sensibilidade à luz. Com isso, é possível fotos com resolução de 12 MP incrivelmente nítidas, com mais brilho e redução de ruído na imagem, diz a equipe da Motorola.

O sensor de câmera traseira de 48 MP também vem equipado com estabilização de imagem óptica (OIS) e o modo Night Vision. O OIS promete compensar fotos e vídeos borrados, enquanto o Night Vision permitiria tirar fotos mais brilhantes e mais nítidas mesmo em baixas condições de luminosidade ou à noite.

Ainda de acordo com a empresa, a câmera frontal de 25 MP do Motorola One Vision permitirá escolher diferentes tamanhos de pixel dependendo da situação, assegurando que você obtenha fotos de alta qualidade sempre. Em ambientes muito iluminados, é possível capturar selfies de 25 MP com máximo nível detalhes. Em locais de pouca luminosidade, a tecnologia Quad Pixel de 1.8 µm permite capturar selfies supernítidas, diz a assessoria da Motorola.

IA

Segundo a assessoria da Motorola, a Inteligência Artificial (IA) do One Vision irão acrescentar efeitos de iluminação ao rosto, enquanto a captura de sorriso automática e composição inteligente asseguram que as fotos estejam sempre prontas para o Instagram.

Bateria

Motorola promete fotos nítidas até no escuro. Será?

O One Vision traz bateria de 3.500 mAh que promete carga suficiente para o dia todo. Além disso, tem o carregador TurboPower que oferece até 7 horas de uso com apenas 15 minutos de carga.

Mais espaço para armazenamento

O aparelho da Motorola chega com armazenamento ilimitado de fotos de alta qualidade com Google Fotos. O Motorola One Vision dispõe de 128 GB de armazenamento interno e capacidade de mais até 512 GB com um cartão microSD. Ele tem memória RAM de 4GB. Tem processador 4×2.2 GHz ARM Cortex-A73+ 4×1.7 GHz ARM Cortex-A53, chipset Samsung Exynos 7 Octa 9609 e GPU Mali-G72 MP3. Ele é Dual Sim e tem Rádio FM.

07:30 · 15.05.2019 / atualizado às 07:30 · 15.05.2019 por

A popularização dos tablets e smartphones evoluiu de tal modo que, atualmente, estes são uma das principais fontes de compras do consumidor do varejo digital. Segundo dados da Compre&Confie, empresa referência em inteligência de mercado e segurança digital para compras na web criada pela ClearSale, em 2018 foram 62,9 milhões de pedidos via mobile no Brasil, sendo 83,4% em dispositivos Android e 16,5% em aparelhos com sistema iOS.

Ao todo, 9,9 milhões de pessoas compraram através de dispositivos móveis no período, com tíquete médio de R$376,70. Na divisão por gênero, as mulheres foram mais ativas do que os homens: a participação delas no volume de pedidos atingiu a marca de 59,2%, ante 40,2% deles.

Os jovens entre 26 e 35 anos foram o principal público consumidor, com 36% dos pedidos realizados. Em seguida, os adultos que têm entre 36 e 50 anos, com 34,9%.

Na comparação por regiões do país, o Sudeste lidera a porcentagem de pedidos com 72,6% e a região sul vem atrás, com 11% do total. Essas duas regiões concentram 84,1% dos pedidos, reflexo da maior presença de e-commerces e da familiaridade do consumidor com compras on-line em ambos os locais.

Produtos consumidos

A principal categoria em pedidos realizados é a de telefonia, com 16,4% do total. Entretenimento e moda aparecem em seguida, com 13,8% e 13,2%, respectivamente.

Em relação ao faturamento, o setor de telefonia também é a principal categoria de vendas, com 34,7% do total de vendas. Entretenimento é a segunda categoria, com 14,1%. Em terceiro lugar, figura o segmento de eletrodomésticos e ventilação, com com 10,8% do total.

07:15 · 15.05.2019 / atualizado às 07:26 · 15.05.2019 por

Novo pacote de nível e personagens inspirados na série animada da Justiça Jovem, para Playstation 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC chegam em Lego DC Super-Villains. A novidade já está disponível para download e disponibiliza conteúdo da série de sucesso da DC, em que um grupo de jovens super-heróis realizam operações secretas em nome da Liga da Justiça. Os jogadores terão que derrotar o vilão conhecido como “A Luz” enquanto jogam com personagens como Kid Flash, Aqualad, Artemis (Tigresa), Miss Marte, Superboy e um inimigo para combater e desbloquear, Besouro Negro.

Sobre os personagens

O Kid Flash desempenha um papel fundamental na nova fase e é o pseudônimo do jovem Wally West, que adotou o nome depois de ser atingido por um raio, assim como seu tio, Flash, a quem serviu de ajudante. O personagem possui velocidade sobre-humana e sua primeira aparição foi durante a segunda temporada de Justiça Jovem.

Filho do vilão Arraia Negra, Aqualad usa seus superpoderes de manipulação de líquidos, super força e invulnerabilidade, junto de sua capacidade de sobreviver debaixo d’água. Na série, Aqualad ajudou e fez grande amizade com Aquaman, que o ofereceu a oportunidade de se tornar seu protegido e servir como um super-herói durante a primeira temporada de Justiça Jovem.

Como uma mestra arqueira, Artemis (Tigresa) é habilidosa com um arco composto e é a antiga protegida do Arqueiro Verde. Ela foi recrutada por Batman e pelo próprio Arqueiro Verde para se juntar à equipe durante a primeira temporada da série animada. Embora seu nome verdadeiro seja Artemis, ela também opera com o codinome da vilã Tigresa.

Durante a primeira temporada da série, Miss Marte foge de sua casa em Marte em direção a Terra, onde tem um forte desejo de se encaixar e pertencer aos terráqueos. Ao se juntar à equipe, usa suas habilidades como telepatia para saber o que as pessoas ao seu redor estão pensando – as vezes para o desdém de seus companheiros. Durante a série, se torna a líder da equipe.

Superboy é um genomorfo e clone binário de Superman e Lex Luthor, bem como um membro fundador da equipe da Justiça Jovem. Ele compartilha os traços físicos de Superman e nunca envelhece visualmente, devido aos efeitos da clonagem. Superboy foi libertado por Aqualad, Robin e Kid Flash, tendo logo se juntado aos jovens super-heróis para convencer Batman sobre a criação da equipe na primeira temporada da série.

O Besouro Negro faz parte do “The Reach”, uma espécie insectoide de alienígena. Possui super força que usa para dominar seus oponentes em batalha. Os jogadores poderão lutar contra e o desbloquear como parte do pacote de fases e personagens. Besouro Negro fez sua primeira aparição na série durante a segunda temporada.

O Pacote de nível e personagens da série Justiça Jovem faz parte do Season Pass incluído na edição Deluxe de Lego DC Super-Villains disponível para PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC.

09:15 · 06.05.2019 / atualizado às 09:15 · 06.05.2019 por

O Estação Hack, realizado em parceria com a Artemisia – organização pioneira no apoio a negócios de impacto social no Brasil – tem como objetivo apoiar negócios inovadores que promovam transformações positivas na sociedade. As inscrições devem ser feitas pelo site da Artemisia até 3 de junho.

“Vendo o impacto positivo que as trinta startups aceleradas na Estação Hack estão gerando, ficamos animados em lançar uma nova busca por empreendedores com soluções que podem beneficiar milhares pessoas e cidades”, afirma o diretor da Estação Hack, Eduardo Lopes.

As startups aceleradas na primeira e segunda turmas já alcançaram mais de 2 milhões de pessoas com suas soluções e captaram mais de R$ 24 milhões em investimento.

“Acreditamos no papel dos negócios de impacto social para apoiar as resoluções de hoje e do futuro. Por isso, para essa quarta turma, buscamos empreendedoras e empreendedores altamente comprometidos e com soluções inovadoras para os grandes desafios de nossa sociedade”. afirma Maure Pessanha, diretoria-executiva da Artemisia.

O principal requisito para empreendedores e empreendedoras de todo o Brasil participarem é que tenham criado startups inovadoras com potencial de melhorar a vida das pessoas e das cidades onde vivem, com soluções voltadas para:

  1. Talentos e profissionais do futuro
    • Desenvolvimento de competências do século XXI;
    • Ensino de programação, robótica e cultura maker;
    • Empregabilidade;
    • Capacitação de empreendedores;
    • Acessibilidade digital;
    • Incentivo à criatividade e à cultura;
    • Ética e tecnologia;
    • Saúde e bem-estar.
  2. Cidades inclusivas e sustentáveis
    • Gov techs que apoiem o poder público a ser mais eficiente, inteligente e acessível;
    • Água, energia e meio ambiente;
    • Moradias salubres, dignas e sustentáveis;
    • Mobilidade urbana;
    • Inclusão e acessibilidade para minorias e pessoas vulneráveis;
    • Ética e cidadania.

Também é importante ter, ao menos, protótipo ou produto em fase de testes no mercado ou ser uma empresa que tenha produto lançado e que busque rápido crescimento.

16:00 · 17.04.2019 / atualizado às 16:00 · 17.04.2019 por

O SIM swap, conhecido popularmente como “clonagem dos chips do celular”, é uma fraude que está sendo amplamente utilizada por cibercriminosos no País. Essa técnica é um recurso legítimo e utilizado quando um smartphone é perdido ou roubado, e permite ao dono da linha ativar o número em outro chip. Os golpistas, porém, estão constantemente enganando as operadoras de celular para fazer a portabilidade do número do dispositivo roubado para um novo chip. Uma investigação conjunta entre a Kaspersky Lab e o CERT de Moçambique, descobriu que esse tipo de ataque é muito comum também no mundo todo, sendo usado pelos cibercriminosos não apenas para roubar credenciais e capturar senhas de uso único (OTPs) enviadas por SMS, mas também para roubar dinheiro das vítimas.

Os pagamentos móveis tornaram-se muito populares, especialmente em mercados emergentes, como África e América Latina, onde os consumidores podem facilmente depositar, sacar e pagar bens e serviços usando seus dispositivos móveis. Porém, eles também estão sendo alvos de uma onda de ataques, e as pessoas estão perdendo dinheiro em fraudes de clonagem de chips em grande escala.

O golpe começa com a coleta de dados das vítimas por meio de e-mails de phishing, engenharia social, vazamentos de dados ou até pela compra de informações de grupos criminosos organizados. Depois de obter os dados necessários, o cibercriminoso entra em contato com a operadora móvel, passando-se pela vítima, para que ela faça a portabilidade e ative o número do telefone no chip do fraudador. Quando isso acontece, o telefone da vítima perde a conexão (voz e dados) e o fraudador recebe todos os SMSs e chamadas de voz destinados à vítima. Assim, todos os serviços que dependem da autenticação de dois fatores ficam vulneráveis.

Somente no Brasil um grupo organizado de cibercriminosos conseguiu clonar o chip de 5.000 vítimas, envolvendo não apenas pessoas comuns, mas também políticos, ministros, governadores, celebridades e empresários famosos. Em Moçambique um golpe causou prejuízo de US$ 50.000 a um empresário, roubados de suas contas bancárias, já no Brasil foram identificadas diversas fraudes de R$ 10 mil cada. Porém, é difícil estimar o impacto total desse tipo de ataque na América Latina, África e no mundo, pois a maioria dos bancos não divulga as estatísticas publicamente.

“O interesse dos cibercriminosos nas fraudes de SIM swap é tão grande que alguns até vendem este serviço para outros criminosos. Os fraudadores atiram em todas as direções; os ataques podem ser direcionados ou não, mas qualquer pessoa pode ser vítima. Tudo o que o criminoso precisa é do número do celular, que pode ser obtido facilmente pesquisando vazamentos de bancos de dados, comprando bancos de dados de empresas de marketing ou usando aplicativos que oferecem serviços de bloqueio de spam e identificação do chamador. Na maioria dos casos, é possível descobrir o número do seu celular com uma simples busca no Google”, explica Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab e corresponsável pela pesquisa.

Fabio Assolini, analista sênior da Kaspersky Lab, durante evento da empresa em Singapura

Usando o Whatsapp

A técnica de clonagem de chips também gerou um novo tipo de ataque conhecido como “clonagem do WhatsApp”. Neste caso, depois da ativação do chip no celular do criminoso, ele carrega o WhatsApp para restaurar os chats e contatos da vítima no aplicativo. Então, ele manda mensagens para os contatos como se fosse a vítima, falando de uma emergência e pedindo dinheiro. Alguns dos ataques atingiram empresas depois que cibercriminosos conseguiram sequestrar o celular de um executivo e usaram a clonagem do WhatsApp para solicitar recursos do departamento financeiro da empresa. O golpe é semelhante ao comprometimento de e-mails corporativos (BEC), mas usando contas do WhatsApp.

Como evitar o golpe

Quando possível, os usuários devem evitar usar a autenticação de dois fatores via SMS, optando por outros métodos, como a geração de uma autenticação única (OTP) via aplicativo móvel (como o Google Authenticator) ou o uso de um token físico. Infelizmente, alguns serviços online não apresentam alternativas. Nesse caso, o usuário precisa estar ciente dos riscos.

Quando é solicitada a troca do chip, as operadoras devem implementar uma mensagem automatizada que é enviada para o número do celular, alertando o proprietário de que houve uma solicitação de troca do chip e, caso ela não seja autorizada, o assinante deve entrar em contato com uma linha direta para fraudes. Isso não impedirá os sequestros, mas avisará o assinante para que ele possa responder o mais rápido possível em caso de atividades maliciosas. Caso a operadora não ofereça esse tipo de serviço, o usuário deve entrar em contato solicitando um posicionamento a respeito.

Para evitar o sequestro do Whatsapp, os usuários devem ativar a dupla autenticação (2FA) usando um PIN de seis dígitos no dispositivo, pois isso adiciona uma camada extra de segurança que não é tão fácil de burlar. Solicite que seu número seja retirado das listas de IDs de aplicativos que identificam chamadas; eles podem ser usados por golpistas para encontrar seu número a partir do seu nome.

10:00 · 16.04.2019 / atualizado às 12:08 · 12.04.2019 por

Criado a partir do banco de dados de detecção de ameaças da Avast, o Relatório Global de Riscos para PCs 2019 revela os perigos digitais para computadores domésticos e corporativos. Brasil tem infecções pendentes em 19,54% dos computadores residenciais e em 14,78% dos computadores corporativos.

A Avast, líder global em produtos de segurança digital, revelou que os usuários domésticos de computadores com Windows 7, 8 e 10 têm 20% de chance de encontrar qualquer tipo de ameaça em seus PCs. O Afeganistão, o Irã e a China estão no topo da lista dos países onde os usuários de PCs residenciais estão mais expostos a riscos. A China figura ainda no terceiro lugar da lista com países onde as empresas têm maior probabilidade de encontrar uma ameaça cibernética, tendo o Paquistão na primeira posição e o Vietnã na segunda.

O Relatório Global de Riscos para PC 2019 da Avast analisou informações do banco de dados de detecção de ameaças da companhia. O estudo apontou que os usuários domésticos do Windows 10 são os mais propensos a encontrar um “ataque avançado”, definido como uma nova ameaça, ou seja, ainda não vista antes da mesma ser projetada para burlar tecnologias comuns de proteção de software de segurança, como filtragem de URL, verificação de e-mail, assinaturas, heurísticas e emuladores.

Com base nos dados analisados, a versão mais segura do Windows parece ser o Windows Vista, provavelmente devido ao fato do seu uso no mundo todo ter caído para cerca de 2%, tornando-o um alvo pouco atraente para os cibercriminosos. Os usuários domésticos do Windows Vista têm uma taxa de risco de ameaça abaixo de 10% para todas as ameaças e uma taxa de risco de 1,6% para ameaças avançadas. O mesmo acontece com os usuários corporativos, onde os usuários do Windows Vista têm 7% de chance de encontrar qualquer tipo de ameaça e 1% de chance de encontrar ameaças avançadas.

Os cibercriminosos criam ameaças que aproveitam as atividades realizadas pelos usuários domésticos e apostam que os consumidores estão menos conscientes sobre segurança digital”, disse Luis Corrons, Evangelista de Segurança da Avast.

Por outro lado, as empresas geralmente têm políticas de navegação restritivas e equipes de TI dedicadas em manter as redes seguras. Em casa, sem perceber, podemos nos envolver com atividades online muito mais arriscadas e sem ter o mesmo nível de proteção”.

Brasil tem infecções pendentes em 19,54% dos computadores domésticos e em 14,78% dos computadores corporativos. De acordo com o relatório da Avast, 19,54% dos computadores domésticos no Brasil correm risco de qualquer tipo de infecção. Também há 7,26% dos usuários residenciais com risco de serem vítimas de uma ameaça avançada. Na comparação com os usuários corporativos, o percentual de computadores de empresas brasileiras que estão sob risco de qualquer tipo de ameaça é de 14,78% e de 3,83% com risco para ameaças avançadas.

Lista por Estado Brasileiro

O estudo traz ainda o percentual de risco de ameaças para PCs por Estado brasileiro. A lista traz o Maranhão no topo com 23,94% de PCs residenciais com risco para todas as ameaças. Já Alagoas está na liderança com 9,15% de computadores domésticos sob risco de ameaças avançadas. Com relação às empresas, à frente está o Estado do Amazonas com 20,73% com risco para qualquer tipo de ameaça em PCs corporativos e o Mato Grosso com 4,9% de chance das empresas encontrarem ameaças avançadas.

Os dez principais países com casas que têm maior risco de encontrar qualquer tipo de ameaça cibernética, são:

  1. Afeganistão (38,73%)
  2. Irã (37,49%)
  3. China (37,27%)
  4. Etiópia (35,7%)
  5. Palestina (34,66%)
  6. Egito (34,41%)
  7. Vietnã (33,37%)
  8. Madagascar (32,73%)
  9. Laos (32,44%)
  10. Myanmar (32,17%)

Os dez países com empresas que correm maior risco de combater qualquer tipo de ameaça, são:

  1. Paquistão (36,15%)
  2. Vietnã (35,56%)
  3. China (31,59%)
  4. Indonésia (29,53%)
  5. Coreia do Sul (28,15%),
  6. Filipinas (25,90%)
  7. Catar (24,93%)
  8. Venezuela (24,43%)
  9. Malásia (22,99%)
  10. Peru (22,86%)

 

Fonte: RelatórioGlobal de Riscos para PC 2019 da Avast

Pesquisar

Faça uma busca em nosso blog:

Na Rede

Tendências, novidades e novos produtos para quem é apaixonado por tecnologia. Comportamento digital e redes sociais também em pauta. Por Daniel Praciano.

VC REPÓRTER

Flagrou algo? Envie para nós

(85) 98887-5065

Tags